Mais candidatos

0

O Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), que vinha aparecendo nestas eleições municipais, como mero coadjuvante, entra em cena agora com dois candidatos à Prefeitura de Aracaju: o empresário Walter Franco e o deputado federal Jorge Alberto. Para o próprio PMDB foi uma surpresa, porque o presidente do Diretório Municipal, deputado Augusto Bezerra, só tomou conhecimento ao ler jornais na terça-feira pela manhã e ouvir os programas matinais no radio. Augusto não quis entra em detalhes, mas achou salutar essa vontade, de membros importantes do partido, em disputar eleições proporcionais, o que demonstra a força de uma legenda que sempre se manteve no topo da política estadual e nacional. É verdade que o PMDB em Sergipe, nos últimos anos, servia apenas de sustentação para eleição de candidatos majoritários, satisfazendo-se apenas com mandatos proporcionais. Sequer lutava por uma participação na chapa. O último que ainda esboçou alguma reação a isso foi o então vice-governador Benedito Figueiredo, que esteve bem adiante para disputar o Governo do Estado, caso o ex-governador Albano Franco tivesse saído para disputar o Senado Federal. Mesmo assim, os pemedebistas têm demonstrado uma passividade política bem característica dos pequenos partidos, quando na realidade é uma sigla forte e que tem uma história na transformação política do país. Na reunião da Executiva, sexta-feira passada, o deputado federal Jorge Alberto demonstrou interesse em disputar a Prefeitura de Aracaju. Foi bem aceito, porque sempre foi o nome de maior expressão dentro da sigla, por deter um mandato parlamentar. Nada ficou decidido, mas seria um assunto que começaria a ser tratado a partir dos próximos dias, para que fosse colocado o nome nas ruas. Na realidade o PMDB não pretendia lançar candidato, mas o presidente regional da sigla, Benedito Figueiredo, achou importante participar e colocou seu nome como opção, caso não houvesse outro interessado. Evidente que o empresário Walter Franco surpreendeu ao anuncia uma pré-candidatura, mas o seu nome sempre foi comentado, nos bastidores, como opção. Walter Franco participou da política com mandato nos anos 80. Foi deputado estadual. Cumpriu apenas um mandato e resolveu fazer a política de bastidores. Lançou o filho, Augusto Franco Neto, a deputado federal, dando-lhe uma votação expressiva. Sempre ameaçou retornar à vida pública disputando um novo mandato, mas desistia no meio do caminho. Terça-feira, em sua emissora e em um jornal vinculado à família, o seu nome foi lançado. Não se trata de especulação porque saiu de sua emissora de radio, mesmo que ele tenha viajado para a Europa, logo em seguida e sequer consultasse um dos membros do partido. Em razão disso foi difícil qualquer contato com ele. Mas, com certeza, a informação chegou à emissora através do próprio Walter. O empresário Walter Franco sempre teve posições que desestruturam qualquer esquema político. Quando era deputado pelo PDS, foi o primeiro a defender eleições diretas paras todos os mandatos executivos, quando isso era apenas um sonho. Tem bom acesso em todos os segmentos da política e sua candidatura pode diferenciar o PMDB dos demais partidos. Até o momento uma coisa é certa: em Sergipe o PMDB apóia o governador João Alves Filho e está diretamente vinculado ao seu Governo. Ninguém sabe como virá Walter Franco, mas pode ter certeza que ele vai à luta em busca dos seus objetivos. Não será um candidato que se possa desprezar, mas um nome que sabe fazer política. Já o deputado federal Jorge Alberto não tem votação expressiva em Aracaju, mas é uma representação forte, inclusive em Brasília, onde faz um bom trabalho nos corredores ministeriais. Quer testar a sua popularidade na Capital.. De qualquer forma o PMDB entra em cena para valer e deve se somar ao bloco do governador João Alves Filho, mesmo que o empresário Walter Franco sempre preferiu não se atrelar a ninguém, mas em somar apoio para conseguir o seu objetivo. Nada está definido, mas há um ensaio que pode levar à concretização do projeto que está sendo montado. CASO FLORO Já está na Corregedoria de Polícia a determinação do juiz Anselmo Oliveira, para reabrir as investigações sobre a fuga de Floro Calheiros da Primeira Delegacia. O promotor de Justiça Augusto Lobão vai acompanhar todos os procedimentos do processo, inclusive fazendo perguntas aos depoentes. DILIGÊNCIAS Uma importante fonte informou que já estão correndo outras diligências em segredo de justiça, para elucidar de vez com essa fuga que deixou a sociedade em dúvida. Essas diligências estão próximas do próprio Floro Calheiros e o objetivo e prendê-lo para que tudo fique absolutamente esclarecido. DEMISSÃO O prefeito de Porto da Folha, Júlio Santana (PMDB), pede demissão dia 13 próximo e, já no dia 14, começa a exercer suas atividades médicas em Canindé do São Francisco. Assume o vice, Raimundo Rodrigues (PMDB), imediatamente. Raimundo é candidato à reeleição em outubro. BRASÍLIA O governador João Alves Filho (PFL) se encontra em Brasília para contatos com empresários que querem investir no Estado. Acompanham o governador, os secretários Tácito Faro, da Indústria e Comércio, e Max Andrade, da Fazenda. Os dois participam das conversas. SUCESSÃO O governador João Alves Filho também aproveitou para conversar sobre sucessão municipal, principalmente em cidades do interior. Logo depois do feriado da Semana Santa, João Alves Filho vai entrar com mais intensidade na formação das chapas no interior. ÁUREA Durante a reunião para discutir o nome do candidato a prefeito de Lagarto, o governador João Alves Filho sentiu a falta de Áurea Ribeiro e perguntou por ela. Luiza Ribeiro disse que “ela não é mais candidata”, e José Raimundo Ribeiro foi mais político: “não sei, ouvir dizer que ela teria desistido”. MANTÉM Áurea Ribeiro mantém a candidatura à prefeita de Lagarto e o governador também quer conversar com ela quando retornar de Brasília. Nos cálculos de Áurea, ela tem 3,8% e Walmir Monteiro, apesar de ser deputado, tem 4,5% nas pesquisas. A sugestão é que Walmir faça uma composição com Áurea. SURPREENDENTE O senador Almeida Lima (PDT) está distribuindo, entre colegas do Senado, fotos e jornais da manifestação que fez em Aracaju, pela ética política. Almeida disse que foi surpreendente e acha que todos trabalharam com objetivo do êxito, mas foi além das expectativas. FORA LULA! Almeida Lima disse que o objetivo dessa movimentação não é clamar “Fora Lula!”, como “elas já fizeram o ‘Fora Collor’ e ‘Fora FHC!’”. Almeida acha que se não houver uma mobilização popular em todo o Brasil, ninguém vai parar um Governo, inclusive na questão ética. VENÂNCIO O deputado estadual Venâncio Fonseca (PP) reafirmou, ontem, que está esperando o resultado da fita gravada, para dar continuidade aos trabalhos da Comissão de Ética. O deputado Gilmar Carvalho, entretanto, vem sendo convidado a participar a eleição para prefeito de Aracaju e não o sendo julgado pela Comissão de Ética. CPI CRIADA Com a assinatura de oito deputados da oposição, foi criada onde a CPI para apurar as questões na Secretaria da Educação. Foi criada, mas será abortada… O deputado Belivaldo Chagas já avisou que a oposição nomeará os dois parlamentares, mas o líder do Governo, Venâncio Fonseca, já avisou que não indicará nenhum. EDVALDO O vice-prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) está trabalhando para consolidar a candidatura do prefeito Marcelo Déda (PT) à reeleição: “ele tem que avançar nessa história de pré”. Edvaldo reconhece que Marcelo Déda terá um “grande papel na indicação do vice, mais que deve passar pelo crivo dos demais partidos que formam a coligação”. CONSENSO Edvaldo Nogueira acredita muito na experiência do senador Valadares (PSB), de Jackson Barreto (PTB), de José Eduardo Dutra e outras lideranças para a escolha do vice certo. Reconhece que se trata de pessoas tarimbadas e que, com certeza, vai encontrar o caminho da unidade para que se chegue ao candidato a vice-prefeito. CONVERSA O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda, ainda não nomeou os novos auxiliares. Continua conversando com lideranças dos demais partidos. Durante a Semana Santa, o prefeito Marcelo Déda vai se esmerar em novas conversas e todos os novos titulares devem ser anunciados a partir de segunda-feira. Notas DIVERGÊNCIAS O senador José Almeida Lima (PDT) diz que o seu partido ainda não se mexeu em relação ao candidato a prefeito. Revela que existe uma divergência de concepção para a escolha do nome. Porque ele entende que desde o ano passado “nós todos deveríamos fazer política partidária, até chegar à disputa eleitoral”. Almeida disse que o seu partido agiu assim, mas o PFL não, manteve-se sem uma ação nesse sentido. Acha que os pefelistas deveriam ter assumido um papel de oposição real ao prefeito Marcelo Déda. PALANQUE Almeida Lima explica que não está fazendo nenhuma crítica: “é apenas um ponto de vista”. Para ele, nesta manifestação em favor da ética deveria ter contado com o apoio do PFL para sua realização: “Claro que o governador não poderia estar no palanque, mas os deputados José Carlos Machado e Mendonça Prado poderiam”. O senador pedetista acredita que o partido tem que sair da defensiva e partir para uma ação clara de oposição, para poder firmar uma posição. “Seria bom que prefeitos, deputados e vereadores do bloco estivessem no palanque”. SAMARONE O vereador Antônio Samarone (PDT) se mantém como crítico sistemático do prefeito Marcelo Déda (PT). Ele acredita que em breve será revelado o real teor da visita que o prefeito Marcelo Déda fez ao governador João Alves Filho: “Déda foi fazer um pedido para justificar a não licitação do transporte em Aracaju”. Segundo Samarone, o prefeito Marcelo Déda pediu ao governador para fazer licitação nos municípios de São Cristóvão e Socorro, mas como o Estado já tem regulamentação sobre isso, ele não poderá fazer. É fogo O deputado federal Jackson Barreto (PTB) está em Brasília. Ontem tomou café na casa do presidente da Câmara, almoçou com José Eduardo Dutra e jantou na embaixada de Cuba. Jackson Barreto disse ontem que o PTB vai deixar o prefeito Marcelo Déda à vontade, na escolha do vice-prefeito. O deputado Jackson Barreto acha que não pode haver nenhuma discussão política que enfraqueça Marcelo Déda. O vereador Elber Batalha considera que o prefeito Marcelo Déda entrará para a história como o que fez mais realizações em Aracaju. Elber Batalha que “somente a avenida São Paulo dignifica qualquer administrador”, ressaltando que Déda permanece na periferia. O vereador Antônio Góis (PT) está preocupado com o grande número de ações que as empresas de transportes de Aracaju tem contra a Prefeitura. Antônio Góis disse que se essas empresas ganharem na Justiça, em breve a Prefeitura terá seus cofres completamente vazios. O retorno da vereadora Conceição Vieira à Câmara Municipal foi marcado por emoção. Ela teve uma calorosa manifestação realizada por idosos e crianças. Os deputados federais permaneceram esta semana em Aracaju, porque já na quinta-feira não existe sessão no Congresso. Amanha apenas o comércio estará aberto, porque as repartições públicas e até os bancos fecham suas portas. O presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra (PT-SE) anunciou um projeto alternativo por mar, ao estudo original do oleoduto, ligando por terra a Bacia de Campos a São Paulo. O novo projeto, avaliado em R$ 4,6 bilhões, vai ligar um duto a ser construído na Bacia de Campos a uma plataforma de bombeamento de óleo, que será levado a São Paulo. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais