MOMENTO DE SILÊNCIO

0

Os políticos agora estão falando o mínimo. O momento não é de aparecer no noticiário e nem falar sobre as eleições para jornalistas. O momento é da mais absoluta arrumação. É preciso colocar a casa em ordem, depois que móveis e utensílios estão bem definidos. É um momento, também, de readaptação para entrosar a conversa e partir para uma campanha uníssona. O deputado estadual Ulices Andrade (PSDB) admite que já há um melhor clima e alguns segmentos que apóiam o tucanato já sentiram a ficha cair e, logicamente, estão se acostumando. Evidente que todo retorno de entendimento, principalmente político, necessita de um pouco de tempo para se readaptar à linguagem, até poder participar de alguns encontros com desenvoltura e sem aquele sentimento de que está praticando algum ilícito.

Lógico que isso é muito natural…

Na coligação fechada por PFL e PSDB o clima ainda é de adaptação, conversa pouca e participação limitada. Mas isso também acontece porque cada partido está organizando as candidaturas proporcionais e majoritárias, com o objetivo de sair em busca da aceitação popular. Até o momento o governador João Alves Filho ainda não teve um encontro com todos os membros do PSDB, inclusive os deputados que representaram obstáculo para o entendimento. Entretanto, como o candidato a vice, deputado Fabiano Oliveira, o governador tem mantido um entrosamento de velhos aliados. Hoje, inclusive, Fabiano é um entusiasmado e reconhece que João Alves Filho trabalha como uma máquina na campanha eleitoral: “é muito difícil acompanhá-lo. O homem não tem hora”! Além disso, Fabiano está muito satisfeito em ser o companheiro de chapa do governador.

Dentro da oposição o silêncio também é grande. A preocupação maior é a acomodação de candidaturas e o objetivo de chegar às ruas com todo mundo se entendendo. Aliás essa parte é o que mais anima ao candidato a governador pelo PT, ex-prefeito Marcelo Déda: “pela primeira vez o bloco oposicionista se manteve unido por quatro anos, para chegar a um objetivo”, algumas vezes ele repetiu isso. A oposição também acomodou um corpo até então estranho: o PMDB. O partido acompanhou o governador João Alves Filho até o início deste mês e, como o jogo mágico das conquistas políticas, parte do PMDB está na coligação do Partido dos Trabalhadores. Assim como uma banda do PSDB ficou com o PFL, ambos com dificuldades regionais para fecharem integralmente às novas coligações a que pertencem. Itabaiana é o exemplo maior dessas composições mancas: a prefeita Maria Mendonça (PSDB) e seu grupo apóiam o candidato Marcelo Déda, mas vota em um deputado federal – Eduardo Amorim (PSC) – que está com João Alves Filho. Do outro lado, na mesma cidade, o ex-prefeito Luciano Bispo (PMDB) e seus aliados votam na reeleição do governador e têm um candidato a deputado federal do PFL, José Carlos Machado.

Lógico que aí faz uma certa diferença, mas é uma fotografia 12 x 24 de que o objetivo político eleitoral não faz qualquer sentido, quando se coloca acima do bem-estar de um município, estado ou país as divergências, intrigas e interesses paroquiais.

O exemplo de Itabaiana é apenas para mostrar que a questão partidária não está mais vinculada a objetivos nobres. As siglas não valem nada. Servem apenas para acomodações nem sempre honestas. Na realidade, a consciência política, as questões filosóficas e programáticas, o compromisso com um projeto orientado pela força estatutária e ideológica dos partidos, foram relegadas ao vazio que prega vantagens e foge do pensamento que prega reformas reais que mudem os rumos de um município, um estado e de um país. Mas não é nada disso, a realidade é essa velha forma de buscar mandato, indiferente aos meios, que nesse caso, nunca justificam os fins. Vamos a mais uma campanha, sem pruridos, porque o importante é chegar lá, mesmo agredindo princípios éticos mínimos

 

 

REGISTROS-1

O candidato a governador Adelson Alves (PSDC) apresentou apenas R$ 4 mil em bens ao TSE, mas espera gastar R$ 2 milhões, no mínimo, durante a campanha.

João Fontes (PDT) foi tem registrou maior renda: R$ 673.985,80 e quer gastar um mínimo de R$ 1 milhão. João tem R$ 409 mil de créditos a receber por vendas de imóveis.

 

REGISTRO-2

Já o candidato do Partido dos Trabalhos, ex-prefeito Marcelo Déda, pretende gastar R$ 5.000.000,00 e apresentou bens no valor de R$ 248.042,50.

O governador João Alves Filho (PFL) registrou R$ 4 milhões para gastos mínimos de campanha e apresentou um total de R$ 336.668,27 em bens. Os dados são do TSE.

 

ELEITORES

Quase 126 milhões de eleitores estão aptos para votar nas eleições de outubro, segundo números divulgados hoje pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Pelas estatísticas do tribunal, a maioria dos 125,91 milhões de votantes é mulher (51,53%) e tem no máximo o primeiro grau incompleto.

 

TELEFONEMA

Um assessor de Geraldo Alckmin telefonou para o deputado Ulices Andrade (PSDB) para pedir sugestões para que o candidato a presidente falasse para os sergipanos.

O objetivo de Alckmin é viajar pelos estados do Nordeste e falar da necessidades da região, para melhor sua situação entre os nordestinos.

 

TRANSPOSIÇÃO

Ulices Andrade foi rápido em uma das sugestões: “por favor evitem falar em transposição do rio São Francisco”. Pode ser fatal em Sergipe.

Alckmin tem falado sobre transposição em estados do Nordeste setentrional. Certamente se tocar nesse assunto em Sergipe, o governador João Alves Filho (PFL) desce do palanque.

 

D. MARIA

A senadora Maria do Carmo Alves (PFL) disse que vai intensificar o seu trabalho e manter o atendimento às pessoas carentes.

Admite que está tudo correndo bem, mas que tanto ela quanto o governador João Alves Filho (PFL) precisam trabalhar muito mais.

 

CALCULO

A senadora Maria do Carmo faz um calculo otimista para deputado federal. Acha que o PFL tem condições de eleger três candidatos.

Quanto ao seu primeiro suplente, pastor Virgílio, a senadora disse que não foi indicação de partido, mas escolha pessoal dela. Pastor Virgílio é do PSC,

 

CANDIDATURA

O vereador Marcos Vander (PTB), sobrinho do deputado federal Bosco Costa (sem partido), é candidato a deputado estadual.

Para deputado federal vai apoiar Valadares Filho (PSB) em troca terá os votos que seriam de Belivaldo Chagas (PSDB) na região de Simão Dias.

 

CONVERSA

O deputado federal Bosco Costa estava conversando, ontem, com Marcos Vander exatamente sobre sua candidatura.

A decisão de um entendimento com Valadares Filho saiu de um contato entre o deputado e o senador Valadares, logo depois do desligamento do PSDB.

 

ARAPONGA

O governador João Alves Filho fez, ontem, uma reunião com algumas pessoas que vão trabalhar voluntariamente em sua campanha para reeleição.

No prédio ao lado, um araponga filmava, da janela, a reunião que acontecia no comitê de campanha, que será instalado no antigo prédio do Colégio Salvador. Saiu ao ser notado.

 

CABO ZÉ

O ex-prefeito de Lagarto, José Raymundo Ribeiro (Cabo Zé), está chateado. Acha que foi feito um trabalho de bastidores para retirar sua candidatura a deputado federal.

José Raymundo está conversando muito com o ex-governador Albano Franco (PSDB) e vai votar nele para deputado federal.

 

TRABALHO

José Raymundo diz que vai fazer um grande trabalho em sua região e percorrer todos os povoados de Lagarto, para transferir o maior número de votos possíveis.

Ele diz que o seu principal adversário, Jerônimo Reis, não está tão bem de voto como algumas pessoas pensam: “vocês vão ver”, disse.

 

ORKUT

Alguns candidatos estão usando o Orkut para anunciar candidatura, divulgar número de campanha e pedir votos.

É um estilo de campanha que o TSE permite e atinge um grande número de pessoas, principalmente amigos. É importante…

 

 

Notas

 

ULICES

O deputado estadual Ulices Andrade (PSDB) considera que o mais pesado da crise para uma composição com o PFL já passou, mesmo assim ele acha difícil tirar da cabeça de alguns aliados seus que não votam em João Alves Filho. “Mas também tem gente minha que não vota em Marcelo Déda”, disse.

Disse, entretanto, que neste final de semana está fazendo visitas a eleitores de vários município e na segunda-feira pode ter uma fotografia do quadro, neste momento em que a poeira começa a assentar.

 

DIVULGAÇÃO

O coordenador do Comitê de Acompanhamento e Fiscalização da Comissão Mista de Orçamento, deputado Paulo Rubem Santiago (PT-PE), informou ontem que o comitê vai iniciar, ainda neste mês, a divulgação permanente de todos os recursos transferidos do Orçamento da União para as áreas de Saúde e Educação.

O objetivo é evitar fraudes no Orçamento, como a que permitiu a compra ilegal de ambulâncias por estados e municípios. O caso é investigado pela Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Sanguessugas.

 

IMPOSITIVO

O Plenário do Senado poderá votar na próxima segunda-feira proposta de emenda constitucional do senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) que tornará o orçamento federal impositivo, ou seja, o presidente da República será obrigado a executá-lo, sob risco de crime de responsabilidade.

Antonio Carlos apresentou sua proposta há seis anos, inconformado com os grandes contingenciamentos de verbas orçamentárias decididos desde o final da década passada pelos presidentes da República

 

 

É fogo

 

Os candidatos vão ter uma saída para divulgar o seu trabalho. É a internet, que foi permitida pelo Tribunal Superior Eleitoral.

 

Muita conversa em torno da herança eleitoral deixada por Zezinho Guimarães (PSC), que deixou de ser candidato.

 

O deputado federal João Fontes (PDT) está muito animado com a campanha a governador. Disse que vai dar muito trabalho.

 

O candidato a deputado federal Albano Franco (PSDB) permanece em silêncio absoluto depois de ter feito a aliança com o PFL.

 

Na quinta-feira, dia liberado para início da campanha eleitoral, apenas um carro de som circulava em Aracaju divulgando Pedrinho Valadares para deputado federal.

 

O vereador Valdir dos Santos (PTdoB) teve uma reunião com Zezinho Guimarães (PSC), quando foi informado sobre a decisão de não disputar as eleições.

 

Valdir dos Santos era um dos que trabalhariam pela eleição de Zezinho. Para deputado estadual o vereador vota em André Moura.

 

A TV-Cidade foi beneficiada por um ato da Net, que tirou a Rede TV da grande de canais. A TV-Cidade é retransmissora da Rede TV.

 

O Ministério Público estadual reuniu órgãos públicos para reiniciar as ações de combate à poluição sonora na capital.

 

Os empréstimos direcionados para pessoa física indicaram taxa mensal de 8,20% no cheque especial.

 

O nível de emprego formal na construção civil brasileira subiu 1,2% em maio na comparação com o mês de abril.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais