Navalhada no TCE

0

Aposentado pelo Tribunal de Contas de Sergipe como forma de punição, o conselheiro Flávio Conceição pode retornar serelepe ao trabalho de julgador daquela Corte. Pelo menos é o que deseja o advogado dele, Gilberto Vieira. Este se fundamenta numa recente decisão do próprio TCE, que ultimamente deixou de enxergar o desvio de milhões de recursos federais descoberto em 2007 pela Operação Navalha e que resultou na prisão de Flávio e de outros figurões da política sergipana. Com base nisso, e somente nisso, o competente advogado pretende que os conselheiros do TCE desconsiderem o passado, esqueçam que Conceição e mais 11 sergipanos são réus no vasto processo que tramita no Superior Tribunal de Justiça para apurar o desvio de milhões em dinheiro público. Caso a vontade de Conceição seja acatada, o TCE pode ser rebatizado oficialmente de Tribunal Faz de Contas, numa festa regada a muita pizza e o delicioso doce de leite.

Absurdo

O verdadeiro desmonte da saúde pública de Aracaju pode ser uma manobra visando mascarar a contratação pela Prefeitura das funestas Organizações Sociais para administrar o setor. Quem pensa assim é o conselheiro do Conselho Regional de Medicina, Hyder Aragão, preocupado com a séria crise que afeta os postos de saúde capital. Será que estão usando a doença alheia para atender interesses financeiros? Santo Deus!

Rasga dinheiro

E a mesma Prefeitura que diz não ter dinheiro para equipar os postos de saúde gasta uma boa grana com propaganda na imprensa para fazer apologia ao recém-lançado “Pró-Mulher… Pró-Família”. Quem lê o anúncio disfarçado de reportagem pensa até que o tal programa será a salvação da lavoura, pois vai acabar com todos os problemas de saúde vividos pelas comunidades carentes de Aracaju. Ledo engano!

Tá difícil

O governador Jackson Barreto (PMDB) se reunirá está semana com o senador Antônio Carlos Valadares e o deputado federal Valadares Filho. Na pauta, as eleições deste ano e a permanência do PSB na aliança governista. Jackson deseja evitar que os Valadares pulem a cerca objetivando montar um palanque em Sergipe para o presidenciável do PSB, Eduardo Campos. Taí uma missão quase impossível!

De olho nos votos

Policiais militares de Sergipe promoveram ontem manifestação em frente da Assembleia para cobrar do governo reajuste salarial. Embora justa, a reivindicação perde força porque alguns PMs utilizam o movimento para fazer campanha eleitoral. Na verdade, para alguns, a melhoria salarial interessa bem menos do que os votos dos policiais nas próximas eleições.

Demagogia

Em seu primeiro discurso na Assembleia, após ter substituído a ex-deputada Susana Azevedo, o radialista Gilmar Carvalho (Solidariedade) deu um show de demagogia. Prometeu, entre outras coisas, apresentar um projeto obrigando que deputados, secretários, governador e vice, matriculem os filhos na escola pública. Gilmar não disse, porem, em quais estabelecimento da rede pública educou os herdeiros.

Prejuízos

Cansados de esperar pelos imóveis novos, clientes colocaram as construtoras na Justiça para serem indenizados pelos prejuízos. Processo nesse sentido será julgado amanhã pelo Pleno do Tribunal de Justiça de Justiça. Os prejudicados querem, entre outras coisas, que as construtoras paguem o aluguel deles até que os novos imóveis sejam concluídos. Justíssimo!

Sem acordo

Terminou sem acordo a reunião de ontem entre patrões e empregados da construção civil de Sergipe. O sindicato dos trabalhadores chegou a reduzir de 15% para 9% a proposta de reajuste salarial, mas os empregadores só oferecem 6,78%. Diante do impasse, o Sindicato vai mobilizar a turma da pá e da colher para deflagrar uma greve nos próximos dias. A coisa pode ficar feia!

‘Lesma lerda’

O governo informou ao Sindicato dos Servidores Públicos de Sergipe o desejo de mandar para a Assembleia o projeto de lei referente ao Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS) da categoria. Durante a reunião, contudo, os secretários informaram que o prometido Plano só será posto em prática quando a Lei de Responsabilidade Fiscal permitir, ou seja, quando houver dinheiro em caixa. Ora, qual a vantagem de aprovar o PCCS se os servidores vão continuar ganhando a ‘lesma lerda’? Isso tá cheirando a enrolação.

Recorte de Jornal

Publicado no jornal aracajuano O Tempo em 2 de abril de 1949

 

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais