MOMENTO DE ARRUMAÇÃO

0

Os partidos políticos passam por um período final de arrumação da casa, para fazer as convenções até o dia 30, com a certeza de que estão fazendo coligações corretas. Absolutamente corretas. Sabem que só a boa companhia pode oferecer condições de fazer bancadas significantes na Assembléia Legislativa e Câmara Federal. O anúncio do ex-governador Albano Franco de que o PSDB sairia independente, ao tempo em que lançava sua candidatura a deputado federal provocou um clima nervoso em alguns candidatos. O fato de disputar uma vaga na Câmara, não causou qualquer mudança no quadro político que estava exposto. O chute nas partes mais baixas de quem contava com ele para fortalecer uma coligação, foi a questão da independência. Enquanto Albano Franco conversava com o governador João Alves Filho para uma composição proporcional ampla entre PSDB e PFL, havia uma certa tranqüilidade entre candidatos das duas legendas. Com o anuncio dos tucanos levantarem vôo solitários, a ficha voltou a cair e todos chegaram à real.

Dentro do próprio ninho tucano aconteceram arrepios. Sozinho pode fazer um máximo de dois deputados federais e dois deputados estaduais. Quanto a Albano Franco é certo que ele consiga eleger-se, mas os outros precisam trabalhar muito para conseguir êxito na disputa. O problema tucano começou pelo ex-deputado federal José Teles de Mendonça que, ao lado do deputado Jorge Araújo, foi o mais ferrenho crítico de uma coligação com o PFL, por questões meramente regionais. Teles retirou sua candidatura à Assembléia Legislativa porque não viu condições de chegar lá. Nos seus cálculos, o PSDB independente faz apenas dois deputados e declara que não tem esquema para ajudá-lo na campanha. Estranha decisão, porque Teles só enxergou isso depois que o seu partido resolveu sair sozinho. O deputado Fabiano Oliveira também preferiu passar para o bloco que tenta a Câmara Federal, com o objetivo de melhorar o coeficiente para ajudar Albano Franco. Hoje Fabiano está mais animado e até acha que pode chegar lá, em razão da ausência do deputado federal João Fontes (PDT), que disputará o governo do estado. Fabiano aposta no voto dos jovens.

No dia da convenção do PSC, onde se homologou nomes de candidatos a deputados estaduais e federais, além de anunciar a coligação com o governador João Alves Filho (PFL), não se registrou nenhuma reação de candidatos de outros partidos. O próprio João discursou e fortaleceu a aliança ampla com o PSC e ninguém chiou. Afinal, uma coligação que também envolvia peixinhos e tucanos todos se salvavam com facilidade, porque até seis nomes poderiam chegar ou permanecer onde estavam. Sem o PSDB os pefelistas fazem apenas dois deputados e com o PSC temem uma redução para apenas um, com três nomes na disputa. Um deles, Jerônimo Reis, tem trabalhado em silêncio e vem progredindo no interior. Ontem, em Brasília, os deputados do PFL avisaram ao governador João Alves Filho que não aceitavam uma coligação com o PSC. Esse posicionamento foi repassado aos programas matinais das rádios locais. Um deles alegou problemas políticos e pessoais e outro apenas a questão política. É um fato novo, claro, mas o governador João Alves Filho não pode pensar em reeleição sem a formação de um bloco coeso em torno do seu nome.

Como é pragmático e decide rápido para evitar problemas mais graves, João deve agir em favor de sua candidatura e da formação de uma bancada que possa assegurar a governabilidade, em caso de conseguir a reeleição.

Esse pequeno início de fogo no monturo pefelista deve ser debelado o mais rápido possível, porque o partido tem convenção marcada para o dia 30 e não pode chegar lá com divergências na questão das coligações. O quadro eleitoral está praticamente definido, embora alguns acreditem que a questão com o PSDB ainda não está absolutamente resolvida. Tem gente apostando – dentro dos dois partidos – que uma aliança ainda é possível para que se tenha melhor performance na questão proporcional. Hoje o ex-governador Albano Franco viaja a Brasília e conversa com o presidente nacional Tasso Jereissati para comunicar a posição que tomou

 em Sergipe. Não sabe qual será a reação da cúpula…

 

 

 

XADREZ

Uma fonte da oposição disse ontem que PSDB e PFL vão fechar aliança até o dia 30, porque “o destino dos dois partidos é estarem sempre juntos”.

Disse que o ex-governador Albano Franco está em um tabuleiro de xadrez e faz o jogo para conseguir o que pediu e fazer a coligação.

 

TELES

José Teles de Mendonça (PSDB) abandona a candidatura a deputado estadual. Em seu lugar vai a irmã Carminha, filiada ao PSC.

Teles avaliou que o PSDB saindo independente rareia a sua oportunidade de eleger-se. Avalia que o partido fará apenas dois deputados estaduais.

 

CÁLCULOS

Segundo mostra o ex-deputado José Teles, o deputado Fabiano Oliveira vai votar em Jorge Araújo e Bosco Costa em Luiz Mittidieri.

Com isso ficam na disputa Ulices Andrade (que tem vôo próprio) Luiz Mittidieri e Jorge Araújo. Um dos três ficará na primeira suplência.

 

ARREPENDIDO

A informação é de um político enfronhado no PSDB: “já tem gente dentro do partido que está arrependido da posição adotada”.

Arrepende-se também de ter trabalhado contra uma composição com o PFL, o que provocou demora para uma decisão.

 

OPÇÕES

As opções do PSDB ficaram diminutas e não havia outro jeito a não ser sair independente, porque ficou impossível uma aliança branca com o Partido dos Trabalhadores.

A partir de agora a situação ficou complicada, porque os candidatos do partido terão dificuldades para eleição. É possível que para federal o PSDB só faça um e para estadual apenas dois.

 

FABIANO

O deputado estadual Fabiano Oliveira (PSDB) está muito animado com a sua candidatura a deputado federal.

Acha que o PSDB, unido com outros partidos, chegará a um coeficiente eleitoral alto. Com Albano Franco (PSDB) à frente da chapa o percentual de votos será muito elevado.

 

FAZ DOIS

Fazendo uma soma aproximada do perfil eleitoral de cada candidato, Fabiano diz que chega aos 195 mil votos: “com 190 já faz o segundo”, explica.

A coligação proporcional para federal deve sair com PV, PTN, PSDB e PRN. Esses partidos não se coligarão com os tucanos para estadual.

 

JUVENTUDE

Fabiano admite que com a desistência de João Fontes (PDT) em disputar a reeleição e candidatar-se a governador do estado, a juventude fica sem opção para deputado federal.

O deputado já teve reunião com o prefeito de Campo do Brito, Manoel de Souza (Main), do PTdoB, que mantém apoio à sua candidatura a Federal.

 

VISITAS

O pré-candidato a deputado federal Albano Franco (PSDB) vai entrar no carro e viajar muito. Quer visitar todos os seus amigos.

Quer ouvir mesmo daqueles que já assumiram compromissos com outros candidatos, que não votam nele nas próximas eleições.

 

VIAGEM

Membros da Executiva do PT, inclusive o pré-candidato a governador Marcelo Déda, viajam sexta-feira à Brasília para participar do Encontro Nacional do partido.

Retornam no sábado e participam do Encontro do Diretório Regional que decide a candidatura de Déda a governador e de José Eduardo Dutra ao Senado Federal.

 

AVALIAÇÃO

O deputado federal João Fontes (PDT) disse que parlamentares do partido estão fazendo avaliação da candidatura do senador Cristóvam Buarque para presidente da República.

Segundo João, a bancada está revoltada e a maioria vai disputar mandato de deputado estadual porque não dá para eleger-se federal.

 

ENCONTRO

O governador João Alves Filho esteve ontem em Brasília e conversou com o líder do PFL no Senado, José Agripino Maia, sobre a liberação dos recursos prometidos pelo governo.

“Vamos ver”, sugeriu Agripino. Avisou que o ministro Tarso Genro garantiu que manteria a palavra dada na reunião para aprovação do orçamento. Até agosto há esperança…

 

CONVERSA

O PMDB voltou a conversar com o bloco oposicionista, através do deputado federal Jorge Alberto. O partido participaria da composição.

Segundo contabiliza uma fonte da oposição, com o PMDB a perspectiva do bloco é de eleger três deputados federais.

 

Notas

 

REFIS

Terminou sem acordo a reunião de líderes da base aliada com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, para a reedição do Programa de Recuperação Fiscal (Refis). A terceira versão do programa, que permitiria que empresas refinanciassem dívidas com o governo federal em até 180 parcelas, fora aprovada pelo Congresso.

O Refis, entretanto, foi vetado pelo presidente Lula. Os líderes voltam a discutir o assunto com o ministro na próxima semana. O ministro diz que o Refis beneficiaria os inadimplentes em detrimento dos que pagaram em dia.

 

INFLAÇÃO

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse ontem que a inflação tem sido mais alta para as classes mais favorecidas. Ele disse que, enquanto o IPCA (índice que mede a inflação em 11 regiões metropolitanas para pessoas com renda de um a 40 salários mínimos) atingiu 5,7%, o INPC ficou em 5,1%.

Segundo Meirelles, isso se deveu à queda dos preços de alimentos, o que favorece mais as famílias de baixa renda. Ele destacou também o crescimento do saldo da balança comercial — total das exportações menos as importações.

 

REAJUSTE

O ministro da Previdência Social, Nelson Machado, reuniu-se ontem, com o presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB-AL), para mostrar o impacto que a concessão do reajuste de 16,67% do salário mínimo provocará aos cofres públicos se for estendido aos aposentados e pensionistas.

Segundo Nelson Machado, a Previdência não tem dinheiro para cobrir a despesa extra de R$ 7 bilhões que o reajuste maior traria o INSS. O ministro disse confiar na serenidade do Senado e pediu cautela aos parlamentares.

 

 

È fogo

 

O governador João Alves Filho (PSC) viajou ontem a Brasília para tratar de interesses da administração.

 

Os membros do PSC que foram a Brasília contestam uma candidatura própria para presidente mostraram que o partido esta forte em Sergipe.

 

Faltam apenas 11 dias para o prazo final das convenções partidárias para homologação de candidatos e anuncio de alianças.

 

Adelson Alves (PSDC) é o candidato do partido a governador do estado. A convenção foi realizada domingo passado.

 

O pré-candidato a deputado federal pelo PT, Nilson Lima, vinha dizendo que o partido não poderia ficar na dependência de Albano Franco (PSDB).

 

A prefeita de Itaporanga D`Ajuda, Maria das Graças Garcez será importante para a campanha de Albano à Câmara.

 

O primeiro suplente Ivan Paixão melhorou muito sua posição política com o seu partido, PPS, se coligando informalmente a Geraldo Alckmin (PSDB) para presidente.

 

O pré-candidato do PT a governador, Marcelo Déda, tem viajado muito a cidades do interior em campanha. Não tem descansado um único minuto.

 

Os festejos juninos no interior praticamente não existem. Passaram a ser simples e sem grandes atrações. O Forrocaju e a Vila do Forró estão sempre superlotados.

 

O volume de vendas do comércio varejista nacional aumento 7,42% em abril em relação ao mesmo mês do ano passado.

 

A taxa média de juros cobrada nos financiamentos à pessoa física subiu 4 pontos-base em maio na comparação com o mês anterior.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais