MOMENTO DELICADO

0

 

As proximidades das convenções sempre foram um momento delicado para os partidos políticos. Ontem mesmo muita coisa aconteceu nos bastidores das legendas, para que melhor adotem posição e indiquem nomes que possam vencer as eleições. De qualquer forma cada eleição é uma história completamente diferente, mas o método continua sempre o mesmo. Quem tem mandato luta para permanecer com ele ou ampliá-lo e quem disputa pela primeira vez (ou tenta retornar à vida pública) quer derrotar exatamente quem pensa em se manter no poder. Evidente que os maiores adversários estão nas próprias coligações, porque os proporcionais disputam entre si para alcançar o melhor coeficiente eleitoral e manter ou conquistar uma vaga no seleto grupo de membros da Assembléia Legislativa, Câmara dos Deputados e Senado Federal.

Ontem, durante todo o dia, circulou o boato de que o ex-governador Albano Franco (PSDB) e o governador João Alves Filho (PFL) haviam conversado. Foi meia verdade. Na realidade quem manteve contato com o cunhado Albano Franco, por telefone, foi o secretário da Indústria e Comércio Tácito Faro. A conversa não trouxe nenhuma novidade, mas também não aconteceu vetos para a continuidade dos entendimentos. O ex-governador Albano Franco apenas fortaleceu o que seu filho, Ricardo Franco, havia dito ao próprio Faro no encontro que tiveram no domingo à noite. O ex-governador foi definitivo: só volta a sentar com o ex-governador João Alves Filho se for para ver atendido os pleitos do PSDB e anunciar imediatamente o acordo. Sem isso o diálogo vai fluir, ultrapassar o limite da convenção e não chegar a absolutamente a nada.

Ontem, no final da tarde, o deputado federal Jorge Alberto (PMDB) teria feito um apelo para que os partidos que integram o bloco de oposição cancelassem o anuncio dos candidatos proporcionais e majoritários, para que a legenda tentasse resolver o impasse pelo qual passa. Jorge ouviria as lideranças interioranas que votam nele para a reeleição. Uma influente fonte do PMDB, como é o caso do deputado estadual Marcos Franco, disse que apesar da maioria desses líderes preferir uma aliança com o governador João Alves Filho (PFL), teria liberado o deputado para ficar com um lado ou outro. Não alteraria a responsabilidade de apoiá-lo. Uma fonte que estava na reunião se expressou bem diferente. Disse que alguns prefeitos, ex-prefeitos e lideranças do interior que apóiam Jorge Alberto, disseram que só ficariam com ele ao lado de João Alves Filho (PFL) e se comprometeram a irem juntos ao governador para fechar um entendimento que resolvesse a situação do parlamentar, que tenta a reeleição.

Segundo informação de um membro do bloco de oposição, o pessoal não está mais satisfeito com tanta espera e indefinições daqueles que estão tentando encontrar uma saída para seus projetos políticos. O pessoal começou a ficar impaciente e admite que chegou a hora de fechar todos os nomes que vão integrar o chapão proporcional para chegar à Assembléia Legislativa e Câmara Federal. Um dos candidatos a deputado pelo PT revelou que o seu partido demonstra muito mais preocupação em reeleger nomes de outras legendas que possam apoiar o candidato a governador, Marcelo Déda, do que em fazer um nome para a Câmara Federal: “faz tempo que os candidatos da casa são colocados em escanteio. Chegou a hora de se buscar o esforço pelos nomes que lutam há muito anos para manter o PT sempre forte”.

Evidente que esse é um período muito complicado, dificílimo, em que se afunilam os espaços e a busca pelo eleitorado se complica, porque a maioria deles já tem candidato definido. Os que votam pelo valor e qualidade dos que disputam não se deixam iludir por nada além do que a certeza de que estão escolhendo o melhor. O momento é de muita ansiedade porque o tempo é curto e ainda há muito que se resolver.

 

 

CONVERSA

O secretário da Indústria e Turismo, Tácito Faro, teve demorada conversa, ontem com o empresário Ricardo Franco (PSDB).

Voltaram a conversar sobre a possibilidade de um novo encontro entre João Alves Filho (PFL) Albano Franco (PSDB).

 

REAPROXIMAÇÃO

Ricardo Franco disse que houve apenas a reaproximação, o que representa um aceno para abertura do diálogo entre os dois partidos.

Ricardo Franco, que está falando em nome do pai, ex-governador Albano Franco, acha que “dessa conversa pode gerar ou não alguma coisa”.

 

FATO NOVO

Hoje Ricardo Franco acha que a o PFL não tem um fato novo a anunciar, a não ser o de fazer uma composição com o PSDB.

E até procurou dar um ponto final: “Albano Franco só voltar a conversar com o PFL se for para apertar a mão”.

 

TRANQÜILIZA

Membros do PSC tranqüilizam seus filiados de que o partido não lançará candidato a presidente da República para as eleições de outubro.

Segundo uma fonte influente do PSC, essa divulgação sobre candidatura ficará apenas o dia 30 como estratégia do partido. Apenas isso.

 

ENCONTRO

Só não houve um consenso no encontro do PT, realizado domingo: o grupo majoritário conseguiu retirar o governo do PSDB de críticas na campanha e deixar apenas o do PFL.

As duas tendências de esquerda queriam que tanto o PSDB quanto o PFL fossem criticados pelo PT durante a campanha.

 

ULICES

O secretário geral do PSDB, Ulices Andrade, disse ontem que o partido está andando como o que foi planejado “pelo chefe” (Albano Franco).

Ulices aproveitou para parabenizar Albano Franco pela decisão tomada e lembrou que tudo foi feito conversando com os demais membros do partido.

 

CÁLCULOS

O deputado estadual Ulices Andrade (PSDB) faz cálculos de quantos deputados o seu partido vai eleger saindo independente.

Serão eleitos um deputado federal – com possibilidade de eleger outro – e dois deputados estaduais com possibilidade de fazer três.

 

VALADARES

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) reafirmou que o candidato do seu partido a vice-governador é o deputado estadual Belivaldo Chagas.

O nome já era conhecido e o Partido dos Trabalhadores decidiu que o PSB indicaria o vice, durante o encontro que realizou no domingo passado.

 

DESMENTE

O senador Valadares reafirmou que Valadares Filho (PSB) é candidato a deputado federal e que não existe nenhum movimento para retirá-lo do chapão.

Uma candidatura a deputado do PSB é exigência da Executiva Nacional. O senador viajaria a Brasília ontem no final da tarde, mas não havia vaga no vôo. Ficou para hoje pela manhã.

 

OPOSIÇÃO

O bloco da oposição estava pronto para lançar os nomes de todos os candidatos ontem, para começar a trabalhar e apenas homologar dia 30.

Foram brecados a pedido do PMDB, que se reuniu ontem para conversar com o PT. Segundo informação com um oposicionista, o partido que se lançar com o bloco.

 

ALIVIADO

O deputado federal Jorge Alberto (PMDB) ou da maioria das lideranças que o apóiam que vota nele mais prefere uma composição com o governador João Alves Filho (PFL).

Alguns prefeitos e ex-prefeitos do interior chegaram a assinar documento e a vir conversar com o governador para que houve o melhor entendimento.

 

BATALHA

O ex-prefeito de São Cristóvam, Armando Batalha (PV), confirmou que o senador Valadares (PSB) lhe propôs ceder alguns colégios eleitorais em sua região.

Em troca ele votaria em Valadares Júnior para deputado federal em São Cristóvão. Batalha deixou bem claro, entretanto, que “nada foi acertado”.

 

POSIÇÃO

Armando Batalha, que é candidato a deputado estadual pelo PV, disse que pessoalmente não fará aliança com o PSDB do ex-governador Albano Franco.

Considera que é sair para o suicídio fechar uma coligação com o PSDB independente. Insiste que essa posição é absolutamente pessoal.

 

 

 

Notas

 

SANGUESSUGAS

O número de parlamentares suspeitos de envolvimento com a máfia das ambulâncias pode chegar a 45. A estimativa é presidente da CPMI das Sanguessugas, deputado Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ), depois de encontro com o procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza, nesta segunda-feira.
O deputado Antônio Biscaia e o relator da CPMI, senador Amir Lando (PMDB-RO), foram ao STF, ao Ministério Público e à Polícia Federal em busca de documentos e provas já levantados pelas três instituições.

 

INELEGÍVEL

A Câmara analisa o Projeto de Lei Complementar do deputado Jefferson Campos (PTB-SP), que torna inelegível por oito anos o político que renunciar ao mandato. A renúncia também impede, pelo mesmo período, a ocupação de cargo ou função comissionada na administração pública.
De acordo com Jefferson Campos, o objetivo da proposta é “preservar a dignidade do mandato conferido pelas urnas”, evitando que políticos acusados de atos ilegais renunciem ao mandato para fugir do processo de cassação.

 

CONSULTA

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) protocolou Consulta junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para dirimir dúvidas sobre a possibilidade de transferência de recursos, da união e dos estados, para festas municipais no período eleitoral. Valadares quer saber até onde se pode beneficiar eventos tradicionais.

Ele pergunta se um ministério, que tem entre suas atribuições a de auxiliar financeiramente os municípios na realização de festas comemorativas tradicionais, pode realizar convênios até o dia 30 deste mês.

 

 

É fogo

 

O ex-governador Albano Franco (PSDB) está em campanha para deputado federal. No sábado ele desfilou em cima de um trio em Estância.

 

Às noites, neste final de semana, Albano percorreu o Forrocaju e a Vila do Forró, acompanhado de alguns companheiros de partido.

 

O governador João Alves Filho (PFL) não tem perdido as noites na Vila do Forró. É um dos seus freqüentadores assíduos e tem circulado entre a multidão com desenvoltura.

 

O candidato do PT a governador, Marcelo Déda também tem circulado no forrocaju e visitado algumas cidades do interior para prestigiar os festejos juninos.

 

O prefeito da Barra dos Coqueiros, Airton Martins (PT) tinha compromisso de apoiar a reeleição de Fabiano Oliveira (PSDB) e Nilson Lima (PT) para federal.

 

Jorge Araújo e José Teles de Mendonça foram os que mais resistiram a uma aliança com o PFL. Entendia que João Alves “batia” nos tucanos desde 2003.

 

O deputado estadual Luiz Mittidieri (PSDB) não quer ser obstáculo de uma aliança com o governador João Alves Filho (PFL).

 

Agora acha difícil refazer tudo, principalmente depois que Albano Franco firmou posição de independência nas próximas eleições.

 

A deputada Ana Lúcia tem se desdobrado para atender aos convites do interior, a fim de participar de manifestações de professores e sem-terra.

 

Está mantida a candidatura de Valadares Filho (PSB) à Câmara Federal. Não há pedido algum da oposição para a retirada do seu nome.

 

Enquanto a Varig perde mercado e opera com menos de 20 aeronaves, a TAM e a Gol reforçam frotas e ampliam número de vôos para atender a todo o país.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais