JB: ações positivas e dívida servidor

0

  “O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.

Finda setembro, prestes a chegada de outubro e os governos de Marcelo Déda e Jackson Barreto ainda não enviaram para a Assembleia Legislativa, se quer a lei que repõe as perdas do último ano, como determina a Constituição Federal. Não é aumento salarial e sim para recompor as perdas.

Por um bom tempo as oposições políticas adversárias ao grupo liderado por Déda, Jackson e Valadares, além de mais alguns partidos aliados, pregavam o discurso de que este governo não tinha nada a apresentar, inclusive obras. Caíram do cavalo.
Desde que assumiu a interinidade do governo, em face da doença que se abateu no governador, Jackson Barreto na condição de governador em exercício, todos os finais de semana,  tem uma ampla agenda em todo o Estado, para entregar as populações centenas de obras.

São inaugurações em todas as áreas de atuação do governo. Nas áreas da saúde, educação, infraestrutura rodoviária, através das rodovias pavimentadas e recuperadas, entre tantas. Essa mudança de postura pode-se notar em alguns discursos acintosos por parte da oposição.

Mas como nem tudo são flores, agora a oposição cobra deste mesmo governo, o “dever de casa”. O básico. O trivial, que é o projeto de Cargos e salários dos servidores públicos, prometidos há pelo menos três anos. E nada. Nem sinal. O governo alega que devido a situação financeira do estado em relação a LRF, o estado não dispõe de condições neste momento para a concretização do sonho de milhares de funcionários.

O governo peca e feio quando não envia o PCS para que os deputados votem. Mesmo que não possa ser colocado em prática imediatamente. Pelo menos já ficariam sabendo como será a nova realidade. Como também poderia ser implantado de baixo para cima, de acordo com a realidade. Primeiro seriam contemplados os servidores de níveis básicos e médios, deixando os superiores para depois, sem perderem a retroatividade dos direitos.

Jackson precisa deixar de ouvir os tecnocratas que não tem votos, que não dependem dos salários do Estado, já que são funcionários de outras instituições e ouvir o clamor dos seus auxiliares diretos, os trabalhadores do serviço público.

É só lembrar quando valorizaram os policiais civis, o reajuste fora escalonado para diversas parcelas. É preciso encontrar uma alternativa urgente para os servidores públicos.

Turismo regional
O deputado federal Valadares Filho (PSB) presidente da Comissão de Turismo e Desporto da Câmara participou do Seminário Plano de Desenvolvimento Brasil Regional, realizado em Poconé (MT).  Além da Comissão de Turismo da Câmara, participaram também deputados da Comissão de Viação e Transportes e senadores da Comissão de Turismo.

Gargalos
O seminário contou com o apoio do Sesc, Senac, Confederação Nacional do Comércio, pesquisadores e dos secretários de turismo de todo país. “Discutimos pontos importantes e os gargalos principais do setor hoje que são a divulgação do turismo interno, o custo alto das tarifas aéreas e a infraestrutura que melhorou em algumas áreas, por conta da Copa e das Olímpiadas, mas outras, com importantes atrações, precisam de investimentos”, disse Valadares.

Audiência com ministro da Viação
O deputado informou que já na próxima quarta-feira terá uma audiência com o ministro da Viação Civil, Moreira Franco onde vai expor as reivindicações do setor de turismo e  cobrar ações para que as tarifas aéreas possam realmente impulsionar o turismo regional.

Brasil Mais Seguro’ investe R$ 57,5 em Sergipe
O Ministério da Justiça (MJ) e o Governo de Sergipe assinaram na sexta-feira (27), em Aracaju, a matriz de responsabilidades com a definição de ações para implementação do Programa ‘Brasil Mais Seguro’ no território sergipano. A previsão é de que o governo federal invista, até o final de 2014, R$ 57,5 milhões em medidas de redução da criminalidade violenta e combate à impunidade na capital e nos municípios interior com maiores índices criminais.

‘Brasil Mais Seguro’ investe R$ 57,5 em Sergipe II
O aporte de recursos é voltado principalmente ao fortalecimento da Polícia Civil, Perícia, Inteligência de Segurança Pública, policiamento ostensivo de proximidade, aperfeiçoamento tecnológico e ações de prevenção, capacitação e valorização profissional. A iniciativa prevê a qualificação tanto dos procedimentos investigativos quanto da produção de provas técnicas para esclarecimento dos crimes de homicídios. Em Sergipe, o Brasil Mais Seguro apoiará o reaparelhamento da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa de Aracaju; a criação dos núcleos regionais de homicídios nas delegacias regionais de Itabaiana, Lagarto, Estância, Propriá, Maruim e Nossa Senhora do Socorro; o fortalecimento da Delegacia de Narcóticos (Denarc) da capital e a criação de núcleos regionais de enfrentamento às drogas.

“Vereadores estão brincando com fogo”. Diz Dirigente do PPS
Para o socialista Marcos Aurélio, dirigente do PPS/SE, a possível anulação da votação de um Projeto, apresentado, e aprovado por unanimidade pelo Vereador Anderson de Tuca, que beneficia os moradores da Região Metropolitana, permitindo que eles paguem apenas R$ 1,00 aos domingos “será um erro gravíssimo” e que os Parlamentares “estão brincando com fogo”. Afirma.

Bom senso
“Como é que os Vereadores aprovaram o Projeto, anunciaram e o Cidadão comemorou esse benefício e de repente, os Vereadores aparecem com essa história que o Projeto não vale”? Questiona Marcos Aurélio. E finaliza pedindo bom senso, tanto a Câmara de Vereadores, quanto ao próprio Prefeito João Alves que, como Chefe do Executivo, pode apresentar a proposta e os Vereadores aprovarem, por unanimidade, esse benefício para os cidadãos que moram na Região Metropolitana.

Lucimara homenageia arquitetos da família Santa Rosa
Na noite da última quinta, 26, a vereadora Lucimara Passos (PCdoB) presidiu a sessão especial na Câmara Municipal de Aracaju (CMA) que prestou homenagem aos arquitetos Herval de Oliveira Santa Rosa e Bruno Dias Santa Rosa. Nascidos na Bahia, os dois fazem parte de uma família que se firmou na cidade de Aracaju há 30 anos.

Vitórias
Atualmente, pai e filho dividem trabalho e vitórias  no escritório HR Arquitetura e Construções Ltda, fundada há 14 anos por Herval Rosa, logo após ter trabalho há 15 ao lado de Paulo Roberto Rehm. Com a HR, os Santa Rosa desenvolvem projetos nas áreas residencial, comercial, urbanístico e de ambientação para diversos clientes de Sergipe e do Brasil.

Atuação
Em seu discurso de saudações, a vereadora destacou a atuação dos dois ao longo desses anos. “O trabalho que eles desenvolvem têm como premissa o controle do espaço e dos seus aspectos contrutivos. O escritório tem vários projetos premiados, a exemplo da sede do Banese do bairro Jardins. Portanto, para homenageá-los, essa foi a forma encontrada para que jamais sejam esquecidos por quem os conheceu”, disse Lucimara.

Homenageados
Soteropolitanos de nascimento, Herval Santa Rosa formou-se em Arquitetatura na Universidade Federal da Bahia (UFBA) em 1980 e casou-se com Ana Lúcia Conceição em 1981. O casal teve dois filhos, Bruno e Daniel. Em Aracaju, sua carreira teve início em 1983, quando veio para construir a Estação Telefônica da Telergipe, no bairro Grageru.

Congresso de gestão de pessoas
Com o tema central O Conhecimento e a Informação Gerando a Transformação, a Associação Brasileira de Recursos Humanos Seccional Sergipe (ABRH-SE) vai realizar, nos dias 23 e 24 de outubro, o seu grande evento anual. Na 22ª edição, o CEGP – Congresso Estadual de Gestão de Pessoas terá como sede o Quality Hotel de Aracaju. Na abertura, Ruy Shiozawa, CEO do Great Place to Work no Brasil, vai tratar dos desafios do RH frente à inovação e transformação.

Demandas
“A globalização da economia e a generalização do uso da tecnologia e da informação são responsáveis pela reestruturação do ambiente e do modo de vida das pessoas e das empresas. Visando a atender às demandas de uma sociedade moderna e em constante mudança, o congresso fará uma nova abordagem desse contexto, uma vez que a gestão do conhecimento se transformou em um valioso recurso estratégico, capaz de fomentar resultados”, contextualiza Noêmia Lucas, presidente da ABRH-SE. Mais informações podem ser conferidas no site da ABRH-SE, onde também é possível fazer download da ficha de inscrição.

Agenda
30 de setembro – Hoje é o dia da SECRETÁRIA. Há um ano, a Justiça determinava a saída de 30 famílias de índios de uma aldeia no Mato Grosso do Sul. Os índios prometem morte coletiva na luta para ficar na região. O Brasil estava a sete dias da realização do primeiro turno das eleições municipais. À zero hora do dia 20 de outubro, um sábado, vai entrar em vigor, mais uma vez, o horário de verão. A Bahia rejeitou, outra vez, participar. Já o nosso Estado há muitos anos deixou de aderir ao programa do governo federal que visa a economizar energia elétrica. No plano internacional, a reaproximação entre os Estados Unidos e o Irã e o fechamento de acordo, pela ONU, com relação à Síria foram os fatos mais importantes da última semana. A presidente Dilma falou, como é de praxe, desde 1948, na abertura da Assembleia-Geral da ONU. Última pesquisa para a presidência aponta aumento da liderança de Dilma Rousseff. Em seguida, vêm Marina, Aécio e Eduardo Campos. Em Sergipe, descoberta de um campo de petróleo gigante a 100 quilômetros da costa sergipana enche de esperança o povo de nossa terra. Na sexta-feira, o senador Eduardo Amorim é lançado candidato a governador, com a presença de militantes e dirigentes de 12 partidos políticos. Prosseguem as greves dos bancários e dos correios (nacionais) e do DETRAN (local). Justiça sergipana impede realização de mega-show na Praça de Eventos da Atalaia.

Curtas
BRASILEIRA DO GREENPEACE FICARÁ PRESA POR 2 MESES NA RÚSSIA. /// CABRAL CRITICA OCUPAÇÃO DO PLENÁRIO DA CÂMARA DE VEREADORES DO RIO DE JANEIRO POR PROFESSORES. /// CARNAVALESCO FERNANDO PAMPLONA MORRE, AOS 87 ANOS, NO RIO. /// APOSENTADORIAS PRECOCES PODEM AMPLIAR DÉFICIT DA PREVIDÊNCIA. /// HADDAD VAI A DILMA NEGOCIAR DÍVIDA DE 50 BILHÕES DE REAIS. /// SENADO PODERÁ APROVAR PEC DO VOTO ABERTO. /// PSC LANÇA CANDIDATO À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA EM MACEIÓ. /// VICE-PRESIDENTE DOS PEIXINHOS, PASTOR EVERALDO PEREIRA É O MAIS NOVO POSTULANTE AO MAIOR CARGO EXECUTIVO DO PAÍS. /// ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA PARAÍBA NÃO APROVA CONCESSÃO DE TÍTULO DE CIDADÃ PARAIBANA À PRIMEIRA DAMA DO ESTADO. /// CLÁUDIO CAVALCANTI, VETERANO ATOR E DIRETOR DE TV, FALECE NO RIO DE JANEIRO, AOS 73 ANOS. /// PRESIDENTE IRANIANO É ALVO DE PROTESTO APÓS FALAR COM OBAMA. /// POLÍCIA DA GRÉCIA PRENDE CÚPULA DE SIGLA NEONAZISTA APÓS CRIME. /// CRISE DAS COMPANHIAS AÉREAS AFETA CONFORTO DOS PASSAGEIROS.

ESPORTE  – O  ESPAÇO DO ALCEU –  por Alceu Monteiro

Acordo Global
Depois que a imprensa divulgou a reunião que a Rede Globo de Televisão promoveu, para analisar o calendário do futebol a ser cumprido em 2014, deu para entender melhor a rapidez com que a CBF respondeu à ponderação feita pela FSF a respeito da possibilidade de estender um pouco mais o prazo para a realização do campeonato sergipano da Série A-1. Ocorre que a Federação Carioca já tinha manifestado, anteriormente, uma pretensão de modificação do calendário, mas em sentido contrário, visando a reduzir o tempo de sua realização, vez que, com a Copa do Mundo, a situação complica-se ainda mais, no próximo ano. Detentora dos direitos de transmissão do Brasileirão, a Rede Globo tem de ser ouvida, obrigatoriamente, quando de qualquer modificação na tabela de jogos da principal competição futebolística do Brasil. De qualquer forma, foi positiva a iniciativa do presidente Carivaldo. Ainda porque, na hipótese, que não é absurda, de as obras de revitalização dos estádios da capital (João Hora e Sabino Ribeiro) e de Itabaianinha não ficarem prontas em tempo hábil, a prorrogação de 30 dias ou um pouco mais para a realização do certame poderá, mesmo parcialmente, consumir alguns dias. Ou seja, a medida pretendida e já aprovada pela CBF reveste-se de extraordinária importância para o nosso futebol.

Felipão X Aldo Rebelo: Rota de colisão
O treinador da seleção brasileira de futebol, LUIZ FELIPE SCOLÁRI, discordou do ministro ALDO REBELO, do Esporte, a respeito do calendário do futebol brasileiro. Para o ministro, falta equilíbrio. Para Scolári, não é tão desequilibrado como as pessoas imaginam. Segundo Felipão, todas as partes devem sentar para conversar. Já Aldo Rebelo vai mais fundo na questão e considera que o calendário brasileiro exige de alguns clubes uma exposição acima da média mundial, vinte partidas a mais em um ano do que um clube de ponta da Europa. E outros clubes, prossegue Aldo, nem sequer têm calendário para três meses. Sobre o tema, o ministro Aldo Rebelo diverge frontalmente do presidente José Maria Marin, da CBF. Para ele (o ministro), deveria ser empregado um sistema baseado no modelo europeu, com o que não concorda, absolutamente, o presidente da CBF, José Maria Marin.

As baixas da seleção
Para os amistosos do dia 12 de outubro, em Seul, contra a Coreia do Sul, e do dia 15, em Pequim, diante da equipe de Zâmbia, a seleção brasileira não contará com três titulares absolutos, por motivo de contusão: o goleiro Júlio César, o zagueiro Thiago Silva e o atacante Fred.

Posição do Santos
No que diz respeito à polêmica sobre o calendário do futebol em 2014, o Santos manifestou-se contra o modelo adotado, novamente, pela CBF, e propôs um amplo debate sobre o assunto. O clube de Vila Belmiro foi o primeiro a apoiar o movimento deflagrado por 75 jogadores.

Setores envolvidos
No debate sobre o calendário da CBF estão envolvidos os seguintes segmentos: a própria CBF, as Federações, o técnico da seleção, o ministro do Esporte, alguns treinadores, o movimento de atletas (Bom Senso Futebol Clube) e o Sindicato dos Atletas, que condena a ação do Bom Senso, porque entende que ele é o representante dos jogadores de futebol).

Personagem
Reginaldo Goveia, natural de Porto da Folha (SE). Ingressou muito jovem no Banco do Brasil. Aposentado desde o mês de junho deste ano, continua realizando um trabalho de destaque no Sindicato dos Bancários, ao lado do presidente José Souza, também funcionário do BB. Sem dúvida, Reginaldo é uma grata revelação como líder sindical. Pela forma como sempre se conduziu quando estava na ativa, é merecedor do reconhecimento de seus colegas e de seus superiores. Além de diretor do Sindicato de sua categoria profissional, é membro do Conselho de Usuários da CASSI, tendo sido eleito, recentemente, vice-coordenador do referido colegiado. Competência, espírito comunitário e firmeza em suas posições. Eis alguns dos predicados de Reginaldo Goveia, que também é radialista. Atualmente, integra, como comentarista, a equipe esportiva da Rádio Cultura.

Literatura esportiva
“O Velho e a Bola”. Livro de Maneco Muller, com organização e notas de Rafael Casé. A editora é a Maquinária, do Rio de Janeiro. A trajetória de Nilton Santos nas crônicas de Jacinto de Thormes. A obra traz trechos escritos pelo doublé de cronista social e esportivo Maneco Muller originalmente publicados no jornal Última Hora, do Rio de Janeiro, em 1963. São crônicas que retratam a figura de Nilton Santos, grande craque do Botafogo e da seleção brasileira nos anos de 1950/1960 do século passado. Considerado o melhor jogador de defesa do mundo, o velho Nilton, campeão pelo Brasil em 1958 e 1962, na Suécia e no Chile, respectivamente, recebeu o epíteto de “Enciclopédia”. Foi ele o primeiro zagueiro brasileiro a marcar um gol numa Copa do Mundo. (Contra a Áustria), em 1958. Nilton Santos jogou 767 partidas pelo Botafogo, seu único clube, no período de 1947 a 1963. Trata-se de mais um livro que esta coluna recomenda àqueles que amam o futebol brasileiro. E até mesmo para os que não são tão ligados em futebol. Aproveitamos a oportunidade para enviar um abraço para alguns botafoguenses como Cristiano Prado, Rosalvo Nogueira, Wellington Elias, Clóvis Prado, Zélio Soares, o Dr. Sérgio Campos e, “in memoriam”, citamos o inesquecível Manoel Corbal, ex-professor da UFS e brilhante cronista esportivo.

Rádio Cultura
Depois da Liberdade (60 anos) e da Jornal (56), a Rádio Cultura, emissora pertencente à Arquidiocese de Aracaju, vai completar 54 anos de existência no próximo dia 21 de novembro. A emissora católica, que foi uma iniciativa de Dom José Vicente Távora, o “Bispo operário”, foi inaugurada em 21 de novembro de 1959, com a presença do Embaixador Sette Câmara, a quem coube representar o presidente Juscelino Kubitschek, com o qual Dom Távora mantinha estreitas relações de amizade. Sergipe passava a contar, então, com quatro emissoras de rádio, pela ordem de sua criação: Aperipê (Difusora), Liberdade, Jornal e Cultura. Somente quase uma década depois era fundada a Rádio Atalaia. Pedro da Silva Bastos, funcionário público que era o delegado regional do IAA – Instituto do Açúcar e do Álcool, foi o primeiro diretor-geral da Rádio Cultura. Adalberto era auxiliar de Pedro Bastos na parte administrativa e comercial. José Apóstolo comandava o departamento técnico. A direção artística foi entregue a Clodoaldo Alencar Filho, que depois viria a ser Reitor da UFS. A professora Aglaé D’Ávila Fontes, que tinha sido Miss Centenário quatro anos antes (1955), organizou, junto com Alencar, o elenco de rádio-teatro da emissora, que tinha em Clara Angélica um grande expoente. Voltaremos a abordar, oportunamente, o aniversário da Rádio Cultura.

Futebol de areia
A seleção brasileira da modalidade foi eliminada pela Espanha nas semifinais do campeonato mundial, realizado no Taiti. No tempo normal, empate de 1 a 1. Na prorrogação, os espanhóis marcaram o gol que lhes garantiu a classificação e que tirou o Brasil da parada. A equipe nacional disputava a competição pensando em ganhar o título de pentacampeã.

Campeonato sergipano – Série – A-2
No sábado: Amadense 1 X 0 Canindé. Ontem: Coritiba 2 X 0 Maruinense.

Brasileirão
Resultados do fim-de-semana: Ponte Preta 1 X 0 Botafogo – Náutico 3 X 0 Coritiba – Fluminense 2 X 1 Goiás – Bahia 0 X 0 Vasco da Gama – Vitória 5 X 3 Atlético PR – Cruzeiro 2 X 1 Internacional – Atlético Mineiro 3 X 1 Santos – Portuguesa 4 X 0 Corinthians – Grêmio 1 X 0 São Paulo – Flamengo 4 X 1 Criciúma.

Classificação
Cruzeiro – 53 – Grêmio – 42 – Botafogo – 42 – Atlético do Paraná – 41. Estes são os integrantes do G-4. Na zona de rebaixamento estão Criciúma – 25 – Vasco – 25 – Ponte Preta – 22 e Náutico – 14.
Na série B, a posição é a seguinte: Palmeiras – 56 – Chapecoense – 46 – Paraná – 45 e Joinville – 42. Na zona do rebaixamento, aparecem Atlético (GO) – 26 – São Caetano – 24 – ASA – 23 e ABC – 23.

Jogo rápido
Alan, ex-Fluminense, é o principal artilheiro brasileiro em ação na Europa. Já marcou 18 gols na temporada, em 22 jogos. /// Diego Costa, sergipano de Lagarto, empolga os torcedores espanhóis, que desejam vê-lo defendendo a seleção nacional. /// Crise no Corinthians. Crise no Internacional. Tite pode estar nos planos do Inter de Porto Alegre. /// Messi, contundido, está afastado dos jogos restantes pelas eliminatórias da Copa do Mundo. /// Aracaju vai sediar a Super Liga Nacional de Futsal, no mês de dezembro. /// Ronaldinho Gaúcho deve ficar pelo menos 60 dias afastado do Galo das Alterosas. Presidente do Atlético Mineiro promete fazer tudo para a recuperação do jogador.

Memória do Esporte
29 DE SETEMBRO – Em 1897, é fundado o Hamburgo (Hamburger Sport Verein), da Alemanha, clube campeão da Copa dos Campeões da Europa em 1983.
30 DE SETEMBRO – Em 1962, nasce o ex-meia e técnico Frank Rijkard, em Amsterdã (Holanda), destaque do Milan da Itália e da seleção holandesa, nos anos 90. Ele defendeu a seleção holandesa entre 1981 e 1994.
Na última sexta-feira (27.09), fez 7 anos que faleceu o grande narrador esportivo paulista FIORI GIGLIOTTI, um dos mais completos de toda a história do rádio brasileiro. Sua fase áurea foi quando integrou o famoso escrete do rádio, da Bandeirantes. Da escola paulista, também se destacaram nomes como os de Edson Leite, Pedro Luís, e mais recentemente Osmar Santos e José Silvério. Dentre os cariocas, os principais foram Jorge Cury, Osvaldo Moreira, Oduvaldo Cozzi, Waldir Amaral e José Carlos Araújo.

ARTIGO

A pequenez da desfiliação do Sindimed e a grandeza da atuação da CUT, CTB e movimentos sociais*

O programa Mais Médicos segue dividindo a sociedade e evidenciando posições políticas repugnantes. O Sindicato dos Médicos de Sergipe (SINDIMED), em assembleia no dia 24/09/2013, votou pela desfiliação da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

A razão é uma só: a CUT/SE apoiou o programa Mais Médicos e, além disso, ainda foi ao aeroporto de Aracaju, nos dias 14 e 15/09, junto com diversos movimentos sociais (MST, MOPS, MOTU e Levante Popular da Juventude, por exemplo), centrais sindicais (como a CTB), médicos e estudantes de medicina – demonstrando desacordo com o corporativismo conservador de suas entidades –, para receber os médicos estrangeiros, especialmente os cubanos.

O posicionamento da CUT/SE foi mais que um mero apoio a um programa governamental que beneficia os trabalhadores. A atitude teve um claro tom político-ideológico: coadunado com as bandeiras históricas da classe trabalhadora, tais como fortalecimento do SUS e defesa da revolução cubana, ocorreu num momento em que a mídia conservadora e diversas entidades corporativas médicas se insurgiam contra o programa.

Certamente, isso foi demais para a diretoria do SINDIMED e parte de sua base de influência. Afinal, manter-se filiado à CUT significaria o vínculo com uma central que defende o fortalecimento da saúde pública e que não se rende aos interesses mais corporativos de qualquer que seja a categoria que sobreponha os interesses do povo brasileiro. Ora, nessa ocasião, o branco higienista dos jalecos e dos privilégios de parte da categoria não poderia se confundir com o vermelho das bandeiras e do sangue dos trabalhadores.

Assim como a posição da CUT foi política, a do SINDIMED também foi. Uma à esquerda, outra à direita. Uma compreendendo o interesse de todo o povo, outra com os olhos apenas para seu umbigo.

Destaque-se que diversas desfiliações das centrais sindicais ocorrem por disputas, em última instância, salvo raras exceções, com vistas à arrecadação do imposto sindical. No bojo da luta cotidiana, esse interesse último se traveste de posições “mais à esquerda” ou “mais à direita” do governo e de outros senões.

Nesse caso, no entanto, a desfiliação não se originou dessa disputa mais comum do movimento sindical. Fugiu à regra. Fez-se com clara definição político-ideológica. Mais: o SINDIMED travestiu sua posição com dois supostos argumentos técnicos: primeiro, copiando o Conselho Federal de Medicina (CFM), afirmou que o Brasil teria médicos suficientes (1,8 por mil habitantes), mas faltaria distribuí-los; segundo, em nota e convocação para assembleia de desfiliação (18/09), ratificou sua posição antipopular sob justificativa de que estaria em defesa de direitos trabalhistas.

Quanto ao primeiro argumento, mero cinismo. A prova da inconsistência do argumento foi o baixo número de médicos inscritos nos programas de interiorização que PRIORIZARAM médicos brasileiros. Inclusive, o nosso pequeno estado teve apenas 44% da sua demanda atendida pelo Programa de Valorização a Atenção Básica (Provab) que, dentre outras finalidades, estimula os médicos recém-formados a atuarem nos municípios interioranos que solicitaram o provimento ao Ministério da Saúde, com uma bolsa de 8 mil reais.

Quanto ao segundo argumento, mera falácia. Ora, não foi esse mesmo sindicato que defendeu a derrubada dos vetos presidenciais sobre o Ato Médico, o que implicaria em diminuição de competências/atribuições das outras 13 categorias da saúde? O que significa minorar as atribuições das outras categorias senão diminuir-lhes direitos trabalhistas?

Na mesma incoerência incorre o CFM e o seu porta voz nacional, o Deputado Federal Ronaldo Caiado (DEM-GO), o qual fora premiado pelo CFM pela intensa dedicação parlamentar à categoria médica. O deputado, membro da bancada ruralista e ex-presidente da UDR, votou contra a PEC do Trabalho Escravo (PEC 57A/1999), a qual dispunha sobre a expropriação das fazendas nas quais fosse utilizado trabalho escravo. No entanto, afirma ser contra o Mais Médicos em razão de supostamente o programa submeter os médicos (especialmente os cubanos) a regime de escravidão, a certo “trato desumano”.

Caiado, sim, é fiel à classe que pertence. Infelizmente, a posição do SINDIMED – sindicato de trabalhadores – se assemelha à do latifundiário conservador.

Não resta dúvida, pois, que a alegação do sindicato é mero subterfúgio para a defesa dos mais mesquinhos interesses corporativistas e ideológicos. Não se quer, com esse texto, blindar o Mais Médicos às críticas, mas se quer destacar a necessidade de fazê-las na proporção devida e sopesando os interesses do povo. A luta pelo fortalecimento do SUS não pode enfrentar a vinda de médicos solidários à carência do povo brasileiro, considerando o nosso déficit profissional. São pautas que não são dicotômicas. A luta pelo fortalecimento do SUS deve compreender o Programa Mais Médicos para avançar e superá-lo. Combatê-lo só alimenta uma interpretação: manter a baixa oferta profissional (1,8 médicos por mil habitantes) para promover a famigerada reserva de mercado e consequente manutenção dos altos salários e privilégios.

Nesse sentido, com a desfiliação, evidenciou-se a pequenez da retaliação a uma das centrais que, tendo que optar entre manter mais gorda sua arrecadação e defender os interesses do povo, optou pelo povo, assim como a CTB. Mantiveram-se com sua razão de existir: a luta dos trabalhadores.

Sabe-se – é bom frisar – que essa posição do SINDIMED não é unânime na categoria. A despeito de existir sim um forte sentimento corporativista em parte considerável dos seus componentes, há muitos médicos e médicas que comungam seus interesses econômicos – que são legítimos – com o belíssimo exercício da medicina, no seu sentido mais profundo e juramentado.

Nessa divisão da sociedade, fundamental mesmo é estar ao lado da classe que se beneficia com o avanço da saúde pública, qual seja, a classe trabalhadora. É inadmissível que o SINDIMED esteja de costas a esse programa que vem em meio a transformações e popularização de profissões historicamente elitizadas. A história lhe cobrará caro. Decerto, a inércia ante aquelas manifestações conservadoras e racistas, largamente conhecidas nas redes sociais, da recepção dos médicos cubanos “COM CARA DE DOMÉSTICAS”, em Fortaleza/CE, não poderia entrar na conta da CUT, da CTB e dos movimentos sociais de Sergipe.

Que seja feita a vontade popular.

*Jessy Dayane – 1ª Diretora de Mulheres da UNE e Coordenação Nacional do Levante Popular da Juventude
*Ivan Siqueira Barreto – Militante da Consulta Popular/SE
*Thiago Santana – Militante da Consulta Popular/SE

DO LEITOR

Alguém tem dúvidas?…
Do leitor: “Do leito Dinho Santana: parodiando o ex-presidente Lula; “Nunca antes na história deste país”, se assemelhou ao que sempre defino quanto a política: ser a arte de enganar o próximo quanto mais próximo e onde o eleitor sem o democrático direito ao Voto Facultativo, só é lembrado, chamado extorquido nos cinco meses ao ano dos impostos pagos sem direitos como segurança, saúde e educação? Uma vez que como bem definido: "Quase nada é tão redundante quanto chamar uma eleição de festa democrática, num país onde o voto é obrigatório." – Demétrio Sena e que em não comparecendo as urnas deve-se pagar a exorbitante multa de R$3,51. Há 245 países no mundo, 192 deles filiados à ONU. De todos, somente 24 adotam, como o Brasil, o voto obrigatório. Desses 24, 13 estão na América Latina. O voto obrigatório transforma em dever o que deveria ser um direito, um direito sagrado, mas um direito, do cidadão. É preciso levar em conta a opinião da maioria, já que estamos numa democracia e, pelo que tem sido divulgado, a população tem-se se manifestado majoritariamente favorável ao voto facultativo (algo em torno de 70%). Trouxe o Eugênio Nascimento na sua coluna do Jornal da Cidade, e que aqui transcrevo trechos; Sergipe terá 32 partidos em funcionamento no estado – Ser dono de partido é um bom negócio político e financeiro. No segmento político, ele lhe permite atrair pessoas para militar sob o comando do dono e, a depender do número de filiados e sua representatividade, negociar bons acordos que possam garantir um mandato, para o dono, o filho do dono, o irmão do dono, um cunhado ou bom amigo. No campo financeiro, pode-se disponibilizar o partido para alianças , ceder o tempo dentro da coligação e receber  como agradecimento boas quantias em dinheiro. Mais adiante ainda coloca ele: Quanto a preço de venda de partidos ou acordos para alianças, isso pode variar de R$200 mil , com apoio financeiro para material  de campanha para um ou dois candidatos, a R$ 2 milhões ou R$ 3 milhões, quando o dono é amigo do comprador e o partido  parece ter  alguma influência em algum segmento da sociedade. É bom lembrar que isso pode só a parte do dono. Mas, que fique claro, muitos dos acordos são fechados em Brasília, com a direção nacional do partido, e o metido a espertalhão daqui só sabe que perdeu seu " patrimônio" quando recebe o telefonema ou ofício informando que "já dançou". Conclusão nítida e clara; com o Voto Obrigatório: o eleitor é um palha nas mãos dos políticos?… Saúde e paz.

Blog no twitter:   www.twitter.com/BlogClaudioNun

Frases do Dia
“Quando Deus lhe dá um presente, mas também lhe dá um chicote e chicote é apenas para autoflagelação.”

“Cada fracasso é o condimento que dá sabor do sucesso.”

Truman Capote, escritor e jornalista norte-americano, nasceu em  30 de Setembro de 1924 e morreu em 1984.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários