Locações perigosas

0

Durante a entrevista que o governador João Alves Filho concedeu, anteontem, a jornalistas, revelou um fato que praticamente foi uma denuncia: O procurador de Justiça Luiz Mendonça assumiu a Secretaria de Segurança Pública. Nos primeiros dias, convocou as empresas que locavam carros para a Pasta e anunciou que diminuiria o valor dos contratos em 40%, mas que o dinheiro seria integral para as locadoras. Foi aplaudido pelos empresários e todo mundo aceitou sem problemas e reclamações. Analisando bem o gesto do secretário Luiz Mendonça, em reduzir os valores dos contratos, desde que tudo fosse para as empresas locadoras e todo mundo aplaudir, deixa no ar a denuncia de que esses 40% retirados serviriam para distribuição de benesses para os responsáveis pelos alugueis de veículos ao Governo. A locação sempre foi uma das “formas mais honestas de se roubar os cofres públicos”. Tem muita gente milionária com estes serviços, porque ganham dobrado com os aluguéis e repassam gordas comissões para quem autoriza a locação. Um deputado denunciou, também, que um desses empresários de locadoras alugou para o Estado alguns veículos tipo Besta. Cobrou o equivalente a R$ 5.800,00 por cada um, mas não tinha em sua frota veículos do tipo. Recorreu a algumas pessoas que alugam Bestas individualmente. Juntou o número desejado e pagava R$ 1.800,00. Tinha um lucro de R$ 4.000,00 sem nenhum gasto. Esse cidadão continua freqüentando os corredores das secretarias, tem um bom número de carros locados e é íntimo de algumas personalidades oficiais que se mostram acima de qualquer suspeita. O governador João Alves Filho, ao elaborar um projeto ousado de modernização administrativa do Estado, deve ter contrariado muita gente. Havia excesso que se praticava às claras e tinha que dar um basta nisso tudo. A aquisição de carros novos foi uma das melhores decisões do governador, porque acaba com esse jogo das locações, que já tirou da lama muita gente e a tornou milionária da noite para o dia. Foi uma providência correta, que dará lucro ao Estado pela economia que fará, além de evitar a corrupção que, talvez propositadamente, o secretário da Segurança, Luiz Mendonça, inteligentemente denunciou. A farra de locação de veículos começou no Governo anterior. Antes, as locadoras rareavam, tinham carros velhos e o seu comércio se restringia a executivos e empresários que vinham a Sergipe tratar de negócios. Até que alguém teve a idéia de mostrar ao Governo que alugar carro, com motorista e tudo, era muito menos oneroso para o Estado, porque evitava problemas de oficina, desonestidades e irresponsabilidades de motoristas e outras contrariedades que, naturalmente, quem tem frota de carros não pode se ver livre. Mas, que bondade era essa, dos empresários do setor, que ofereciam tudo isso ao Governo e ainda tinham lucros exorbitantes? Lógico que sempre houve algo de podre por trás disso tudo. Tanto que as locadoras montaram prédios luxuosos, adquiriram carros tops de linha e ganharam sócios influentes dentro da cúpula governista. Um deles, inclusive, oferecia festas “Sodomáticas” em seu sítio no Mosqueiro, com belas mulheres à beira da piscina, para uso e abuso de determinadas autoridades. Evidente que há exceções no ramo e pessoas absolutamente sérias que não se prestam a esse tipo de “gigolagem”, mas nenhum deles saiu-se bem no mercado e está com suas empresas do mesmo tamanho que iniciou. Ao optar por comprar carros, dentro do sistema on line, o Governo não fará apenas uma grande economia neste setor: mas moraliza um segmento que vulnerabilizou personagens tão importantes, quanto às que foram demonstradas, mesmo sem dizer nomes, pelo secretário de Segurança Pública, Luiz Mendonça, ao dispensar 40%, deixando tudo para a empresa e mereceu aplausos dos empresários. Como perguntar faz parte do trabalho do repórter: para onde ia os 40% que se cobrava a mais nas locadoras? Tinha endereço certo e enriqueceu muita gente, porque, mesmo sem este percentual, que colocavam acima dos preços, as empresas tinham lucros reais de aproximadamente 50%. Os projetos de reforma, que tramitam na Assembléia, inibem ações desse tipo. DIRCEU O deputado federal Heleno Silva (PL) falou com o ministro chefe da Casa Civil, José Dirceu (PT), ontem pela manhã, sobre a situação no sertão sergipano. Segundo Heleno, o ministro José Dirceu entrou em contato, por telefone, com o governador João Alves Filho, e a região terá ajuda do Governo Federal. MULHER Através do prefeito de Poço Redondo, frei Enoque, o deputado Heleno Silva foi informado de que uma mulher pariu em uma área de cheia, porque não teve condições de chegar ao hospital. A situação é de total calamidade pública, porque a cidade está sem energia elétrica e existe muita gente ilhada, sem condições de receber ajuda. DOCUMENTO Ao retornar de viagem ao sertão, o governador João Alves Filho enviou ofício ao presidente Lula, relatando toda a situação de calamidade pública no sertão. João Alves Filho repetiu praticamente o que relatou a José Dirceu pela manhã e pediu a participação do Governo Federal para resolver os problemas no interior de Sergipe. CIRO GOMES Durante toda a manhã, o governador João Alves Filho tentou conversar com o secretário de Desenvolvimento Regional, Ciro Gomes, mas não foi possível. João conseguiu um contato telefônico com o coronel Pimentel, secretário geral da Defesa Civil, e insistiu na participação do Governo Federal na calamidade do sertão sergipano. PONTES O Governo está tentando ver, com empresas, se compra estruturas pré-moldadas para recuperação imediata de pontes, para acesso às cidades. Hoje, a única forma de chegar a Canindé do São Francisco é por Arapiraca, passando por Delmiro Gouveia e Paulo Afonso. POLICIAIS O comandante da Polícia Militar praticamente determinou o fechamento do quartel, para que o pessoal do setor burocrático se deslocasse para área atingida pelas chuvas. A medida adotada foi para não reduzir o policiamento em Aracaju, que é uma cidade que há uma ação permanente de marginais. PEIXE RUIM O secretário Nicodemos Falcão disse que o deputado Belivaldo Chagas (PSB) está vendendo seu peixe, quando critica os projetos do Governo. “Belivaldo está vendendo peixe ruim, diga-se de passagem, que eu não recomendaria ao povo que comprasse”, disse. Belivaldo acha que os projetos traem os servidores. COMÉRCIO O empresariado de Sergipe está com temor da central de compras do Estado através de site, por questão de competitividade. O pessoal considera que o projeto e bom pela transparência. Os comerciantes acham que a partir do momento que Sergipe abre as compras para todo o país, certamente prejudica os empresários locais. GILSON O presidente da CDL, Gilson Figueiredo, disse que o Governo já está tomando providências para proteger as empresas de Sergipe. Por sugestão do secretário da Fazenda, Max Andrade, já tem decreto pronto que isenta de pagamento do ICMS as empresas locais que venderem para o Estado. ASSUME O vice-prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), passa hoje, formalmente, o comando da Prefeitura para o titular, Marcelo Déda. Terminou seu período de férias. Apesar de não estar no comando da Capital, Marcelo Déda trabalha desde terça-feira passada, quando retornou a Aracaju. CONTATO Na terça-feira, Marcelo Déda já fez vários contatos, inclusive com Brasília, para relatar a situação de Aracaju, que suportou fortes chuvas na quarta-feira da semana passada. Ao lado do prefeito em exercício Edvaldo Nogueira, Marcelo Déda deu um giro pela cidade e constatou que tudo estava sob controle. PRIORIDADE Terça-feira e ontem o prefeito Marcelo Déda conversou com o chefe da Casa Civil, José Dirceu, e fez um relato da situação. Solicitou que colocasse Sergipe como prioridade nas ações do Governo Federal. José Dirceu revelou que havia mantido contato com o governador João Alves Filho e que todos os Estados atingidos pelas chuvas terão a prioridade necessária. DISPOSIÇÃO Marcelo Déda disse que entrou em contato com o prefeito de Poço Redondo, frei Enoque, e colocou a Prefeitura de Aracaju à disposição de outras cidades da região. Determinou ao secretário da Saúde que atendesse a qualquer solicitação, principalmente o Samu, que tem médicos treinados para descer em qualquer local usando helicóptero. Notas VIAGEM O governador João Alves Filho percorreu, ontem, o alto sertão sergipano e visitou as áreas atingidas pelas fortes chuvas que caíram naquela região desde domingo passado. João voltou a ver a miséria no sertão, desta vez no sentido inverso: ao invés de sol causticante e falta de água, o excesso dela. Na mesma proporção da estiagem prolongada, a chuva fez estrados no sertão e o homem do campo continua precisando da ajuda do Governo para salvá-lo das inundações. A situação do sertão é muito difícil. PARADOXO Há 15 dias houve um movimento de lideranças do interior, que reclamavam da suspensão do fornecimento de água, através de carros pipas do Exército. Hoje, os municípios que normalmente vivem em estado de emergência por falta d’agua, decretaram estado de calamidade por excesso dela. Pontes foram levadas pela enxurrada, população está ilhada nos povoados, rios e lagoas transbordaram, o Caos! A população está precisando de remédios, roupas, comidas e a recuperação dos casebres que desabaram. PROVIDÊNCIAS O Governo, por solicitação das prefeituras municipais, já deslocou para as cidades atingidas toda equipe técnica do DER, com o objetivo de desobstruir estradas e recuperar pontes. A Defesa Civil está presente desde quando começaram os problemas e a Secretaria do Combate à Pobreza atua na parte social. A Secretaria da Saúde deslocou pessoal para um levantamento de problemas causados pelas enchentes e há toda uma infra-estrutura de assistência para evitar doenças provocadas na população, principalmente quando as águas baixarem. É fogo O governador João Alves Filho viajou, hoje pela manhã, ao sertão, utilizando helicóptero cedido pela Petrobrás. Os taxistas continuam chateados com a Prefeitura, porque não está impedindo a proliferação dos mototáxis e nem os clandestinos. Os taxistas acham que se não houver uma providência, em breve pouco restará dos 2080 táxis oficiais em Aracaju. O foragido Antônio Francisco está esperando o resultado do pedido de Hábeas Corpus, enviado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). Diante de tantos problemas provocados pelas chuvas, as lideranças políticas, do interior e capital, deixaram de falar sobre política. A deputada estadual Susana Azevedo está de malas prontas para viajar a Portugal na sexta-feira. Vai se encontrar com o governador na segunda-feira e se incorpora à comitiva. João Alves Filho viaja no domingo, mas na quarta-feira estará de volta. Susana Azevedo continuará por mais alguns dias na Europa. O deputado federal Jorge Alberto (PMDB) pode deixar de acompanhar a comitiva porque tem convenção do PMDB no domingo. O prefeito de Nossa Senhora do Socorro, José Franco, deve adquirir seis ônibus novos, para transporte de estudantes matriculados em Aracaju. O senador Almeida Lima (PDT) já declarou que não pretende disputar a Prefeitura de Aracaju. Mesmo assim o seu nome é citado como candidato do partido. O deputado estadual Luis Garibalde (PDT) não fala em candidatura de Almeida Lima, mas garante que o seu partido vai apresentar um nome à disputa. O presidente regional do PMDB, Benedito Figueiredo, quer seguir orientação do Diretório Nacional e indicar candidato a prefeito em Aracaju. Ele seria um dos nomes. O Brasil continua comandando o ranking das economias com maiores taxas de juros reais do mundo. Mesmo com o corte de 10 pontos percentuais, promovido pelo Banco Central. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais