Mão na roda

0

Nunca os ventos foram tão favoráveis a Sergipe como agora. A necessidade de aproveitar a larga experiência de Zé Eduardo Dutra (PT) e a impossibilidade de nomeá-lo ministro podem levar a presidente Dilma Rousseff (PT) a abrir uma vaga no Senado para o petista. E para que isto ocorra, ela terá que oferecer um Ministério ao senador Antônio Carlos Valadares (PSB), de quem Dutra é suplente. Em isso acontecendo, Sergipe ganha não apenas um ministro, mas o líder do Governo na Câmara Alta. Como Valadares não foi pedir nada, se Dilma lhe oferecer um Ministério ele e o seu partido poderão exigir um com muitos recursos, que lhe permita fazer um bom trabalho e, naturalmente, pavimente seu caminho rumo ao Governo de Sergipe em 2014. Já pensou se o senador for contemplado com o Ministério voltado para o Nordeste? Seria a mão na roda para Sergipe. Resta aos sergipanos torcer para que se concretize essa equação visando transformar Zé Eduardo no líder do governo no Senado.

Mudanças na AL

A experiente deputada estadual Angélica Guimarães (PSC) assume daqui a pouco a presidência da Assembléia Legislativa. Ela substitui Ulices Andrade (PDT), que está deixando o Legislativo para assumir, também hoje, o cargo de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado. A cadeira de Ulices no Parlamento será ocupada pelo suplente Nicodemos Falcão (DEM). Na condição de presidente, Angélica está com a faca e o queijo para trabalhar a sua manutenção no cargo na nova legislatura, que começa no dia 15 de fevereiro de 2011. 

Aposta no diálogo

O governo e a oposição deverão ter uma postura de diálogo no governo Dilma Rousseff (PT). Essa é a expectativa do presidente nacional do PT, Zé Eduardo Dutra, um dos coordenadores políticos da equipe de transição de governo. “A oposição é fundamental, mas eu gostaria que tivesse um pouco menos de clima de Fla-Flu: aquele confronto pelo confronto, de que tudo que vem do governo, a oposição bate e tudo que vem da oposição o governo não deixa aprovar”, afirmou Dutra. 

Reformas

Zé Eduardo Dutra também disse que a aprovação das reformas política e tributária no Congresso Nacional será uma das prioridades do governo de Dilma Rousseff. Segundo ele, a expectativa é que as discussões ocorram no primeiro semestre do ano que vem, logo após a posse dos parlamentares. Dutra reconheceu, entretanto, que as duas matérias são de difícil aprovação. “São duas reformas de que todo mundo fala que é a favor. O problema é que cada ator, cada político, cada pessoa envolvida, tem uma reforma na cabeça”, afirmou.

Favelas na Câmara 

Por indicação da vereadora Rosângela Santana (PT), a Câmara Municipal de Aracaju fará sessão especial nesta quinta-feira para lembrar o Dia da Favela. Já confirmaram presenças nos debates Jeferson Lima, Secretário Estadual da Juventude do PT, Isabela Bispo, coordenadora da Central Única de Favelas (Cufa) e Eliezer, vice-coordenador da Associação Sergipana de Favelas (Assefa). Tomara que as discussões de hoje possam dar resultados práticos para as milhares de famílias que vivem em condições desumanas.

Desqualificada 

Embora a Prefeitura insista em divulgar que Aracaju é a cidade de melhor qualidade de vida, a capital sergipana não ostenta mais tal título. Segundo o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal, Aracaju está na 5ª posição do ranking regional e 400º lugar em nível nacional. Informado sobre a queda de nossa cidade, o vereador Magal da Pastoral (PT) sugeriu que o prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B) desenvolva ações que permitam à capital sergipana reconquistar o título que tanto encheu de orgulho os aracajuanos. 

Deu a lógica 

Como já era esperado, o governador Marcelo Déda (PT) decidiu pela nomeação do promotor Orlando Rochadel para ocupar o cargo de procurador-geral do Ministério Público. Ele foi o mais votado quando da eleição de uma lista tríplice para escolher o substituto da procuradora-geral Maria Cristina Foz Mendonça. “É um homem que sabe ouvir, opinar, dialogar, compreende a importância do diálogo e da busca do acordo”, disse Déda ao assinar a nomeação de Rochadel. 

Varejo reunido 

Aracaju se transforma amanhã na capital do varejo brasileiros com a abertura do 6º Encontro Nacional dos Presidentes de Federações de Câmaras de Dirigentes Lojistas do Brasil (FCDLs). Das 14 às 18h desta quinta-feira, acontecerá a primeira reunião entre os participantes do evento e o presidente da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), Roque Pelizzaro. Será no Radisson Hotel, na Orla de Atalaia, onde também ocorrerá amanhã a reunião plenária.

Acusado 

É raro o dia em que um administrador público sergipano não é denunciado por improbidade administrativa. Agora foi a vez do ex-prefeito de Lagarto, Zezé Rocha, ser acusado pelo Ministério Público Estadual de aplicar irregularmente recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Segundo a denúncia, a Prefeitura usou equivocadamente a verba federal para pagar lanches aos participantes de um curso para professores. Por causa disso, o prefeito poderá ter seus direitos políticos cassados. 

Do baú político 

Exceto a Rádio Cultura, da Igreja Católica, as demais emissoras AM de Sergipe foram criadas para defender interesses políticos. A própria Aperipê, pertencente ao governo, era, no passado, a voz do partido que estava no poder. O jornalista e pesquisador Luiz Antônio Barreto descreve bem a relação da mídia radiofônica com a política. “A Rádio Liberdade surgiu no inicio da década de 50, como veículo de oposição, tendo exercido esse papel até a UDN conquistar o Governo. A rádio Jornal, ligada ao esquema do PSD-PR, foi criada para fazer frente ao poder udenista. Ao ser instalada numa casa do bairro Industrial, o governo impediu que a Companhia de Eletricidade fornecesse energia para funcionar os transmissores. Não permaneceu muda porque o engenheiro Jorge  Leite, filho do senador Júlio Leite, líder do PR, trouxe um gerador da sua fábrica de tecidos em Estância. Com este equipamento, a Jornal se pôs a funcionar, até que, tempos depois, se permitiu o uso da energia elétrica. No início da década de 80, a emissora foi vendida ao engenheiro João Alves Filho, que ensaiava com ela seu projeto político, fazendo ferrenha oposição ao então governador Augusto Franco, de quem se tornou aliado posteriormente”.

Resumo dos principais jornais do país 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais