Musiqualidade

0

R E S E N H A

Artista: NELSON MOTTA
CD: “NELSON 70”
Gravadora: SOM LIVRE

O jornalista, escritor, letrista e agitador cultural Nelson Motta está a completar sete décadas de vida. Nelsinho – como é conhecido carinhosamente no meio artístico – também é um grande galanteador e namorou/foi casado com várias mulheres especiais – e isso também é talento! Nascido na capital paulista, ele se mudou para o Rio de Janeiro quando tinha apenas seis anos de idade. Foi na Cidade Maravilhosa que construiu uma carreira ligada à música. Em 1966, venceu a fase nacional do I Festival Internacional da Canção (FIC) com a canção “Saveiros” (parceria com Dori Caymmi), interpretada por Nana Caymmi. Ao longo da vitoriosa carreira produziu discos de gente do porte de Elis Regina, Elba Ramalho e Marisa Monte. Transitou como poucos pelos meandros da nossa MPB e virou amigo de grandes e polêmicos nomes como, por exemplo, Tim Maia, para quem escreveu uma biografia anos depois. Sempre ligado nas novas tendências, na década de setenta do século passado, Nelson aproveitou o boom mundial das discotecas e lançou, por aqui, o já lendário grupo As Frenéticas. Autor de mais de trezentas músicas, nada mais natural que ele ganhasse uma merecida homenagem nesta data redonda.
E assim está sendo lançado o CD “Nelson 70”, o qual chegou há poucos dias às lojas através da gravadora Som Livre. Nele, foram registradas quatorze de suas canções, as quais foram por ele próprio escolhidas, parcerias com Lulu Santos, Guilherme Arantes, Ed Motta, Djavan, Erasmo Carlos, Ruban Barra, Roberto Menescal, Dori Caymmi, Marisa Monte e Cézar Mendes, Rita Lee e Roberto de Carvalho. Gravadas em estúdios diferentes com produtores diversos, as faixas terminam, no entanto, por manter uma coerência bem razoável, muito pelo fato de que os artistas escolhidos para fazer parte do projeto são bastante familiarizados com a obra de Nelson.
Estão lá nomes que ele avalizou desde o começo de suas trajetórias, caso de Ed Motta (que resgata a conhecida “Coisas do Brasil”) e Marisa Monte (em ótima forma vocal na inédita “Nós e o Tempo” que traz ainda o piano característico de João Donato). E também Fernanda Takai (a quem Nelson deu a ideia de se lançar na carreira solo, em “De Onde Vens”), Max de Castro (amigo de longa data, em “Areias Escaldantes”) e sua mais recente diva, a excelente Ana Cañas (em brilhante releitura de “Perigosa”, a melhor faixa do projeto).
Antenado, Nelson soube se abrir a nomes emergentes do cenário musical, tais como Silva (correto em “Marina no Ar”), Leo Cavalcanti (irrepreensível em “Ditos e Feitos”) e a cantora-atriz Laila Garin, que recentemente deu vida a Elis no teatro (transparente em “Noturno Carioca”, acompanhada pela Ipanema Lab). Cidadão do mundo, Nelson contou com as participações do uruguaio Jorge Drexler (que se basta sozinho com sua guitarra em “Como uma Onda”) e da portuguesa Cuca Roseta (apropriada em “Apaixonada").
Completam o seleto time Céu (um tanto perdida em meio às tantas informações sonoras contidas em “De Repente Califórnia”), Gaby Amarantos (que fez o que pôde com “Dancin’ Days"), Maria Gadú (corajosa, tentando desconstruir “Você Bem Sabe”, sem atingir, contudo, um resultado interessante) e Lenine (beirando o sublime, acompanhado unicamente pela majestosa harpa de Cristina Braga em “Certas Coisas”).
Enfim, um painel rápido, porém eficiente, da obra musical de Nelson Motta que, por jogar novas luzes sobre interessantes canções, merece ser conhecido.

N O V I D A D E S

* Resultante de especiais levados ao ar pelo Canal Brasil, a primeira temporada do projeto “Cantoras do Brasil” chega oportunamente às lojas nos formatos CD e DVD através da gravadora Deck e apresenta doze mulheres da nova geração homenageando igual número de grandes cantoras da nossa MPB, a maioria já não mais aqui entre nós. Logicamente, em um formato assim algumas sempre se sobressaem. É o caso de Blubell com “Você e Eu”, Luisa Maita com “É com Esse que Eu Vou” e Tiê com “Túnel do Amor”, canções imortalizadas por Sylvia Telles, Elis Regina e Celly Campello, respectivamente. Se Mallu Magalhães tem ressaltadas as suas limitações vocais em “Manhã de Carnaval” (do repertório de Elizeth Cardoso), a atriz Camila Pitanga surpreende positivamente com sua abordagem para “Dindi” (gravada por Maysa). E enquanto Nina Becker se mostra afiada quando canta Dolores Duran e suas “Manias”, Tulipa Ruiz derrapa ao optar por uma versão acelerada de “Que Será”, clássico registrado por Dalva de Oliveira. A única que surge em dois momentos é Lulina (com “História Difícil” e “A Banca do Distinto”, homenageando Ademilde Fonseca e Miriam Batucada). Completam o projeto Mariana Aydar (em “Canto das Três Raças”, sucesso na voz de Clara Nunes), Lourdes da Luz (desbaratando “Quando o Carnaval Chegar”, conhecida com Nara Leão), Gaby Amarantos (em “Na Linha do Mar”, imortalizada por Clementina de Jesus) e Andreia Dias (resgatando “O Maior Castigo que Eu te Dou”, gravada por Aracy de Almeida). O CD reproduz apenas um número musical de doze dos treze episódios da série (ficou de fora, por questões jurídicas, o programa em que Roberta Sá canta Carmen Miranda). Já o DVD eterniza esses episódios na íntegra, com os dois números musicais de cada tributo e mais o depoimento da intérprete.

* Enquanto não chega às lojas em formato físico, “Barulho Feio”, o novo trabalho do cantor e compositor paulistano Romulo Fróes já se encontra disponível para download no site oficial do artista. Produzido por Marcelo Cabral e Guilherme Held, o álbum se faz composto por quinze faixas e conta com as participações especiais de Juçara Marçal. Kiko Dinucci e Rodrigo Campos. Incansável, Fróes avisa que já se encontra em estúdio gravando o seu próximo projeto, um CD em que revisitará algumas das mais belas canções do mestre Nelson Cavaquinho e que será lançado no primeiro semestre de 2015.

*Através da gravadora Deck, a cantora e compositora mineira Roberta Campos está lançando o EP ”Maior que o Mundo” sob a produção de Rafael Ramos. São apenas cinco canções distribuídas em seis faixas (o hit autoral “De Janeiro a Janeiro”, que conta com a participação especial de Nando Reis, surge em duas versões: a normal e um remix). Há a regravação de “José”, um dos primeiros sucessos de Rita Lee em carreira solo, e de “Boas Festas”, tema natalino criado por Assis Valente. Roberta assina ainda as versões da música-título e de “Quando Vai Voltar”.

* O cantor pernambucano, há nos radicado em São Paulo, Paulo Neto está relançando “Dois Animais na Selva Suja da Rua”, o seu primeiro CD (o qual chegou originalmente às lojas em 2012), com a adição de três faixas: “Sintonia” (de Moraes Moreira, Zeca Barreto e Fred Góes), “São João do Carneirinho” (de Isabela Moraes) e “Longe” (de Marcelo Jeneci, Arnaldo Antunes e Betão Aguiar).

* Já se encontra disponível nos formatos CD e DVD, através de uma parceria entre as gravadoras EMI e Universal, o volume 6 do projeto “Samba Social Clube”, desta vez jogando luzes sobre os sambas compostos por Chico Buarque. Sob a produção de Paulão 7 Cordas, o CD contempla quatorze faixas que foram gravadas ao vivo durante evento realizado em março deste ano na Fundição Progresso (RJ). A boa seleção alia temas atemporais (“Gota d’Água”, com Beth Carvalho, “Apesar de Você”, com Péricles, e “Homenagem ao Malandro”, com Martinho da Vila estão entre eles) a outros menos conhecidos (caso de “A Rosa”, com Roberta Sá, “Deixa Solto”, com Sombrinha e Hamilton de Holanda, e “Sonho de um Carnaval”, com Leci Brandão). Completam o time de intérpretes do disco Zeca Pagodinho, o grupo Fundo de Quintal, Xande de Pilares, Mariene de Castro, Jorge Aragão, Reinaldo, Dudu Nobre e Arlindo Cruz, todos eles à vontade no terreno do samba. Já o DVD traz números adicionais a cargo de Fabiana Cozza, Mart’nália, Teresa Cristina, Mumuzinho, Almir Guineto, Luiza Dionízio, Moacyr Luz, Serjão Loroza, Neguinho da Beija-Flor, Marcelinho Moreira, Monarco e Nelson Sargento, os quais emprestam suas vozes e talentos a belas músicas, a exemplo de “Deixe a Menina”, “O Meu Guri”, “Vai Passar”, “Novo Amor” e “A Rita”.

* Em seu primeiro projeto solo, o cantor e compositor paulistano Adriano Cintra (ex-integrante do grupo Cansei de Ser Sexy) está pondo no mercado o CD intitulado “Animal”. De sonoridade pop rock com pegada forte, o álbum, que traz a assinatura de Marcus Preto na direção artística, foi produzido pelo próprio artista que se mostra um bom cantor, assinando todas as treze faixas, a maioria com parceiros díspares que vão de Alice Caymmi a Odair José, passando por Marcelo Segreto e Gaby Amarantos. Há as participações especiais dos também parceiros Rogério Flausino (voz em “Desde o Início”) e Guilherme Arantes (piano em “Não Vai Dominar”). Os destaques do repertório ficam por conta de “Não Ladrão”, “Duda”, “Deu Ruim” e “Toque”. A cantora Nana Razinni tem presença ativa nos vocais do disco e a faixa “Fracaso Favorito” foi composta em espanhol.

* Desde 2003 sem lançar um disco de inéditas, o cantor e compositor fluminense Claudio Zoli acaba de lançar, através do selo carioca Lab 344, “Amar Amanhecer” que traz um repertório inteiramente autoral.

* Lançado originalmente em 1977 pela RCA Victor, o álbum “Tiro de Misericórdia”, gravado por João Bosco sob a direção artística de Durval Ferreira e com a coordenação do produtor Rildo Hora, volta ao catálogo através da gravadora Kuarup. Trata-se de um título fundamental na discografia do versátil artista mineiro que compôs todas as onze faixas do disco em parceria com Aldir Blanc. Inspirados, os dois deram vida a temas que até hoje são bastante executados, verdadeiras pérolas do nosso cancioneiro, a exemplo de “Falso Brilhante”, “Plataforma”, “Bijuterias” e “Gênesis”, além da canção-título. O samba “Me Dá a Penúltima” tem a cara das coisas feitas por Paulinho da Viola e a faixa “Vaso Ruim Não Quebra” conta com a participação especial de Cristina Buarque. Aconselhável aos que curtem a MPB de real qualidade!

* A gaúcha Adriana Calcanhotto encontra-se ensaiando as canções que farão parte do repertório de um concerto que ela vai apresentar no próximo mês. Trata-se de uma imersão na obra musical do conterrâneo Lupicínio Rodrigues e que, decerto, será registrada para futuro lançamento em CD e DVD. Sendo, tanto ele quanto ela, dois grandes entendidos no quesito “dores de amor”, o resultado deverá ser muito legal. A conferir!

RUBENS LISBOA é compositor e cantor.
Apresenta o quadro "Musiqualidade" dentro do programa "Canta Brasil”, veiculado pela Aperipê FM todas as segundas-feiras, às 10 horas.
Quaisquer críticas e/ou sugestões a este blog serão bem-vindas e poderão ser enviadas para o e-mail: rubens@infonet.com.br

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais