Melhor nome

0

Pode não ser para o eleitor, mas para governo e oposição o melhor candidato a prefeito de Aracaju é mesmo o deputado Venâncio Fonseca (PP). Com ele, os irmãos Amorim se preservam para 2004, pois em caso de derrota dirão que o pepista não integra o bloco de 10 partidos liderados por eles. João Alves Filho (DEM) evitaria o constrangimento de ver o genro Mendonça Prado lavando roupas sujas em público com o ex-concunhado Edvan Amorim (PSC). O prefeito Edvaldo Nogueira explicaria que o apoio ao pepista visava fortalecer os lanços familiares entre o candidato e a prima deste, Tânia Soares, filiada do PC do B e secretária municipal. O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) preservaria o filho do risco de uma acachapante derrota. Para o governo, apoiar Venâncio seria o melhor dos mundos. Além de enfraquecer a oposição na Assembleia, o PT sergipano ampliaria para fora de São Paulo a espúria aliança política feita por Lula com o procurado internacional Paulo Maluf, principal líder político do partido de Fonseca. Como sempre, ao eleitor restaria engolir goela abaixo mais um sarapatel de coruja.

Não abre

Diferente de Venâncio, que abandonou o barco de João Alves, o PSDB vai continuar navegando ao lado do líder demista. Quem garante é o secretário geral dos tucanos, José Carlos Machado, que sonha em ser candidato a vice na chapa do ex-governador. Ele aproveita para alfinetar o pepista: “A maneira mais difícil para quem deseja conseguir algo de João é pressioná-lo”, disse, numa indireta para Fonseca, que queria ser o candidato a vice do “Negão”.

Coadjuvante

O dublê de político e empresário Edvan Amorim (PTB) não deu importância aos ataques que lhe foram feitos pelo deputado federal demista Mendonça Prado. Disse que no DEM ele só conversa com quem manda, ou seja, o ex-governador João Alves Filho e a senadora Maria do Carmo. Para Amorim, as críticas que lhe são feitas por Mendoncinha não passam de dor de cotovelo. Misericórdia!

Bancários

A 13a Conferência Interestadual dos Bancários da Bahia e Sergipe será realizada em Aracaju. O encontro, que vai acontecer nos próximos dias 7 e 8, definirá as propostas de reivindicações e as estratégias de luta dos bancários para a campanha salarial 2012. O que for aprovado em Aracaju será apresentado na Conferência Nacional dos Bancários, que acontecerá em Curitiba nos dias 20 a 22 de julho.

Serventia

O projeto do Executivo repondo a inflação aos salários do funcionalismo pode ser uma desgraça para os descapitalizados servidores, mas está servindo para testar na Assembleia a força dos governistas e da oposição. Esta conseguiu evitar a tramitação da propositura alegando inconstitucionalidade. A bancada da situação garante que não existe nada de errado no projeto. Enquanto isso, o servidor se pergunta o que fará com minguados 5%, a serem pagos em quatro miseráveis parcelas.

Arte afrontada

Lastimável a decisão da Prefeitura de mandar cobrir com tinta os painéis do artista plástico Edidelson no elevado da avenida Francisco Porto. Não seria mais prático oferecer um outro espaço público à empresa interessada em patrocinar novos painéis naquele local? Caso queira agir com bom senso, o prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B) puxa as orelhas do pessoal da Emsurb e convida Edidelson para restaurar a obra de arte que está sendo “assassinada” em plena via pública.

Tombo na União

Quarenta e nove prefeituras sergipanas e dezenas de câmaras municipais estão sendo acusadas de praticar irregularidades na compensação tributária e na apresentação da guia de recolhimento do FGTS. Segundo o Ministério Público Federal, a atitude dos prefeitos já causou um prejuízo de R$ 75 milhões à União. A investigação do possível crime tributário está a cargo da Polícia Federal.

Dia D

Amanhã pode ser o dia D para os pré-candidatos governistas a prefeito de Aracaju. É que o governador Marcelo Déda (PT) vai se reunir com o senador Antônio Carlos Valadares (PSB) e os prefeituráveis Rogério Carvalho (PT) e Valadares Filho (PSB). O objetivo do encontro é tentar definir entre os dois qual é o melhor para disputar a prefeitura da capital. Déda quer resolver logo isso, pois no próximo dia 29 aviona para o exterior.

MP amputado

O Ministério Público corre sério risco de perder o direito de fazer investigação criminal. Ontem, dois ministros do Supremo Tribunal Federal já votaram para que somente a polícia possa reunir provas contra suspeitos. Segundo o ministro Cezar Peluso, “a Constituição não conferiu ao MP a função de apuração preliminar de infrações penais”. Para o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, se a maioria dos ministros do STF seguir os dois votos, será “uma amputação para o Ministério Público”.

Do baú político

Em 1958, quando disputou uma cadeira na Câmara Federal, Euvaldo Diniz (UDN) não imaginava que um simples rádio de pilha lhe garantiria tantos votos. Quem conta essa é o líder político de Lagarto José Raimundo Ribeiro, o “Cabo Zé”. Segundo ele, no início da campanha, Euvaldo foi à casa de Rosendo Ribeiro pedir seu apoio político. “Ele chegou com um radinho de pilha e deu ao meu irmão. Era uma coisa linda. Fiquei fascinado com a novidade. É claro que o jeitão amigueiro e a disposição política de Euvaldo foram fundamentais para a gente decidir apoiá-lo, mas o rádio contou muito”, recorda ‘Cabo Zé’. Quem não gostou nada do apoio dos Ribeiro a Euvaldo foi Lourival Baptista, que também disputou uma vaga de deputado federal pela UDN. “Mesmo tendo sido eleito, Lourival se queixou muito. Disse não ter entendimento porque eu e Ribeirinho votamos em Euvaldo. Já pensou se ele soubesse que foi por causa de um rádio de pilha?”, brinca o político lagartense.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais