Não há mistura

0

Colocou-se um ponto final nas especulações de que o governador João Alves Filho (PFL) e o prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT), candidato à reeleição, tinham fechado um acordo político sigiloso. Uma das exigências era que o governador não colocasse obstáculo para a reeleição do prefeito, o que teria evitado um apoio forte à campanha da candidata lançada pelo PFL, deputada Susana Azevedo (PPS). Isso não é verdade, porque o grupo liderado pelo governador se mantém ao lado de Susana e participa de sua campanha. Evidente que todos os comentários careciam de fundamentação e lógica, porque um entendimento entre dois adversários desse porte não seria bom para eles e os colocaria em posição de dificuldade junto ao eleitorado. Como disse o leitor Reinaldo, em seu e-mail, ambos seriam trucidados pelos eleitores, porque se descobriria uma grande farsa.

 

O governador João Alves Filho já esteve ao lado das principais lideranças de Sergipe. Como a política é maleável e dinâmica, nenhum deles fechou as portas para o diálogo e futuro relacionamento. Como ninguém se perde na volta, toda vez que se retoma uma velha união de forças, há um fortalecimento de grupos que vão e voltam de acordo com as conveniências eleitorais. O ex-governador Albano Franco (PSDB), o senador Antônio Carlos Valadares (PSB) e o deputado federal Jackson Barreto (PTB) já tiveram um caso político com João. Sempre baseado na velha desculpa de que seria “pelo bem de Sergipe”. Hoje, os quatro estão em campos opostos e o mais agressivo é Jackson, que agora elegeu o governador João Alves Filho e a senadora Maria do Carmo Alves, como seus inimigos número um.

 

É possível que jamais sequer se cumprimentem…

 

Já o prefeito Marcelo Déda tem uma singularidade: nunca esteve ao lado do governador João Alves Filho e já foi adversário de todos os aliados de hoje. Mas, reconheça-se, mantém sua posição desde quando se iniciou na política, como líder estudantil, deputado estadual e federal. Entretanto, o que vem ocorrendo e que pode reduzir a distância que os dois sempre mantiveram, é a tendência de um relacionamento político com o Planalto. Todos viram que, durante a reforma tributária, o governador João Alves Filho fez uma oposição fechada ao projeto, chegando a liderar um movimento regional, contra a diferença de tratamento do Planalto entre os Estados do Sul e os do Norte e Nordeste. Depois de passada essa refrega, João iniciou uma política de boa vizinhança e, agora, com esse fato novo surgido entre Luiz Inácio Lula da Silva e o senador Antônio Carlos Magalhães, pode acontecer uma definição que aproxime os opostos em Sergipe, através do Planalto.

 

Embora ainda não tenha confirmado, mas também não nega, o prefeito Marcelo Déda é o nome que está escrito nas estrelas do PT, para ser o candidato ao Governo do Estado em 2006. O grande problema, que é discussão dentro do partido, é se a sociedade vai aceitar bem esse afastamento de um mandato em apenas 16 meses. Setores do partido desejam que o candidato seja o presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra, para que o Partido dos Trabalhadores dê o exemplo de compromisso com o objetivo do voto, que será dado para a reeleição e não para a desincompatibilização. Entretanto, alguns setores que formam o bloco de apoio a Marcelo Déda o querem candidato a governador, como é o caso de Jackson Barreto (PTB). Ele já anunciou que a ponte que liga Aracaju a Barra dos Coqueiros será construída no Governo Marcelo Déda.

 

Pode ser uma pretensão, mas também é uma vontade expressa…

 

O governador João Alves Filho deixa claro que quer permanecer à frente do Governo por mais quatro anos. Tem um projeto estruturado para isso e, a partir de janeiro, vai avançar com uma série de obras, principalmente no sertão, onde sempre conservou um forte potencial eleitoral. A disputa Déda e João será uma das mais acirradas – e elegantes – dos últimos anos, mas naturalmente terá uma nova história, como ocorre em todas as eleições. E um fato tem que ser registrado: adversários aqui, aliados no Planalto, mesmo que um não tenha a menor ligação com o outro. Isso talvez torne a campanha bem mais emocionante, porque Lula certamente vai querer eleger o compadre Déda, entretanto não pode perder os votos de João.

 

 

ALBANO

O ex-governador Albano Franco (PSDB) vai voltar a conversar com o deputado Bosco Costa, para que defina logo uma conversa com o senador José Almeida Lima (PDT).

Apesar da disposição para o diálogo, o ex-governador acha que tudo deve ser resolvido depois das eleições municipais.

 

ALMEIDA

O senador Almeida Lima (PDT) está em silêncio sobre sua transferência para o PSDB, tanto que só viaja a Brasília na próxima semana.

Almeida Lima insiste que a sua composição política continuará sendo com o governador João Alves Filho (PFL).

 

JORGE

O candidato a prefeito pelo PMDB, Jorge Alberto, está animado com o crescimento de sua campanha na capital. Ele nota que mudou muito.

Sábado passado, Jorge Alberto colocou 1.800 adesivos em veículos, com autorização de quem dirigia. Índice alto para apenas um dia.

 

PETROBRÁS

O presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT) vem a Aracaju, segunda-feira, para comemorar os mil dias sem acidentes da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados-Fafen,

A marca é resultante do trabalho em busca da melhoria das condições dos locais de trabalho, na conscientização dos trabalhadores e na implementação de ação para minimizar os riscos existentes na operacionalização.

 

APROVEITA

José Eduardo Dutra aproveita o feriado de 7 setembro para ficar em Aracaju, participando da campanha política de candidatos do PT.

Na segunda-feira à noite, Dutra participa do Coco Folia, que contará com a presença de candidatos do seu bloco político.

 

POÇO REDONDO

O consultor técnico do BID, Donivaldo Pedro Martins e o coordenador do Programa de Aperfeiçoamento de Consolidação dos Assentados (PAC), Luiz Carlos, estiveram em Poço Redondo.

Vão elaborar um projeto que dará 5,8 mil dólares por família assentada na região. Não será em dinheiro, mas em benefício para infraestrutura da localidade.

 

SÃO FRANCISCO

Existe algo de podre por trás do projeto de transposição do rio São Francisco, que faz o presidente Lula da Silva abusar do autoritarismo para realizá-la.

Lula acha que vai resolver problema da seca no Nordeste levando água para quem não tem, tirando de quem tem um pouco ou quase nada.

 

BOLHAS

O deputado José Carlos Machado (PFL) disse que não acredita nos discursos do presidente Lula da Silva: “para mim eles são bolhas de sabão”, ironizou.

Machado diz que Lula não vai gastar R$ 1 bilhão para a transposição do rio São Francisco, não fará a Transnordestina e nem duplicará a BR-101 do Rio de Janeiro a Natal.

 

DEPUTADOS

Quanto às críticas que o presidente faz os deputados nordestinos, de que eles não votam em projetos para a região, José Carlos Machado vê sentido nisso.

“O pessoal realmente não é se une e nem procura uma solução para o Norte e Nordeste. O líder da bancada da região quando convoca uma reúne aparecem quatro ou cinco”, disse.

 

MUDANÇAS

Um assessor do prefeito Déda, que pediu omissão do nome, acha que a equipe permanece a mesma, caso ele seja reeleito. O assessor tem certeza disso.

Diz que Marcelo Déda tem demonstrado satisfação com o trabalho da equipe e, segundo o assessor, o prefeito admite que “em time que está ganhando não se mexe”.

 

GOVERNO

Já no Governo do Estado haverá mudanças na equipe, principalmente com a reforma administrativa aprovada pela Assembléia Legislativa.

Dois secretários estão certos que serão substituídos e um outro está em análise. O governador pretende dar um novo formato à administração.

 

IBOPE

Atenção senhores candidatos a prefeito, esquentem as baterias e coloquem o bloco nas ruas porque uma nova pesquisa do Ibope vem aí.

Ontem, no bairro Aeroporto, um servidor do Ibope, de nome Gustavo, consultou uma pessoa sobre o voto para prefeito. O eleitor era de outro município e não respondeu.

 

LÓGICA

Através de e-mail, o leitor Luiz Campos faz uma dedução lógica: “se o deputado Jackson Barreto diz que a ponte será feita no Governo Déda, é porque o prefeito é candidato a governador”.

Acrescenta que se o prefeito Marcelo Déda ganhar com uma grande diferença em Aracaju, repercute no interior e será o nome mais forte como candidato ao Governo do Estado.

 

Notas

 

ADESIVOS

O secretário de Comunicação do município, jornalista Milton Alves, diz que não há nenhuma recomendação do prefeito Marcelo Déda (PT), ou de qualquer outro auxiliar, para que os servidores que ocupam cargo em comissão sejam obrigados a colocar, em seus carros, adesivos da candidatura do prefeito à reeleição.

“O prefeito Marcelo Déda tem dado lições de democracia e respeito político. Assim, todo e qualquer servidor municipal está livre para escolher aqueles que considere os melhores candidatos a prefeito e a vereador”, disse Milton.

 

E-MAIL

O leitor Reinaldo envia e-mail e faz uma análise sobre uma composição entre o PFL e PT, como está em andamento em Brasília, com conversa de Lula e ACM. Ele considera que “Déda e João juntos estariam completamente trucidados pelos eleitores”. Acha que apesar de ainda existir o voto de cabresto, o eleitor está mais atento.

Reinaldo continua dizendo que “ninguém pense que o eleitor vai engolir seco este acordo entre João Alves e Marcelo Déda, cantado em verso e prosa por alguns setores, até de forma utópica”. O eleitor vai reagir.

 

CRÍTICAS

Reinaldo, em seu e-mail faz críticas ao deputado Augusto Bezerra (PMDB): “ele precisa se orientar em seu mandato. As defesas ao governo do estado fazem parte, porém o deputado deveria observar o que faz dentro da Assembléia Legislativa”. Considerou que a defesa “para com o São Francisco já passou da caduques”.

O leitor quer saber porque Francisco Gualberto incomoda tanto: “realmente Gualberto incomoda por estar fazendo política das melhores, sem falsos protecionismos, em defesa da sociedade. Isso incomoda aos que dizem amém”.

 

É fogo

 

Durante todo o dia de ontem ocorreu a Festa do Vaqueiro em Poço Redondo. À noite houve forró de pé de serra.

 

O prefeito de Poço Redondo, Enoque Salvador, está animadíssimo com os resultados das pesquisas em sua cidade. A candidata que ele apóia está estourando nas pesquisas.

 

Uma empresa tradicional de Sergipe vai publicar edital de falência dentro de mais alguns dias. Muita gente ficará chocada.

 

A deputada Susana Azevedo, candidata à prefeita pelo PPS, está com a sua candidatura mais movimentada.

 

Há muita reclamação, de pessoas ligadas à Susana Azevedo, em relação ao seu programa eleitoral. Susana está muito sisuda.

 

Há também a impressão que a campanha de rua do prefeito Marcelo Déda (PT) estacionou. Não se vê muita coisa do seu partido nas ruas.

 

Fabiano Oliveira deixa claro que o Coco Folia não é festa folia e que lá tem espaço para todos os candidatos. Ninguém terá privilégios.

 

O deputado José Carlos Machado diz que a transposição do rio São Francisco vai separar o Nordeste Setentrional da Bahia, Sergipe e Alagoas.

 

As contas da Prefeitura de Monte Alegre foram bloqueadas por decisão do juiz Sérgio Lucas, a pedido do Ministério Público Estadual.

 

O prefeito de Monte Alegre, Omar Farias, defendeu-se afirmando que a Prefeitura tinha feito um acordo com o Ministério Público e estava pagando os salários.

 

O diretor da ANP, John Forman, defendeu a realização de novas rodadas de licitação como estratégia para evitar déficits na produção de petróleo no país.

 

Na semana passada a ministra Dilmar Rouseff, das Minas e Energia, afirmou que o assunto em debate agora é a definição da data e o formato das licitações.

 

Por Diógenes Braynes

brayner@infonet.com.br 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais