NOVOS POSTOS DE TRABALHO EM SERGIPE

0

Dados divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), mostram que em Sergipe foram criados 11.198 novos postos de trabalho em 2009. O resultado é o maior verificado na economia do Estado nos últimos 11 anos. Desde 2007, já foram criados mais de 31 mil novos empregos formais. Os grandes destaques ficaram por conta dos setores de Serviços, responsável pela geração de 4.066 vagas, Construção Civil, com 3.640 novos postos de trabalho, e Indústria de Transformação, que garantiu a criação de 2.319 empregos. O comércio, com 1.414 empregos, e as áreas de Extração Mineral e de Serviços de Utilidade Pública também contribuíram com a abertura de 146 e 77 vagas, respectivamente. Por outro lado, na Agricultura foram fechados 443 postos de trabalho, enquanto na Administração Pública outros 21. O levantamento feito pelo Ministério do Trabalho mostrou também que a economia sergipana se destacou até mesmo nos momentos em que era esperado um aumento no número de postos de trabalho fechados. Em dezembro, período em que tradicionalmente são registradas mais demissões que contratações, o saldo foi de -163 vagas. Para se ter uma idéia da relevância desse número, no mesmo período do ano passado foi registrada uma diminuição de 2.480 vagas na economia do Estado. Como não poderia ser diferente, o secretário do Trabalho, José Sobral, está radiante com os números de Sergipe.

WEST COAST

O Jornal ‘O Globo’ publicou na coluna Negócios e Cia, de Flávia Oliveira, uma novidade que promete boas novas para Sergipe: A West Coast, fabricante gaúcha de calçados masculinos, se prepara para ampliar a produção em 30% este ano. A base para o crescimento é a nova fábrica, que começa a operar em março em Sergipe, e vai gerar mais de cem empregos diretos. “A linha de produção do Nordeste será dedicada ao mercado local, tamanha a demanda na região e no Norte do país”, diz Rafael Shefer, gestor de mercado da empresa.

WEST COAST 2

Schefer afirma que a medida antidumping dá mais segurança ao investimento. “Caso contrário, o plano de produção seria muito mais lento ” , diz. Com a nova linha, a West Coast planeja terminar este ano com capacidade de produção 30% maior e com 250 a 300 empregados a mais. A fabricante, diz Schefer, já contratou 80 funcionários no fim de 2009, totalizando atualmente 400 trabalhadores diretos.

WEST COAST 3

O investimento vem arrematar a aposta em expansão de produção e diversificação de portfólio feita no ano passado, como estratégia para driblar os efeitos da crise financeira no setor. E funcionou. A West Coast fechou 2009 com o crescimento de 14%, batendo os 2,5 milhões de pares fabricados. “Fizemos coleções maiores e ampliamos o leque de opções e preços nas duas pontas, mirando as classes A e C”, conta o executivo. Para isso, foi aberta mais uma linha de produção no RS e o 80 funcionários foram contratados. Com a demanda crescente desde julho, a meta para este ano é um crescimento de 22%.

RICARDO ELETRO

A rede mineira Ricardo Eletro pretende investir R$ 50 milhões em 2010 – 20% mais que o total aplicado em 2009. O dinheiro será usado na abertura de 30 lojas, sendo a maioria no Rio de Janeiro. Hoje a varejista de eletrônicos e eletroportáteis tem 260 lojas nos Estados de Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Sergipe, Alagoas, Goiás e Distrito Federal. “Pode ser que façamos alguma aquisição no decorrer do ano, já que a empresa está em constante crescimento, mas no momento não existe nenhuma em vista”, diz Ricardo Nunes, presidente da Ricardo Eletro. 

PRÊMIO LÍDERES E VENCEDORES

 

A diretoria da Associação Comercial e Empresarial de Sergipe – ACESE – já indicou a comissão organizadora da edição 2010 do Prêmio Líderes e Vencedores, realizado por esta entidade. Integram a comissão os vice-presidentes Alexandre Porto, Mirian Nunes e Iêdo Flávio Filho. A festa de entrega do Líderes e Vencedores tem previsão de acontecer ainda neste primeiro semestre, quando serão homenageadas sete personalidades sergipanas indicadas pelo voto dos associados nas seguintes categorias: Destaque Comunitário Pessoa Física e Jurídica, Destaque Empresarial Comércio, Indústria, Agropecuária e Serviço, e Destaque Profissional.

 

98 MIL REFEIÇÕES

 

O total de alimentos doados pelo Bompreço, ano passado, ao Programa Mesa Brasil do SESC, em Sergipe, ultrapassou 49 toneladas. São principalmente itens de hortifruti que não foram comercializados nas lojas da rede – Bompreço e Hiper – e que se tornam ingredientes importantes no preparo de alimentos de programas e entidades sociais do Estado. Se dividirmos este volume doado pelo peso médio de uma refeição de uma pessoa adulta (500g), seriam cerca de 98 mil refeições. Sergipe é o quarto Estado do Nordeste que mais recebeu doações em 2009.

 

PÃO DE AÇUCAR

O Pão de Açúcar vai investir R$ 5 bilhões em 2010, 2011 e 2012, o que deve gerar a criação de 100 mil empregos nesse período. O valor não inclui aquisições e também não considera a operação de varejo de eletroeletrônicos, recém-criada com a aquisição do Ponto Frio e da Casas Bahia. Os R$ 5 bilhões destinados apenas ao varejo alimentar será 70% superior ao investido pelo Pão de Açúcar no triênio 2007, 2008 e 2009. A meta é abrir, em três anos, 300 lojas, duas delas, espera-se em Sergipe. A ação deve proporcionar um aumento médio de 9% ao ano na área de vendas do grupo, que possui 1.080 lojas.

DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL – O Banco do Estado de Sergipe (Banese) foi incluído na composição do Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável (CEDRS/SE), criado pelo Governo do Estado, no final do ano passado. O CEDRS, de acordo com o decreto que o criou, tem como objetivo principal a promoção da integração entre os órgãos e entidades da administração direta e indireta do poder Executivo Estadual, como também outras organizações da ação agrícola rural do Estado de Sergipe, principalmente aquelas voltadas para a agricultura familiar.

 

 

 

Comentários