Nomes sujos

0

A maioria dos novos prefeitos sergipanos está no mato sem cachorro. As prefeituras inscritas negativamente no Cadastro Único de Convênio (Cauc) da Secretaria do Tesouro Nacional não podem firmar convênios com o governo federal. Isso significa que, enquanto não limparem os nomes, as atuais administrações estão impedidas de receber recursos para tocar os projetos anunciados na campanha eleitoral passada. Portanto, antes de viajarem à Brasília visando conseguir recursos junto aos Ministérios, os novos prefeitos devem se esforçar para tirar o nome das prefeituras do Serasa oficial. Do contrário, não conseguirão honrar as inúmeras promessas feitas contando com a ajuda de recursos liberados pela União. Crendeuspai!

Pouco tempo

Acaba no próximo dia 30, o prazo para o governo estadual e as prefeituras enviarem ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação as informações sobre os investimentos em educação. Quem perder o prazo ou não conseguir comprovar que investiu 25% do orçamento em educação, deixa de receber recursos de transferências voluntárias da União e não poderá firmar novos convênios com órgãos federais. Danou-se!

Bom exemplo

E o prefeito de Socorro, Padre Inaldo (PCdoB), abriu mão de 35,7% do próprio salário, que agora é de R$ 25,5 mil. Aprovado no ano passado, o reajuste elevou o vencimento do comunista de R$ 26 mil para exagerados R$ 39,7 mil. Surpreso e incomodado com o vergonhoso ordenado, o reverendo consultou a Procuradoria Geral do Município, que sugeriu a drástica redução, acatada de pronto por Padre Inaldo. Taí um bom exemplo a ser seguido pelos demais prefeitos e os vereadores sergipanos.

Gazeteiros

Faltar às sessões plenárias é coisa comum entre nossos congressistas. O Jornal da Cidade publica hoje que os senadores Antônio Carlos Valadares (PSB) e Ricardo Franco (DEM) estiveram ausentes em 19 das 90 sessões que deveriam ter participado em 2016. O senador Eduardo Amorim (PSC) faltou 12 vezes. Conclui-se que, ao menos no quesito gazetear, o suplente Ricardo Franco é igualzinho aos que ele costuma chamar de velhos caciques da política. Misericórdia!

Na terrinha

E quem chega hoje em Aracaju é o deputado federal Jovair Arantes (PTB), candidato à presidência da Câmara. Vem pedir votos aos colegas sergipanos. Na agenda, entrevista coletiva ainda no aeroporto, visitas ao governador Jackson Barreto (PMDB) e ao prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), e jantar com a bancada federal de Sergipe. Também atrás de votos, quem deve dar com os costados por aqui, semana que vem, é o presidente da Câmara Federal, deputado Rodrigo Maia (DEM).

O otimista

Com o título acima, o jornalista Ilimar Franco publica hoje, em O Globo, a seguinte nota: “Apesar das fortes especulações de que perderá a liderança do governo na Câmara, André Moura, do nanico PSC, acredita que continuará no cargo. Alvo de críticas da base, ele diz que sempre é elogiado por Michel Temer e que o presidente estaria ‘muito satisfeito. O presidente fala que a disputa na Câmara não afetará sua decisão’, afirma”. Então, tá!

Os contrários

E Ilimar prossegue: “Os críticos de Moura dizem que ele foi escolhido líder em um momento que não existe mais. À época, o centrão era a força predominante na Câmara, e Eduardo Cunha mantinha robusta influência sobre os deputados e o governo”. Falar nisso, quando será que o deputado André Moura vai visitar o amigo íntimo Eduardo Cunha, preso no Complexo Médico Penal, no Paraná? Homem, vôte!

Na dianteira

O dublê de político e empresário Edivan Amorim (PR), aquele que confessou pagar semanada ao governador Jackson Barreto (PMDB), jura que o irmão Eduardo Amorim (PSC) liderada todas as pesquisas para o governo. Segundo o moço, as consultas apontando a liderança folgada do querido mano foram feitas pelo mesmo instituto que realiza pesquisas para Executivo sergipano. Ah, bom!

Violência assusta

O covarde assassinato do sargento PM Adalberto dos Santos Filho por um assaltante, fez a OAB protestar contra a crescente violência: “A ausência de políticas públicas efetivas de prevenção da criminalidade colocaram Sergipe como o estado mais violento da federação”, diz a seccional em nota. Após se colocar à disposição “da família enlutada”, a Ordem cobra do governo “ações efetivas e eficientes para restabelecer a tranquilidade à sociedade”. Certíssimo!

Nova loja

Em matéria paga publicada nos jornais desta terça-feira, o grupo Makro Atacadista informa que vai reconstruir a loja de Aracaju, destruída por um incêndio na semana passada. O novo empreendimento deve ficar pronto “no menor espaço de tempo possível, garantindo, assim, a permanência de nossas atividades em Aracaju, onde atuamos há 13 anos”. Legal!

Fora do alvo

E o sergipano Carlos Britto, ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal, discorda de como tem sido tratada a crise nos presídios. O jornal Folha de São Paulo publica hoje que “quem conversou com Carlos Ayres Britto relata uma visão crítica do ex-ministro do STF à condução de Alexandre de Moraes (Justiça) da crise penitenciária, a seu ver “reducionista”. O ex-ministro costuma reiterar sua confiança em uma abordagem mais “abrangente” do problema. Hoje, tem dito, cada segmento público joga no colo do outro a responsabilidade”. Cruz credo!

Patrocínio

Feiras, exposições, congressos, fóruns e seminários com cunho institucional ou mercadológico podem ser inscritos no edital de Patrocínio do Banco do Nordeste 2017. As propostas serão recebidas até o próximo domingo (22). O BNB analisará projetos com previsão de realização de 10 de abril a 31 de dezembro deste ano. Mais informações: patrocinio@bnb.gov.br. Participe!

Recorte de jornal

Publicado no jornal O Estado de Sergipe, em 31 de dezembro de 1915

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários