Musiqualidade

0

R E S E N H A

Cantora: ISABELLA TAVIANI
CD: “EU RAIO X”
Gravadora: INDEPENDENTE

Cantora de fartos recursos, dona de uma voz poderosa e afinada, Isabella Taviani surgiu acompanhada de inevitável comparação com Ana Carolina. De fato, o timbre dessa carioca lembra, em várias passagens, o da colega mineira e até a forma despudoradamente apaixonada dos seus versos passionais parecem se situar no mesmo panteão romântico da outra. Ambas boas compositoras, têm feito das experiências amorosas o principal tema de suas criações.

Mas o fato é que, não obstante certas semelhanças, Taviani já mostrou possuir incontestável talento próprio, tanto que acaba de lançar o seu novo CD, o quinto da carreira, já tendo consolidado, ao longo de uma trajetória de vinte anos, um considerável séquito de fãs.

O álbum intitulado “Eu Raio X”, o qual está chegando às lojas de maneira independente com a produção a cargo do baixista André Vasconcellos, é composto por uma dúzia de faixas (todas elas inéditas) e inaugura a parceria de Taviani com Myllena, cantora revelada no quadro “Garagem do Faustão” (até há pouco tempo integrante do programa dominical da Rede Globo). As duas assinam juntas três canções e é de autoria somente de Myllena a contundente faixa-título desse disco de sonoridade pop, sendo as outras oito compostas unicamente por Taviani.

As letras revelam sensações que parecem ter sido verdadeiramente vividas pela artista e trazem, via de regra, achados interessantes. Melodicamente, Taviani se mostra uma inspirada construtora de refrões sedutores e, se é fato que suas canções crescem consideravelmente no palco quando sua forte presença cênica se impõe com galhardia, também o é que elas funcionam direitinho nos registros de estúdio.

Entre músicas medianas (como “A Palavra Errada”, “A Canção que Faltava” e “Estrategista”) e temas mais pesados (“Contradição” e “Mulher Sábia”), o CD alcança os seus melhores momentos com as faixas “Encaixotei minha Paz” (que conta com a participação especial de Jr. Tostoi nas guitarras), “Roda Gigante” e “A Imperatriz e a Princesa” (que relata a fábula da paixão entre duas mulheres).

Já através da arte gráfica do CD Taviani expressa a vontade de se despir de paradigmas numa espécie de incessante recomeço, mostrando-se em fotos nas quais aparece raspando os cabelos à máquina 3. Num mercado cada vez mais competitivo, ela aprendeu que, para permanecer viva, tem que se reinventar constantemente. E, embora não seja tão constatável assim logo de prima, seu novo trabalho entrega, nos subtextos e entrelinhas, pistas de que mudanças (sempre tão alvissareiras) vêm se engendrando por aí. Quem viver, ouvirá!

N O V I D A D E S

* Zeca Baleiro está lançando o seu nono álbum de inéditas. Intitulado “O Disco do Ano”, o projeto tem como diferencial ter sido produzido por quinze nomes diferentes (a lista reúne tanto músicos que passaram por sua banda, como Rogério Delayon, Tuco Marcondes, Fernando Nunes, Kuki Stolarski e Pedro Cunha, até outros com quem ele ainda não havia trabalhado em um disco seu, caso de Paulo Lepetit, Beto Villares, Luiz Brasil, Rodrigo Campello e Sasha Amback). Isso logicamente faz com que a homogeneidade não seja o ponto forte do trabalho, mas como Baleiro continua a procurar uma definição para a sua arte, a ousadia termina se justificando. Quando surgiu, ele logo se mostrou um artista inspirado (seus dois primeiros discos são excepcionais). O recém-lançado CD (que chega ao mercado através da gravadora Som Livre) surge composto por doze faixas, onde delas inéditas (a exceção é a regravação de “Nada Além”, parceria com Frejat e por este já lançada em 2008). Trata-se de um projeto inteiramente autoral em que Baleiro apresenta canções que compôs sozinho (“Ela Não se Parece com Ninguém”, “Felicidade Pode Ser Qualquer Coisa”, “Tatoo” e “Mamãe no Face” estão entre elas) e outras criadas com colaboradores (como é o caso da havaiana “O Amor Viajou”, feita ao lado de Kana, compositora japonesa radicada no Brasil). A faixa “Nu” é, de longe, a melhor do repertório apresentado, mas “Calma Aí, Coração” e “Zás” (parcerias com Hyldon e Wado, respectivamente) também merecem destaque. Há as participações especiais de Andrea Dias (no rock “Meu Amigo Enock”), Margareth Menezes (no reggae “Último Post”, parceria de Baleiro com a irmã Lúcia Santos) e Chorão (no rap “O Desejo”).

* Caetano Veloso estará completando, no próximo mês de agosto, sete décadas de vida e essa data redonda certamente servirá de pretexto para que algumas homenagens lhes sejam feitas. Uma delas, já confirmada pela gravadora Universal, será o lançamento de um CD com regravações inéditas de vários sucessos do artista baiano nas vozes da mais recente geração da MPB (a exemplo de Marcelo Camelo, Luisa Maita, Mariana Aydar, Momo, Céu e outros) e de alguns nomes estrangeiros (caso de Jorge Drexler e de Devendra Banhart).

* Em maio, o tributo idealizado pela gravadora Joia Moderna para homenagear a obra de Guilherme Arantes chegará às lojas. No projeto, vinte de suas canções receberão as vozes de grandes cantoras da nossa MPB. Mas quem pensa que o cantor e compositor paulista (que vem residindo, há anos, em Salvador) encontra-se parado, está redondamente enganado: Guilherme já reúne algumas das canções inéditas que criou recentemente e negocia com gravadora para reuni-las em um novo CD. Se tudo der certo, o disco será lançado até o final deste ano.

* Maestro que acompanha Roberto Carlos há décadas, o pianista Eduardo Lages, está lançando, através da gravadora Som Livre, o seu sexto CD. Intitulado “Romances”, o álbum contará com a participação especial do Rei na faixa “Eu Nunca Amei Alguém Como Eu te Amei”, parceria de Lages com Paulo Sérgio Valle e já gravada pelo próprio Roberto em 1994.

* Está sendo gravado em Buenos Aires, na Argentina, o novo projeto musical do gaúcho Vitor Ramil. Sairá como CD duplo e contará com a regravação de trinta canções autorais. Nas lojas no segundo semestre e calcado do formato voz e violão, intitular-se-á “Foi no Mês que Vem”.

* Para quem não sabe, a cantora Marina Elali é neta do compositor pernambucano Zé Dantas, um dos parceiros mais constantes de Luiz Gonzaga. E com o objetivo de jogar luzes sobre o cinquentenário da morte do seu avô, ela gravará, no segundo semestre, CD e DVD que deverão contar com as participações de Elba Ramalho e Dominguinhos, entre outros, e chegarão ao mercado ainda este ano.

* E após terminar os seus trabalhos como produtor do novo CD de Mart’nália (o qual estará disponível já na semana que vem), Djavan volta toda a sua atenção agora para as gravações de seu próximo álbum. Ancorado por uma banda formada por Paulo Calasans (teclados), Torcuato Mariano (guitarra), Marcelo Mariano (baixo), Carlos Bala (bateria), Jessé Sadoc (trompete) e Marcelo Martins (saxofone), o talentoso alagoano já se encontra em estúdio.

* O cantor e compositor sergipano Lula Ribeiro, ora radicado em Belo Horizonte (MG), recebeu recentemente ao lado do percussionista Marco Lobo, em solenidade realizada no Teatro Sesiminas, o prêmio de melhor Trilha Original do ano de 2011 por conta de suas criações musicais para o espetáculo “Adorno”, levado aos palcos pelo Grupo de Dança Primeiro Ato. Os nossos sinceros parabéns por mais essa conquista que não deixa de ser de toda a música sergipana. Valeu, Lula!

RUBENS LISBOA é compositor e cantor
Quaisquer críticas e/ou sugestões serão bem-vindas e poderão ser enviadas para o e-mail: rubens@infonet.com.br

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais