Jackson tem a força

0

O governador Jackson Barreto (PMDB) obteve em poucos meses de mandato o que seu antecessor Marcelo Déda (PT) morreu sem conseguir: a maioria na Assembleia. Prova disso foi dada ontem na aprovação de vários projetos e dos vetos governamentais às emendas à propositura autorizando o Executivo a fazer um empréstimo de R$ 250 milhões para a saúde. Por 14 votos contra nove, a bancada da situação aprovou todas as matérias, para contrariedade de uma oposição acostumada a ditar regras e rejeitar todas as matérias do governo. Para reconquistar a maioria perdida por Déda, o experiente Jackson prestigiou os deputados aliados e conversou muito com os adversários, fortalecendo-os em suas bases eleitorais. A tática deu tão certo que toda a bancada do DEM vota com o governo, contrariando seu líder maior e prefeito de Aracaju, João Alves Filho, opositor de Jackson Barreto e que gostaria muito de vê-lo em minoria no Legislativo.

Acordo fechado

A Prefeitura de Aracaju se comprometeu ontem a pagar em três parcelas os quase R$ 2 milhões que deve ao Hospital de Cirurgia. O acordo foi firmado com a intermediação do Ministério Público Estadual. Espera-se agora que a Prefeitura honre o que foi acertado para evitar que o Cirurgia volte a suspender o atendimento médico-hospitalar.

Tá devendo

Veja o que publica hoje o Jornal da Cidade: “O prefeito João Alves Filho (DEM) completou 18 meses à frente da administração de Aracaju sem cumprir muitas de suas promessas. A saúde continua sendo o ponto delicado, mas os problemas nos bairros periféricos, como Santa Maria e Coqueiral, também não foram resolvidos. Basta ouvir os programas de rádio para perceber que as reclamações da população continuam”. É, e sem contar que, de tantos buracos, as ruas e avenidas parecem mais tábuas de pirulito.

Olho da rua

O radialista George Magalhães foi demitido ontem da rádio Mix FM pertencente ao Grupo Atalaia de Comunicação. Motivo: ter criticado a indicação do empresário Augusto Franco Neto (PSDB) como candidato a vice-governador na chapa encabeçada por Eduardo Amorim (PSC). Com a saída de George, o governo deve retirar o patrocínio à rádio de quase R$ 100 mil mensais. O comunicador já está negociando o ingresso em outra emissora de Aracaju.

Maior de todas

O candidato a governador Eduardo Amorim (PSC) comemora o fato de a sua coligação contar com a participação de 16 partidos. Aliado do cristão, o prefeito João Alves Filho (DEM) faz questão de afirmar que “este é o maior agrupamento que Sergipe já teve nos últimos 20 anos”. A mega coligação é composta pelos PSC, DEM, PTB, PR, PP, PV, PTN, PTC, PSL, SDD, PT do B, PPS, PMN, PHS, PSDB e PEN. ‘Vige’ como tem P’s!

Justiça feita

A Assembleia Legislativa fez ontem justiça a cinco sergipanos ilustres. De autoria da deputada estadual Ana Lúcia (PT), foram aprovados projetos de resolução devolvendo simbolicamente os mandados de deputado estadual a Cleto Maia (PRT), Viana de Assis (PR), Nivaldo Santos (PR), Baltazar Goes (PSD) e Armando Domingues (PCB), e de governador a Seixas Dórea. Os três primeiros parlamentares e o governador foram cassados pelo golpe militar de 1964, enquanto o comunista perdeu o mandato em 1947.

Violência

Em média, 100 a cada 100 mil jovens com idade entre 19 e 26 anos morreram de forma violenta no Brasil em 2012. O Mapa da Violência 2014 mostra que a vitimização dos negros é bem maior que a de brancos. Morreram proporcionalmente 146,5% mais negros do que brancos em 2012. Considerando a década entre 2002 e 2012, a comparação da taxa de morte de negros com a da população branca mais que duplicou.

Tá proibido

A partir do próximo sábado os agentes públicos não podem nomear, contratar ou de qualquer forma admitir, demitir sem justa causa, suprimir ou readaptar vantagens ou dificultar o exercício funcional e, ainda, remover, transferir ou exonerar servidor público. Determinada pela Lei das Eleições (Lei nº 9.504/1997), a proibição vigorará até a posse dos candidatos vitoriosos nas eleições de outubro.

Parecidos

A candidata a governadora Sônia Meire (PSOL) vai mostrar na campanha eleitoral que  Eduardo Amorim e Jackson Barreto (PMDB) são muito parecidos. “O primeiro começou a destruição da saúde pública e o outro deu continuidade, provocando o caos total do setor”. Sônia Meire garantiu ao blog Primeira Mão que “há um vácuo político na campanha eleitoral deste ano para uma candidatura que realmente represente a defesa do povo sergipano”.

Porta aberta

O sistema penitenciário de Sergipe está uma gracinha, tamanha é a facilidade para fugir. Na madrugada de hoje 12 detentos deram no pé do presídio de Tobias Barreto, o mesmo de onde escafederam quase 100 há poucos dias. Antes, a queixa era porque a Policia prende e a Justiça solta, mas agora o problema é bem pior, pois os presos fogem quando bem entendem. Que bagunça!

Recorte de jornal

Prova foi dada ontem na Assembleia com aprovação de projetos

Resumo dos Jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais