Mandatos ameaçados

0

Dois deputados começam a legislatura com os mandatos ameaçados. O primeiro, André Moura (PSC), é alvo de denúncia do Ministério Público Eleitoral, que pediu a cassação do diploma e a perda do mandato de deputado federal porque ele foi condenando com base na Lei da Ficha Limpa e, portanto, não poderia ter disputado a eleição do ano passado. O segundo, Gilmar Carvalho (PR), conquistou o mandato na semana passada, com o afastamento do deputado estadual Zeca da Silva (PSC) para assumir a Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Ontem, a Associação Beneficente dos Servidores Militares de Sergipe solicitou à Procuradoria Regional Eleitoral que ingresse com ação para que Zeca seja substituído pelo suplente do PSC, conforme determina recente decisão do Supremo Tribunal Federal. Resta aguardar para saber como terminarão as duas pendengas jurídicas.

‘Cala boca’

O PSC conseguiu um ‘cala boca’ para a família Mandarino visando impedir que o primeiro suplente do partido, Vitor Mandarino, recorra à Justiça para substituir o deputado estadual Zeca da Silva (PSC). A alternativa encontrada – que será custeada pelo meu, seu, nosso dinheirinho – foi a nomeação da ex-vice-governadora Marília Mandarino (PSC) como secretária-adjunta do Desenvolvimento Econômico. Ao atender o PSC, o governador Marcelo Déda (PT) ‘empregou’ a esposa do prefeito de Itaporanga, César Mandarino, que trabalhou forte contra a sua reeleição.

Tentando saída

Os líderes partidários na Câmara Federal se comprometeram a apoiar a proposta de emenda a Constituição (PEC) que cria uma regra para que suplentes das coligações substituam parlamentares que se afastam. A proposição ainda está na fase de coleta de assinaturas. A proposta determina que serão convocados os mais votados na legenda e nos casos dos partidos que concorreram às eleições como coligações quem assume a vaga é o mais votado dentro da coligação.

Fustigando João

O vice-governador Jackson Barreto (PMDB) voltou a fustigar o ex-governador João Alves Filho (DEM). Ao ler que o demista teria dito que, proporcionalmente, Mendonça Prado foi o deputado federal mais votado do DEM em todo o país, Jackson saiu com essa: “O ex-governador esquece de dizer que Sergipe foi o único Estado onde o DEM só teve um candidato a federal. Ou João é besta ou pensa que o povo o é”. Homem, vôte!

Em Sergipe

A ministra da Cultura, Ana de Hollanda, vem a Sergipe no dia 15 de março próximo. Juntamente com a secretária estadual de Cultura, Eloísa Galdino, ela entregará o diploma de título de Patrimônio Histórico da Humanidade à Praça São Francisco, em São Cristóvão. Também no dia 15 de março acontecerá a abertura do Festival Sergipano de Teatro. A ministra Ana Hollanda vem a Sergipe acompanhada por um representante do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Pelas beiradas

A coluna Periscópio do Jornal da Cidade publica hoje que “o suplente de deputado federal Fábio Reis (PMDB) deve ser indicado nos próximos dias como o novo diretor-presidente da Junta Comercial de Sergipe. Já o irmão, Sérgio Reis, está cotado para ser secretário-adjunto da Agricultura. Ambos são da cota de Jackson Barreto”. Vale ressaltar que Sérgio Reis foi secretário da Agricultura do último governo de João Alves Filho. É o DEM comendo pelas beiradas no governo do PT.

Mais ‘grana’

Os jornalistas sergipanos realizam assembléia geral amanhã à noite para discutir a elaboração da pauta de reivindicações para a Campanha Salarial 2011/2012. O objetivo é fechar a pauta e apresentar ao sindicato patronal até o final de fevereiro, esperando que as discussões transcorram até o fim de abril. A expectativa é que na data-base dos jornalistas, 1º de maio, haja alguma proposta com avanços para a categoria e a convenção coletiva possa ser assinada.

Padrinhos errados

O advogado Carlos Alberto Menezes parece ter escolhido padrinhos errados para trabalhar por sua indicação como ministro do Superior Tribunal Federal (STF). Primeiro, o Correio de Sergipe, pertencente à família do ex-governador João Alves Filho (DEM), fez estardalhaço pelo fato de Carlos Alberto ter entrado na lista tríplice. Depois, o advogado recebeu apoio pela indicação dos ex-presidentes da OAB, César Britto e Henri Clay Santos Andrade, que não se afinam com o PT sergipano. Portanto, se depender dos petistas, Carlos Alberto não terá qualquer chance.

Governista

Contribuir com a segunda gestão do governador Marcelo Déda (PT) é o desejo do deputado estadual Zezinho Guimarães (PMDB). Ele disse torcer para que o petista faça um governo melhor agora do que no primeiro mandato. “O nosso partido contribuiu para as vitórias de Marcelo Déda e do vice-governador Jackson Barreto (PMDB) e eu tenho obrigação de, dentro da minha postura crítica e dentro daquilo que eu aprendi no setor privado, colaborar bastante com este novo governo que se inicia”, afirma Guimarães.

Do baú político

A criação do município de Moita Bonita, no agreste de Sergipe, é fruto de uma briga entre os irmãos e ex-deputados estaduais Euclides e Pedro Paes Mendonça, este último pai do mega empresário João Carlos Paes Mendonça. Euclides sempre foi contra a criação de Moita Bonita, pois o território seria desmembrado de Itabaiana, seu principal reduto eleitoral. Por conta disso, travou fortes brigas com o irmão, porém Pedro saiu vitorioso, pois a Assembléia aprovou a criação de Moita Bonita no dia 19 de junho de 1962. Tendo iniciado a vida comercial em 1935 no povoado Serra do Machado, com uma bodega, Pedro Paes Mendonça transfere seu negócio para Aracaju em 1951, onde permanece até 1965, quando se muda para Recife e funda o Grupo Bompreço, hoje pertencente à rede americana Walmart. Seu irmão, Euclides Paes Mendonça, juntamente com o filho Antônio, foi assassinado por forças policiais no dia 8 de agosto de 1963, em Itabaiana.

Resumo dos jornais

 


 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários