Musiqualidade

0

R E S E N H A

Artistas: DIOGO NOGUEIRA e HAMILTON DE HOLANDA
CD: “BOSSA NEGRA”
Gravadora: EMI

Um dos maiores instrumentistas da atualidade, o bandolinista Hamilton de Holanda, se uniu ao sambista Diogo Nogueira e, juntos, estão lançando, através da gravadora EMI, o CD intitulado “Bossa Negra”.
Diogo – todo mundo sabe – é filho de um dos grandes nomes do samba, o cantor e compositor João Nogueira, e, desde que se lançou no mercado fonográfico, vem alcançando crescente visibilidade, muito embora em seus mais recentes projetos venha deslizando por canções de cunho mais popular, o que lhe garante boas vendagens, mas termina por descredenciá-lo junto a um público mais exigente. Essa parcela consumidora, no entanto, decerto irá gostar muito desse recém-lançado álbum.
Gravado durante os seis primeiros meses deste ano sob a direção musical de Hamilton e contando com a adesão de André Vasconcellos no contrabaixo e de Thiago da Serrinha na percuteria, o CD se faz composto por treze faixas que albergam canções inéditas e regravações.
De Hamilton, não há muito que se falar: seu bandolim único brilha em todo o trabalho e confere tintas características em especial aos novos temas, alguns deles de digestão não muito fácil como é o caso de “Tá” (dele e Thiago), de “Brasil de Hoje” (dele, Diogo, Arlindo Cruz e Marcos Portinari) e da faixa-título. Diogo, inegavelmente um bom cantor, embarca na viagem sonora com vontade, mostrando-se razoavelmente seguro. E se em “Desde que o Samba É Samba” há certa despreocupação planejada em discorrer os belos versos de seu autor (Caetano Veloso), em “Mundo Melhor” (de Pixinguinha e Vinicius de Moraes) o recado é dado de forma sincera e direta.
A sonoridade minimalista demonstra uma opção por ressaltar a canção em seu nascedouro e o que podia ser uma faca de dois gumes terminou por ressaltar a beleza de músicas como “Bicho da Terra” (de Hamilton, Diogo, Bruno Barreto e Wallace Perez) e “Doce Flor” (de Hamilton, Diogo, Thiago, Portinari e André Vasconcellos). Mas o grande momento fica mesmo por conta da bonita “Salamandra”, inédita encontrada no baú de João Nogueira, composta em parceria com Paulo César Pinheiro. Outros destaques que merecem atenção especial são “Até a Volta” (de Hamilton, Diogo e Portinari) e a inspirada releitura do samba-canção “Risque” (pérola da lavra de Ary Barroso).
E é com orgulho que se ressalta que o caprichado projeto gráfico leva a assinatura do conhecido Gê Alves Pinto ao lado do nosso Thiago Fontin, jovem talento sergipano, ora residindo em terras cariocas.
Trata-se de um CD que, ao lançar um olhar contemporâneo sobre as raízes do nosso cancioneiro, resultou de fato bacana, merecendo ser conhecido pelos que curtem música brasileira de real qualidade.

N O V I D A D E S

* Gero Camilo é um ator cearense que se tornou nacionalmente famoso ao protagonizar polêmica cena de beijo com Rodrigo Santoro no filme “Carandiru”, de 2003, e mais recentemente por ter interpretado, em 2012, a personagem Miss Pirangi no remake da telenovela global “Gabriela”. Mas sua grande paixão é mesmo a música e, de uns tempos para cá, ele vem também investindo nessa área, tanto como compositor como cantor. Neste sentido, ele fez chegar há poucos dias às lojas, em uma iniciativa independente, o seu segundo CD. Intitulado “Megatamainho”, o álbum (sucessor de “Canções de Invento”, lançado em 2008) se faz composto por uma dúzia de faixas, dez delas compostas por ele próprio, algumas ao lado dos parceiros Luiz Caldas, Rubi, Vanessa da Matta e Otto. Completam o repertório desse trabalho que foi produzido por Bactéria (nome ligado ao universo do Mangue Beat) e gravado em Recife (PE) as canções “Amor em Ode ao Sol” (de Cristiano Karnas e Luis Miranda) e “Chuchuzeiro” (insuspeito forró de Criolo, o queridinho da hora dos descolados). Gero se safa das limitações vocais com performances inteligentes, ancorado em arranjos que dão um colorido especial ao projeto, recheados de camadas percussivas. Sua obra autoral soa eclética e isso dá a impressão ao ouvinte de que se trata (como, de fato, o é) de um disco bem interessante. Em algumas faixas há a participação do grupo Orquídeas do Brasil (integrado, entre outras, pelas ótimas Tata Fernandes, Simone Julian e Miriam Maria) e da ficha técnica constam as participações de grandes músicos, a exemplo de Hugo Carranca (na bateria), Toca Ogan (na percussão), Estevan Sinkovitz (na guitarra), Clayton Barros (no violão) e Lívia Mattos (na sanfona). O melhor momento fica por conta de “Meu Diadorim”, mas há outros destaques, como é o caso de “Cordel em Desacordo”, “Elixir de Cauim” e “This Is Love”. Vale a pena conhecer!

* “Serenoato” é o título do primeiro álbum do quinteto intitulado Nenung & Projeto Dragão que será lançado ainda este mês, contendo quatorze faixas e contando com as participações de Dado Villa-Lobos e Moreno Veloso.

* Quatro anos após o lançamento do seu álbum de estreia, o ótimo disco independente “Morro de Samba”, a cantora e compositora pernambucana Karynna Spinelli está disponibilizando o seu segundo CD. Intitulado “Negona”, é um trabalho que resultou da imersão da artista em melodias e batuques da cultura popular afro-indígena. Entre sambas, macumbas, toadas e gafieira, o repertório é composto por onze faixas: seis delas autorais e as outras compostas por Maestro Spok, Leandro Fregonesi, Hamilton Fofão, Selma do Samba e Mestre Ferrugem. Karynna possui voz de belíssimo timbre e é uma intérprete de primeira linhagem. Sambista inspirada que bebe nitidamente na fonte de Clara Nunes, ela merece ter seu nome rapidamente projetado a nível nacional.

* “Quente” é o título do segundo CD do cantor e compositor paraense Saulo Duarte que tem como mote a mistura dos ritmos do Brasil amazônico com os sons da América Latina. Há reggae, carimbó, rock e lambada. A conterrânea cantora Luê é a convidada especial da faixa “Tô que Tô… Saudade” (de Eudes Fraga).

* “Uyraplural” é o título do CD lançado recentemente pela cantora Giovanna Farias que vem a ser filha do cantor e compositor Vital Farias. Produzido por ele, o disco chegou às lojas através da gravadora Kuarup, contendo uma dúzia de faixas, duas delas frutos de registros ao vivo (“Caso Você Case” e “Cantiga de Passarinho”, ambas de Vital). Giovanna, que canta com impostação erudita e possui timbre bem peculiar, se mostra à vontade especialmente em temas mais conhecidos com “Veja (Margarida)” e “Sete Cantigas para Voar” (as duas também de autoria de Vital e propagadas nacionalmente através de vigorosas gravações de Elba Ramalho). É um trabalho de sonoridade eminentemente acústica que encontra ótimos momentos nas regravações de “Uirapuru” e “Tamba-Tajá”, duas belas canções de autoria de Waldemar Henrique (talentoso maestro, pianista, escritor e compositor paraense). Outros destaques do repertório ficam por conta de “Ciranda de Terreiro” (de Gilvan Santos) e “Quem Vive Assim Como Eu” (de Juvenal Pedro da Silva).

* Aguardado pelos fãs, “Dentro de Mim Cabe o Mundo”, o novo CD da cantora e compositora Monique Kessous, contará com a participação de cinco cantoras de sua geração no samba autoral “Acorde”. São elas: Ana Claudia Lomelino, Anna Ratto, Lia Sabugosa, Nina Becker e Silvia Machete. O disco conta também com as participações de Daniel Jobim e Cristina Braga. A conferir!

* Custeado e produzido integralmente através de financiamento coletivo, o décimo segundo CD da irrepreensível cantora Cida Moreira deverá chegar às lojas somente em 2015, mas já começa a ser gravado ainda este ano. O repertório albergará uma dúzia de faixas escolhidas dentro do conceito de canções brasileiras que possuam forte viés social e político e caberá à própria Cida ao lado de Omar Campos a responsabilidade pela produção musical e pelos arranjos do disco. Entre os compositores selecionados estão Caetano Veloso, Chico Buarque, Fátima Guedes, Itamar Assumpção e Zé Ramalho.

* O novo CD da cantora e atriz Marjorie Estiano (“Oito”), em breve nas lojas, jogará novas luzes sobre “Ta-hi”, marcha feita pelo compositor mineiro Joubert de Carvalho para Carmen Miranda, e contará com as participações especiais de Gilberto Gil (em “Luz do Sol”) e de Mart'nália (em “A Não Ser o Perdão”).

* “Amazônia – Entre Águas e Desertos” é o título do décimo e recém-lançado álbum da cantora e compositora Socorro Lira, que estreou no mercado fonográfico em 2001 e, de lá para cá, vem construindo uma carreira coerente, à margem das grandes estratégias comerciais. Nascida na zona rural de Brejo do Cruz, na Paraíba, a artista mergulha desta feita na magia da região amazônica (para onde se deslocou com o intuito de captar sons e inspiração) em um trabalho temático que leva sua própria digital na produção, mas que tem a direção musical e os arranjos, de abordagem acústica, a cargo de Jorge Ribbas. Socorro canta de forma natural com voz de agradável timbre as quatorze faixas selecionadas para o repertório. Seis são autorais e as demais foram pinçadas entre bons temas criados por Nilson Chaves e Eliakin Rufino (“Gaia”), Luiz Gonzaga e Lourival Passos (“Tacacá”), Zeneida Lima (“A Lua”) e Oliveira das Panelas (“Amor Cósmico”), entre outros. O ponto alto do disco fica por conta do excelente reggae “Porque É da Natureza” (parceria de Cátia de França e Abel Silva).

* O primeiro DVD solo de Pedro Luís foi gravado durante show realizado em agosto no estúdio do artista plástico Sérgio Marimba, no Rio de Janeiro. A princípio, composto por vinte e três canções, o projeto fez um retrospecto das principais criações do inventivo compositor, abrangendo desde a seminal “Imantra”, composta em 1982, até as recentes e inéditas “Aposto” e “De Nós”. Além de temas criados pelo artista solitariamente (caso de “No Braseiro”, “Fazê o Quê?” e “Bela Fera”, entre outros), há parcerias com Lula Queiroga (“Noite Severina”), Suely Mesquita (“Interesse”), Fernanda Abreu (“Tudo Vale a Pena”) e Rodrigo Maranhão (“Rosa que Encanta”). O projeto conta com as bem-vindas participações especiais de Zélia Duncan e Nina Becker. Agora, é só aguardar!

RUBENS LISBOA é compositor e cantor.
Apresenta o quadro "Musiqualidade" dentro do programa "Canta Brasil”, veiculado pela Aperipê FM todas as segundas-feiras, às 10 horas.
Quaisquer críticas e/ou sugestões a este blog serão bem-vindas e poderão ser enviadas para o e-mail: rubens@infonet.com.br

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais