Lá vem a Nuvem

0

Na última quinta-feira falei numa palestra da Semex sobre computação nas nuvens e um dos pontos que abordei foi que muitas empresas estão começando a despertar o interesse nesse novo tipo de computação. As vantagens são muitas e já abordamos isso em outra coluna. Vamos comentar aqui sobre o Google Apps, que fiquei sabendo na semana passada que algumas empresas grandes aqui do Estado já estão utilizando. O que não deixa de ser uma grata surpresa.

O Google Apps segue a tendência da computação na nuvem e leva as aplicações mais comuns para os datacenters da Google, permitindo assim que todas as ferramentas presentes no Gmail (e algumas outras) sejam personalizadas e individualizadas para um domínio próprio e funcionem como um sistema interno de qualquer empresa.

O domínio criado contará com o próprio Google Docs onde será possível compartilhar somente com usuários desejados os documentos mais importantes, permitindo que seja escrito paralelamente por duas pessoas geograficamente distantes. Dispõe de um mensageiro instantâneo para comunicação interna, sem a necessidade de qualquer outro aplicativo para isso. A agenda pode ser compartilhada entre os usuários, além de sincronizada com dispositivos móveis, o que torna o Google Apps muito atraente.

Além de todas as ferramentas disponibilizadas, os usuários do Goolge Apps podem usufruir de todo o suporte oferecido pela Google, tal como o eficiente sistema de anti-spam, engine de busca semelhante ao da Google para pesquisar dentro dos e-mails a palavra desejada ou, em sua versão paga, uma garantia de disponibilidade de e-mail de 99,99%, ferramenta de backup de e-mails, 25Gb de espaço para mensagens, espaço para websites pessoais e estatísticas de uso.

O Google Apps está disponível em três versões: a Standard, versão gratuita básica com número de usuários restrito (50 ao total), menor quantidade de espaço, sem suporte da Google e menor disponibilidade, sem garantias de integridade. A versão educacional possui algumas funções a mais, porém ainda sem suporte e disponibilidade e está disponível para instituições públicas educacionais. E a versão Professional que conta com todas as ferramentas e suporte do Google.

Já tem empresas em Aracaju que estão trabalhando com o Google Apps, uma delas é a SecureInfo, que, diga-se de passagem, nem sabe que escrevi esta matéria. Com certeza, a utilização do Google Apps não deixa de ser uma boa opção.

 

Google fora da China

Chegou a hora de decidir entre o $$ e o lado “do bem”. A censura aplicada na China contra o Google, fazendo com que a própria empresa tenha que filtrar conteúdos considerados impróprios pelo governo, está colocando em xeque o slogan “dont be evil”. Qual será a decisão do Google? Vamos esperar os próximos capítulos.

 

Multas SMTT

Nem vou entrar no mérito das multas em si. Desde que foram implantados os radares em Aracaju já tomei três multas e não tenho motivos de reclamar uma vez que as regras estão bem claras e definidas (velocidade e locais). Entretanto, no mês passado estava transitando pela Av. Des. Maynard em direção ao centro, quando passei pelo radar (totem) que fica próximo ao Hospital Cirurgia. Olhei para o velocímetro do carro e o mesmo marcava pouco mais de 30 km/h. Para minha surpresa, ao passar pelo radar, ele exibiu 54 km/h. Problema de software, pensei eu, não deve chegar a multa. Mas ela chegou. E agora? O que vou alegar? Que eu passei a 30 km/h? É minha palavra contra o radar. Tenho certeza que vou perder. A pergunta é: Quem faz auditoria nos sistemas de informação dos radares? É o próprio SMTT? Se for assim, é como a velha história do lobo tomando conta das ovelhas.

 

A força do download

A primeira temporada do seriado Lost começou com um ano de atraso com relação aos EUA. Nas temporadas seguintes o atraso foi de seis meses (na TV a cabo), só que o pessoal acabou percebendo que pouca gente assistia. A grande maioria via o seriado através de downloads. Este ano (última temporada de Lost) a coisa mudou. O canal AXN exibe o seriado apenas com uma semana de atraso. Com certeza, deve ter algumas pessoas que não fazem mais download e vêem o seriado na TV. Eu? Eu ainda faço download. Por sinal, hoje é dia!

 

Tweets da semana

gsnascimento RT @vocesa: Gerir bem seu tempo é importante até para ser gentil. Quem está sempre correndo não tem tempo para gentilezas.

Shorang Ser o melhor num ambiente onde todos são medíocres, não te faz ser o melhor! E sim o melhor dos medíocres!

ammenendez O Santos entrou com Rebolation e saiu com Desastration!

olhardigital Os termos de fidelização em contratos de telefone celular podem estar com os dias contados http://migre.me/oE3M

adiberto Vou participar da Corrida Cidade de Aracaju, quarta-feira próxima, entre São Cristóvão e a capital. Só que vou de carro com ar condicionado.

 

Buzz da semana

Hugo Doria Porque as pessoas nunca devolvem os livros que emprestamos?

Rodrigo Rezende – Compre um leitor de livros digitais e nunca mais precise emprestar o livro que comprar. Se pedirem vc manda o arquivo. Por coincidência estou vendendo um. E aí? E aí? Vai? Entrego em mãos, ó, na hora. :p

Andrés Menéndez – Não se compra mais livro… Agride a natureza. Faça download! 🙂

Kennedy Noia – Que modo legal de pedir os livros de volta! gostei! principalmente pra quando agente não sabe pra quem emprestou! to na mesma! ;P

 

Não deixe de enviar comentário ou email para andresmenendez@infonet.com.br

 

Até a próxima semana.

 

Em tempo: é para falar do Flamengo? Hehehehe… Melhor não!

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais