Manda Nudes!

0

Quantas vezes você leu esta frase em seu WhatsApp (ou no Snapchat) nos últimos dias? Parece que vivíamos num mundo mais fácil, pelo menos era um lugar mais composto. Não que ser composto signifique casto, mas o lance, hoje em dia, é mandar uma foto sem roupa para o olhar do outro. Será que ficamos mais safadinhos ou só estamos seguindo a moda? As paqueras de antes eram mais instigantes, até a retirada da roupa levava alguns dias. Hoje em menos de três palavras trocadas já estamos fotografados em posições inimagináveis. E todo mundo faz, não se engane e não negue que já fez!

Me questionei, tempos atrás, se seria capaz de um dia mandar nudes para alguém. Minha resposta não demorou muito e estava lá registrada, numa luz bonita de uma parte favorável do meu corpo. Fiquei pensativo! Se eu seria capaz de mandar quem não seria? Mandamos para a ex, para o ex, para os futuros e até para quem estamos no momento, só pra instigar. Tudo indica que na verdade essa necessidade de aparecer é algo que foi intensificada depois que inventaram o keeping up with the kardashians. Todo mundo precisa existir de alguma forma, mesmo que tirando a calcinha rapidamente. Loucura, não?

Se o nude facilitou o trabalho de quem vive da imagem, veio também para aniquilar qualquer tentativa de sermos mais discretos. Essa ditadura do nudes pode enfeitiçar e ao mesmo tempo trazer uma baita dor de cabeça, se a pessoa não tiver consciência do que fez ao enviar. Parece que ao enviarmos uma imagem nossa, em qualquer situação, automaticamente passamos o direito de nossa imagem ao outro. O problema é que se às vezes não conseguimos controlar nossas próprias ações, imagine controlar o que o outro fará com nossos nudes. Então fica a pergunta: quem recebe tem o direito sobre a imagem recebida e pode mostrar/divulgar ou não? É falta de educação repassar ou tem uma regra dizendo que ao receber devemos apagar? Cadê os livros de etiqueta sobre o assunto?

Muito da confiança que jogamos na mão do outro vem do tanto de confiança que falta dentro de nós mesmos. É louco isso, mas algumas pessoas precisam do olhar do outro para se sentirem protegidas. Algo que nunca acontecerá já que o vazio é interior. Então não adianta mandar nudes, e pedir que não sejam repassados. Se mandou aguarde a lei do retorno, que pode ser um convite para a Playboy ou até mesmo um massacre social (o que normalmente acontece).

Tirar a roupa, para o índio, nunca foi problema. Então estamos todos nos tornando índios-de-Redes-Sociais, sem pudores e grandes preocupações, muitas vezes rezando para um flagra nosso cair no gosto popular? É o tal dos 15 minutos de fama que o gênio Andy Warhol profetizou lá nos anos 60. O gostinho de ser famoso é instigante, mas também leva para mares já navegados por outras tripulações tragicamente naufragadas.

Conversando com alguns amigos percebi que a vergonha de mandar nudes não demora a ser vencida, bastam uns três nudes enviados, para que se perca o medo, porém, existem “técnicas” para mandar nudes para quem não se tem tanta confiança assim. A melhor de todas é se fotografar sem a cabeça e nada que identifique seu corpo (excluir as tatuagens), aproveitando para joga uns filtros, clareando ou escurecendo partes que te favoreçam. A pessoa que pede nude quase sempre está tão louca de curiosidade que nem repara nessas coisas e retribui também da melhor forma, enviando um nude dela. Só confie em quem retribui nude com nude, e olhe lá!

Certamente, nossos pais viveram momentos mais felizes em suas vidas. Se queriam ver nudez compravam revistas do gênero, frequentavam puteiros, realizavam festinhas privê. A inibição era amiga do amor e do respeito, porém, demandava tempo – algo que não temos hoje. Assim, vamos assistindo nudes em cima de nudes, através de conexões ocas de conquistas vazias. Oh mundo louco!

Acho que se temos a coragem de mandar nudes também deveremos ter a mesma força para assumir quando a coisa sai errada. Acima de preceitos morais, mandar nudes pode ser um ato de liberdade, para quem tem boa cabeça. Façamos mais nudes, mas depois de uma boa reavaliação do que realmente importa em nossas vidas e do quanto a imagem enviada dirá de nós mesmos. Às vezes um nude é apenas uma foto bonita, eu particularmente trabalho por este ângulo. Se vazar alguma coisa minha vai ser na base da arte digitalmente modificada. Mande nudes, mas não seja babaca. Se vazar, que seja bonito!

Para conversar comigo sobre este e outros assuntos (adoro sugestões):
Facebook: https://www.facebook.com/jaime.neto.58
Twitter: @jaimenetoo
Instagram: @jaimenetoo

Comentários