Mata do Crasto (SE) – Natureza e história, patrimônio dos sergipanos

0

Logo que se chega ao povoado Crasto, município de Santa Luzia do Itanhy, litoral Sul do Estado de Sergipe e distante pouco mais de 75km de Aracaju, percebe-se que a natureza foi generosa com o local. Um vilarejo encravado às margens do rio Piauí. Do lado esquerdo, um trapiche datado do início do século XIX dar as boas-vindas aos visitantes. Do lado direito, uma plantação de coqueiros à beira-rio faz sombra para diversas canoas que se perfilam à espera do pescador. Mais ao centro do povoado, um tamarineiro grandioso desenha a praça principal no meio de um vilarejo de casas, tipicamente construídas para abrigar funcionários do trapiche por onde século passado escoava produção de açúcar, gado, cana-de-açúcar e todos os produtos fabricados nos tempos áureos dos engenhos e estâncias do sul de Sergipe.

 

No alto da montanha, uma igreja secular em ruínas simboliza a presença dos jesuítas na região. O desenho está formado para quem gosta de conhecer um pouco da história de Sergipe, num misto de contato com a natureza, aventura, ecoturismo e descanso, mas não é só o povoado Crasto que é motivo de visitação. A região também guarda a Mata do Crato, uma reserva de Mata Atlântica de pouco mais de 700 hectares, parte do total de 1.700 de uma área particular, que por gerações os mesmos proprietários são os que garantem a integridade da Mata.

 

Como o município de Santa Luzia do Itanhy se situa num antigo território de engenhos, a mata resistiu às queimadas, as plantações de cana-de-açúcar, também a pecuária e mais recentemente monocultura do côco e transformo-se num Patrimônio Natural de todos os sergipanos e primeira Reserva Particular de Fauna e da Flora do Estado de Sergipe.

 

A densidade, a altura das árvores e a dificuldade de penetração da luz do sol denunciam logo ao primeiro olhar que a presença do homem predador não se faz presente com constância na área. Uma grande quantidade de cipós se apóia nas árvores dificultando a passagem. Centenárias maçarandubas, jequetibás, embiruçus, muricis e até de liquens e musgos retratam a Mata Atlântica preservada no litoral de Sergipe.

 

Situada bem pertinho de pontos turísticos como Mangue Seco e a praia do Saco, a área ainda não possui infraestrutura para visitação, nem hospedaria e por se tratar de área de preservação ambiental e particular é necessário pedir autorização para conhecê-la, mas é possível visitá-la sem muito contratempo..

 

Não é difícil o visitante ver pacas, tatus, pássaros de diversas espécies e primatas, o que atraiu os olhos de caçadores. Constantemente os funcionários da fazenda são surpreendidos por pessoas que retiram da mata sem nenhum critério.

 

Estudiosos, pesquisadores e visitantes mais aguçados pelo contato com a natureza têm visitado o local. A visita é feita com prévio agendamento com os proprietários e é acompanhado por um funcionário da fazenda, que mora no povoado do Crasto há registros de que pesquisadores americanos já vem sondando a área para observar e fotografar algumas espécies da fauna e flora.

 

Com um olhar mais aguçado, percebe-se que a Mata do Crasto e desenhada por agronegócios e povoados, isolando-a num ponto do horizonte. Como a Mata do Crasto está cravada numa região de grande interesse turístico e agrícola, a preocupação é a retirada de madeira clandestinamente e disfarçadamente, além da previsão da pavimentação asfáltica e chegada de aparelhos turísticos no local sem se preocupar com o desenvolvimento sustentável.

 

A grande beleza natural da área atrai os olhares de todos: aqueles que pesquisam e preservam, bem como, os que têm visão turística, porém, a expansão turística com improvisações amadorísticas, sem sustentabilidade, possivelmente será desastroso e terá o efeito reverso. Vale a pena recorrer a estudos técnicos e planejamento sustentável. Só assim o povoado e a Mata do Crasto continuarão sendo patrimônio natural de todos dos sergipanos.

 

Dicas de viagem

 

Existe a preocupação de a visitação ser somente de observação. O telefone (79) 3522 1499 para possível agendamento. Raimundo de Andrade Santos, administrador da Fazenda Crasto.

 

Há uma pequena pousada que também é restaurante no povoado. Os quartos são arejados, com ventilador e banheiro individual. Conversando com o dono, pode-se frtar embarcações e ir até Mangue Seco.

 

Como chegar

 

Para se chegar lá, deve-se pegar a BR 101 sentido Bahia. Ao chegar à cidade de Estância, a 56km de Aracaju, mais precisamente no posto Cachoeira, os visitantes devem entrar à esquerda, pegar uma rodovia estadual e percorrer 8 km até o município de Santa Luzia do Itanhy. Segue-se pela sede municipal, e percorre uma estrada de chão batido de 7km até o povoado Crasto.Essa estrada passa por dentro da Mata.

 

Curiosidade

 

Em uma área estadual de 22.050 km², apenas 5.750 km² de área é coberta por ecossistemas de Mata Atlântica, compreendendo pontos estanques que vão desde a foz do rio São Francisco até a região de Mangue Seco, divisa com a Bahia. Além da Mata do Crasto (Santa Luzia do Itanhy), existe também uma mata primitiva de grande valor ecológico no município de Capela, região Agreste do Estado, a Mata do Juco.

 

Também possui remanescentes da mata nos municípios de Pirambu, onde se situa a Reserva Biológica de Santa Izabel; Itabaiana, localizado no Parque Nacional da Serra de Itabaiana e Parque dos Falcões; Estância, Itaporanga D’Ajuda, Pacatuba e Nossa Senhora do Socorro, onde situa a Floresta Nacional do Ibura.

 

Fotos: Fernando Silva

 

Na Bagagem

 

 

ü  Operadora CVC divulgou a abertura de mais cinco mil lugares em vôos extras durante o mês de julho para o Nordeste, atingindo a marca de 60 mil pacotes, partindo das principais cidades emissoras do Brasil.

 

ü  A Organização Mundial do Turismo (OMT) informou que 2009 não será positivo para o turismo internacional com queda entre 4% e 6% na atividade. Para chegar a esta previsão, a OMT constatou que o turismo mundial caiu 8%, entre janeiro e abril deste ano frente ao mesmo período de 2008, uma tendência que deverá manter-se decrescente até ao final de 2009 (-4% a -6%).

 

ü  A África foi a única região a registrar resultados positivos nos primeiros quatro meses deste ano já que cresceu 3% face ao mesmo período no ano passado.

 

ü  O turismo gay estará presente pela primeira vez no XXI Festival de Turismo de Gramado. O evento acontece no período de 19 a 22 de novembro, no Serra Park e terá o Salão GLS, um espaço de divulgação para empresas, agências e companhias que trabalham o setor como nicho turístico.

 

ü  Companhia aérea irlandesa de vôos econômicos Ryanair estuda a possibilidade de vender passagens de avião para pessoas que estiverem dispostas a viajar em pé em rotas de curto percurso com duração de no máximo 90 minutos.

 

 

Passaporte

 

Ano da França no Brasil

 

Place de La Concorde entre o Jardin das Tullerias e o início da Champs Elissés. No meio da praça, um pouco da história do Egito, com o obelisco e fontes levados de lá para a capital francesa. A praça é onde acontecem os principais eventos patrióticos da cidade, juntamente com a Torre Eifel.

 

 

Foto: Silvio Oliveira

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais