Investimentos e queda na arrecadação

0

 

 

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu aos 17 governadores das regiões Norte e Nordeste e de Mato Grosso, com quem se reuniu ontem, 28, que antecipem os investimentos previstos para o segundo semestre. Lula quer que as obras sejam feitas no início do ano para reduzir o impacto da crise. O presidente aconselhou os governadores a reduzirem despesas de funcionamento da máquina pública.

 

Afetados pela queda na arrecadação dos impostos próprios e dos repasses da União, os governadores pediram que o governo federal não faça novas desonerações de tributos cuja receita seja compartilhada com os Estados, como o IR (Imposto de Renda) e o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). “Os incentivos com esses impostos já afetaram a nossa receita. O governo tem que tomar medidas, mas o remédio não pode ser transformado em veneno ao reduzir a capacidade de investimentos dos Estados”, disse o governador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB). De acordo com a governadora Wilma Faria (PSB-RN), o presidente comprometeu-se a não fazer novas desonerações que afetem a receita dos Estados. No Rio Grande do Norte, as transferências constitucionais caíram 8% em dezembro ante igual mês de 2007.

 

E alguns estados, como Rio de Janeiro, Espírito Santo e Sergipe, têm outro complicador: estão preocupados com a queda na arrecadação dos royalties. Aliado do presidente Lula, o governador de Sergipe, Marcelo Déda, diz que houve uma queda de 38% a 40% na receita decorrente dos royalties do petróleo e que isso é o que mais o preocupa no momento.  “Há uma queda sensível nos royalties. Isso é o que preocupa. No caso do FPE, janeiro não será tão bom quanto janeiro (do ano passado), mas nem tão mal (como diziam)”,disse Déda.

 

Na visão do governador Marcelo Déda, o encontro inédito, que marca estágio mais elaborado da gestão pública brasileira, serviu para “consolidar a substância de um pacto histórico entre governadores de estados do Norte e Nordeste e a União, com o objetivo de melhorar os indicadores sociais destas regiões”. O pacto, que inclui metas como a redução de, no mínimo, 5% ao ano dos índices de mortalidade infantil, é focado nas regiões e municípios que apresentam os piores índices sociais. Nosso compromisso, formalizado com o presidente da República, fixa metas a serem alcançadas até 2010 objetivando garantir mais qualidade de vida para as populações do Norte e do Nordeste do país, ajudando o Brasil a atingir as metas do milênio”, resumiu Déda. “Além disso, este compromisso vem num momento muito especial, de grave crise econômica, quando o social não pode ser esquecido”. (Com FSP, Globo e ASN).

 

 

Valmir e Cabo Zé

A relação entre o prefeito Valmir Monteiro (PSC) e o ex-prefeito José Raymundo Ribeiro, o  Cabo Zé, em Lagarto, pode se estremecer depois do que aconteceu essa semana. Segundo um auxiliar de confiança do prefeito, Cabo Zé emitiu uma nota fiscal no valor de R$ 75 mil da Rádio Eldorado, de sua propriedade, por serviços de transmissão para a Prefeitura de Lagarto. Valmir, assim que viu a nota, mandou devolvê-la, mandando o recado que não teria  condições de pagar aquele valor. Resta saber até quando Valmir vai suportar a pressão e  até quando Cabo Zé vai aceitar os nãos do prefeito.

 

Sobre o Plano Diretor de Aracaju

Colocação do secretário municipal de Planejamento, Dulcival Santana de Jesus sobre o comentário na coluna do dia 26/01/2009 com o título “Bomba sobre o Plano Diretor”: “A PMA não resolveu pedir de volta o Plano e sim a Câmara resolveu devolver a PMA para ser submetido ao CONDURB. Até maio de 2008 o plano foi discutido no CONDURB e nenhuma emenda foi apresentada ou incorporada ao Plano recebido da Câmara. Antes de submeter ao CONDURB , um grupo de técnicos da PMA, fez ajustes nos anexos e correções formais para compatibilizar o plano com os códigos complementares, sem alterar o conteúdo de nenhum artigo, índice, taxa, coeficiente ou parâmetro. Ressalto ainda que em 2008 participamos de algumas reuniões no Ministério Público Federal juntamente com a INFRAERO, COMAR, CINDACTA III, ADEMI/SE e tem uma nova audiência programada para o próximo dia 09/02 para discutirmos o Plano Diretor do Aeroporto, cujo projeto de duplicação tem implicação no nosso Plano Diretor, com o intuito de fazermos os ajustes necessários e submetermos ao CONDURB – Conselho de Desenvolvimento Urbano e em seguida encaminharmos à Câmara de Vereadores”.

 

SINTESE convoca os professores para assembléia

O método utilizado pelo governo do Estado para pagar o piso salarial, sem chamar a diretoria do SINTESE para discussão, será o principal ponto de pauta da assembléia geral dos professores da rede estadual que se realizará dia 05, quinta-feira, às 9h, no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe. A convocação da assembléia foi decidida em reunião da diretoria do sindicato realizada ontem, 28, na sede do sindicato. “Vamos chamar a categoria para discutir e avaliar o método usado pelo governo para implantar o piso e também deliberar encaminhamentos de luta”, disse o vice-presidente do SINTESE, Carlos Sérgio Lobão. (Ascom/Sintese)

 

Evasão de renda vai continuar?

Este colunista cometeu um erro ontem, 28, quando publicou uma nota afirmando que a evasão de renda continua no campeonato sergipano. Na verdade, o objetivo da coluna é questionar se, com a reabertura do Batistão, a evasão continuará através do portão da FSF. É preciso acabar com a farra que estava existindo já que a FSF nada faz…

 

ACESE empossa nova diretoria e Conselho Deliberativo

 Hoje, 29, será empossada a nova diretoria o e Conselho Deliberativo da Associação Comercial e Empresarial de Sergipe – ACESE. O grupo que hora assume a ACESE, liderado pelo empresário Sadi Gitz, que estava à frente da ACESE interinamente traz grandes projetos para a administração no biênio 2009/2010. Entre tais projetos destaca-se a ampliação do número de associados e continuidade dos eventos que proporcionam constantes encontros entre os empresários. Na mesma data serão empossados os membros da nova diretoria do Conselho de Jovens Empreendedores de Aracaju – CJE Aracaju, que faz parte da ACESE. A solenidade de posse das duas entidades acontece no Auditório Atalaia do Centro de Convenções de Sergipe a partir das 20 horas. A eleição da chapa “Opção pelo Desafio” que compõe a nova equipe diretiva da ACESE aconteceu no último dia 16 e foi realizada como outras tantas, nas quais apenas uma chapa concorreu ao pleito. 

 

Desenvolvimento de ações

Para o empresário Sadi Gitz, que faz parte da diretoria da ACESE há vários anos e hora assume a presidência da centenária entidade, a nova equipe é formada por associados que sempre contribuíram com o desenvolvimento de ações para benefício dos empresários e certamente continuarão realizando projetos que mantenham o sucesso dos trabalhos empreendidos sempre com visão em atender às necessidades e defender os direitos daqueles que integram a família ACESE.  De acordo com as informações do presidente eleito, projetos como o ‘Café com Negócios’, ‘Almoço com Empresários’ e ‘Empreender’ serão mantidos. Outros novos deverão ser implantados no decorrer deste ano, todos visando manter o papel da Associação entre os setores que a integram.

 

Explicações da Prefeitura de São Cristovão I

Da assessoria de comunicação de São Cristovão: “Lendo sua coluna nesta quarta-feira, fiquei surpreso com a nota de uma pessoa que se diz servidora da prefeitura, apesar de não se identificar. Mas vamos aos esclarecimentos: Quanto ao salário de dezembro da Educação que o ex-prefeito Jadiel Campos não pagou, informamos que o atual prefeito Alex Rocha entrou em acordo com o Ministério Público e o Sintese, e num acordo inédito parcelou a folha de dezembro para duas vezes, a primeira a ser paga em fevereiro e a segunda em março. Vale ressaltar que o salário da Educação de janeiro já foi pago, numa clara demonstração de respeito ao servidor público. Quanto aos cerca de 500 contratados demitidos por Jadiel Campos, o prefeito Alex Rocha também firmou um acordo no Ministério Público para pagamento dos demitidos. Pelo acordo, o pagamento será feito em 12 parcelas, sendo a primeira em maio”.

 

Explicações da Prefeitura de São Cristovão I

Continua a assessoria: “Portanto, as medidas por parte da nova administração já foram tomadas, diferente do que denunciou este leitor, que se diz servidor público do município. A prefeitura continua sim em crise, uma crise financeira deixada pelo ex-prefeito Jadiel Campos, devido a seus atos ilegais, o que tem prejudicado a administração Alex Rocha. Mesmo assim, o atual prefeito não tem medido esforços para resolver os problemas e colocar a máquina administrativa em ordem. Para se ter uma idéia dos absurdos cometidos pelo ex-prefeito, recursos destinados as áreas da saúde e educação, por exemplo, foram sacados para efetuar pagamentos não permitidos por lei. Acreditamos que tudo isso foi feito no intuito de prejudicar a nova administração, que é exatamente o que vem ocorrendo. O Ministério Público já está ciente dessas e de outras irregularidades e deve tomar as providências em breve, é o que nós e a população de São Cristóvão esperamos.  Quanto a denúncia de perseguição, desconhecemos qualquer ato desta natureza, muito pelo contrário, o prefeito tem respeitado todos, conversado com todos de forma democrática e administrando o município de forma impessoal”.

 

Carnaval de Neópolis

Na próxima segunda feira 02/02 às 8h no Real Classic Hotel na orla de Atalaia, o prefeito Carlos Guedes da cidade de Neópolis prestará entrevista coletiva para a imprensa sergipana falando sobre o carnaval de 2009 (toda a programação) e principalmente sobre o intercâmbio cultural do frevo Recife – Neópolis, como também falará sobre sua administração.

 

Supermercados fecham Convenção Coletiva

Empregados e patrões do setor de supermercados chegaram a um consenso quanto aos termos da Convenção Coletiva de Trabalho 2008/ 2009, devendo assinar o documento ainda esta semana. Pelo acordo celebrado, o piso salarial para o trabalhador qualificado é de R$ 493, enquanto o empregado não qualificados passa a receber mensalmente R$ 475 – os encarregados da negociação estiveram reunidos no Senac da avenida Ivo do Prado na última terça-feira (27). Em relação abertura dos estabelecimentos nos feriados, os representantes dos empregados concordaram em trabalhar nos dias 17 de março, que festeja a mudança da capital sergipana, e no dia 21 de abril, data consagrada a Tiradentes. Pela Convenção Coletiva de Trabalho, cuja validade vai até o dia 30 de abril próximo, nesses feriados trabalhados, o empregado será remunerado com R$ 20, pagos após o encerramento da jornada, hora extra com adicional de 100%, além da empresa também fornecer, livre de custos, a refeição e o vale-transporte. Os salários acima dos pisos já citados serão reajustados em 7%, enquanto a produtividade estabelecida é de 6%, o triênio é de 7% e a quebra-de-caixa, 6% – a diferença salarial, retroativa ao mês de maio de 2008, será paga integralmente até o dia 28 de fevereiro próximo.

 

DO LEITOR

 

Paradoxos da educação em SE

Do leitor Márcio: “De fato são grandes os paradoxos existentes na educação publica estadual em Sergipe. O Sintese briga por melhores condições de trabalho, porem refuta-se drasticamente quando ventila-se em falar sobre controle do desempenho dos professores. Creio que já passou da hora de termos um programa de desempenho onde metas de qualidade educacional sejam estabelecidas e que o avanço na carreira do magistério seja condiciona a estas, isto evitaria ranços corporativistas e o foco de fato voltaría-se para o educando, pois negar a evidencia que a qualidade da escola publica fica a léguas de distancia da escola particular e ser “ingênuo ou astuto”. E preciso que isto seja feito com brevidade, afinal de contas o governo Déda e o governo que tem compromisso explicito com os menos favorecidos, e mudanças  na qualidade de vidas destes só ocorrerão com uma educação solida deste a primeira infância”.

 

Cuspindo no prato que “está” comendo I

Do leitor Messias Gonçalves: “Ninguém em sã consciência pode “separar” as figuras públicas e os seus desempenhos, da deputada Ana Lúcia e do também deputado federal Iran Barbosa, primeiro, ao PT, para depois ao Sintese. As suas raízes estão cravadas nessas duas instituições. Mesmo que queiram “disfarçar”, não conseguem. Não há como separá-las. Por muitos anos, os “dois”, usufruindo da estrutura sindical, merecidamente conquistaram os espaços políticos, justamente combatendo tudo adverso ao seu partido. Conseguiram espaços democráticos. São parlamentares, hoje da situação tanto aqui como no plano nacional, mas ao mesmo tempo são espelhos, são almas e são espíritos do Sintese. Tens vozes, ouvidos e olhos. São determinantes. São os que na verdade decidem, sem deméritos para com os demais. E o mais importante. São e estão no governo. Não é pouco está numa das maiores secretarias, embora em nada compatível com as suas lutas. A deputada Ana Lúcia ao ser “agraciada” para titular de uma secretaria por Déda, teve por parte do governador, o reconhecimento de um grupo. Que é forte, embora venha cometendo “equívocos”, justamente pelo “choque de identidade”, quando não são capazes de assumirem para os seus associados, a hoje condição de governo. Vejam que o recado dado pelos próprios sócios, na eleição fracassada para vereador em 2008 do professor Corrêa, poderá ser um indicativo quanto as próximas eleições, tanto de Ana Lúcia, como a de Iran”.

 

Cuspindo no prato que “está” comendo II

Continua Messias Gonçalves: “Caso se confirme essas derrotas, quem perderá não serão apenas os professores. Perderão as “Lutas sociais”, que sempre foram bem empregadas pelos dois. O que não se pode, qualquer criancinha sabe, é “acender uma vela pra Deus e outra para o diabo”. Vocês não podem e não deve tentar esconder de ninguém a “condição” de governo. Vocês é sim governo.  Em quantos conselhos, diretorias têm indicações do grupo? Inúmeras. E isso é fruto das lutas. Mesmo eu achando que não dever iam ter esses cargos, mas eu respeito. Se os têm, repito, são os frutos das lutas. Agora o que não pode continuar é essa “pseudo” resistência de faz de conta. Ou querem a volta daqueles responsáveis por tudo de ruim para a categoria? É mais justo, sensato, admitirem a “condição” de governo e, buscar as soluções dos problemas, justamente num governo aberto, salientando que, nem tudo que queremos, poderemos ter. A autenticidade gerará muito mais resultados positivos, do que essas encenações. Se preocupem em mostrar para a sociedade que há disposição, empenho na melhoria do ensino público, pois no “rol” dos culpados, a secretaria não está sozinha. Vocês fazem partem do sistema. E a “nota” atribuída por vocês, com certeza no bolo, estão os seus próprios desempenhos.  Temos que ser inteligentes ao ponto de não permitirmos a volta ao passado. Na medida em que insistem com esses ataques, saibam que todos os lados são atingidos.  A própria sociedade percebe e o país dos alunos das escolas públicas, com certeza não apóia essas iniciativas. Como já me reportei anteriormente, fui vítima por ter colocado um filho para estudar numa escola do estado. Parece mais a UFS. Você não sabe quando se forma. Mas graças a Deus, este ano matriculei em outro sistema. Quem tem que está na frente das lutas inicialmente são os líderes. No caso dos professores é diferente. Par alisa-se toda uma estrutura educacional, para vermos “meia” dúzia de gatos pingados. O restante, com certeza estará nos shoppings e nas praias.  Se o governo falhar, errar, todos aqueles que lutaram, combateu os adversários, sairão também “derrotados”. Agora, continuando essa queda de braço, mostra-nos que também o governo erra ao aceitar esse joguinho. Deveria exigir “o afastamento daqueles que insistem em fazer o “jogo duplo”, “cuspindo no prato que come”.   

 

Tabela do Sergipão 2009: sorteio causa desequilíbrios I

Do leitor Joseilton Nery: “No mês passado, teci uma breve análise da Tabela do Sergipão 2009 focalizando o América FC, admitindo-a como danosa aos interesses do tricolor da ribeirinha (aspectos técnicos e econômicos) e do próprio município de Propriá, sede da agremiação (visão sócio-econômica). Apresentei a referida leitura à Ouvidoria da FSF, à Presidência do América FC e à imprensa sergipana.  Enquanto ouvidor da FSF, o senhor Orliandes Barros, gentilmente, explicou a metodologia aplicada na elaboração da aludida tabela. O senhor Joaquim Feitosa, presidente do tricolor, expressou sua concordância com o meu pensar e, foi adiante, criticou a distribuição da cota da televisão. Para mim, bastante discriminatória. Também ecoou na imprensa sergipana, o manifesto do torcedor que ora subscreve este texto. O senhor Fernando Pereira, gabaritado cronista esportivo, discorreu na Rádio Aperipê a respeito daquela tese, endossando-a por inteiro. Já o semanário Cinform na edição 1342 de 29/12/2008 a 04/01/2009, Caderno 1, página 7, publicou na íntegra a opinião por mim prolatada. Agora retorno, para expor um olhar mais ampliado da Tabela do Sergipão 2009, uma vez que insiro praticamente todas as associações participantes e o método adotado pela FSF. Quanto à versão apresentada pela Ouvidoria da FSF que, justificando o método, informa que a tabela foi confeccionada por sorteio, não me satisfez, pois ocorreram algumas coincidências que poderão fomentar o desequilíbrio técnico da competição e a redução de ganhos econômicos para certas agremiações”.

 

Tabela do Sergipão 2009: sorteio causa desequilíbrios II

Continua o leitor:Primeiro, a AD Confiança, situada organicamente anos-luz na frente das adversárias, além de teoricamente, sob o ponto de vista técnico, possuir o melhor elenco, assegurou ser também uma equipe vitoriosa no “campeonato da sorte”. Senão vejamos: a) enfrenta nas seis primeiras rodadas times, em tese, de menor potencial técnico – os ditos pequenos; b) joga os dois clássicos (embates contra o CS Sergipe e a AO de Itabaiana) no final dos turnos (7ª, 8ª. 16ª. e 17ª. rodadas); e c) atua três partidas consecutivas em Aracaju, no encerramento do turno de ida – a única em todo o certame que realiza três jogos seguidos sem deslocamento do seu município-sede. Haja sorte! Não me diga que existe o returno, pois o desequilíbrio já está configurado e a distorção inicial poderá beneficiar a sortuda participante. Segundo, outra grande coincidência: em geral todas as equipes atuam alternadamente uma partida dentro de casa e a outra fora de casa. Sorteio? Em alguns casos, há uma sucessão de dois jogos em casa e dois jogos fora de casa: São Domingos FC (casa, 2ª. e 3ª. rodadas; fora, 4ª. e 5ª. rodadas); Olímpico EC (fora, 2ª. e 3ª. rodadas; casa, 4ª. e 5ª. rodadas). O que parece aconteceu uma parte da tabela por sorteio, outra dirigida ou por acomodação. Como o próprio ouvidor da FSF relata na correspondência eletrônica a mim enviada: “primeira rodada Domingo 1×2, 3×4, 5×6, 7×8 e 9×10, segunda rodada Quinta-feira 2×3, 4×5, 6×7, 8×9 e 10×1, e assim sucessivamente.”. Portanto, demonstrou-se que na 1ª rodada ocorreu sorteio, quando os times foram identificados por números. Nas rodadas seguintes, a tabela foi dirigida (ou melhor, não bem conduzida), a partir dos números destinados aos clubes na 1ª. rodada, o que acarretou vantagens pra alguns e desvantagens para outros, pois não se efetivou um balizamento ou acompanhamento ponderado rodada a rodada de todos os participantes”.

 

Tabela do Sergipão 2009: sorteio causa desequilíbrios III

Acrescenta Joseilton: “Vejamos alguns exemplos oriundos da ausência de ponderação, sem contar aqueles enumerados anteriormente em relação ao América FC: a) o CS Sergipe atua da 2ª a 7ª. rodadas contra  os times dito pequenos; b) a AO de Itabaiana enfrenta os ditos menores da 2ª. a 6ª. rodadas; c) o São Domingos FC joga diante da AD Confiança e do CS Sergipe, logo no início do certame, ambos fora de casa e, no returno, em casa, no meio da semana; d) o São Cristóvão FC se defronta, logo no começo, contra a AO de Itabaiana e a AD Confiança, fora de casa; e) a AA Guarani, também no alvorecer da competição, tem como obstáculos a AO de Itabaiana e a AD Confiança, mas em casa. Até admito o sorteio na 1ª. rodada, porém a partir de então deveria haver uma condução da tabela de forma racional, equilibrada e justa, atentando para os diversos ângulos. Observem, mais um exemplo, o sorteio para composição dos grupos, na Copa do Mundo, é dirigido. Separam-se as seleções de maior potencial técnico e tradicionais daquelas com menor força e expressão, segundo um ranking estabelecido com base nos resultados dos eventos anteriores. Também os aspectos econômicos e a situação geográfica dos países são considerados. Já pensou num sorteio, não dirigido, caíssem numa mesma chave Brasil, Argentina, Alemanha e Itália? Ou Liechtenstein, Azerbaijão, Congo e Nicarágua? E, se para a Tabela do Sergipão 2009, fossem sorteados, nas três primeiras rodadas, os três (e únicos) clássicos (AD Confiança x CS Sergipe, CS Sergipe x AO de Itabaiana e AO de Itabaiana x CS Sergipe), haveria aprovação da direção da mentora e dos clubes?”

 

Tabela do Sergipão 2009: sorteio causa desequilíbrios IV

Conclui Joseilton Nery Rocha:Concluindo, o ideal seria a construção da tabela por sorteio dirigido. 1. Apartariam-se as três grandes associações das demais. 2. Acomodariam-se os três clássicos no início, meio e fim dos turnos (embates entre eles estabelecidos por sorteio). Assim, os confrontos envolvendo “grandes” e “pequenos” e os “pequenos” entre si seriam intercalados pelos clássicos. 3. Uma parte das equipes menores atuaria as seis partidas diante das maiores, na seguinte forma: no turno da ida, duas em casa, uma fora; no turno da volta, uma em casa, duas fora. Para a outra parcela, o inverso. Todos os jogos distribuídos espaçadamente. 4. No tocante às partidas nos meados da semana, buscaria se evitar os confrontos em casa dos pequenos contra os grandes, pois são nessas contendas onde os ditos menores auferem maiores dividendos econômicos. São apenas algumas projeções que proporcionariam equilíbrio técnico, justeza e racionalidade na disputa do Sergipão 2009. Entretanto, buscando o auxílio do adágio popular, “a Inês já está morta”, fica esta proposição para ser pensada pelos dirigentes do futebol sergipano, visando o Sergipão 2010”.

 

Frase do Dia

“A força não provém da capacidade física, e sim de uma vontade indomável”. Mahatma Ghandi.

 

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários