Na 4ª, o país para contra a nova previdência

0

O povo brasileiro, morador de pelo menos dezenove Estados brasileiros, entre eles, Sergipe, está sendo convocado para ir às ruas na próxima quarta-feira em manifestações contra o projeto de Reforma da Previdência Social. Em Aracaju, a manifestação está marcada para começar às quatorze horas, na praça General Valadão, no centro da cidade. Já se prevê um dia de trânsito caótico, pois a manifestação pode atrair uma multidão considerável numa praça tão pequena. Na verdade, o projeto de Reforma da Previdência tem mexido com a cabeça de todos os brasileiros. No seu afã de aprovar o projeto, o Presidente Temer assumiu pessoalmente as negociações com a Câmara dos Deputados, mas, estabeleceu limites para negociar sua proposta. Ele disse então que não abre mão da idade mínima proposta para aposentadoria, de 65 anos, da regra de transição para os que estão pertos de se aposentar e da redução do valor assegurado à pensão por morte. Para manter os pontos principais do projeto, Temer poderá aceitar o fim da isenção tributária, concedida a entidades filantrópicas e a manutenção de tratamento especial para a aposentadoria de policiais. A nova fórmula de cálculo proposta para a aposentadoria que prevê 49 anos de contribuição para ter direito à aposentadoria integral, também é apontada como um ponto em que o governo pode ceder. A equipe econômica, porém, resiste a este ponto. O governo tem encontrado resistência, nas suas próprias bases, até dentro do PMDB. É que os parlamentares reconhecem que as regras introduzidas pela equipe econômica, são realmente muito drásticas e vai afastar muitos trabalhadores de suas contribuições à Previdência. Os analistas entendem que não vai adiantar uma fiscalização mais rígida, o fato é que a contribuição vai sofrer redução por conta de muitos trabalhadores sem registro nas carteiras profissionais. Um fato interessante: quando FHC iniciou sua vida na presidência, o Ministro Pedro Malan, à época propôs reformas duras em vários setores da vida nacional. Queria privatizar tudo que via à frente. Foi nessa leva que muitos bancos estaduais deixaram de existir – mas o Banco do Estado de Sergipe conseguiu se livrar da ameaça de privatização. A sanha privatista agora se dirige às empresas de saneamento básico, como se as vendas delas resolvessem os problemas estaduais. Taí a Cedae do Rio de Janeiro: foi vendida recentemente, mas, a vida econômica do Rio continua travada. As manifestações marcadas para 4ª. feira pode tirar o sono do Presidente Temer. Se elas forem monstruosas como se espera, o Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, pode tirar o cavalinho da chuva e pensar em outras criar para a sua obra…

     ***
Uma coisa que se pergunta: por que todo Ministro da Fazenda, tão logo assume o cargo, vem com histórias de reformas as mais disparatadas? No caso da Previdência Social, a opinião pública não engole só assim a história de que ela é deficitária. Há quem jure que a Previdência é superavitária, o problema é que o governo desvia muitas de suas verbas para as suas próprias contas…

Discurso para agradar as massas

Não se pode negar que o Sr. Almeida Lima, agora travestido de Secretário da Saúde, continua o mesmo populista de sempre. Na sua fala à Assembleia Legislativa ele foi disposto a impressionar a opinião pública, falando daquilo que o zé povinho mais gosta: economia nos custos da gerência da Fundação Hospitalar de Sergipe, não importa que isso signifique o desvirtuamento de sua atuação. O Sr. Almeida Lima não declara, mas está disposto, de qualquer jeito, a se inserir na vida política do Estado seja como for, não importa o fato que serve a um governo que tem objetivos imensamente diferentes. Bom, ele agora tem um palco, a Secretaria de Saúde, e vai passando por cima dos secretários anteriores, não importando que eles tenham tido atuações ímpares na pasta. Vale tudo – para Almeida Lima vale tudo, mesmo…

Sem bagagens passagem mais barata

A partir de amanhã, a empresa Azul passará a oferecer uma nova opção de tarifa – chamada simplesmente de Azul – com valores reduzidos para os clientes que não despacharem bagagens. A tarifa Azu, que será disoonibilizada gradualmente em alguns mercados, inclui todas as demais vantagens que o Cliente Azul já possui, além de englobar a nova regra para embarque com vagagens de mão de até dez kg em todos os vôos da companha.

Lula tira Márcio do páreo

Sai Márcio Macedo, entra Lula. O ex-Presidente já se definiu: pretende ele próprio ser o próximo presidente do Partido dos Trabalhadores. Se não fosse ele o candidato seria o ex-deputado sergipano Márcio Macedo, atual Tesoureiro do Partido.

AL agora permite aplausos

Está virando costume: a plateia na Assembleia aplaude os oradores na tribuna, notadamente em sessões especiais. Só que este tipo de manifestação é proibida pelo regimento externo. Mas, a presidência das sessões tem feito vista grossa para os aplausos. Resultado: eles se repetem insistentemente.

A tese parecia absurda…

Cristiano Batista é jornalista que até há poucos dias dava expediente na Assembleia. Com a nova administração de Laranjeiras, à frente o Paulão das Varzinhas, ele, que já fora assessor do deputado Paulinho das Varzinhas, foi nomeado para um cargo em comissão na Prefeitura.

Reapareceu há poucos dias defendendo uma tese maluca, a de que o candidato a governador de Jackson Barreto será o deputado federal André Moura. Segundo ele, o presidente Temer, que é do mesmo partido de Jackson, vai exigir dele o sacrifício de apoiar André para o governo. Todo mundo riu e achou absurda a tese.

Diante do encontro de Jackson com André a ocorrer hoje em Brasília, pode ser que a tese faça sentido.
 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários