Novo quadro

0

O presidente regional do PDT, deputado estadual Luiz Garibalde Mendonça, já confirmou presença no Congresso Nacional, que o partido realiza dia 3 de dezembro, no Rio de Janeiro, para discutir a fusão com o PPS. Ele disse que até o momento não há qualquer alteração em relação a mudanças dentro da legenda e que continuará no partido, obedecendo aos interesses da Executiva Nacional. Depois do resultado da reunião do PSDB, que afastou a possibilidade do senador Almeida Lima pousar definitivamente no ninho tucano, não se tocou mais nesse assunto dentro do PDT, porque o próprio Almeida teria dito que o assunto estaria encerrado. Quanto à divulgação, pelo deputado João Fontes, de que estaria conversando com a direção nacional para ter como novo partido o PDT, o deputado Luiz Garibalde disse que ele só faria isso se o senador deixasse o partido. Como de imediato não há essa possibilidade, é possível que João tenha que tentar outra legenda ou esperar para analisar o que nascerá dessa possível fusão do PDT com o PPS.

 

Uma surpresa foi a entrevista do senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) anunciando que o ex-governador Albano Franco (PSDB) seria candidato ao Senado Federal pela legenda. E admitiu que Almeida Lima pretende disputar o Governo do Estado e não via obstáculo nos dois permanecerem no mesmo partido. Praticamente foi a primeira informação concreta – talvez uma inconfidência – do rumo político que Albano Franco pretende tomar em 2006, disputando uma única vaga do Senado. Essa formação, juntando o senador com o ex-governador, seria impossível porque o ninho tucano é pequeno demais para caber Albano e Almeida. Pelo menos foi isso que relatou o senador, quando estava nas conversas iniciais para ingressar no PSDB, porque o seu objetivo era o comando do partido, sem a participação do ex-governador. Como está muito claro que a pretensão de Almeida Lima era ingressar no tucanato para comandar um novo bloco em formação, sem perder o controle do PDT, a declaração de Eduardo Azeredo é absolutamente vazia. Certamente será iniciado um novo projeto político para o grupo que pretende não estar com o PT e nem se vincular ao PFL.

 

Quanto a uma candidatura do ex-governador Albano Franco ao Senado Federal não é uma novidade, mas apenas uma possibilidade, dependendo de como se delineie as composições políticas para 2006.Em sua vida pública, Albano Franco teve duas disputas ferrenhas: em 1994, quando enfrentou Jackson Barreto, e em 1998 quando disputou com João Alves Filho. Ambas para governador e vencidas no segundo turno. Em 98 ele eliminou um adversário histórico (Jackson Barreto) alinhando-se a ele para enfrentar o atual governador. Fora disso, Albano Franco sempre contou com um grupo forte ao seu lado, que praticamente garantia sua eleição. Hoje o quadro é outro. O prefeito Marcelo Déda (PT) tem pelo menos dois nomes certos para disputar o Senado: o presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT), e o deputado federal Heleno Silva (PL), que já anunciou sua candidatura. Isso se o próprio Marcelo Déda não tentar o Congresso Nacional, sugerindo outro nome para o Governo do Estado. Embora Albano seja uma liderança política reconhecida em Sergipe, seguramente ele não arriscaria uma candidatura que oferecesse um risco excessivo. Talvez preferisse uma vaga na Câmara Federal, cuja eleição seria garantida, já que o deputado federal Bosco Costa pretende retornar à Assembléia Legislativa.

 

Almeida Lima, entretanto, não pretende cruzar os braços e está precisando de um partido de grande porte para comandar no Estado, com o objetivo de sair candidato a governador, dentro de um novo bloco político, que faça um deputado federal e dois ou três estaduais. Caso a junção PPS/PDT forme uma sigla forte na política nacional e regional, nada o impede de continuar onde está e procurar os interessados na formação de uma tendência política independente, que sirva de opção para o eleitorado. O filhote das duas legendas não pretende ser secretário. Apenas defende a reformulação da política econômica do Governo Lula e os equívocos que o presidente vem cometendo, com uma administração que não ofereceu as mudanças que o povo brasileiro esperava e até acreditava. Será um partido que atuará dentro de critérios democráticos, fazendo uma oposição criteriosa, responsável e dura ao Governo, sem exagerar em qualquer posição que pareça radical. Será uma nova estrutura de legenda no Brasil, para acomodar insatisfeitos de todos os lados e pessoas que tenham compromissos com o desejo de uma sociedade que se sentiu traída.

 

Desse provável casamento do socialismo com o trabalhismo é difícil avaliar que bicho vai dar…

 

VOTAÇÃO

O deputado João Fontes participa, hoje, de um movimento que está coordenando em Brasília, denominado ‘Queremos Votar’. Acontecerá às 16 horas no corredor da Câmara.

Vários parlamentares, de diversos partidos políticos, participarão do ato. “É uma manifestação de repúdio à paralisia que se instalou no Congresso”.

 

LULA
O deputado João Fontes criticou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva por ter aderido à política do ‘toma lá, dá cá’. “Infelizmente, Lula se tornou refém desses políticos”, lamenta.

João Fontes explica que o movimento busca o apoio da sociedade e da imprensa
para a importância do Congresso voltar ao seu ritmo normal.

 

MEDIDAS

Atualmente, 24 MPs estão paradas no Congresso. Entre outros projetos estão a Lei da Biossegurança, a reforma do Judiciário, a Lei de Falências e o Plano Plurianual.

“É inadmissível que projetos de tamanha importância sejam prejudicados por uma greve branca movida a interesses particulares. O país paga caro por isso”, acha João Fontes.

 

AUGUSTO

Apesar de se manter sem partido, o vice-líder do Governo na Assembléia Legislativa, deputado Augusto Bezerra, está com um pé no PFL.

Segundo um membro da cúpula do partido, o deputado não teria outra legenda para se acomodar, capaz de lhe dá condições para reeleição.

 

PALESTRA

O governador João Alves Filho (PFL) passou o domingo dando os retoques finais na palestra que fez ontem na Procuradoria Geral de Justiça.

A base da palestra foi a falência dos Estados e o enriquecimento da União, que também serviu de tema para um artigo de sua autoria, publicado na Folha de São Paulo.

 

SEGRASE

Os funcionários do Segrase estão marcando um período de paralisação em protesto ao projeto do Governo que transforma a empresa em autarquia.

Segundo o deputado Belivaldo Chagas (PSB), “o Segrase dá lucro e não precisa do Governo. Acha que será um desgaste para o governador João Alves Filho”.

 

PREFEITOS

Os quatro prefeitos eleitos do PSB viajam a Brasília hoje, ao lado do senador Antônio Carlos Valadares, para percorrer os Ministérios.

Inicia contatos com os ministros do Governo Lula. Valadares vai ajudar o pessoal na administração municipal, dentro do que for possível, principalmente em Brasília.

 

SECA

O prefeito de Poço Redondo, Enoque Salvador, está preocupado com a longa estiagem na sua região e nos constantes assaltos que se registram em sua cidade.

Enoque já suspendeu compra de material cirúrgico e odontológico, para aplicar recursos na distribuição de água à população.

 

DISTRIBUIÇÃO

A distribuição de água no sertão, no período de seca, sempre foi feita pelo Governo do Estado, enquanto o Governo Federal entrava com uma contribuição.

Em razão de reclamações de Jackson Barreto, Marcelo Déda e Ana Lúcia a distribuição foi tirada do Estado e passada ao Governo Federal, através do Exército.

 

RECLAMAÇÃO

Segundo um assessor do Governo, a oposição alegou que havia política na distribuição, em que só eram beneficiados os eleitores do PFL.

Com a transferência para o Governo Federal, o Estado ficou sem condições de interferir na distribuição de água no alto sertão sergipano.

 

EMENDAS

O prefeito eleito de Lagarto, Zezé Rocha (PTB), acompanhado de Sérgio Reis, secretário municipal da Saúde, viaja hoje a Brasília para tratar das emendas do orçamento.

Sérgio disse que espera que o prefeito de Aracaju, Marcelo Déda, com a influência que tem, coloque emendas para outros municípios e não queira tudo para Aracaju.

 

ABSURDO

Crianças portadoras de leucemia que chegam para exame de sangue nos postos de saúde do município, com solicitação de médicos do estado, não são atendidas.

Têm que retornar a médicos do município para pegar uma nova solicitação de exames, que geralmente duram até um mês. Quem tem câncer, tem pressa…

 

BOLSA

O ex-deputado Nelson Araújo acha que essa questão do Bolsa Família deveria ter uma fiscalização severa da sociedade e até do Ministério Público.

Ele garante que há politicagem no meio. Em Riachão dos Dantas, por exemplo, um cidadão que passa fome disse-lhe que “esse negócio de Bolsa Família só dão a quem não precisa”.

GUIMARÃES

As eleições do Sebrae acontecem hoje, com chapa única. José Guimarães será reconduzido ao cargo de superintendente e Gilson Figueiredo presidente do Conselho.

José Guimarães teve que fazer um trabalho político para se manter no cargo, porque houve ingerência política para tomar-lhe o Sebrae.

 

Notas

 

SALÁRIO-I

O Governo de Sergipe já tem à disposição os recursos necessários ao pagamento do 13º Salário dos mais de 50 mil servidores públicos estaduais e o deve fazer dento do prazo legal. A garantia foi dada recentemente pelo governador João Alves Filho (PFL) para desfazer boatos de dificuldades para o pagamento.

Em Sergipe, o 13º salário vai beneficiar quase 447 mil trabalhadores, entre público e privado, e colocará na economia do estado um total aproximado de R$ 255,1 milhões, conforme estimativa do Dieese.

 

SALÁRIO-II

À exceção de Aracaju, que já tem dinheiro reservado, a maioria das 75 prefeituras está em dificuldade para pagar o 13º Salário. O presidente da Associação de Prefeitos do Centro-Sul, César Mandarino, diz que ainda não existe um levantamento concreto da situação dos municípios, inclusive de outras regiões do estado.

Muitas prefeituras não têm ainda dinheiro suficiente para cumprir as folhas de novembro, dezembro e o 13º salário: “há um esforço nítido, por parte dos prefeitos, para cumprir com esse compromisso”, explicou.

 

CANDIDATURA

O prefeito Marcelo Déda (PT) tem evitado comentar sobre candidatura ao Governo do Estado ou Senado, em 2006. Ele tem dito que sua cabeça está voltada para 2004, a fim de concluir a administração e 2005, quando projeta outro Governo que até então fica a dúvida se será de apenas 16 meses ou chegará até o final.

Até o dia 15 de dezembro espera concluir e anunciar as mudanças que fará na equipe administrativa para o segundo mandato, sempre lembrando que será a mínima possível. O prefeito vai atender aos aliados.

 

É fogo

 

O ex-governador Albano Franco passou o final de semana viajando e ontem, data do seu aniversário, comemorou em Maceió com familiares.

 

O governador João Alves Filho está em dúvida se vale a pena discutir as emendas do orçamento, porque o Governo Federal só libera o quanto quer.

 

O prefeito eleito de Areia Branca, Ascendino Souza (PSB), aposta no turismo para gerar empregos e melhorar a vida dos cidadãos de sua cidade.

 

Uma das idéias de Ascendino Souza é implantar uma feira de produtos agrícolas orgânicos, todas as semanas.

 

Termina hoje o XXI Jogos da Primavera, com premiação dos jogadores e um show com “Calcinha Preta”.

 

O deputado Gilmar Carvalho estreou, ontem, o seu programa na FM-Sergipe, dentro do mesmo estilo da Jornal-FM.

 

O deputado Garibalde Mendonça (PDT) continua trabalhando para colocar policiamento ostensivo na Atalaia Nova.

 

As inscrições para o Exame de Ordem da OAB-SE, que será realizado em dezembro, foram encerradas ontem.

 

O senador Valadares está empenhado para que o Governo Lula implante em Sergipe uma Escola Técnica Federal de Petróleo.

 

O objetivo da escola é qualificar profissionais para atividades ligadas ao setor, que é um dos mais evoluídos do mundo e oferece salários elevados aos profissionais.

 

O Unibanco, terceiro maior banco privado brasileiro, demitiu 470 funcionários em quatro estados do Sul, segundo a federação Nacional dos Bancários.

 

O índice de inadimplência do cheque de setembro cresceu 4,1% em relação ao mês de agosto, segundo dados do Serasa. 

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários