INVERSÃO DE POSIÇÕES

0

Só ontem é que se pode verificar a reação da opinião pública sobre o depoimento do presidente nacional do PTB, deputado Roberto Jefferson, à Comissão de Ética da Câmara dos Deputados, acusado de montar todo um esquema de corrupção nos Correios e em outras estatais dominadas por seu partido. Cênico, experiente e bom profissional, Jefferson inverteu a situação e passou de réu a acusador, através de revelações contundentes que atingiram e abalaram a maioria dos seus inquisidores. Foi um espetáculo que jamais se assistiu nas inúmeras salas do Congresso. Com o seu estilo teatral trouxe para ele a simpatia da opinião pública. E o vilão se transformou em mocinho, porque as suas declarações mexeram com as bases do poder e desnudaram o falso moralismo de alguns parlamentares que sempre se colocaram como arautos da moralidade.

 

Evidente que o deputado federal Roberto Jefferson não é nenhum inocente. Está atolado no lamaçal até o pescoço. Mas, de forma convincente, vai levando com ele um imenso grupo de ilustres personalidades que integra a banda podre do governo federal e das bancadas federais. O depoimento era sobre a corrupção nos Correios, mas predominou a acusação do recebimento do mensalão, feita de forma corajosa e direta a deputados que estavam à sua frente. Jefferson inaugurou um novo estilo: foi o único que participou da sujeira que se jogava para baixo do tapete e não pensou duas vezes em indicar quem deixava se vender para apoiar atos do governo. Confessou crime eleitoral, ao dizer que recebeu uma mala com quatro milhões de reais para financiar a campanha do PTB, depois de ter feito um acordo com o Partido dos Trabalhadores no valor de 20 milhões de reais.

 

É verdade que Jefferson poupou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas comprometeu os seus principais auxiliares, inclusive o ministro chefe da Casa Civil, José Dirceu, que até hoje apareceu em todas as denuncias de corrupção surgidas no país, a começar do caso Waldomiro Diniz. Não se pode ter dúvida que o governo não saiu bem nesta fotografia revelada no laboratório da Comissão de Ética. Ontem, um integrante da base aliada do Planalto disse que o deputado Roberto Jefferson “não apenas tinha o discurso, mas demonstrou habilidade para alterar uma situação que lhe era contra e transforma-la a favor”. A população medianamente esclarecida e politizada sabe, perfeitamente, que Jefferson falou a verdade quando disse que todos apóiam o governo através de contrapartidas. São ministérios, estatais, empresas públicas, representações federais nos estados e tudo o que possa se transformar em benefício para seus aliados ou render dividendo para um tal Fundo Partidário, que ninguém sabe onde é aplicado.

 

Na realidade a sociedade não ignorava que a forma de conquista de votos no Brasil sempre se deu pela compra descarada de consciência. É uma comercialização comum, porque a população mais carente não tem ideologia, tem fome. Muita fome. E, de estômago vazio, não interessa que o seu voto seja dado a qualquer cidade que lhe ofereça condições momentâneas de comer, pagar dívidas e ter um instante de felicidade nas festas que se promove para distribuição de cestas de alimentos. Lógico que o político desonesto, descompromissado com os problemas do país, é fruto do voto mal dado. Exatamente aquele que vem de um eleitorado que perdeu a esperança. Tudo isso é verdade e, evidentemente, de conhecimento e prática de um bom número de parlamentares. O que Roberto Jefferson revelou, principalmente que os partidos indicam nomes para compor o governo, em troca de apoio é uma forma de conseguir recursos para os tais fundos partidários. Ninguém desmentiu, porque realmente essa é uma prática danosa, ao mesmo tempo esperta, que desvia o dinheiro público para eleger quem não tem compromissos com a seriedade, o crescimento econômico e social de um país que, lamentavelmente, tem a sua elite político administrativa vinculada a comportamentos escusos.

 

É triste, mas se não houver uma reação urgente da sociedade, inevitavelmente chegaremos ao fundo do poço… Se é que já não estamos.

 

 

CONFIRMA

O Diretório Nacional do PFL quis confirmar, ontem, a informação de que o prefeito do Rio de Janeiro, César Maia, teria dito que o prefeito Marcelo Déda recebia mensalão da Petrobrás. A declaração foi confirmada pelo PFL em Sergipe, porque existe gravação de uma fita do discurso proferida por César Maia.

 

ENCONTRO

O governador João Alves Filho (PFL) viajou ontem a Belo Horizonte para um encontro com o governador de Minas, Aécio Neves. O assunto é a transposição do Rio São Francisco. João Alves Filho exibe os motivos técnicos, sociais e ecológicos que o faz lutar contra a transposição.

 

ESPECULA

O Correio Brasiliense, em sua edição de terça-feira, divulgou que o prefeito de Aracaju, Marcelo Déda, é um dos nomes cotados para substituir José Dirceu na Casa Civil. Déda disse que normalmente quando se fala em mudança de Ministério a imprensa lembra do seu nome: “não recebi nenhum convite e tenho uma missão a cumprir em Sergipe”.

 

FORTES

Quanto à crise política que o país atravessa, Marcelo Déda considera que “o Brasil e a democracia são muito mais fortes do que tudo isso”. Déda diz que Roberto Jefferson mostrou que é advogado habilidoso e conseguiu uma vitória: “ninguém fala mais na corrupção dos Correios. Ela ficou secundarizada”.

 

ANJOS

Uma coisa o prefeito Marcelo Déda observa: “tem muita gente aparecendo de anjo nesse processo todo”. Não citou nomes. Segundo Déda, um pessoal que tem um currículo político, e até pessoal, sujo passou a ser arauto da moralidade.

 

DIFÍCIL

O ex-deputado federal Sérgio Reis (PTB) acha que depois do depoimento de Roberto Jefferson, “tirar da cabeça do povo que existe político honesto é difícil”. Sergio acha que a “coisa se generalizou de tal forma que fica muito difícil encontra uma saída, porque houve um nivelamento por baixo”.

 

DELICADO

O secretário das Finanças do Município, Nilson Lima (PT) considera o quadro nacional delicado e “preocupa a todos que têm responsabilidade com a democracia”. “Há necessidade de um entendimento amplo com o objetivo de superar o regime presidencialista de coalizão, que é o modelo que funciona no país”, disse Nilson.

 

CANDIDATO

Nilson Lima é candidato a deputado federal e no primeiro momento está trabalhando no diálogo com as bases petistas. Diz que tem conversado com pessoas que “acompanham o nosso trabalho, inclusive no movimento estudantil”.

 

COMPRA

A CCJ aprovou ontem substitutivo do senador Valadares (PSB) que proíbe a compra de votos “desde a escolha do candidato na convenção partidária”. O substitutivo do senador Valadares muda a legislação eleitoral que só era cumprida “a partir do registro da candidatura”.

 

ABRANGÊNCIA

De acordo com o substitutivo de Valadares, constitui compra de voto o ato de doar, oferecer, prometer, ou entregar, ao eleitor, qualquer bem com o fim de obter-lhe o voto. Oferecer vantagem pessoal de qualquer natureza, inclusive emprego ou função pública, desde a escolha do candidato na convenção, até o dia da eleição, também constitui compra.

 

DESEMBARGADOR

O procurador Luiz Mendonça lidera a lista tríplice composta pelos desembargadores, na sessão plenária de ontem. Como o mais votado, com 10 votos, Luiz Mendonça deve ser o novo desembargador, que assumirá a vaga deixada por Fernando Franco.

 

ELEIÇÃO

Segundo um militante petista, da forma como estão se comportando as lideranças das tendências do PT em Sergipe, a eleição para o Diretório Regional deve parar na Justiça. Acrescentou que essas lideranças talvez não estejam atentas ao que está à gravidade do que vem acontecendo no país.

 

ARTIGOS

O militante petista lembrou que as eleições estaduais do PT têm um regulamento com 39 artigos, aprovado em Convenção Nacional, que orientam os passos do pleito. Para surpresa de uma das chapas foi realizada reunião, terça-feira, com apenas três tendências, e aprovaram itens que passam por cima do regulamento.

 

 

Notas

 

DEPOIMENTO

O secretário para Assuntos Institucionais da Presidência da República, Silvio Santos, enviou e-mail à Plenário, dizendo que percebeu que o colunista havia assistido o depoimento do deputado federal Roberto Jefferson na Comissão de Ética da Câmara, ocorrido nesta terça-feira. Confirmou que o deputado João Fontes (PDT) foi o único de Sergipe que inquiriu o depoente, mas sentiu falta, na coluna, da resposta da por Jefferson em relação à denuncia sobre do JB sobre a transposição.

 

VERDADE

Na realidade, segundo informou ontem João Fontes, a sua pergunta incluiu a denuncia feita pelo deputado federal Nelson Marquerelli, de que Roberto Jefferson procurou o ministro Ciro Gomes para implantar uma terceira empreiteira na construção as obras de transposição das águas do rio São Francisco. Segundo João Fontes, tanto o deputados Roberto Jefferson, quanto Nelson Marquerelli desmentiram a matéria publicada pelo Jornal do Brasil e informaram que estão processando o jornal por causa dessa notícia.  

 

VERDE

A bancada do Partido Verde na Câmara dos Deputados vai entrar na Justiça Federal com um mandado de segurança contra a licença que o Ibama concedeu ao projeto de transposição das águas do rio São Francisco. A licença viabilizou a publicação de edital para a realização de licitação para a obra. Por iniciativa do vice-líder do PV, deputado Edson Duarte, da Bahia, o pedido de concessão do mandado de segurança está assinado por todos os sete deputados, desligados da base de apoio do Governo Lula da Silva.

 

É fogo

 

O secretário José Alves Neto continua de cama, com uma virose.Tem despachado diariamente e sua casa.

 

O ex-prefeito Jerônimo Reis (PTB) já está trabalhando sua candidatura para deputado federal.

 

O senador José Almeida Lima (PSDB) continua descansando em Aracaju, atendendo a orientação médica.

 

Almeida Lima teve uma baixa de pressão quando estava em sessão plenária no Senado e foi atendido pelo Departamento Médico.

 

O deputado federal Bosco Costa (PSDB) não deixará o ninho tucano, mesmo que tenha sido convidado, com insistência, para ingressar no Partido Liberal.

 

Os festejos juninos em Aracaju serão iniciados, nesta próxima sexta-feira, no espaço Hilton Lopes. O Forro Caju já ultrapassa as fronteiras do estado.

 

Na praia de Atalaia também há um bom movimento na Vila do Forró, com a presença de turistas. A programação também é extensa.

 

O ex-governador Albano Franco repete que está aberto ao diálogo para o fortalecimento do PSDB em Sergipe.

 

O depoimento do deputado federal Roberto Jefferson é o assunto principal em todos os lugares que se chega em Aracaju.

 

A Receita Federal liberou ontem o primeiro lote do Imposto de Redá 2005. As consultas estão disponíveis na internet desde 08 de junho.

 

Uma liminar da Justiça suspendeu os efeitos da portaria que obriga o IBGE a encaminhar ao governo federal as pesquisas estruturais com antecedência de 48 horas antes da divulgação oficial dos dados.

 

O Banco Mundial aprovou um empréstimo de U$ 502,5 milhões pra o Brasil, para apoiar iniciativas do governo brasileiro no setor de habitação.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários