Musiqualidade

0

OS 12 MELHORES CDs DE 2015

Desde que comecei na aventura de falar sobre música neste blog, a primeira edição de cada ano é dedicada aos doze melhores CDs que resenhei no ano anterior. Sempre o fiz de forma classificativa, dentro logicamente de meu gosto pessoal e intransferível. Desta feita, fá-lo-ei em ordem alfabética (pelos nomes dos artistas) porque cheguei à conclusão de que, em assim sendo, a lista termina por resultar bem mais salutar, inclusive no que tange aos envolvidos. Segue a mesma, cabendo destacar, por justo, no que tange à seara sergipana, o excelente CD de ALEX SANT’ANNA intitulado “Enquanto Espera”.

– Chico César com “ESTADO DE POESIA” – Com inspiração e criatividade em alta, o paraibano Chico César voltou ao mercado fonográfico, após um hiato de sete anos desde o seu ultimo disco de estúdio, apresentando um de seus melhores títulos e trazendo a reboque uma ótima safra de canções inéditas, dentre as quais se destacaram “Caninana”, “Caracajus” e “Da Taça”.

– Elza Soares com “A MULHER DO FIM DO MUNDO” – Com mais de oito décadas de vida (ainda que não assumidas) e problemas de locomoção, Elza Soares mostra porque é o maior exemplo a ser seguido pelos seus pares: com voz ainda em forma e fôlego de gata, lançou este ano um disco recheado de canções inéditas, as quais lhe foram compostas e fornecidas especialmente por um grupo de talentosos compositores paulistas, todos eles seus fãs de carteirinha.

– Fito Paez & Moska com “LOCURA TOTAL” – Já há alguns anos desenvolvendo conexões sonoras com artistas de outras nacionalidades, o carioca Moska dividiu um CD inteiro com o argentino Fito Paez, o qual mostrou o perfeito entrosamento de ambos, especialmente nas cinco faixas resultantes de parceria entre eles. A produção a cargo do experiente Liminha certamente contribuiu para o resultado bem legal.

– Gal Costa com “ESTRATOSFÉRICA” – Depois de “Recanto”, CD concebido em 2011 por Caetano Veloso para trazer Gal Costa de volta aos palcos, a cantora baiana mostra agora, de fato, renovado fôlego ao lançar um álbum de repertório majoritariamente inédito, interpretando canções de autores de gerações mais recentes, a exemplo de Arthur Nogueira, Junio Barreto, Céu, Marcelo Camelo e Jonas Sá.

– Ithamara Koorax com “ALL AROUND THE WORLD” – Cantora de técnica extraordinária e dona de voz com alcance fora-de-série, a carioca Ithamara Koorax presenteou o seu público com mais um disco irrepreensível através do qual perpetua suas passagens pelos mais diversos palcos do mundo ao reunir temas que vão de Dorival Caymmi a Jimi Hendrix, passando por Tom Jobim, Cassiano e Jorge Ben Jor.

– Lenine com “CARBONO” – Com a produção assinada por ele próprio ao lado do filho Bruno Giorgi, o novo CD do pernambucano Lenine comprovou que o mesmo não se acomoda, procurando renovar suas opções estéticas, não obstante possuir uma digital bastante característica. O álbum apresentou parcerias do artista com Carlos Rennó, Dudu Falcão e Lula Queiroga, entre outros, e contou com as participações especiais do grupo Nação Zumbi, da Orkestra Rumpilezz (regida pelo maestro Letieres Leite) e da holandesa Martin Fondse Orchestra.

– Maria Gadú com “GUELÔ – Depois de conhecer o sucesso instantâneo e de ganhar uma saraivada de críticas positivas e elogios de famosos, Maria Gadú pisou o pé no acelerador para gerar o seu mais bonito e introspectivo álbum. Corajosa, resolveu arriscar e afrontar as leis do mercado, mas mostrou que sabe o que quer, apresentando uma safra de novas canções bem interessantes.

– Ná Ozzetti e Zé Miguel Wisnik com “NÁ E ZÉ” – Há trinta anos, a cantora Ná Ozzetti cantou pela primeira vez uma música de Zé Miguel Wisnik, o que ocorreu no casamento dele. Esse encontro musical renovou-se em vários momentos ao longo dos últimos anos e atingiu o ápice com o lançamento do primoroso projeto contendo canções compostas por Wisnik com parceiros como Paulo Leminski e Alice Ruiz, comprovando também a excelência vocal de Ná, em pleno apogeu.

– Regina Machado com “MULTIPLICAR-SE ÚNICA” – Em seu disco mais bem concebido, a cantora paulistana Regina Machado dá voz a Tom Zé, artista geralmente inventivo, mas não sempre compreendido. Produzido com galhardia por Dante Ozzetti, o CD torna mais palatável alguns temas do artista baiano que fez parte do movimento tropicalista, mas sedimentou sua obra de forma bastante solitária.

– Simone Mazzer com “FÉRIAS EM VIDEOTAPE” – A aguardada estreia da cantora curitibana no mercado fonográfico confirmou se tratar de uma artista que veio pra ficar. Dona de voz poderosa, ela apresentou, no ótimo CD produzido por Leonel Pereda, um repertório plural (com canções assinadas por Assis Valente, Itamar Assumpção e Luciano Salvador Bahia, entre outros) que, ao final, resultou bastante coeso.

– Suely Mesquita & Eugenio Dale com “DIO & BACO” – Os cantores e compositores Suely Mesquita e Eugenio Dale já vinham desenvolvendo, há cerca de quinze anos, uma profícua parceria musical que terminou se eternizando com o lançamento de um disco independente muito bem realizado e com repertório autoral. Revestido por arranjos que ressaltam a sonoridade pop-acústica, o CD arrebata desde a bem bolada capa na qual as imagens dos dois artistas se fundem em uma só.

– Zélia Duncan com “ANTES DO MUNDO ACABAR” – Depois de se mostrar a mais ousada e completa intérprete da nossa música popular na atualidade, a fluminense Zélia Duncan volta com toda a carga trazendo embaixo do braço um ótimo disco de sambas que contém um repertório majoritariamente inédito e autoral, composto ao lado de gente que entende realmente do ramo, tais como Ana Costa, Arlindo Cruz e Xande de Pilares.

Também se faz oportuno destacar as seis grandes canções do ano, quais sejam:

– “BORA”: de EUGENIO DALE, integrante do CD “DIO & BACO” de SUELY MESQUITA & EUGENIO DALE

– “ILESO”: de ALEX SANT’ANNA, integrante do CD “ENQUANTO ESPERA” de ALEX SANT’ANNA

– “LUZ VERMELHA”: de KIKO DINUCCI e CLIMA, integrante do CD “A MULHER DO FIM DO MUNDO” de ELZA SOARES

– “MAIOR”: de DANI BLACK com a participação de MILTON NASCIMENTO, integrante do CD “DILÚVIO” de DANI BLACK

– “PARTIU”: de MARINA LIMA, integrante do CD “TOMADA” de FILIPE CATTO

– “POR ONDE EU FOR”: de ADRIANA CALCANHOTTO, integrante do EP “POR ONDE EU FOR” de LEILA PINHEIRO

RUBENS LISBOA é compositor e cantor.
Quaisquer críticas e/ou sugestões a este blog serão bem-vindas e poderão ser enviadas para o e-mail: rubens@infonet.com.br

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais