Mais ação

0

Os aliados do prefeito Marcelo Déda, pré-candidato a governador em 2006, estão preocupados com o seu estilo de se relacionar com políticos influentes do interior. Acham que ele deve visitar mais, conversar exaustivamente com lideranças políticas importantes e avançar junto a segmentos expressivos do eleitorado sergipano. Ontem, um dos mais próximos membro do bloco da oposição no estado reconheceu que o prefeito Marcelo Déda está muito apegado à administração, quando poderia descentralizar decisões e partir para a boa conversa sobre a candidatura. A mesma fonte relatou que Déda só comparece a uma festa ou solenidade em cidades importantes do interior, “se for candidato”. Não é assim que se conquista votos nos municípios, porque a população quer conhecer o candidato e saber em quem vai votar.

 

Dentro de uma análise rápida do comportamento do prefeito Marcelo Déda como pré-candidato a governador, percebe-se que ele ainda está muito apegado à Prefeitura, quando já devia ir se afastando para deixar passar a certeza de que realmente vai para a disputa em outubro do próximo ano. Sabe-se que o Partido dos Trabalhadores, eleitoralmente, é uma legenda “de chegada”, “mas uma campanha para governador do estado necessita de maior agilidade na proximidade com lideranças interioranas”. O mesmo aliado do prefeito Marcelo Déda reconhece que já houve um maior ânimo entre os membros do bloco oposicionista, inclusive com os posicionamentos do líder: “houve um recuo, enquanto os adversários avançaram. Talvez aproveitando que o PT passa por um momento difícil a nível nacional, mesmo que Sergipe não tenha sido atingido pelas denuncias de corrupção, que promoveu uma degola dentro do campo majoritário e na Câmara Federal”.

 

Segundo um deputado, em conversa informal com Plenário, a questão da verticalização atormenta muitos políticos e põe cautela nas candidaturas proporcionais e majoritárias. Não há perspectivas de queda, mas ainda se fala sobre o assunto, porque é unanimidade dentro do Congresso. Em Sergipe, a expectativa é fazer uma união de opositores ao governo do estado, como é o caso do ex-governador Albano Franco (PSDB), que já teve ao lado de João Alves Filho por duas vezes e, neste momento, é um adversário dócil e respeitoso. Na realidade os dois têm divergências políticas, mas sempre trilharam pelo mesmo caminho ideológico e, até por convivência – e coincidência – têm eleitores com o mesmo perfil. É verdade que houve algum ânimo nessa possibilidade de fazer oposição ao lado de partidos de cunho ideológico, mas ao mesmo tempo algum receio, porque aliados seus alertavam que a militância petista não votaria nele para o Senado.

 

Não será impossível que Albano Franco e seu grupo consigam alguma brecha ao lado do PT e demais partidos que integram o bloco. Mas a manutenção da verticalização, algumas conversas e a questão do PSDB e PFL, juntos, a nível nacional, exatamente contra o Partido dos Trabalhadores, complicam esse rumo que, ainda não abertamente manifestada, alguns tucanos querem tomar. Dentro do ninho, entretanto, há quem defenda candidatura própria ao governo do estado, colocando o seu líder mais expressivo como cabeça de chapa, mas Albano Franco ainda não acenou para esse rumo e silencia em relação ao que pretende disputar nas eleições de 2006. A informação nos bastidores é que algumas conversas com assessores políticos do governo estão avançando e um dos tucanos que mais criticava o governo está bem mais manso e acha que o partido deve procurar porto mais seguro para garantir mandatos.

 

É absolutamente certo que tem nome influente no bloco oposicionista que trabalha por uma composição diferente, para que não deixe o tucano alçar vôo para um ninho já conhecido. Acha que não pode perder Albano Franco, mas ainda não encontrou uma forma de solucionar as divergências partidárias que PT e PSDB mantêm cada vez mais acirradas.

 

 

RITMO

Um aliado de primeira hora do prefeito Marcelo Déda (PT) revelou ontem que “ele (Déda) está trabalhado no ritmo natural dele”.

Acrescentou que o prefeito só está indo para onde é convidado e ainda não começou a fazer campanha: “já está na hora de Déda avançar nos contatos”, aconselhou.

 

MAIO

Segundo a mesma fonte, Marcelo Déda só vai se dedicar à campanha em maio, depois de se desincompatibilizar da prefeitura.

Lembrou que o governador João Alves Filho já colocou o bloco na rua e vem conquistando prefeitos de alguns municípios importantes.

 

CAPELA

O secretário André Barros (PSC) está coordenando a campanha do candidato a prefeito de Capela, Manoel Messias Sukita (PSB).

André tem acompanhado Sukita, fica com ele no palanque e faz discursos em favor do candidato, que disputa contra Chico de Ari (PFL).

 

AMIZADE

André Barros é amigo pessoal de Sukita, independentemente de partidos. Os dois já estiveram no mesmo palanque em outras ocasiões.

A campanha da nova eleição municipal, que acontecerá dia 27, vai terminar 48 horas antes (dia 25), por determinação do juiz da comarca.

 

PACATUBA

O pleno do Tribunal de Contas detectou irregularidades nas contas da Prefeitura de Pacatuba, referente ao exercício 1999, do atual prefeito Luiz Carlos dos Santos (PSDB).

Contratação sem concurso, remuneração acima do previsto em lei para prefeito e vice, não recolhimento do INSS e despesas de R$ 176.600,00 sem licitação foram encontradas.

 

INSANÁVEIS

O relator do processo, conselheiro Reinaldo Moura, considerou as irregularidades insanáveis. No seu parecer pediu a rejeição das contas.

A decisão agora será encaminhada aos vereadores do município, aos quais caberá manter a decisão do Tribunal de Contas ou não.

 

LIXO

A Receita Federal e a Polícia Federal preparam operação conjunta em todo o país. Já tem uma denominação: “Urucu”.

Terá como foco principal as empresas de lixo que atuam em todos os estado, apontadas como financiadoras de esquemas ilícitos.

 

ACM NETO

Um assessor parlamentar do deputado federal ACM Neto disse a um parlamentar de Sergipe, que ele tem 25 anos e as vezes age como se tivesse 40 anos.

“Quando disse que daria uma surra em Lula, ACM Neto estava exatamente com o pensamento do menino de 25 anos”, justificou.

 

CONDENA

O deputado federal João Fontes (PDT) condena esse discurso de “bater e arrebentar” que a oposição está usando contra o presidente Lula.

Admite, entretanto, que no caso da Abin não tem dúvida que ela está fazendo grampo telefônico nos telefones de deputados da oposição.

 

RODA VIVA

O programa Roda Viva, que ontem exibiu entrevista do presidente Lula da Silva, foi gravado por volta do meio dia (horário de Brasília).

Os jornalistas passaram pela aprovação de assessores e algumas perguntas inconvenientes foram cortadas. Apesar da linha independente, a TV-Cultura é do governo. 

 

RECURSOS

O secretário da Justiça, Manoel Cacho, revelou que já conseguiu 25 milhões de reais para o Sistema Penitenciário do Estado.

“É mais do que já foi investido em toda a história do Sistema Penitenciário em Sergipe”, disse ele.

 

CANDIDATO

Manoel Cacho não vai abandonar sua candidatura a deputado federal no próximo ano e começa a trabalhar para isso.

Diz que sem mandato consegue liberar R$ 25 milhões para um setor do estado, “imagine eu com um mandato parlamentar?” – pergunta. 

 

POSIÇÃO 

O PV, PTN e PSL vão fazer uma composição apenas proporcional, mas deixará que cada um tome a melhor posição na majoritária.

O PV, por exemplo, não fechou nem com João Alves, nem com Marcelo Déda e nem com Almeida Lima, vai esperar mais um pouco para ver como fica o quadro.

 

 

Notas

 

RELATÓRIO-1

A Comissão Especial de Revitalização do Rio São Francisco deve votar hoje o relatório do deputado Fernando Ferro (PT-PE) à PEC do senador Valadares, que cria o fundo para revitalização do rio. O relator propõe um substitutivo, determinando que o fundo seja gerido pelo Ministério do Meio Ambiente.

Pior que isso: quer reduzir dos 0,5% proposto para 0,2% do produto da arrecadação dos impostos federais – deduzidas as vinculações ou participações constitucionais – os recursos que serão destinados a ele.

 

RELATÓRIO-2
O texto também estabelece que 10% das verbas oriundas da participação de estados e municípios no resultado da exploração de recursos hídricos para geração de energia elétrica sejam investidas no fundo, cujos recursos deverão ser empregados nos programas especificados no substitutivo.

A Constituição determina que estados e municípios que tiveram partes de seus territórios inundadas pelos reservatórios das usinas hidrelétricas recebam 5,4% do valor da energia produzida, a título de compensação financeira.

 

RELATÓRIO-3

O deputado federal José Carlos Machado (PFL), que participa da comissão que discute a PEC, acha que ela não será aprovada, porque os estados que produzem energia não têm interesse em transferir recursos para solucionar questões do rio São Francisco. Defende a PEC original do senador Valadares.

Para José Carlos Teixeira, um estado como Paraná – só para dar exemplo – não vai permitir retirar de sua arrecadação de impostos 10% para revitalização do São Francisco. Isso cabe ao governo federal.

 

É fogo

 

O Grupo G.Barbosa fez doações de livros às bibliotecas. O professor Minervino Dória, assessor da presidência do grupo, doou vários livros para o sistema prisional.

 

Algumas delegacias da capital iniciaram um trabalho preventivo em vários pontos de Aracaju, através da Operação Cerco Fechado.

 

Áurea Ribeiro (PV) que foi vice na chapa do deputado estadual Valmir Monteiro (PSC), deverá lançar sua candidatura a Assembléia Legislativa.

 

O deputado Antônio dos Santos (PSC) corre contra o tempo para fechar acordos com os evangélicos.

 

O deputado federal João Fontes (PDT) está animado com o seu partido e acha que será um dos mais votados no Estado.

 

O ex-prefeito de Lagarto, José Raymundo Ribeiro (PTN) está mesmo disposto a disputar uma vaga na Câmara Federal.

 

A festa do boiadeiro que aconteceu em Dores neste final de semana reuniu um grande número de políticos.

 

A deputada Susana Azevedo (PSC) une-se à comitiva do governador, na Europa, na próxima semana.

 

O governador João Alves Filho ainda está em São Paulo e deve viajar à Europa na quarta-feira à noite.

 

O prefeito Marcelo Déda (PT) está iniciando uma série de obras sociais nos bairros de Aracaju.

 

Por motivos diferentes, técnicos e auditores da Receita Federal vão manter, na próxima semana, a paralisação iniciada entre agosto e setembro.

 

A Receita Federal libera hoje as consultas ao sexto lotes das restituições do Imposto de Renda Pessoa Física 2005.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais