Mandatos comprados e bem pagos

0

Mandatos comprados e bem pagos

 

A despeito de todo o esforço da Justiça para impedir a comercialização de votos, muitos dos mandatos conseguidos na última campanha eleitoral foram comprados quase a peso de ouro. Não existem muitas provas do crime, praticado à luz de candeeiro, nas madrugadas que antecederam o pleito, porém só inocentes duvidam que o dinheiro tenha rolado solto no interior sergipano. Na surdina, cabos eleitorais e até candidatos eleitos admitem a contravenção. Protegidos pelo silêncio dos corrompidos, os infratores sabem que dificilmente alguém conseguirá desmascará-los, até porque dinheiro não fala. Quem desconhece os bastidores da política e assistiu toda a campanha de conscientização contra a compra de votos vai achar estas considerações estapafúrdias, contudo os setores da sociedade que acompanharam a campanha e a eleição de perto estão lamentando que, em pleno século XXI, mandatos eletivos continuem sendo comprados como banana na feira, que a maior festa da democracia seja usada para lavar dinheiro sujo de quem quer se eleger não para defender os interesses do povo, mas para se locupletar simplesmente. Lastimável.

 

A desigualdade da cor

 

Estudo da Universidade Federal do Rio de Janeiro revela que o salário mensal de negros e pardos é 93% menor que o de brancos. A desigualdade já foi maior entre 1995 e 2007 – 120%. Em 2006, na Região Sudeste, um homem branco recebia R$ 1.341,16, enquanto um negro ou pardo tinha renda mensal de R$ 715,79. Matéria publicada hoje (16) pelo Jornal do Brasil informa que a diferença se revela também entre os analfabetos: 73% são pretos ou pardos. O cenário é desigual ainda na política. Só 11 dos 513 deputados federais eleitos em 2006 são definidos como negros.

 

Vendas em alta


Uma boa notícia em tempos de crise: o comércio varejista de Sergipe registrou uma alta de 0,34% para o volume de vendas se comparado a agosto do ano passado. A informação é do DIEESE, com base nos dados da Pesquisa Mensal do Comercio do IBGE. O crescimento do comércio sergipano foi o menor de todo o Nordeste. No Brasil, as vendas do comércio varejista cresceram 1,1% em agosto, após registrarem queda de 0,2% no mês de julho. Na comparação com agosto de 2007, a alta foi de 9,8%.

 

Emprego cresce

 

O DIEESE também informou que o nível de emprego formal em Sergipe registrou um aumento de 1,75%, no mês passado. Segundo o levantamento, foram admitidos 9.287 trabalhadores assalariados com carteira assinada e desligados 5.822, gerando um saldo positivo de 3.565 trabalhadores. Em setembro passado, os setores que mais geraram emprego formal foram agropecuária (+10,49% ou +1.097 postos), serviços (+1,09% ou +921 postos), indústria de transformação (+2,19% ou +690 postos), construção civil (+1,99% ou +450) e comércio (+0,89% ou +396 postos).

 

Emprestando mais


Os financiamentos do Banco do Nordeste destinados às micro e pequenas empresas (MPEs) em Sergipe atingiram, neste ano, R$67.877,4 milhões. A superintendência do BNB no Estado efetuou, de janeiro até agora, 920 operações com 3.992 PMEs sergipanas. Do montante financiado no Estado, R$ 25.679,1 milhões são oriundos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). Até dezembro próximo, o Banco pretende financiar R$ 70.840 milhões no Estado.


Hoje é dia do pão


Comemora-se hoje o Dia Mundial da Alimentação e o Dia Mundial do Pão. Para lembrar a existência de um dos principais alimentos em todas as mesas, o Sindicato de Panificação de Sergipe vai realizar uma ação social no bairro Coqueiral, em Aracaju. Cerca de 15 mil pães serão trocados por material reciclável. Cada garrafa pet vale 10 pães. Bungue e Moinho Sergipe e Senac são parceiros do evento. A cada ano a campanha é direcionada a uma instituição. O beneficiado deste ano é o Centro Social Santa Terezinha (Rua Lagoa Santa, s/n).


CEF paga o PIS


A Caixa Econômica Federal começa a pagar hoje o abono salarial e os rendimentos do PIS aos nascidos em fevereiro de 2009. O calendário de pagamentos atual segue até 30 de junho de 2009. Para facilitar o saque, o trabalhador utiliza o Cartão do Cidadão (com senha cadastrada) em terminais de auto-atendimento e casas lotéricas. No auto-atendimento, pode-se consultar extrato/saldo de FGTS e saldo do PIS; sacar Seguro-Desemprego, Abono Salarial e Rendimentos do PIS; e sacar FGTS, limitado atualmente até R$ 600.


Inadimplência

O principal motivo que leva o consumidor à inadimplência é a falta de educação para o consumo. Isso ocorre porque cerca de 8% dos consumidores não levam em conta as prestações que já possuem antes de contrair uma nova dívida. Além disso, 70% não conhecem as taxas de juros cobradas e 53% não têm o costume de ler os contratos de novos empréstimos. De acordo com recente uma pesquisa, na hora de pagar as dívidas, a primeira preocupação do consumidor é com a conta de água, depois vem alimentação, aluguel, luz, financiamento, educação, telefonia fixa, empréstimos e plano de saúde.


Vagas temporárias


Estão abertas as vagas de trabalho temporário na indústria e no comércio varejista. Para o empresariado que investe nesta mão-de-obra adicional, o desconhecimento da legislação pode levá-lo a arcar com responsabilidades processuais. É que muitos empregadores deixam de levar em conta uma série de direitos trabalhistas garantidos ao temporário. Entre os benefícios estão remuneração equivalente aos que já exercem a mesma função na empresa tomadora, férias e 13º salário proporcionais, descanso semanal remunerado e até mesmo o FGTS. Portanto, muito cuidado!

 

Fábio e Gilmar

 

Ao ligar o rádio ontem (15), muita gente custou a acreditar no que estava ouvindo. O radialista e deputado Gilmar Carvalho (PSB) abriu um generoso espaço em seu programa para entrevistar o também radialista e prefeito eleito de Socorro, Fábio Henrique (PDT). Adversários figadais, os dois sempre se evitaram. Para surpresa geral, Carvalho convidou o concorrente de microfone para uma entrevista e quem não conhece os dois ficou pensando tratar-se de velhos amigos. Foi uma rasgação de seda recheada de participações como as do deputado federal Eduardo Amorim (PSC) e do presidente da Câmara de Aracaju, vereador Sérgio Góes (PT). E viva a fidalguia!

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários