MUSIQUALIDADE

0

R E S E N H A

Cantor: ERASMO CARLOS
CD: “50 ANOS DE ESTRADA”
Gravadora: COQUEIRO VERDE RECORDS

Diz a lenda que as jovens tardes de domingo no Brasil nunca mais foram as mesmas depois que a Jovem Guarda invadiu as casas através da televisão na década de sessenta do século passado. À sua frente estavam Roberto Carlos, Wanderléa e Erasmo Carlos. E se o primeiro veio a se transformar no número um do nosso cancioneiro quando resolveu se dedicar à seara romântica e a segunda sobreviveu em meio a altos e baixos, o terceiro sempre correu por fora, mantendo-se em evidência por conta das bem-sucedidas parcerias com o Rei e de vários discos nos quais conseguiu colecionar sucessos, a exemplo de “Gatinha Manhosa”, “Minha Fama de Mau”, “Vem Quente que Eu Estou Fervendo”, “Sentado à Beira do Caminho”, “Mané João”, “Cachaça Mecânica”, “Filho Único”, “Mulher” e “Pega na Mentira”.
Erasmo, que sempre foi um roqueiro inveterado, começou sua carreira musical em 1958, cantando no grupo The Sputniks do qual fazia parte o também famoso Tim Maia. Quatro anos depois, passou a fazer parte do grupo Renato e Seus Blue Caps, marco inicial de sua fase profissional, só vindo a estrear na carreira solo em 1964 quando, de cara, engatou um grande hit radiofônico: a contagiante “Festa de Arromba”.
É essa vitoriosa trajetória que está a completar cinquenta anos o motivo principal do lançamento do CD duplo (também disponível em DVD) intitulado “50 Anos de Estrada”, registro do show realizado no Teatro Municipal do Rio de Janeiro em junho do ano passado e que ora chega às lojas através da gravadora Coqueiro Verde.
Em vinte faixas sob a direção geral do filho Léo Esteves, Erasmo desfia, cheio de gás, tanto canções mais antigas, como é o caso de “Negro Gato”, “Lobo Mau” e “Quero que Vá Tudo pro Inferno”, quanto temas mais recentes, a se destacar “Jogo Sujo”, “Chuva Ácida” e “Cover”. Uma das boas surpresas é a presença de Marisa Monte, convidada e parceira de “Mais Um na Multidão”. A outra participação especial fica por conta de ninguém mais, ninguém menos que o “amigo de fé, irmão camarada”. Com Roberto, Erasmo divide os vocais de “Parei na Contramão” e “É Preciso Saber Viver” e se torna incontestável a cumplicidade dos dois, bem como a admiração e o carinho recíprocos.
Erasmo, que nunca foi portador de uma grande voz, dá conta do recado com a sabedoria que os cabelos brancos lhe conferem, embora logicamente já se ressinta do peso dos anos. Uma indissociável jovialidade inata, no entanto, está lá e isso fica especialmente nítido no medley que reúne as arrasa-quarteirões “Desabafo”, “Olha”, “Proposta”, “Cavalgada”, “Café da Manhã”, “Os seus Botões”, “Detalhes” e “Eu te Amo, te Amo, te Amo”. E é de forma bastante natural que, sem solução de continuidade, ele reúne música aparentemente despretensiosa (“Minha Superstar”), canção um tanto mais engajada (“Panorama Ecológico”) e um de seus temas mais inspirados (“Mesmo que Seja Eu”).
Acompanhado por uma entrosada banda formada pelo trio Filhos da Judith (Luiz Lopez nos violões e guitarras, Pedro Dias no baixo e Alan Fontenele na bateria) e músicos de primeira linha como Dadi e Billy Brandão (revezando-se entre guitarras e violões) e o maestro José Lourenço (teclados), Erasmo Carlos mostra-se feliz e realizado nesse projeto. Embora tenha ainda muito a contribuir com a sua arte, trata-se de um artista que já firmou há muito seu nome no panteão da nossa música popular. E, na contramão do título de uma de suas mais famosas canções, o que se constata é que ele é, na verdade, uma criança que entende tudo.

N O V I D A D E S

* Negra Li, cantora que surgiu na cena hip hop paulista como rapper ao lado do parceiro Helião e terminou aterrissando no universo pop, está ponto no mercado seu segundo CD após seis anos de lançado o primeiro trabalho solo. Intitulado “Tudo de Novo”, o álbum (que traz a assinatura de Rick Bonadio na direção) chega às lojas através da gravadora Universal. Negra é boa cantora que merecia um repertório menos trivial. Composto por onze faixas, alguns dos destaques ficam por conta de “Vai Passar”, tema em que se ouvem ecos de Marisa Monte, e “Como Iguais”, música ambientada em clima jazzy de cabaré, ambas de Sérgio Britto. Por incrível que possa parecer, a canção mais delicada do disco é justamente de autoria do roqueiro e guitarrista Edgard Scandurra (“Culto de Amor”, em parceria com Taciana Barros). Negra canta também criações de Gisele De Santi (“E Eu”), Leandro Lehart (“Posso Morrer de Amor”) e Léo Jaime com Leoni (“Fotografia”).

* Será realizada em novembro, em Las Vegas (EUA), a 13ª edição do Grammy Latino. E este ano foi Caetano Veloso o eleito como a Persona del Año. Ele será homenageado na cerimônia de gala, ocasião em que artistas de diversas nacionalidades e gerações vão interpretar algumas de suas músicas. E falando no baiano, chegará às lojas no comecinho do próximo mês, através da gravadora Universal, o CD intitulado “A Tribute to Caetano Veloso”, o qual conterá dezesseis faixas produzidas por Paul Ralphes com vistas a festejar os setenta anos que o irmão de Maria Bethânia completará no dia 7 de agosto. Dentre os intérpretes selecionados estão Céu, Jorge Drexler, Marcelo Camelo, Beck, Luisa Maita, Mutantes, Devendra Banhart, Rodrigo Amarante, Tulipa Ruiz, Seu Jorge e Mariana Aydar.

* Foi registrado semana passada no Teatro Rival, no Rio de Janeiro, o show “Infernynho” que reúne Marília Bessy e Ney Matogrosso interpretando canções de viés sexy e dançante. O projeto capitaneado pelo pesquisador e produtor Rodrigo Faour será lançado até o final do ano nos formatos CD e DVD.

* Através da gravadora MZA Music estão aportando no mercado CDs e DVDs com os registros ao vivo de shows feitos por artistas e bandas brasileiras na edição de 2011 do festival Rock in Rio, a exemplo de Capital Inicial, Detonautas, Jota Quest, Skank e Frejat. Especial para fãs e colecionadores…

* Afastada dos estúdios há anos, a excelente cantora Zizi Possi vai devagarzinho voltando à ativa depois de período dedicado a cuidados com problemas ligados à sua saúde. Já agora em agosto ela irá realizar alguns shows no Tom Jazz, em São Paulo, os quais serão devidamente gravados para futuramente chegar às lojas em CD e DVD. Ainda será um registro ao vivo, mas quem sabe um primeiro passo para que, em breve, ela venha a pensar em um disco de inéditas. Uma artista que realmente faz falta em tempos tão sombrios pelo qual passa o nosso cenário musical brasileiro.

* A PolySom vem relançado, no formato vinil, alguns títulos bem interessantes. Dentre eles já se encontram disponíveis quatro discos de Jorge Ben Jor (“A Tábua de Esmeralda”, “África Brasil”, “Samba Esquema Novo” e “Negro É Lindo”), além do primeiro trabalho gravado por Jards Macalé em 1972 e que traz as obras-primas “Vapor Barato” e “Movimento dos Barcos”.

* Enquanto o paraibano Zé Ramalho está fazendo chegar às lojas por estes dias o seu novo e aguardado CD de inéditas, o cearense Fagner anuncia já ter um álbum novo totalmente pronto, aguardando somente o momento mais apropriado para lançá-lo. Incansáveis, os dois artistas, no entanto, vêm se reunindo e arquitetam a gravação de um disco em dupla. Coisa muito boa deverá vir por aí!

* Mais uma do clã Caymmi envereda de vez pelos caminhos da música: trata-se de Alice Caymmi que estará lançando neste segundo semestre o seu primeiro CD (de cunho eminentemente autoral), o qual vem sendo idealizado há cerca de quatro anos.

* Quatorze canções originadas da parceria entre os compositores Mauro Aguiar e Luiz Flavio Alcofra foram registradas no CD intitulado “Tresvarios”, que será lançado até o final deste ano. E para interpretar esses temas os dois convidaram a cantora Mariana Baltar, um dos nomes em grande ascensão na nossa MPB atual. Não poderiam ter feito escolha mais acertada porque a moça de fato arrebenta!

* João Marcelo Bôscoli, o filho primogênito da inesquecível Elis Regina, conseguiu adquirir, após várias tentativas, os direitos do especial gravado em 1972 pela Pimentinha para uma emissora de TV da Alemanha e anuncia que, em breve, depois de efetuados os devidos trabalhos de correção de áudio e vídeo, ele será lançado no Brasil em DVD. Quem viver, verá!

RUBENS LISBOA é compositor e cantor
Quaisquer críticas e/ou sugestões serão bem-vindas e poderão ser enviadas para o e-mail: rubens@infonet.com.br

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais