Juntos e misturados

0

Ideologia política está caindo da moda entre os políticos sergipanos, que preferem fazer coligações pensando unicamente no resultado eleitoral. Portanto, não se surpreendam se nos palanques de 2014 estiverem lado a lado ferrenhos adversários de um passado recente. A criação de novos partidos e a fusão de outros têm contribuído para a indigesta salada oferecida ao eleitor, que fica confuso ao ver adversários de ontem juntos e misturados com futuros oponentes. Agora mesmo se discute a hipótese de PT e DEM se unirem em torno da provável candidatura de Jackson Barreto (PMDB) ao governo de Sergipe. Até parece que vamos retornar ao passado, quando os velhos caciques da UDN e PSD se acomodaram na Arena 1 e Arena 2 para não largarem as fartas tetas do Poder controladas pelos militares golpistas.

Unhas afiadas

Faltando mais de um ano para as eleições municipais, muitos correligionários do governador licenciado de Sergipe, Marcelo Déda (PT), já começaram a fustigar os próprios aliados visando desgastá-los politicamente. É como se fossem gatos afiando as unhas para defender sua parte na hora da ração.

Revisão

E o prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), retorna nesta segunda-feira ao Hospital Sírio Libanês para fazer a revisão da cirurgia para retirada de um cisto benigno retro-retal. De acordo com a assessoria do demista, ele pretende retornar a Aracaju a tempo de participar da festa de abertura do Forró Caju, marcada para a próxima quinta-feira.

Candidato

O secretário da Casa Civil do governo, Sílvio Santos, vai disputar a presidência estadual do PT na eleição marcada para outubro deste ano. A candidatura foi oficializada no final de semana pela corrente majoritária Articulação Unidade na Luta/Construindo um Novo Brasil (CNB). Sílvio tem o apoio do governador licenciado Marcelo Déda, do ex-senador Zé Eduardo Dutra e de Márcio Macedo e Conceição Vieira, respectivamente deputados federal e estadual.

Absolvido

Acusado de desrespeitar a lei das licitações, o ex-prefeito de Simão Dias, Zé Valadares (PSB) foi absolvido pelo Tribunal Regional Federal da 5ª Região. Os magistrados entenderam que o acusado não privilegiou uma empresa de ônibus que fazia transporte escolar naquele município sergipano. O processo contra Valadares foi movido pelo Ministério Público Federal.

Conforto

Uma boa notícia para quem anda de ônibus em Aracaju: segundo o secretário de comunicação da Prefeitura, Carlos Batalha, nos próximos meses serão instalados 867 confortáveis abrigos nos pontos de parada das latas velhas. Ele revelou ainda que os terminais de ônibus também serão totalmente reconstruídos e refrigerados. Que bom, né?

Explicando-se

A Assembléia Legislativa deve ter gastado uma boa grana para publicar uma nota explicando o processo que elegeu a deputada estadual Susana Azevedo (PSC) como conselheira do Tribunal de Contas do Estado. Veiculada nas primeiras páginas dos jornais de ontem, a “nota à imprensa” contesta recente afirmação do candidato derrotado Belivaldo Chagas (PSB) de que a escolha da parlamentar cristã foi casuística.

Desinformação

Embora tenha deixado o PSB desde dezembro do ano passado, o deputado estadual Adelson Barreto continua sendo citado por alguns órgãos de imprensa como integrante daquele partido. O mesmo ocorre com o ex-prefeito de São Cristóvão, Armando Batalha, que deixou o PSB há cerca de dois meses para assumir a presidência estadual do Partido Republicano Progressista (PRP).

Cobrança justa

Entidades que representam os aposentados querem que o Viagra, indicado para impotência sexual, seja incluído na lista de medicamentos do programa Farmácia Popular, do governo federal. Segundo a Folha de São Paulo, 112 itens são oferecidos atualmente à população com descontos de até 90%, sendo que remédios para asma, diabetes e hipertensão são gratuitos. A reivindicação dos velhinhos é justíssima!

Do baú político

No início da década de 80, os estudantes da Universidade Federal de Sergipe ficaram frente a frente com a arrogância do então ministro da Educação e Cultura, general Carlos Ludwig. Ele era um dos homens de confiança do presidente de plantão, general João Batista Figueiredo. Em visita a Aracaju para participar de eventos oficiais, o ministro concordou em receber os estudantes durante um café da manhã no Hotel Palace. A turma chegou no horário marcado e a mesa já estava posta, com o general sentado à cabeceira. Quando Marcelo Déda, então presidente do Diretório Central dos Estudantes, começou a apresentar as reivindicações, Ludwig passou a discordar dos argumentos, além de alegar dificuldades para atender às cobranças. Aos poucos, foi levantando a voz, até que o estudante e hoje juiz de Direito Diógenes Barreto interveio: “O senhor está aqui como ministro ou como general?”. O clima ficou ruim, e Carlos Ludwig incorporou o militar linha dura: “Aqui não tem mais conversa!”. Os estudantes levantaram e foram embora sem tomar o café que, àquela altura, já estava frio.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais