Musiqualidade

0

Resenha  1

Cantoras: Várias
CD: “Mulheres de Péricles”
Gravadora: Joia Moderna

Péricles Cavalcanti é um carioca que se criou em São Paulo. Chegou a cursar filosofia, mas ao morar em Londres e Paris começou a enveredar pelo caminho da música, o que terminou se tornando sua paixão maior. Compositor cult de letras sucintas e inteligentes, ele tem canções gravadas por nomes de primeira grandeza da nossa MPB, como Caetano Veloso, Simone, Gal Costa, Cássia Eller, Arnaldo Antunes, Fafá de Belém e Adriana Calcanhotto. Gravou alguns discos também como intérprete das próprias criações, mas o fato é que suas músicas crescem quando encontram vozes de fato mais talhadas para o canto.

Assim, revela-se louvável a iniciativa do projeto capitaneado pelo DJ Zé Pedro (sob a curadoria de Nina Cavalcanti, filha do homenageado), proprietário da gravadora Joia Moderna, no qual dezessete cantoras integrantes da nova geração indie da música nacional emprestam suas vozes a temas de Péricles tais como “Elegia”, “Negro Amor”, “Ode Primitiva”, “Eva e Eu” e “Musical”: trata-se do CD intitulado “Mulheres de Péricles”, o qual acaba de chegar ao mercado no formato físico (anteriormente, já havia sido disponibilizado na internet para download) e se faz composto por quinze faixas, cada uma revestida pela cantora escolhida da forma como se lhe tornou mais desejável.

Estão lá, entre outras, Nina Becker, Juliana Kehl, Blubell, Bárbara Eugênia, Karina Buhr, Iara Rennó e Ava Rocha, mas se torna incontestável que os melhores momentos ficam por conta de Céu (“Blues”), Tulipa Ruiz (“Porto Alegre”), Laura Lavieri (“Quem Nasceu?”) e especialmente Tiê (“Medo de Amar nº 3”).
O resultado geral do tributo, merecidamente feito com o artista vivo, soa bacana, motivo pelo qual, então, merece ser prestigiado!

Resenha 2

Cantora: Flávia Bittencourt
CD: “No Movimento”
Gravadora: Independente

Flávia Bittencourt é boa cantora maranhense que está lançando o seu terceiro CD de maneira independente. Depois de uma promissora estreia, em 2005, com o álbum “Sentido” e de homenagear o grande Dominguinhos com o disco “Todo Domingos”, de 2010, ela põe nas lojas “No Movimento”, demonstrando considerável crescimento artístico-musical.
Embora não possua um timbre de voz definitivamente marcante (ela faz lembrar várias intérpretes, em especial Vanessa da Mata em algumas passagens), Flávia mostra afinação e segurança e parece saber a rota que quer dar à sua carreira, processando com destreza ritmos regionais e contemporâneos de pitadas pop.

Assinando a produção musical do recém-lançado trabalho ao lado de, entre outros, o baixista Fernando Nunes, a artista se arrisca como compositora em quatro das onze canções que compõem o repertório, inclusive na faixa-título, saindo-se bem no xote-reggae “Lamento das Flores” e na toada “Um Instante” (esta, ao pôr melodia em versos criados por Ferreira Gullar). E se a revisita a “Bambayuque” (de Zeca Baleiro) não chega a roçar a beleza de sua gravação original feita em 1996 por Renato Braz, a releitura de “Fanatismo” (de Fagner sobre poema de Florbela Espanca) soa bastante apropriada. Ainda que seja conveniente ressaltar que Flávia ganhou uma inédita canção de Luiz Melodia (“Franqueza”, parceria com Renato Piau) e que trouxe para o seu universo a tolinha “Mar de Rosas” (de Joe South em versão de Rossini Pinto, grande sucesso do grupo The Fevers), o que salta mesmo aos ouvidos são as faixas “Dente de Ouro” (de Josias Sobrinho), “Onde Você Levar” (de Alberto Trabulsi, presente como convidado especial) e “Parangolé” (de César Teixeira, que traz a participação do já citado Baleiro nos vocais), as três, sem dúvida, os destaques do CD. Vale a pena conhecer!

Novidades

* A gravadora Som Livre está lançando, de forma concomitante, os CDs com as trilhas sonoras instrumentais das telenovelas globais “Guerra dos Sexos” e “Lado a Lado”, os quais trazem as músicas originais compostas por Mu Carvalho e Roger Henri, respectivamente. De estilos completamente diferentes, os álbuns são verdadeiros oásis nesse mundaréu de baticuns e gritarias que assolam o mercado fonográfico atual. Bom para relaxar e curtir!

* Para marcar sua apoteótica passagem pelo Carnaval de Recife deste ano, a cantora Fafá de Belém gravou, especialmente para o bloco Galo da Madrugada, o EP “Fafá, Frevo e Folia – Coração Pernambucano” que contou com a produção de Zé da Flauta e a direção musical de Bráulio Araújo, além da participação ativa do maestro Spok em alguns arranjos. O disco, composto por cinco faixas (“Voltei, Recife”, “Sedução”, ambas de Luiz Bandeira, “Sabe Lá o que É Isso”, de João Santiago, “De Chapéu de Sol Aberto”, de Capiba, e “Hino do Galo”, de Mário Chaves), se encontra atualmente esgotado, mas um novo lote já está sendo providenciado e em breve estará disponível para vendas diretamente no site do supracitado bloco.

* O violonista e guitarrista Clayton Barros, ex integrante do extinto grupo Cordel do Fogo Encantado, montou uma nova banda, Os Sertões, e com ela está lançando de maneira independente o CD intitulado “A Idade dos Metais”. Com a produção assinada pelo baixista Rafael Duarte, outro integrante (completam o time o trombonista Deco Trombone e o baterista Pernalonga), o álbum apresenta um repertório composto por onze faixas, dez delas autorais e inéditas, a maioria assinada por Clayton. Há dois temas instrumentais e a interessante regravação de “Galope Rasante”, de Zé Ramalho, originalmente gravada por Amelinha em seu disco “Frevo Mulher”, lançado em 1978. Os destaques ficam por conta de “Alamedas”, “Da Infância”, “A Pedra” e “Vem Cá, meu Bem”.

* Estarão chegando em breve às lojas, através do selo carioca Lab 344, os CDs “Trinta” e “Trinta ao Vivo”, frutos do pacote que marcará o retorno de Patrícia Marx ao mercado fonográfico. Uma das faixas do projeto (que, aliás, já se encontra em rotação em algumas rádios) é “Espelhos d'Água” (de Dalto e Claudio Rabello), a qual foi regravada pela cantora em dueto com Seu Jorge.

* O artista italiano Zucchero incluiu a canção “Ave Maria no Morro” (de Herivelto Martins) em seu recém-lançado CD “La Sesión Cubana”, já disponível no mercado brasileiro através da gravadora Universal, e o fez contando com a participação especial de Djavan.

* Filha de dois grandes instrumentistas (o baixista Arismar do Espírito Santo e a pianista Silvia Goes), a cantora paulista Bia Goes está lançando um novo CD que leva o próprio nome como título e chega às lojas de maneira independente. Nesse trabalho, ela mergulha de cabeça no universo nordestino, engatando, em um repertório de doze faixas, temas como “É Só Socó” (de Rafael de Carvalho, autor também da agitada “Arrastapé”), “Farinha” (de Péri), “Do Outro Lado do Quintal” (de Ricardo Valverde e Juliana Valverde) e “Todo Mundo Quer Dançar Baião” (de Tito Bahiense e Manuca de Almeida), os melhores momentos. Mas sobra espaço também para dois temas instrumentais de autoria do pai (“Hai Kai” e “Cadê a Marreca”) nos quais Bia põe sua bela e melodiosa voz a serviço de vocalises complexos. Há as participações especiais de Dominguinhos (acordeão em “Contrato de Separação”, dele com Anastácia) e João Mendes (voz em “Deu Foi Dó”, dele com Roberto Mendes), além do já citado Bahiense em “São Luiz Gonzaga” (outra parceria dele com Manuca). 

* A gravadora Universal confirma para este primeiro semestre o lançamento, nos formatos CD e DVD, do registro das apresentações que o cantor e compositor Filipe Catto realizou no começo de fevereiro, em São Paulo (SP), e que contou com a participação especial da cantora Blubell. E por falar em Catto, ele recentemente compôs “Unidade dos Versos”, sua primeira parceria musical com Leo Cavalcanti. A conferir!

* O selo carioca Discobertas está lançando uma caixa que acondiciona sete álbuns que o saudoso cantor Pery Ribeiro gravou no Brasil ao longo dos anos sessenta. Neles, Pery (que para quem não sabe é filho de Herivelto Martins e Dalva de Oliveira) empresta sua bela voz a várias canções, inclusive algumas faixas bônus, plus das reedições.

* Já se encontra em fase de mixagem o próximo CD do grupo carioca Monobloco que tem à frente o cantor e compositor Pedro Luís. Uma das faixas escolhidas para fazer parte do repertório é “Samba de Arerê” (de Xande de Pilares, Arlindo Cruz e Mauro Jr.) que vai contar com a participação especial da cantora Roberta Sá.

* Chegou recentemente às lojas o primeiro DVD do grupo Farofa Carioca. Também disponível em CD, o projeto foi registrado ao vivo na Lapa e traz a mistura de samba e funk em linguagem pop da forma como a galera sabe fazer com maestria. Há as participações especiais de Elza Soares em “A carne” (de Seu Jorge, Marcelo Yuka e Ulisses Cappelletti) e “Malandragem Dá um Tempo” (de Adelzonilton, Popular P e Moacyr Bombeiro) e dos ex-integrantes Seu Jorge e Gabriel Moura. Bem legal!

RUBENS LISBOA é compositor e cantor
Quaisquer críticas e/ou sugestões serão bem-vindas e poderão ser enviadas para o e-mail: rubens@infonet.com.br

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais