João só tem um ano

0

O prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), tem menos um ano para cumprir as promessas feitas por ele e até agora não honradas. É que, a partir de janeiro de 2016, a campanha eleitoral ocupará as ruas da capital. Restará, portanto, ao demista inaugurar as grandes obras prometidas, a exemplo do até agora nem iniciado BRT (Bus Rapid Transit). Sem quase nenhum empreendimento importante para entregar aos aracajuanos em 2016, João vai passar o próximo ano justificando o fracasso de sua administração, que não resolveu os graves problemas da saúde,¸do transporte coletivo, da insegurança (ele prometeu acabar com a bandidagem) e o abandono dos bairros periféricos. Também precisará de muita saliva para explicar os presentes de gregos dados aos aracajuanos, como a Taxa de Iluminação Pública, aumento do IPTU, os elevados reajustes da tarifa dos ônibus e privatização da saúde, Portanto, se até dezembro deste ano o prefeito não fizer tudo que não fez até agora, terá sérias dificuldades para sustentar o projeto de reeleição.

Oposição cega

O pior cego é o que não quer ver. É assim que o governador Jackson Barreto (PMDB) enxerga a oposição. Durante a inauguração da estrada de acesso ao povoado Calumbí, em Socorro, o peemedebista fustigou seus adversários, que insistem em cobrar investimento ao governo: “Quem não enxergar as obras do Proinveste, procure um oftalmologista”, fustigou Jackson, no seu estilo bateu, levou.

Um quase ex

Tem gente apostando uma mariola como o presidente da Assembleia, Luciano Bispo (PMDB), perderá o mandato de deputado. Realmente, não será tarefa fácil para os advogados manter o mandato do peemedebista, depois que o Tribunal Superior Eleitoral mandou o Tribunal Regional Eleitoral reanalisar o registro da candidatura de Luciano. No entendimento do TSE, Bispo é um ficha sujíssima. Misericórdia!

Com Dilma

Jackson Barreto (PMDB) participará, quarta-feira próxima em Brasília, da reunião entre a presidente Dilma Rousseff (PT) e os governadores do Nordeste. A petista tenta ampliar a interlocução política para reagir à queda em sua popularidade, que chegou ao nível mais baixo de sua gestão: 62% de reprovação. Entre outras coisas, Dilma pedirá o apoio dos governadores para as últimas iniciativas de sua gestão de combate à corrupção e o ajuste fiscal.

Posse marcada

Está marcada para terça-feira da próxima semana, a posse da professora Lúcia Falcón na presidência nacional do Incra. No primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff (PT), Lúcia ocupou a Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos do Ministério do Planejamento. A indicação de Falcón para presidir o Incra coube ao MST, que em Sergipe é liderado pelo deputado federal João Daniel (PT).

Cid e o cabaré

Veja o que escreve no Jornal do Dia o jornalista Luiz Eduardo Costa sobre o arrogante ex- ministro da Educação, Cid Gomes: “Ele fez lembrar Tonho do Mira, um dono de cabaré em Aracaju. Quando, nas noites trepidantes de sábado, o clima no Mira Mar tornava-se explosivamente bagunçado, Tonho pulava em cima da mesa e disparava um tiro para o alto. Fazia-se um silêncio amedrontado, e ele bradava: ‘Isso aqui é um cabaré, mas tem dono’. O problema é que, tanto no cabaré de Tonho em desordem, quanto na República de Dilma, desvirtuada, nada se pode resolver na base do grito”.

Pé atrás

A queda nas intenções de adquirir produtos ou serviços por sites de compras coletivas reflete a maior consciência do consumidor. O perfil deixou de ser a compra por impulso. Agora, esses consumidores observam melhor as condições de uso oferecidas. Segundo pesquisa do SPC Brasil, 47% dos consumidores de compras coletivas diminuíram a frequência de consumo pelos sites, 42% adquiriram produtos e serviços e 61% fizeram ao menos uma compra a cada seis meses.

Não há vagas

Diariamente, dezenas de operários da construção civil têm procurado o sindicato da categoria para homologar rescisões contratuais: “É assustador o número de trabalhadores dispensados ultimamente em Sergipe”, revela o presidente do Sintracon/SE, Raimundo Reis. Segundo ele, o desemprego já alcança cerca de 20% da categoria, composta no Estado por mais de 25 trabalhadores. Uma lástima!

Trapalhão

A Polícia procura o assaltante que atirou no comparsa de crime durante um assalto praticado pelos dois numa casa de material de construção localizada na periferia de Aracaju. O bandido atirou numa mulher, que correu ao perceber o assalto, mas acertou o colega de criminalidade. Ao perceber a trabalhada, o marginal fugiu abandonado o amigo, que foi socorrido pela Polícia e levado ao Hospital de Urgência.

Recorte de jornal

Publicado no aracajuano Diário da Manhã em 27 de fevereiro de 1915.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários