MUITA CONVERSA

0

Um grupo que apóia a candidatura do prefeito Marcelo Déda (PT) ao governo do estado tem um encontro marcado para a próxima quinta-feira. Vai discutir a atual situação do país, a crise política que atrapalha os trabalhos no Congresso Nacional e a indignação da sociedade com o partido dos trabalhadores. Esse show de corrupção e fraudes que se assiste no Governo do PT, organizado pelo grupo majoritário do partido, tem deixado o povo perplexo com o partido que cantou a esperança e provocou uma expectativa de ética, moral, dignidade e trabalho em um Brasil carente de seriedade. O pessoal está analisando como anda o PT visto pela população, que incluiu mais uma palavra no seu vocabulário: “mensalão”. Uma triste invenção do Partido dos Trabalhadores para subornar segmentos dos partidos políticos e conquistar a maioria no Congresso. Há um sentimento que não se pode fingir que está tudo bem, quando a realidade depõe contra toda uma estrutura de seriedade que o Partido dos Trabalhadores pregava.

 

No final desta semana houve uma reunião em que estavam presente quatro prefeitos do interior e duas lideranças políticas regionais, todos vinculados à oposição em Sergipe. Um deles avaliou que o quadro de um PT destroçado e corrupto – evidentemente s referindo-se a esse grupo que jogou o partido na lama – já chegou firme ao interior e está fixado na mente da gente humilde que esperava uma melhor situação de vida no governo do presidente Lula. Admitiu, também, que o governador João Alves Filho (PFL) avançou e aproveita a situação para levar adiante o seu projeto administrativo. A situação das cidades também está complicada, porque alguns prefeitos se sentem sufocados sem o apoio do estado. Dois deles, integrantes da oposição, já se insinuaram para uma conversa com o governador e há um trabalho forte de intermediação para preparação da adesão. O pessoal deduziu também que a crise política está inibindo o funcionamento total dos Ministérios e a redução de recursos: “o governo federal está muito mais preocupado com as denuncias que surgem a cada dia, do que em liberar dinheiro para os municípios”, disse um parlamentar que comandava o encontro.

 

A idéia de uma reunião na quinta-feira, onde também se discutirá o processo de eleições do partido, marcadas para 18 de setembro quando se elege todos os diretórios municipais, estaduais e nacional, vai analisar a candidatura do prefeito Marcelo Déda ao governo do estado em 2006. O grupo acha que se toda essa crise perdurar até o próximo ano, principalmente se chegar a cobrir o presidente Lula, fica muito complicado convencer o eleitorado da seriedade decantada seriedade petista, embora Marcelo Déda não tenha sido atingido por um único respingo do lamaçal que se criou no Planalto. Alguns políticos admitem que não dá para deixar um mandato e arriscar uma disputa eleitoral, mesmo que o nome do prefeito ainda tenha bons índices nas pesquisas. Ninguém vai sugerir desistência, apenas que se faça uma analise mais racional do clima para uma disputa acirrada. Nenhuma eleição para o governo do estado é fácil, principalmente quando se está entrando na dança com todo o bloco fora de ritmo.

 

O prefeito Marcelo Déda, entretanto, se mostra preocupado com esse quadro que envolveu o Partido dos Trabalhadores. Já demonstrou tristeza com o envolvimento de seus velhos companheiros da Direção Nacional e defende que tudo deve ser apurado com rigor, para punição dos culpados. Deixa claro, entretanto, que não recua de sua candidatura e até já antecipou que não perderá por W.O. Já sexta-feira da semana passada, almoçando com pessoas muito próximas, disse que nada lhe atinge, que é a sua vez e vai disputar as eleições de 2006. A vontade de Déda é incentivada pela cúpula aliada, mas a periferia oposicionista pede mais paciência, que se analise até onde vai essa tempestade, para se tomar uma decisão mais adiante. Agora seria hora de meditar, rever conceitos e posições, e refazer o PT, para que chegue nas convenções com uma avaliação das condições para enfrentar o pleito.

 

 

CONVERSA

Aproximadamente 20 personalidades de Sergipe estiveram com Antony Garotinho (PMDB), no Palácio da Guanabara, no Rio de Janeiro. Foi uma conversa política muito importante, que pode fortalecer um grupo no estado, já para as próximas eleições.

 

TEMPO

Garotinho chegou a deixar sem fôlego parte do grupo sergipano que o visitou, ao relatar a sua intensa agenda política, que praticamente lhe toma todo o dia. Em tom de brincadeira um deles perguntou: “mas o senhor trabalha tanto, qual o tempo que dá à sua mulher, governadora Rosinha”?

 

ROSALVO

O relator da CPMI dos Correios, Osmar Serraglio (PMDB-PR), já informou que não foi depositado nenhum dinheiro sujo na conta do ex-vereador Rosalvo Alexandre. Osmar Serraglio também garantiu que não existe qualquer tipo de citação do Banese na CPMI dos Correios.

 

ABATIDO

Há informações de que o ex-vereador Rosalvo Alexandre está muito calado e contrariado com a notícia de que havia recebido R$ 200 mil em sua conta. Não quer responder nada sobre o assunto, mas já disse que vai processar quem o acusou. Há uma certa aflição em relação ao que está acontecendo, principalmente às denuncias.

 

DINHEIRO

Durante as eleições municipais de 2004 o deputado federal Jackson Barreto (PTB) confidenciou para um amigo muito próximo que estava com as mãos na cabeça. Jackson não podia ajudar financeiramente os candidatos do seu partido.Culpou o diretório nacional de não ter enviado os recursos que prometera.

 

CANDIDATO

O prefeito Marcelo Déda (PT) almoçou com o vice Edvaldo Nogueira, o secretário Oliveira Lima e Rosalvo Alexandre, das 13 às 17:30 horas, em um restaurante da Coroa do Meio. Já no final do almoço, Déda deixou bem claro: “sou candidato a governador, porque é minha vez e o meu nome é limpo”.

 

DOCUMENTO

O deputado federal João Fontes (PDT) está esperando a entrega da relação por Delúbio Soares, sobre os diretórios estaduais que receberam dinheiro de caixa-2 ou contabilizado. “Vamos esperar quem recebeu esses recursos não contabilizados (caixa-2) ou contabilizado para denunciarmos sem fazer injustiça”, disse João.

 

SEVERINO

Quando viajava ao lado do deputado João Fontes, o presidente regional do PT em Sergipe, Severino Bispo disse que não recebeu dinheiro da direção nacional. Rindo, Bispo pediu que procurasse apurar, “porque para o Diretório Regional não veio nada durante as eleições”.

 

TRANSPOSIÇÃO

O Tribunal de Contas da União (TCU) suspendeu a licitação das bombas que seria compradas para fazer a transposição das águas do rio São Francisco. Segundo o deputado Venâncio Fonseca (PP), o mérito foi do governador João Alves Filho, “porque todo mundo abriu e ele ficou sozinho. Essa luta pelo rio já chegou no interior”.

 

CONVERSA

O secretário Belivaldo Chagas (PSB) vai conversar com o prefeito Marcelo Déda, ainda esta semana, para colocar o seu cargo à disposição e retornar à Assembléia até o dia primeiro de setembro. Belivaldo acha que a sua posta, que faz a coordenação política, é a melhor para o ex-presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra. Acrescentou: “agora Déda é que vai decidir”.

 

BRASÍLIA

Belivaldo Chagas esteve em Brasília no final de semana para a eleição da Direção Nacional. O presidente é Eduardo Campo. O senador Valadares é o segundo secretário. Belivaldo disse que o partido discutiu a reforma política com receio da Clausula de Barreira e acha que a filiação do ministro Ciro Gomes fortalece o PSB e mantém os 5%.

 

INDEFINIDO

Mesmo com a entrada do senador Almeida Lima, o PMDB não definiu candidatura ao governo do estado em 2006. O presidente do partido, Benedito Figueiredo, disse que pode acontecer tudo, mas vai depender de entendimentos futuros.

 

MUDANÇAS

Até setembro haverá ampla mudança no quadro partidário de Sergipe, visando as eleições de 2006. Várias reuniões estão acontecendo até fora do Estado. As mudanças foram um grupo capaz de eleger um bom número de parlamentares. Partidos pequenos podem se tornar grandes e influentes.

 

VENÂNCIO

O deputado Venâncio Fonseca disse que todo mundo está se aguardando, porque as regras eleitorais ainda não estão definidas. Venâncio acha que se tirar o showmício já é uma grande economia. Sobre a compra de voto o deputado acha que será difícil porque “haverá uma onda de denuncismo muito grande”.

 

RENATA

A repórter Renata Alves estreou no programa “SBT Brasil”, que tem como âncora Ana Paula Padrão.

Renata apresentou sua primeira matéria em rede nacional ontem à noite, sobre o Dia da Cultura. Renata foi escolhida como a repórter da rede em Sergipe. 

 

Notas

 

PALOCCI

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, admitiu ter cogitado deixar o cargo e negou todas as denúncias feitas por seu ex-assessor na prefeitura de Ribeirão Preto Rogério Buratti. Na entrevista que concedeu domingo, Palocci garantiu que não houve nenhuma atividade ilícita sob o seu comando na administração municipal. Ministros e deputados acusados de corrupção desmentiram as denuncias, mas todas foram comprovadas, Resta saber se Buratti não tem cartas escondidas na manga do paletó para comprovar o que disse no Ministério Público.

 

CAIXA-2

O deputado federal Bosco Costa (PSDB) declarou ontem que as CPI`s estão saindo do foco para o que foi instalada e está entrando na questão do caixa-2 de campanhas. O parlamentar admite que essa prática de caixa-2 existe em todo o Brasil, desde as Câmara Municipais até à Presidência da República. Bosco Costa acredita que estão levando todos os fatos para o caixa-2, “só que há mensalão mas quem recebia eram os presidentes e líderes dos partidos”. Bosco acha que tudo deve ser esclarecido para o bem do país.

 

CARTA

Adeilson Souza Costa, que teria enviado carta para parlamentares e jornalistas, fazendo denuncias contra o ex-prefeito de Pirambu, André Moura (PFL) e o presidente da Assembléia Legislativa, Antônio Passos (PFL), é um metalúrgico que reside em São Paulo há mais de 8 anos. A assinatura é falsa. Alguém utilizou algum documento seu e falsificou grosseiramente a assinatura de Adeilson. O autor da carta foi identificado como Jacó e reside à rua de Estância. A polícia investiga e já está próximo do culpado.

 

 

É fogo

 

Semana passada houve uma reunião de deputados em Brasília, para discutir uma saída para a crise e exigir punição dos culpados.

 

A idéia da reunião foi do próprio Bosco Costa, mas ele não pode comparecer porque esteve adoentado.

 

O ex-governador Albano Franco (PSDB) é o nome mais forte do partido para disputar as eleições para o governo do estado no próximo ano.

 

Lideranças dos partidos no Congresso Nacional se reúnem esta semana para tentar mudar alguma coisa do projeto de reforma política.

 

Um integrante do grupo de apoio ao prefeito Marcelo Déda disse ontem que a situação do PT Nacional pegou em todo o sertão.

 

João Fontes disse que a sorte do presidente Lula é ter uma oposição equilibrada, que acha melhor ele terminar o seu mandato.

 

João Fontes explicou que a oposição prefere manter Lula que preferem isso a ter um Severino Cavalcante comandando o país por 30 dias.

 

O senador Almeida Lima (PMDB) declarou ontem que não há nenhuma novidade política, mesmo com o seu recente retorno ao partido.

 

O governador João Alves Filho inicia a semana deflagrando obras e realizando uma série de inaugurações na capital e interior do estado.

 

A Petrobras anunciou que vai reajustar os preços do gás natural produzido no país em 6,5% a partir de primeiro de setembro e em mais de 5% a partir de primeiro de novembro.

 

Mesmo sem luz, a Vasp – que está sob intervenção judicial desde março – se prepara para voltar a operar normalmente.

 

O conglomerado Banco do Brasil (BB) ocupou a primeira posição no ranking das instituições financeiras que mais receberam queixas de clientes em julho.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários