LULA E A TV

0

 

O presidente Lula da Silva (PT), candidato à reeleição, foi o entrevistado de ontem do Jornal Nacional. Aconteceu em uma sala do Palácio da Alvorada. Os apresentadores William Bonner e Fátima Bernardes se postaram por trás do birou e Lula ficou ao lado, na mesma arrumação dos demais entrevistados. Um privilégio: Lula fez o programa em casa. Seria mais simpático que, na condição de candidato, cumprisse o mesmo roteiro dos demais que disputam a Presidência da República. Mesmo com a regalia de receber entrevistadores e toda produção global para 12 minutos à frente das câmeras que exibem as imagens mais vistas no Brasil, o presidente não foi tratado como anfitrião. Quem o viu percebeu que ele se assustou com a contundência das perguntas de Bonner e Fátima, que foram a fundo nos problemas que envolveram aliados do presidente, ministros e amigos, além de respingarem no Palácio do Planalto.

Lula não se irritou, mas ficou um pouco acuado e depois retomou o seu estado normal. É possível que o presidente imaginasse que, vindo da Globo, as perguntas seriam um bate pronto para respostas que engrandecessem a sua administração e servissem para um bom tema de campanha.

Não aconteceu como o presidente Lula da Silva esperava. A pressão foi tanta que Lula admitiu, pela primeira vez, que demitiu de sua equipe de auxiliares os ex-ministros José Dirceu, que ocupou a Casa Civil, e Antônio Palocci, do Ministério das Finanças, por suspeitas de irregularidades: “eu afastei o Zé Dirceu, afastei o Palloci e outros envolvidos, e vou continuar afastando”, surpreendeu o presidente. Anteriormente, Lula da Silva teria alterado a verdade. Na saída do super-ministro José Dirceu, acusado do comandar o esquema do mensalão, o presidente anunciou que teria sido uma decisão do ex-ministro. Já no caso de Palocci, o hoje candidato a deputado federal  distribuiu nota oficial, na qual dizia que estava se afastando até o final das apurações sobre a quebra ilegal do sigilo do caseiro Francenildo dos Santos Costa.

Não foi bom para o presidente, que insistiu em dizer que afastou todos que cometeram algum tipo de corrupção em seu governo. Entretanto, de forma clara, faz campanha exatamente ao lado de mensaleiros, sanguessugas, mentirosos. Enfim, os mesmo que ele disse não permitir ao seu lado, mas que pode tê-los ajudando no Governo, caso seja reeleito presidente. Ao perceber que cometeu uma inconfidência, o presidente tentou consertar: “punir significa você respeitar o estado de direito. Eu quero para todo mundo o que quero para mim, que é o direito de provar que sou inocente”. Mas nem Dirceu e nem Palloci conseguiram provar inocência e foram indiciados pelo procurador geral da República. O primeiro como chefe de quadrilha e o segundo por determinar a quebra de sigilo bancário de um simples caseiro, sem qualquer tipo de ação judicial.

Lula perdeu-se quando foi perguntado se mantinha as declarações de que não sabia de nada envolvendo os escândalos que abalaram o país durante toda sua gestão. Preferiu usar figura de retórica: “Várias famílias têm problemas dentro de casa e não sabem. Tá cheio de pai e mãe que ficam sabendo que seu filho cometeu um delito pela imprensa ou quando a polícia prende”. E perguntou: “como é que pode alguém querer que o presidente da República, embora tenha que assumir responsabilidade por todos os atos, saiba o que está acontecendo com algum órgão do Governo Federal em São Paulo?” Lula também não soube explicar o dinheiro de Paulo Okamoto e ficou evasivo ao tentar explicar que não tinha dívidas com o Partido dos Trabalhadores. Fabricou um certo encontro de contas entre débito e crédito proveniente de indenização por ter deixado de trabalhar no PT.

Pela entrevista de ontem pode-se deduzir porque o presidente Lula vai fugir dos debates. Ele não tem condições de encarar a sua adversária Heloísa Helena, que vem crescendo nas pesquisas, e nem a Geraldo Alckmin, bem preparados para encostá-los na parede. Lula não tem resposta para a corrupção, não explica porque permitiu Okamoto pagar dívidas pessoais e não está afinado para convencer a população de que ignorava a podridão que exalava abaixo do seu nariz.

 

TELES

O ex-deputado federal José Teles de Mendonça (PSDB) informou ontem que é candidato a deputado estadual e está de porta em porta pedindo voto em Itabaiana.

Diz também que faz um trabalho firme fora de Itabaiana e tem apoio de vários municípios em todas as regiões.

 

ADVERTÊNCIA

José Teles confirmou que receber advertência de que todos os filiados do PSDB tem que respeitar a coligação que foi feita pelo partido nos estados.

Teles diz que vota em Geraldo Alckmin para presidente da República, “mas não posso ficar no mesmo lado que Luciano Bispo (PMDB) estiver”.

 

CASSAÇÃO

Já quanto a ameaça de cassação, outro parlamentar que recebeu a advertência perguntou: “e Tasso Jereissati pode fazer isso?” E continuou: “ele não está fazendo isso no Ceará…”

Na realidade, o presidente nacional do PSDB, Tasso Jereissati, está sofrendo problemas idênticos no Ceará. Gente importante do seu partido está com o PT ou PSB.

 

TRIBUNAL

O Partido Socialista Cristão (PSC) pôs o dedo no suspiro, na questão da escolha de José Carlos Machado (PFL) para conselheiro do Tribunal de Contas.

A direção do partido orientaria os deputados a não votar em Machado e com isso houve o recuo do parlamentar, que vai para a reeleição.

 

HELENO

O deputado federal Heleno Silva (PL) teve um encontro reservado com o candidato a deputado federal Albano Franco, no início desta semana.

Perguntou se podia procurar a prefeita de Poço Redondo, Iziane (PFL) para conversar: “por mim não tem problema. Podem ficar à vontade”.

 

ABATIDO

Heleno está abatido com toda essa situação e diz que faz uma política ideológica e que tem responsabilidade com o povo sofrido do sertão.

Revelou que se até segunda-feira “não encontrar um candidato um candidato que se coadune com os meus ideais, não vou apoiar ninguém”

 

RENUNCIA

Carivaldo Souza deixa o PSDB depois de ter assumido a presidência do partido. Motivo: apoia Déda para governador e Lula para presidente.

Problema alegado é o mesmo: “os seus amigos de Macambira não aceitaram a coligação com o PFL por terem sido perseguidos por aliados do governador”.

 

“LADOS”

Mais uma vez está prevalecendo a questão dos lados, que foi motivo de comentário nesta coluna: “os eleitores de Albano não o acompanharam”.

Não por causa de Albano ou de João, mas pelas divergências localizadas. Essa divisão política passou a ser incontrolada desde 1998.

 

PACATUBA

O prefeito de Pacatuba, Luiz Carlos (PFL), reuniu os aliados, terça-feira, e anunciou que o seu candidato a governador é João Alves Filho (PFL).

O deputado federal será Mendonça Prado (PFL) e o estadual fica com César Mandarino (PSC). Luiz sempre votou em João e “não seria agora que iria abandonar o barco”.

 

DIVA

A ex-prefeita Diva Santana, que sempre recebeu apoio de João Alves e ainda desfruta de cargos no governo do estado, vai votar em Marcelo Déda, para surpresa de muita gente.

O pessoal que apoia a ex-prefeita há alguns anos está insatisfeito com a troca. Acha que houve uma traição e pode manter o voto ao governador.

 

FONTES

O deputado João Fontes (PDT-SE) irritou o presidente da CPI, deputado Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ), ao elogiar seu trabalho à frente da comissão, “apesar de pertencer ao PT”.

Irritado, Biscaia respondeu a Fontes: “Não admito a ressalva que o senhor fez, “apesar de pertencer ao PT”. Quero dizer que existem muitas pessoas honestas que fazem parte do PT”.

 

INTERIOR

Um candidato a deputado estadual acha que o governador João Alves Filho (PFL), candidato à reeleição, acha que ele deve visitar mais cidades do interior.

Segundo ele, Aracaju tem um terço do eleitorado e está bem coberta. João precisa vir mais ao interior e manter a liderança nos dois terços do eleitorado.

 

DIMENSÃO

O candidato a vice-governador Fabiano Oliveira, disse que o ex-governador Albano Franco vai dar uma nova dimensão ao PSDB e deixá-lo forte para as eleições municipais de 2006.

Fabiano admite que tudo que aconteceu este ano com o partido foi um ensinamento: “não podemos errar duas vezes”, apelou.

 

 

Notas

 

LESSA

O TSE manteve ontem, por 6 votos a 0, a condenação imputada ao ex-governador de Alagoas, Ronaldo Lessa (PDT), por abuso do poder político e de autoridade às vésperas de eleições. Em 2004, Lessa aumentou o salário de algumas categorias de funcionários. Lessa agora vai apelas para o Supremo Tribunal Federal (STF)

A decisão do Supremo só deve sair depois das eleições e o principal beneficiado será o deputado

Deputado Tomaz Nono (PFL), que também disputa o Senado e é adversário de Lessa, dependendo da decisão do STF.

 

INQUÉRITOS-1

A aprovação do relatório parcial da CPI dos Sanguessugas, que denunciou 72 parlamentares, será um dos argumentos utilizados pelo procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, para pedir ao STF a instauração de mais inquéritos contra os suspeitos de envolvimento na máfia das ambulâncias.

Além disso, está em análise no TSE uma consulta do deputado federal Miro Teixeira (PDT-RJ) sobre a possibilidade do tribunal, a partir das provas já existentes, tomar a iniciativa de abrir processos para impugnação dos candidatos suspeitos.

INQUÉRITOS-2

A consulta do deputado federal Miro Teixeira começou a ser analisada pelo TSE na terça-feira. Dois dos sete ministros do tribunal já disseram que o órgão não deve dar uma resposta agora. No entanto, o ministro Carlos Ayres Britto pediu vista dos documentos, o que deve prolongar a discussão até a próxima semana.
De qualquer forma, a decisão deverá ser a de que o TSE não agirá neste momento porque há um princípio jurídico segundo o qual ninguém pode ser considerado culpado até uma decisão definitiva da Justiça.

 

 

É fogo

 

Dr. Emerson lança terça-feira sua candidatura a deputado estadual pelo PSB. Acontecerá na sede da Associação dos Engenheiros Agrônomos (Aease).

 

Zezinho Guimarães está ajudando na coordenação política do governador João Alves Filho, candidato à reeleição.

 

Apesar de ter desistido da candidatura, o nome de Zezinho Guimarães permanece com registo no Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

 

O deputado Jorge Araújo (PSDB) deseja por um fim aos discursos vazios pela legalização da Coopetaju, porque o DER até agora não apresentou o Plano Diretor de Transportes.

 

O ex-deputado estadual Ilzo Silveira (PMDB) teve ontem uma reunião com os coordenadores da campanha de Marcelo Déda (PT).

 

O deputado estadual Antônio dos Santos (PSC) quer uma solução rápida para a questão dos transportadores alternativos do interior do estado.

 

Para Antônio Santos o pessoal já esperou demais e elogia os rodoviários pela persistência sem usar da violência.

 

O deputado Luiz Mittidieri (PSDB) está trabalhando muito para a sua reeleição, principalmente na região centro-sul, onde acumula um bom número de votos.

 

O governador João Alves Filho (PFL), candidato à reeleição, tem dividido os seus dias em campanha, reuniões com prefeitos e a administração.

 

O número de pedidos de falências diminuiu 46,8% em julho último na comparação com igual período de 2005. A informação é do Serasa.

 

Tem se registrado um aumento da violência na grande Aracaju, principalmente nos assaltos e seqüestros relâmpagos.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais