Mudanças para 2006

0

Atribui-se a frase a vários políticos, mas ele foi dita pelo velho Magalhães Pinto: “o povo é como as nuvens, em um momento está aqui, em outro está ali e assim vai sendo conduzido”. Os políticos são nômades: perambulam por vários partidos, procurando sempre os melhores caminhos para se fixar no poder. Segundo avaliação de um experiente homem público, que está cansado de seguir rotas diferentes, a partir de 2005 e até as eleições de 2006, muita coisa vai mudar e provocar uma certa admiração de uma sociedade acostumada com esse tipo de comportamento, mas que ainda fica incrédula com certos acontecimentos que ocorrem entre os políticos e seus rumos. Entre os homens e suas tendências naturais em busca do comando político de cada cidade, estado e país. Dentro de uma visão dos passes que estão sendo dados agora, na área do campo da política sergipana, a sociedade pode se confrontar com uma metamorfose, que não será nenhum exagero de anormalidade. É natural da natureza política para sua sobrevivência. Evidente que o senador Almeida Lima (PDT) foi brusco quando disse que estava havendo um entendimento entre o governador João Alves Filhe (PFL) e o prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT). As coisas não são assim, tratadas no terreno dos municípios. Elas ultrapassam fronteiras e aterrissam em Brasília, onde realmente tudo acontece. Os fatos não se tão de repente, como se fosse o disparo de um revólver no peito do cidadão, para tomar-lhe a partido. É tudo muito devagar, macio, sedutor, para que o gesto caia como um buquê de flores no braço da amada. É bom lembrar que a disputa em 2006 será polarizada entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso. PT e o PSDB retornam ao embate para as eleições a presidente da República. Pode não ser FHC, mas estão preparando o governador de São Paulo, Gerald Alckmim para ser o nome que enfrente Lula em sua reeleição. Numa visão ampla, de momento, não estão surgindo outros nomes e o indicativo é para uma nova queda de braço entre tucanos e petistas. O governador João Alves Filho não cruza bem com o PSDB em Sergipe e em qualquer outro lugar do país. Nas eleições para presidente da República, em 2002, apoiou no primeiro turno o atual ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes (PPS), mas no segundo turno ficou com Luiz Inácio lula da Silva (PT), porque jamais votaria em Fernando Henrique Cardoso (PSDB). A ponte entre o João Alves Filho e o presidente Lula é o presidente do Senado, senador José Sarney (PMDB), que também tem pavor a FHC, desde o incidente com a sua filha, então governadora do Maranhão, Roseane Sarney. O clima entre o governador e o presidente já melhorou muito, tanto que João tem recebido recursos suficientes para fazer andar o seu Governo. Como a cúpula do PFL não está nada satisfeita com essa paquera e pode reprimir João Alves Filho, ele poderá migrar para o PMDB, partido de Sarney, e ser candidato à reeleição apoiando Lula da Silva, possivelmente como Marcelo Deda disputando o Senado. São meras conjecturas que fazem nos meios políticos, que tem pistas que sinalizam para fatos concretos, como foi o caso do suplente de deputado federal Ivan paixão, que assumiu provisoriamente o mandato, mas já está bem enturmado com Ciro Gomes, para facilitar liberação de recursos para Sergipe. Tudo está levando a crer que existe algo no ar que não são os potentes aviões de carreira. Já o senador José Almeida Lima (PDT) sempre sonhou em dirigir um partido maior. Continua de olho do PSDB e negocia sua filiação na legenda, sem perder o partido que está, porque o passará para o deputado estadual Luiz Garibaldi. Semana passada, ele conversou com os deputado federais Jutahy Magalhães e João Almeida, e com o senador Arthur Virgílio, na presença do deputado federal Bosco Costa. A conversa era exatamente a filiação de Almeida, sem intervenção. Tanto que já vão começar os entendimentos com o ex-governador Albano Franco. Anotem mais esse futurismo: o senador Almeida Lima deve ser o candidato ao Governo, para enfrentar João Alves Filho em 2006. Esse projeto vem se formando nos bastidores de Sergipe e na superfície das acomodações, em Brasília. CONVOCAÇÃO A Assembléia Legislativa retorna às suas atividades, neste período de recesso, amanhã, para votar o projeto da Fundação Dom Cabral. Terá uma profunda reformulação no Estado, reduzindo o seu tamanho. O projeto extingue órgãos, muda o tipo de outros e une alguns que têm as mesmas atividades. QUESTÃO O secretário adjunto da Juventude, Esporte e Lazer, Gualter, foi quem assumiu em Lugar de Genecildo, até que haja uma definição de como ficará a pasta. Almeida Lima (PDT) não indica mais ninguém, mas o pessoal vem mantendo uma conversa com ele, preparando um novo encontro com o governador João Alves Filho. CULPA Lideranças políticas que estão vinculadas ao prefeito Marcelo Déda (PT) consideram que o não cumprimento do acordo no interior é culpa de um comando mais forte do partido. Consideram que toda legenda tem que ouvir as suas lideranças, porque se continuar assim, serão difíceis entendimentos mais amplos, porque as bases simplesmente não atendem. MUDAR Não será difícil o senador José Almeida Lima (PDT) mudar de partido, porque ele também não está satisfeito como a Direção Nacional. Ele acha que depois da morte de Brizola não tem outro nome que o substitua e defende mudanças profundas na sigla, o que os chamados históricos não aceitam. SUSANA A senadora Maria do Carmo Alves (PFL) vai acompanhar a candidata Susana Azevedo na periferia de Aracaju, onde ela tem uma grande penetração e influência junto ao eleitorado. O governador João Alves Filho vai cuidar mais do interior, sem esquecer a capital. O objetivo é estar presente em todo o Estado. JORGE Membro do PMDB acham que o deputado Jorge Alberto, candidato a prefeito pelo partido, precisa ficar mais tempo em Aracaju, para ver se o seu nome crescer nas pesquisas. O pessoal acha que o PMDB não pode ficar lento, porque precisa eleger candidatos à Câmara Municipal e isso só acontecerá com o crescimento da campanha. MELHORA O secretário da Fazenda, Max Andrade está vibrando com a arrecadação recorde do ICMS no mês passado, mas preocupado com a queda drástica do Fundo de Participação Estadual e com as previsões negativas para o próximo mês. Max Andrade não entende como se anuncia o crescimento econômico do país, com queda no FPE. ENCONTRO O deputado Adelson Barreto e o empresário Macedo Brilho teriam uma reunião com o senador Antônio Carlos Valadares, para resolver o problema de Nossa Senhora do Socorro. O objetivo é tentar que Macedo Brilho retire a candidatura a prefeito, para que dê apoio a Adelson Barreto, dentro de um entendimento político. BRILHO O empresário Macedo Brilho (PSB) desistiu do encontro porque anunciou que não vai retirar sua candidatura à Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro. O grande problema continua sendo a indicação do vice de Adelson Barreto (PSB) pelo PT, mantendo o radialista Aélio Argolo. LARANJEIRAS Em Laranjeiras, o PT tem como candidato a prefeito o médico Ricardo Hangenberg e como vice Isidoro, do PSB. Tudo aprovado por indicação do Diretório Regional. A oposição lançou Iones Sobral (PTB) e o vice é Josmar, do PT. Está formada a confusão, que será resolvida com a ação do diretório Nacional. JACKSON O deputado federal Jackson Barreto viajou para a Espanha e em nenhum momento envolveu-se com a sucessão municipal. Passou a responsabilidade para o deputado Fabiano Azevedo. Tinham certas coisas que era necessária a presença de Jackson, como é o caso de Socorro. Os candidatos a vereador por Aracaju estão contrariados com ele. ERROS Uma influente fonte do Governo reconheceu, ontem, que em relação ao problema entre o governador João Alves Filho e o senador José Almeida Lima, existe erro dos dois lados. A mesma fonte acrescentou que Almeida Lima não poderia ser o último a conversar sobre a sucessão municipal. Deveria ter sido um dos primeiros. REUNIÃO O prefeito Marcelo Déda (PT) reuniu-se ontem com presidente de partidos aliados, para definir estratégia da campanha para a reeleição em Aracaju. Déda quer a unidade do bloco em sua campanha à reeleição, mostrou de suas possibilidades e que deseja encerrar o pleito no primeiro turno. RECLAMAÇÕES O prefeito Marcelo Déda continua ouvindo reclamações em relação ao comportamento do Partido dos Trabalhos nas cidades do interior. Diferente das demais legendas, o PT furou todo o projeto de fortalecimento nos municípios, porque procurou lançar candidatos e dividiu o interior. GILMAR O deputado estadual Gilmar Carvalho (PV) está avaliando a possibilidade de apoiar uma candidatura nem Aracaju. No momento ele prepara os candidatos proporcionais. Segundo Gilmar Carvalho, ele está tentando uma autorização do Partido Verde para aturar exclusivamente em cidades do interior. Notas DESTAQUE O deputado José Carlos Machado (PFL) apresentou um destaque à emenda do deputado Osvaldo Coelho (PFL), que determina prioridade na Execução Orçamentária para programas de desenvolvimento do Nordeste. O destaque apresentado por Machado foi discutido e aprovado na Comissão Mista de Orçamentos. O destaque propõe a inclusão, entre os programas prioritários de execução orçamentária, de três novos programas que beneficiam diretamente o Sertão Nordestino, no seu desenvolvimento e na área social. PROBLEMA Para Machado o grande problema da execução orçamentária da União é o não compromisso do Executivo com o que foi votado e aprovado na Lei Orçamentária Anual (LOA). O Destaque de Machado assegura prioridade na liberação do montante destinado aos programas de desenvolvimento do Nordeste. “Ora, não posso concordar que Programas que beneficiam o Nordeste sejam penalizados pela determinação aleatória do Executivo. A medida garante que os valores determinados pela LOA tenham prioridades em sua liberação”, diz Machado. DE OLHO O Ministério Público está de olho nos candidatos às Câmaras Municipais e Prefeituras. Garante que não permitirá o abuso do poder econômico. O MP quer chances iguais e que o povo decida o que quer para representantes nos parlamentos e no Poder Executivo Municipal. Será preciso muito trabalho para impedir isso. O promotor Paulo José Francisco Alves já mostrou que não haverá moleza e impugnou 70 candidaturas no interior, por falta de documentos e porque muitos deles não comprovaram escolaridade mínima para exercer o mandato. É fogo Repercutiram pesado as declarações do senador José Almeida Lima (PFT), de que o governador João Alves Filho (PFL) estava se entendendo com o presidente Lula. Pela forma como Almeida Lima está começando a se expressar, vai ficar difícil um entendimento entre os dois. O governador João Alves Filho seguiu, domingo, de Paris para a China, onde fará uma série de contatos empresariais. O secretário da Indústria e Comércio, Tácito Faro, não acompanhou a comitiva do governador porque teve problemas de saúde. O secretário da Fazenda, Max Andrade, encontra-se em São Paulo, onde trata de problemas pessoais. A campanha já está pegando fogo no interior do Estado. Em Aracaju as coisas continuam ainda na fase dos contatos com coordenações. O prefeito Marcelo Déda, candidato à reeleição pelo PT, vai fazer poucos comícios de grande porte. Marcelo Déda vai preferir os contatos com as comunidades, o que fará das 18 às 22 horas, depois do expediente. A deputada Susana Azevedo também está andando pelos bairros, no seu trabalho de corpo-a-corpo. Optou por poucos comícios grandes. Na opinião do deputado estadual Augusto Bezerra (PMDB), Paulo Barbosa de Deus será o terceiro colocado em Canindé do são Francisco. O vereador Evando Franca (PTB) não perdeu o entusiasmo e sabe que terá que trabalhar em dobro para garantir mais um mandato. A inflação medida pelo IPCA subiu 0,71% em junho, devido ao avanço dos preços dos alimentos e dos transportes, segundo o IBGE. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários