Miriam Makeba morre subitamente. Morte súbita: é possível preveni-la?

0

A morte súbita de Miriam Makeba, a voz de ouro da África, me fez lembrar o trabalho e a especialidade de minha filha, Dra. Daniela Garcia Moreno Cabral Martins, Cardiologista com residência médica em Arritmias e Marcapassos pelo Instituto do Coração da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (INCOR-USP) e especialista no assunto pela Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas, que retornou a Sergipe, após dez anos fora, em aprimoramento de seus conhecimentos, agora alegrando o coração dos pais e se somando aos esforços da nossa classe médica.

 

 

É dela que me vem a notícia agora reforçada com a morte súbita de Miriam Makeba.  No próximo dia 12 de novembro a Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas, desejando chamar atenção para o problema da insuficiência cardíaca e a possibilidade de morte súbita, criou o Projeto Coração na Batida Certa, destinando este dia como o Dia Nacional de Prevenção das Arritmias Cardíacas e Morte Súbita. Será um dia dedicado a esclarecer à população sobre os riscos das arritimias e sua importância como causa de Morte Súbita, além de incentivar a prevenção deste grave problema.

 

AFP/CARLO HERMANN

Miriam Makeba quando do seu último concerto, em 9 de novembro de 2008 em Castel Volturno, próximo de Nápoles (Itália).

 

Por Arritmia Cardíaca entende-se qualquer alteração nas batidas do coração, para mais ou para menos, ou a apresentação de certa irregularidade. 

 

É, portanto, qualquer anormalidade no ritmo cardíaco caracterizada por um batimento descompassado.

 

 

Geralmente a pessoa sente palpitações, uma sensação de coração acelerado ou parando, ou ainda apresentando falhas nos batimentos.

 

Algumas vezes também a arritmia pode se manifestar na forma de desmaios, que afligem tanto a pessoa acometida quanto os seus familiares, mesmo porque a estes desfalecimentos se sucedem quedas e suas conseqüências imprevisíveis, sobretudo em pessoas idosas. 

 

 

Existem também casos assintomáticos, um grande problema, comum a alguns atletas que sofrem morte súbita, sem nenhum sintoma anterior ou algo como o acontecido com Miriam Makeba, que morreu subitamente e, por enquanto, o noticiário nada revela em termos de enfermidade anteriormente detectada.

 

Imagem risonha de uma arritimia cardíaca bem diagnosticada e solucionada: Cabral Machado no dia de seus 92 anos de vida. Na foto estão a minha filha e sua neta, a Cardiologista Dra. Daniela Cabral, o esposo dela, o Urologista Dr. Mário Henrique Martins, pais de meu neto Pedro Henrique, que está no colo do bisavô, alegrando-lhe o coração, agora batendo em rítimo certo em 30/11/2008.

 

Mas, conforme anuncia Dra. Daniela Cabral, nem toda arritmia traz consigo o risco de morte súbita, daí ser possível preveni-la, sobretudo com exames preventivos a partir do primeiro sintoma, e se possível antes, no caso de pessoas que pretendem exercer atividade física intensa.

 

 

As arritmias podem ocorrer em quem tem alguma doença cardíaca, como infarto do miocárdio, coração crescido. 

 

 

Mas também podem ocorrer em pessoas que têm o coração sadio, mecanicamente falando.

 

Nestes casos, as arritmias acontecem quando há alterações na parte elétrica do coração.

 

 

Por ser uma enfermidade com risco de morte súbita, a Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas, desejando chamar atenção para o problema, criou o Projeto Coração na Batida Certa, destinando o próximo dia 12 de novembro como o Dia Nacional de Prevenção das Arritmias Cardíacas e Morte Súbita.  

Cabral Machado discursando no dia de 92º aniversário.

 

 

Informa também a Dra. Daniela que a arritmia cardíaca é tratável a depender do tipo e da causa prevenido-se eficientemente o risco da morte súbita. 

 

Em alguns casos tal tratamento pode ser realizado mediante o uso de medicamentos, em outros é necessário a ablação do foco da arritmia, (um procedimento tipo cateterismo cardíaco em que se detecta a região causadora da arritmia eliminando-a), ou ainda implantado dispositivos intracardíacos como marcapassos e desfibriladores (que são aparelhos que analisam o ritmo do coração atuando quando o mesmo diminui ou acelera além do normal).

 

 

Recentemente, meu pai, Manoel Cabral Machado, estava sofrendo de sucessivas síncopes cuja causa se revelou de caráter arrítmico.

Cabral Machado comemora seu 92º aniversário com Missa junto a familiares e amigos

 

 

Submetido a exames pela neta cardiologista, teve implantado um destes dispositivos marcapasso com sucesso pela equipe do Hospital São Lucas da qual fazem parte os Drs. Alexandre Duarte Costa, Carlos Cleber Menezes e a Dra. Daniela.

 

 

No último dia 30 de outubro, Cabral Machado comemorou com amigos e familiares seus 92 anos de vida com muita lucidez e alegria em graças ao Senhor.

 

Já voltou inclusive às suas atividades literárias, que é uma grande alegria para seus amigos e admiradores.

 

 

Mas, voltemos a Miriam Makeba, utilizando matéria que saiu no LEMONDE.FR avec AFP | 10.11.08 | 08h28    Mis à jour le 10.11.08 | 09h23  

 

Miriam Makeba – Morre a voz de ouro da África.

 

Miriam Makeba, a voz lendária do continente africano e mundialmente conhecida como “Mamãe África” morreu na noite de domingo 9 para segunda-feira 10 de novembro, aos 76 anos, próximo de Nápoles, na Itália. A artista foi vítima de uma crise cardíaca, justamente após sair de cena de um concerto de apoio ao escritor Roberto Saviano, autor de Gomorra, ameaçado de morte pela Máfia.

 

Considerada um dos símbolos da luta contra o apartheid, a cantora sul-africana, nascida em Johannesbourg em 4 de março de 1932 nunca cessou de pleitear em suas canções pelo amor, a paz e a tolerância. Seu maior sucesso “Pata, Pata” circulou e foi cantado em todo o planeta.

 

Com o seu verdadeiro prenome Zenzi (diminutivo de Uzenzile), Miriam Makeba vira o destino de seu país balançar em 1947 com a chegada ao poder dos nacionalistas africâner. Aos 27 anos, ela deixa a África do Sul por necessidades de sua carreira, sem saber que viria a ser banida de seu país por suas tomadas de posição contra a segregação.

 

Seu exílio durará trinta e um anos e a fará viver um pouco por toda parte no mundo, da Europa aos Estados. A cantora conhece um imenso sucesso, mesmo quando o seu casamento em 1969 com o líder dos Pantera Negros  Stokely Carmichael – do qual se separará em 1973 – não foi do gosto das autoridades americanas e a forçou a emigrar para a Guiné. Após a morte em 1985 de sua filha única, ela retorna a viver na Europa. Em 1990, Nelson Mandela conseguira convence-la a retornar à África do Sul.

 

Miriam Makeba recebeu o título de Comendadora das Artes e das Letras em 1985 e obteve a nacionalidade francesa em 1990.

Aos que desejarem ouvir Miriam Makeba ou ler a matéria do Le Monde no original, seguem em anexo os endereços a explorar.

http://www.youtube.com/watch?v=kCc61z9IFu4

 

http://www.lemonde.fr/carnet/article/2008/11/10/la-mort-de-miriam-makeba-voix-d-or-de-l-afrique_1116734_3382.html

 

 

Quanto aos que ficaram curiosos com o assunto arritmia cardíaca e morte súbita, a Dra. Daniela informa que a prevenção e cura passa necessariamente por uma consulta a um cardiologista para ser submetido à avaliação necessária e específica para o caso.

 

 

Além desta avaliação clínica e do exame físico, o paciente deverá ser submetido a exames cardiológicos tipo eletrocardiograma, holter de 24h, teste ergométrico, entre outros.   

Amigos comemoram o aniversário de Cabral Machado.

 

A depender do caso, pode ser necessária a efetivação de um estudo eletrofisiológico que é realizado à semelhança de um cateterismo cardíaco e permite desmascarar algumas arritmias não detectadas pelos métodos complementares habituais.

 

Ações que não exigem o afastamento do doente para outros centros, afinal Sergipe já dispõe hoje em dia de todo o arsenal necessário para o diagnóstico e tratamento das arritmias cardíacas e da prevenção da morte súbita. 

Neste campo, e é confortável dizer também isso, o nosso Estado conta com um tratamento de primeira linha nesse sentido.

Cabral Machado no dia de seus 92 anos de vida ao lado dos amigos José carlos de Souza e Celso Carvalho.

 

E tanto isto é verdade que meu pai, Manoel Cabral Machado, implantou um marcapasso cardíaco em procedimento acontecido no Hospital São Lucas e hoje sem seqüelas continua a exercer sua inteligência criativa e produtiva, para alegria de todos nós.

 

 

Quanto a Miriam Makeba resta-nos lembrar a sua voz alegre e contagiante, marca de uma época cheia de incongruências em que as pessoas se repeliam por prejulgamentos e preconceitos de raça e de credos, bem diferente da atual que prenuncia um melhor entendimento entre os povos.

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários