Juros a 6,5%, é possível ganhar 1% a.m?

0

Entre 2015 e 2016 os investidores se acostumaram a ganhar 1% ao mês sem fazer grandes esforços. Entretanto, os baixos juros, tirou os brasileiro da zona de conforto, forçando a buscar dinâmica nos investimentos e correr maiores riscos para maximizar a sua rentabilidade. Contudo, o risco político trazido pela eleição abriu uma janela de oportunidade para voltar a ganhar 1% a.m na renda fixa.

Existe títulos chamados de pré-fixados, neles contrata-se uma taxa fixa e independente do movimento da taxa de juros, o investidor é remunerado pela taxa acordada. Exemplo, em um CDB de 10% a.a, independente se taxa de juros é 6% a.a ou 14% a.a, o investidor irá receber os 10% a.a determinados. Estes títulos são indicados para expectativas de queda dos juros, pois acorda-se uma taxa mais alta previamente e quando a curva de juros fechar estará ganhando acima da SELIC.

O Brasil vive um momento de muita incerteza, o cenário nebuloso referente as eleições fizeram as expectativas sobre a taxa de juros futura disparar, elevando as taxas dos títulos pré-fixados. No fechamento do dia 24, o mercado passou a enxergar uma elevação na taxa de juros futura, indo a 11,19% a.a em 2023. Isto proporcionou CDBs de vencimentos longos com taxas pré de até 14% a.a, o equivalente a 1,09% a.m, uma grande oportunidade. Em comparação ao CDI atual, 6,39%, está taxa pré representa 219% do CDI.

Um ativo que pré-fixado tem o risco da taxa de juros. Para um CDB de 14% enquanto a taxa de juros estiver abaixo de 14% o investidor estará ganhando, caso os juros passem disto, o investidor passa a ser remunerado abaixo do CDI, se configurando um cenário negativo. O mercado está pagando um prêmio em relação SELIC atual por que está acreditando em uma alta dos juros no médio/longo prazo. Entretanto, “apostar” contra o mercado, mesmo com os riscos embutidos, pode gerar grandes lucros.

A estratégia para ganhar mais que 1% a.m, enquanto o mercado paga 0,5% a 0,6% , vai contra os grandes players e é para investidores que não acreditam na alta dos juros de forma tão rápida. A SELIC não devem subir de forma intensa enquanto o país tiver um crescimento lento e inflação abaixo da meta. Mesmo que os juros passem a subir, é preciso de uma alta de mais de 100% para a atual taxa (6,5%) atingir 14%,  o que é pouco provável, pois o movimento deve ser lento e gradual. Em um investimento pré-fixado de 5 anos, provavelmente, haverá algum momento que o investidor será remunerado abaixo da taxa de juros. Entretanto, se na maior parte do tempo se ganhou do CDI, no final, terá sido um bom investimento.

Como diz no mercado financeiro “enquanto uns choram outros vendem lenços”. O mercado está eufórico por conta da eleição, existe um temor de aceleração da taxa de juros caso o candidato eleito não se proponha a realizar as reformas necessárias para retornar ao crescimento. Para alguns investidores isto é um desespero, outros aproveitam as oportunidades que o stress da taxa de juros traz.

Comentários