MAIS CRIANÇAS NAS ESCOLAS

0

Num universo de tantas más notícias, sentimos alegria profunda quando tomamos conhecimento de que algo de positivo está ocorrendo em nosso país.

 

O que lamento é que a mídia não tem espaço para estas boas notícias.

 

O estudo “Tendências Demográficas” elaborado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), analisando o período de 1940 a 2000 traz, entre outras, as seguintes boas notícias: O avanço da Escolaridade no País e o Número de Crianças Trabalhando cai no País.

 

Considerando que a educação é o pilar da cidadania num país é muito importante a escolaridade  no País estar aumentando.

 

Ao longo de sessenta anos, a taxa de analfabetismo ficou cerca de cinco vezes menor. Em 1940, mais da metade dos brasileiros não sabiam ler nem escrever, 56,8%, número que caiu para 12,1%. Segundo o IBGE, cerca de 95% dos jovens estão na escola. Segundo o estudo, ficam evidentes as diferenças sócio-econômicas entre os Estados. No Brasil, sessenta anos atrás, a taxa de analfabetismo do Rio de Janeiro era de 34,1%, valor muito menor que os 80,5% verificados no Tocantins de hoje.

 

No que se refere ao número de crianças trabalhando, o estudo mostra que o número de crianças e adolescentes que trabalham caiu nos últimos sessenta anos de 33,7% para 10,8%. Donde se conclui que um menor número de crianças trabalhando corresponde a um maior número de crianças nas escolas.

 

 O Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), que paga à família R$ 40,00 por cada criança que deixe de trabalhar e volte aos estudos, é um dos programas existentes para combater o trabalho infantil no país. A criança também deve participar de uma atividade no horário em que não estuda, a chamada jornada ampliada. Se a família estiver cadastrada no programa Bolsa Família, o valor sobe para R$ 95,00. Os municípios recebem R$ 20,00 por criança para ajudar no projeto.

 

A meta do Governo é retirar, até o final do ano, 1,5 milhão de crianças do trabalho infantil.

 

Considerando que sem educação não se constrói uma nação, estes dados apresentados neste estudo elaborado pelo IBGE nos traz a esperança de que, finalmente, num futuro não distante, a maior cidadania da população brasileira vai melhorar a distribuição de renda no País.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários