Menos deputado: R$ 13 milhões em caixas não é distribuição de renda

0

O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.

Só em Sergipe um deputado estadual, neste caso capitão Samuel, resolve ir para as redes sociais criticar o trabalho da Polícia Federal com a desculpa que o jogo de azar gera empregos e renda.

Será que guardar mais de 13 milhões em caixas é distribuição de renda ou exploração de mão de obra barata e necessitada?

Como pode um deputado estadual concordar com a lavagem de dinheiro, a evasão de divisas e defender uma organização criminosa que guardava milhões de reais? Ou quem é direito guarda dinheiro em caixas? Criticar a PF dizendo que é preciso realizar operações em áreas que realmente afeta o povo. E esses milhões vieram da onde? Dos ricos? Não, do povão mesmo!

Com certeza, a Polícia Federal, com o apoio da Receita Federal, tem muito ainda a investigar sobre esta organização criminosa em Sergipe, inclusive descobrir – se já não descobriu – se tem autoridades e políticos por trás de tudo isso.

O blog foi informado ontem, 04, que essa foi apenas a primeira parte da Operação Distração que chegará a muito mais gente em Sergipe e outros Estados. Será que a PF e a Receita Federal estão investigando algumas ONGs que podem servir de fachada para limpar o dinheiro do crime organizado? Tem algumas que nem um simples contrato de aluguel tem. Estranho, não?

Ontem também, um deputado estadual avaliou que a declaração do colega foi forte demais e cabe até um processo na Comissão de Ética. Defender lavagem de dinheiro e crime organizado é algo muito sério. 

Que São Cristóvão, padroeiro dos viajantes e peregrinos, ilumine a PF em Sergipe para continuar investigando tudo, tudo mesmo…



Royalties de Pirambu: TCE passa 5 anos e não envia documentos para o MPE que entra com ação cautelar com pedido de liminar A promotoria de Justiça do MPE, responsável pelos municípios de Japaratuba e Pirambu, através da promotora de Justiça Rosne Gonçalves dos Santos, ingressou no fim do mês passado com uma ação cautelar com pedido de liminar Inaudita Altera parte (sem a necessidade de ouvir a outra parte) contra o Tribunal de Contas de Sergipe, por demorar cinco anos e não enviar documentação solicitada pelo MPE.

Inquérito Civil No pedido jurídico, é relatado todo o processo que se iniciou com o Inquérito Civil, n. 06.16.01.0007, instaurado em 0 3 de fevereiro de 2016, o qual se arrasta por longos 05 (cinco) anos, sem que o MPE/SE lograsse êxito em receber as informações pertinentes do TCE/SE. Em 13 de novembro de 2015, o Ministério Público Federal encaminhou ao Ministério Público do Estado de Sergipe denúncia realizada, pelo Grupo de Trabalho do Observatório Social dos Royalties de Pirambu, acerca da aplicação de tais recursos, neste Município. Assim, em 03 de fevereiro de 2016, o Parquet solicitou informações ao Prefeito do Município de Pirambu, portanto, em 14 de março de 2016, foram encaminhados documentos. Tais documentos foram encaminhados ao e. Tribunal de Contas do Estado de Sergipe, a fim de que fossem analisados, pelos experts. É relatado que no decorrer dos últimos anos o MPE enviou diversos ofícios ao TCE/SE, para a conselheira Susana Azevedo que, segundo o próprio órgão, estaria com a documentação pedida e nada foi enviado ao MPE.

Crime praticado No processo é lembrado que: “Não apenas as leis institucionais trataram do poder de requisição do Ministério Público, mas, também, a Lei n. 7.347/85, conhecida como Lei da Ação Civil Pública, que no art. 8°,
§ 1°, outorga ao Ministério Público este poder. A referida lei, inclusive, tipificou como crime, em seu artigo 10, “[…] a recusa, o retardamento ou a omissão de dados técnicos indispensáveis à propositura da ação civil, quando requisitados pelo Ministério Público”, revelando-se indiscutível o dever de resposta, eis que a irrecusabilidade ao cumprimento das requisições expedidas pelo Ministério Público é uma ofensa ao sistema jurídica.”

Obrigação do TCE A promotora na ação cautelar lembra que “… No caso em testilha, o e. Tribunal de Contas do Estado de Sergipe tem a obrigação de exibir todos os documentos, não sigilosos, que lhes forem solicitados e, sendo injustificada a mora em remeter os documentos pertinentes, cabe ao Judiciário obrigá-los a fazer. Portanto, visando à individuação, tão completa quanto possível, dos documentos necessários à instrução do presente Inquérito Civil e que se objetiva a presente demanda a exibição dos documentos a seguir indicados, eis que são indispensáveis, para que o Parquet conclua o presente procedimento: (1) Pareceres e Informações Técnicas da 1ª Coordenadoria de Controle e Inspeção; (2) Medida Cautelar e documentos que a subsidiaram; e (3) Pareceres do d. Procurador do Ministério Público de Contas.”

Acompanhando de perto O blog continuará acompanhando de perto a tramitação deste processo. Com certeza ainda vai dar muitos “panos para as mangas”, se não acabar como processo federal já que envolve royalties… Se for comprovado, este crime vai longe…

                                     
Estância: prefeito assina ordem de serviço para reformar mercado municipal E na última quarta-feira, 03, o prefeito de Estância, Gilson Andrade, assinou a ordem de serviço que autoriza a reforma do Mercado Municipal das Carnes. O investimento é superior a R$ 120 mil e será feito com recursos próprios da Prefeitura. “O trabalho não para e nós seguimos firmes buscando o melhor para o povo estanciano”, comemorou o prefeito pelas redes sociais. Assinou também como testemunha o presidente da Câmara Municipal de Estância, o vereador Misael Dantas.

 

 Yazaki vai reestruturar empresa em Socorro Na manhã da quinta-feira, 4, o prefeito de Socorro, Padre Inaldo, recebeu a visita do Diretor de RH da Yazaki no Mercosul, Jair Pontes, e do gerente de RH da Yazaki Socorro, Jorge Rodrigues. No encontro, Pontes falou dos planos de reestruturação da empresa no município, com o objetivo de gerar mais empregos. Padre Inaldo ficou alegre com a notícia e reforçou o apoio da Prefeitura de Socorro, nesse novo projeto da Yazaki. O secretário de Indústria e Comércio, Luiz Carlos, também participou da reunião.

Comissão da Verdade: Professor Bittencourt pede celeridade na publicação do relatório Na manhã da quinta-feira, 04, durante a 14ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), realizada de forma remota, o vereador Professor Bittencourt (PCdoB) utilizou o Pequeno Expediente para cobrar celeridade na publicação do relatório da Comissão Estadual da Verdade “Paulo Barbosa Araújo”, instalada em 2015. O parlamentar, que durante o período em que esteve no governo do estado foi um dos interlocutores para que a Comissão fosse constituída, ainda no governo de Jackson Barreto. A Comissão teve o papel de fazer o levantamento de uma série de documentações e depoimentos de vítimas de violações dos direitos humanos em Sergipe, no período de 1946 a 1988.

Documentação “Foram levantados mais de dois terabytes de documentos acerca desse período. São documentos que já deveriam estar à disposição dos pesquisadores, historiadores, sociólogos, de figuras preocupadas com a história e memória do nosso estado, da nossa terra. Portanto, quero fazer esse apelo ao governador do estado; sei das dificuldades do momento, mas gostaria que o governador pegasse um tempinho da sua valiosa agenda e pudesse dar uma cobrada para que esse relatório possa ser dado ao público da cidade de Aracaju e do Brasil, para que possam conhecer mais sobre o momento”, pontuou.

Apelo O parlamentar ainda destacou, “eu quero me somar a esse apelo feito pela imprensa e alguns jornalistas, e em especial, pelo Marcélio Bonfim, para que o governo do estado possa de alguma forma acelerar a publicação desse relatório. Uma publicação muito importante e que teve um trabalho muito bem feito pelos membros da Comissão, em especial, Gilson Sérgio, Andréa Depieri Elito Vasconcelos e Josué Modesto”. Na última quarta-feira, 03, o vereador protocolou um requerimento ao governador do estado para que apresente informações a respeito da data de lançamento oficial do livro contendo todo o Relatório Final da Comissão Estadual da Verdade “Paulo Barbosa Araújo”.

Apelo II “Gostaria de utilizar esse espaço para fazer o apelo ao governo do estado, para que possamos, o mais brevemente possível, dar publicidade a toda essa documentação que estará a serviço de pesquisadores, das universidades públicas, privadas, de todo e qualquer sujeito que queira conhecer um pouco mais sobre esse momento de tanta dificuldade que o Brasil viveu. Portanto, precisamos cada vez mais conhecer esse passado para que a gente não possa permitir que nada dele venha ser repetido”, finalizou.

Ricardo Marques sugere que a Câmara encabece uma campanha de conscientização da população Preocupado com o aumento da quantidade de pessoas infectadas pela Covid-19, o vereador por Aracaju, Ricardo Marques (Cidadania), fez o uso do Pequeno Expediente na quinta-feira (4) para sugerir que a Câmara Municipal de Aracaju (CMA) encabece uma campanha de conscientização para orientar a população sobre as medidas de combate à Covid-19.

Contribuição O parlamentar defendeu que, na condição de homens públicos e representantes da sociedade, devem contribuir com a disseminação da boa informação para os aracajuanos. “Precisamos orientar, informar e procurar educar a nossa população. Existem locais que por mais que as pessoas não queiram se aglomerar e evitar o contágio não é possível, a exemplo do transporte público”, lembrou.

Velocidade do contágio O vereador alertou ainda para a velocidade do contágio e os efeitos causados no sistema de saúde por conta do aumento do número de casos. “Já temos exemplos de hospitais que deixaram de receber pacientes porque excedeu a capacidade, por falta de leitos. Isso é muito preocupante. Então cabe a nós, representantes do povo, encabeçar essa luta para informar e orientar a população”.

Preservação das vidas “Neste momento a gente tem que fazer o possível para ajudar a preservar vidas e buscar soluções para ajudar a população de Aracaju a ser mais consciente e, juntos, possamos passar por esse momento. Peço ainda que as pessoas que nos acompanham façam sua parte, usem a máscara e evitem locais com aglomeração. Se precisarem sair, lembrem-se de tomar todas as medidas sanitárias de cuidado possíveis”, orientou Ricardo Marques.

Sheyla Galba solicita à Guarda Municipal mais segurança para o Augusto Franco e relata importunação sexual A vereadora Sheyla Galba (Cidadania) destacou, em discurso na Câmara Municipal, na quinta-feira (04), a reunião com a Guarda Municipal de Aracaju – GMA para levar a solicitação de moradores e comerciantes do Conjunto Augusto Franco por mais segurança, especialmente na Praça da Juventude. No local, funciona a ouvidoria da GMA.

Atuação “Agradeço a receptividade do Subinspetor Mendonça, da Guarda Municipal. Solicitamos que intensifique a atuação no Conjunto para garantir mais segurança. Ele disse que não será possível ampliar o número de guardas atuando por conta do baixo efetivo, especialmente neste período de pandemia, mas assegurou que estão sendo buscadas alternativas”, ressaltou Sheyla, que recebeu a demanda durante uma visita à Praça, onde também foi constatada a falta de conservação e manutenção.

Importunação sexual Ainda em sua fala, Sheyla Galba relatou uma situação de importunação sexual que sofreu em uma das principais avenidas do Conjunto Orlando Dantas. “Eu estava em meu veículo e, ao parar em um semáforo, ele foi para a lateral e expôs o órgão genital. Quando o sinal abriu, eu segui o meu percurso e ele continuou me seguindo até o Augusto Franco, tentando fazer com que eu parasse o carro. Só consegui me livrar quando parei em uma lanchonete. Inclusive, eu descobri que ele já fez outras abordagens na região. Relatei este fato ao Subinspetor Mendonça e ele disse que vai verificar o percurso e tentar identificar este meliante”, detalhou a parlamentar, recebendo o apoio e solidariedade dos demais vereadores.

PELO ZAP DO BLOG CLÁUDIO NUNES – (79) 99890 2018


10º Prix Photo Aliança Francesa. Inscrições abertas até 10 de abril Nessa décima edição do Prix Photo Aliança Francesa, o tema Reflexos, ilustrado por uma fotografia de Benoît Fournier, vencedor do prêmio em 2013, propõe uma reinterpretação da essência da fotografia diante das transformações do mundo contemporâneo e dos desafios atuais. O reflexo se encontra nas bases da fotografia, desde sua invenção no século XIX: nos primeiros experimentos, para se produzir uma foto era necessário captar o reflexo da luz sob uma superfície. Apesar das muitas mudanças desse dispositivo até o surgimento das câmeras digitais e smartphones, a fotografia continua sendo feita de reflexos. Mesmo nesse momento de crise mundial, a fotografia continua sendo uma das principais ferramentas para retratar e denunciar os reflexos da pandemia nas relações humanas.Participe, é para todo público, sendo profissional ou amante da arte de fotografar. Regulamento e inscrição no site: http://prixphotoaf.com.br/home



DO ESPAÇO MILITAR


A secretária Municipal da Saúde de Aracaju, Waneska Barboza, falou hoje sobre a possibilidade de montar mais uma vez o Hospital de Campanha para reforçar o atendimento às vítimas da Covid-19, levando em consideração que a segunda onda do vírus está ainda mais forte e os leitos dos hospitais públicos e privados estão perto da lotação. Mas até hoje a Prefeitura de Aracaju não fez o pagamento aos fornecedores que fizeram a instalação do Hospital de Campanha no ano passado, entre maio e outubro no Estádio João Hora.

O Hospital de Campanha foi decisivo para evitar colapso na rede pública de saúde e atendeu cerca de 600 pacientes com Covid-19. O hospital que deu um gás na luta contra o coronavírus contou com uma grande estrutura, atendeu as exigências do Edital Referencial e foi usado como trunfo da campanha a reeleição do prefeito Edvaldo Nogueira. Equipamentos extras que foram solicitados e que não estavam previstos no edital também foram disponibilizados.

O HCamp foi alvo de investigação da Polícia Federal mas nenhuma irregularidade foi encontrada, continuou funcionando mas… até agora o prefeito não fez o repasse da verba federal para os fornecedores injustiçados que estão pagando o preço. Muitas famílias dependem do pagamento do serviço prestado para sobreviver mas até agora nada e nenhuma explicação. Cadê o dinheiro, prefeito?

Antes de começar a funcionar, o Hospital de Campanha passou por vistorias dos órgãos competentes, foram feitos os reparos na climatização do local e logo o hospital começou a receber pacientes.

O fato é que o hospital funcionou normalmente e os recursos que chegaram a Sergipe através do Governo Federal para combater a Covid-19, não foram repassados para os fornecedores que continuam passando por dificuldades.

Todos os dados referentes aos pagamentos estão registrados e podem ser conferidos no Portal da Transparência mas a Prefeitura de Aracaju precisa explicar o que está acontecendo… foram encontradas irregularidades? Quais?

Mas porque o hospital continuou funcionando? A mídia mostrou diariamente o trabalho realizado e não apontou problema algum no hospital que salvou vidas. Onde está o dinheiro, prefeito? Está faltando esclarecimento e comunicação para a população e empresários.

Agora a população aguarda uma justificativa da Prefeitura sobre o dinheiro público que foi enviado para ser investido na luta contra o novo coronavírus.

Fonte: Últimas Notícias



EVENTOS ONLINE – É SÓ ENVIAR PARA DIVULGAR NESTE ESPAÇO

                   
Excelente oportunidade em se capacitar a RR Consultoria Assessoria e Capacitação irá realizar um excelente curso no dia 29/03/2021 das 19:00 as 22:00 horas de formação de Preços na Administração Pública voltado para servidores públicos , empresas de engenheira e fornecedores em geral. Não fiquem de fora !!





Dia internacional da Mulher: ciclo de palestras Em homenagem ao Dia internacional da Mulher, a Escola do Legislativo Profª Neuzice Barreto Lima, da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), irá realizar um ciclo de palestras virtuais com o intuito de ressaltar a força da mulher na tarde desta segunda-feira, dia 8 de março, às 15h, por meio do Canal do YouTube da CMA e na plataforma Zoom. De acordo com o diretor da Escola, Vander Costa, será uma oportunidade de levantar questões e discussões que giram em torno das lutas das mulheres. “Pensamos em palestras com temas relevantes para as mulheres e homens também. Com intuito de prestar informações e conhecimento em geral nesse momento crítico da pandemia da covid-19”, pontuou Vander. A ação contará com a participação da vereadora Linda Brasil (PSOL) e a vice-prefeita e delegada Katarina Feitoza (PSD) e da psicóloga Ana Luiza Sobral. A escolha destas colaboradas é em decorrência de serem mulheres batalhadoras e antenadas ao que acontece nas pautas feministas, como: igualdade, combate à violência contra a mulher, saúde mental etc. A Escola do Legislativo convida a todos os servidores, vereadores e a sociedade em geral para assistirem o ciclo de palestras virtuais. Para se inscrever bastar encaminhar um e-mail para o escoladolegislativo@aracaju.se.leg.br solicitando a participação. O evento será virtual e gratuito, transmitido pelo YouTube da câmara.

PELO E-MAIL nunesclaudio@infonet.com.br E FACEBOOK

OPINIÃO



PROFECIAS DIGITAIS

Por Antônio Samarone, médico sanitarista http://blogdesamarone.blogspot.com/

Pandemia expandiu a tecnologia digital em pelos menos três pontos: o comercio eletrônico, a movimentação bancária e as vídeos-conferências.

As reuniões não presenciais já deram certo. São menos chatas. Cada um fala o que quer e ainda tem a gostosa sensação de que os outros estão prestando a atenção.

Já os outros, podem cumprir o papel de bons ouvintes e continuarem fazendo outras coisas, inclusive cochilar. Não sei por que o cochilo era tão malvisto em aulas e conferências presenciais.

A liberdade de cochilar é um grande benefício à qualidade de vida, trazido pela tecnologia digital.

As reuniões das Academias e Clubes de Serviços se tornaram palatáveis com o novo normal tecnológico. Um astuto presidente de uma dessas irmandades, passou a convidar os presentes para um registro fotográfico ao final das reuniões, para conferir quem dormiu.

Se desconhece as fotos dessas reuniões.

Eu consumi parte da minha vida em reuniões. No movimento estudantil fazíamos reuniões para definirmos a pauta da próxima. Sem contar os tempos de espera. No Brasil, nada começa na hora marcada.

Sem contar o tempo perdido nas intermináveis reuniões políticas, onde a fala escondia o pensamento e a versão atropelava o fato. As decisões importantes eram tomadas em “petit comité”, mas insistíamos em nosso ingênuo assembleísmo.

Quando comecei, se defendia teses nos encontros políticos. A revolução dependia dessas verdades.

As modernas reuniões não presenciais são despretensiosas, a pós verdade triunfou e simplificou as polêmicas. Cada um acredita no que quiser, sem precisar fundamentação. A vida intelectual foi nivelada pela média e pela mídia.

Vocês acham que Umberto Eco exagerou ao afirmar: “As redes sociais deram voz a uma legião de imbecis, que antes falavam apenas em um bar e depois de uma taça de vinho, sem prejudicar a coletividade.”

As verdades professorais estão com os dias contados. Eu não sei o que fazer com as minhas.

Quando se quer salvar alguma coisa se apela para a “ciência”. Pesquisa tal disse isso, pesquisa qual disse aquilo. A medicina, em sua experiência milenar, diz que está baseada em evidências, mesmo quando as evidências não são tão evidentes.

A ciência é a nova religião!

Não tenham receio do mundo digital. Para os idosos pode ser uma maravilha: reduz a dependência e o isolamento. E quando for o caso, o pedido de socorro é imediato. A solidão já é outro tema.

O fim das fronteiras entre o real e o virtual pode ser uma herança positiva da Pandemia. Não pensem que o negacionismo é somente ignorância e maldade, não, ele também é baseado em certas evidências.

Claro, ainda temos problemas com as novas tecnologias: o acesso é limitado e as habilidades e confiança dos idosos são reduzidas.

Chamem os netos! Estamos nos primeiros passos.

OPINIÃO


Déda: o último grande tribuno do Brasil (Parte I)

Os discursos de Déda encantavam as plateias cristãs. Ele superava a pregação vazia de conteúdo, sentimento – e muitas vezes de fé, mesmo – de alguns líderes religiosos. Neste dia entendi um pouco como isso era possível.

A arte de discursar, o culto à retórica, há muito deixou de ser essencial à carreira dos políticos no Brasil. A fugacidade da nossa modernidade líquida levou as relações sociais e tudo mais a parecer frágil e impermanente. E a paixão pela palavra, o desejo de convencer através da forma e do conteúdo, de expor uma ideia escolhendo com cuidado cada substantivo e encadeando argumentos de forma criativa, deixaram de ser trunfos na disputa pelo poder. Foram substituídos pela fala direta, rasa e vazia que domina a agilidade das redes sociais.


O bem falar pode ser considerado a pedra angular da democracia, tendo papel central desde o seu berço, na antiguidade. Um bom discurso já custou o mandato de políticos, vide o caso do sergipano Seixas Dória, cuja eloquência e verve no histórico comício da Central do Brasil, em 13 de março de 1964, é apontada por historiadores como um dos motivos para o seu afastamento do mandato de governador e prisão, com o golpe civil-militar que ocorreria poucos dias depois.

Esta casta de grandes oradores na política brasileira e sergipana parece ter sido extinta com a partida precoce do ex-governador Marcelo Déda, que faleceu em dezembro de 2013, vítima de um câncer. Falar do seu dom enquanto artífice das palavras virou lugar-comum entre quem teve a oportunidade de acompanhá-lo exercendo este talento – que era natural, mas também trabalhado à exaustão com leituras e anotações.

Um rápido exemplo disso: tive a oportunidade de acompanhá-lo em eventos realizados por igrejas, ou com presença significativa de religiosos, e sempre me impressionou a facilidade da comunicação de Marcelo Déda com os evangélicos. Nos anos em que governou, as igrejas evangélicas e suas lideranças político-religiosas estavam alinhadas ao governo do PT. Entre outros motivos, Lula transitava bem entre este público devido a sua habilidade política e facilidade em comunicar-se com as classes menos favorecidas – base deste segmento religioso.

Mas com Déda era diferente. Forjado politicamente num momento onde muitos associavam a opção pela esquerda como uma negação ao cristianismo, os discursos do petista sergipano encantavam as plateias cristãs. Citando versículos bíblicos, pensadores cristãos clássicos e modernos, ele superava a pregação vazia de conteúdo, sentimento – e muitas vezes de fé, mesmo – de alguns líderes religiosos. Além de mostrar seus conhecimentos sobre essas passagens e trechos, ele sabia como poucos conectá-las ao cotidiano, amarrá-las ao momento presente e à conjuntura social e política.

Isso sempre me despertou curiosidade. Até que certa vez o então governador me recebeu em seu apartamento para uma entrevista exclusiva. Fui conduzido ao seu escritório, onde o aguardei passeando o olhar pelas estantes de livros que se espalhavam pelas paredes. Alguns exemplares em sua mesa. Praticamente todos grifados e muitos marcados com post its. Déda tinha este hábito. Não pude deixar de notar uma extensa coleção numa prateleira bastante acessível: em belas edições de fino acabamento, estavam os diversos volumes dos famosos sermões do Padre Antônio Vieira. Certamente outro ponto que explicava sua intimidade com os temas bíblicos e a facilidade em utilizá-los para falar sobre a vida, o dia a dia.

Num comentário bem-humorado (e levemente provocativo, claro) para quebrar o gelo dos momentos pré-entrevista, questionei a Déda o que a coleção com os textos do padre fazia em lugar destacado na estante de um político com formação intelectual lastreada em pensadores de esquerda. Ele riu, ignorou a ligeira provocação e explicou de forma sucinta: “Max, no meu tempo, todo mundo que queria ser um bom orador tinha que ler os sermões do padre Antônio Vieira. Era leitura básica”.

Ele falou mais algumas coisas que não registro por não confiar inteiramente na memória. E começamos a entrevista. É claro que eu não ignorava: Antônio Vieira sempre foi uma referência no campo da retórica, inclusive para os oradores não ligados à religiosidade. A forma genial como construía seus argumentos serviu de inspiração para diversos tribunos. E sua leitura é apenas uma pequena peça num quebra-cabeças que poderia explicar a formação intelectual e a habilidade do último grande tribuno brasileiro.

Publicado no blogdomax.net em 19/08/2020.

PELO TWITTER


www.twitter.com/cezar_britto E vida a liberdade! E que não se deixe aprisionar em palácios, gabinetes e mansões…
https://instagram.com/p/CMAKqMmhi40/?igshid=13t3wktzsre6s



www.twitter.com/AlineMidlej Vento na cara é um dos melhores remédios contra quase tudo! Ainda que paliativo… Todo dia um pouquinho. Bom dia!!!! Coração amareloSol com raios Força. Saúde.

www.twitter.com/silvathiagohs Não queiram ir pra uma UTI com COVID. A Taxa de mortalidade de boa parte delas é maior que 50%. Não queiram arriscar ser entubados. Quem é entubado em UTI morre mais. A gente salva muita gente, mas muita gente morre. Não escute bolsonaro, o genocida. Exija Vacina.

www.twitter.com/BlogdoNoblat Impeachment ou morte. Bolsonaro segue seu roteiro de morte sem ser perturbado.
https://www1.folha.uol.com.br/colunas/marilizpereirajorge/2021/03/impeachment-ou-morte.shtml



www.twitter.com/BlogClaudioNun “Chega de frescura, de mimimi, vão ficar chorando até quando?” Bolsonaro. Deus, tá me ouvindo? Um amigo aqui do lado está perguntando se é pecado desejar que “a frescura e o mimimi” bata na porta da família de um capitão. Se for pecado o senhor perdoa?

www.twitter.com/J_LIVRES Por Mmocanus @mmocanus #lockdownsim #LockdownEVacinasJa #FicaEmCasa




Siga Blog Cláudio Nunes:         

Instragram

 Facebook

 Twitter

 


Frase do Dia
“Não me canso de olhar o rio e o mar e de sentir um suave vento Sul refrescar minha face, enxugar minhas lágrimas, inflar meu coração de amor… Amor por esta terra e por esta gente: Viva Sergipe! Eu te amo, Aracaju!”, Marcelo Déda, 06/08/2013, pelo twitter. Marcelo Déda, presente!

https://www.vaticannews.va/pt/papa/news/2021-03/papa-mensagem-iraquianos-peregrino-paz-penitente-esperanca.html

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais