O  Cine Vitória precisa de ajuda

0

Já estamos  ingressando na quarta  semana de paralisação total das atividades comerciais  sob a desculpa de combater a propagação do Covid-19. A paralisação em Aracaju atingiu até as salas cinematográficas, tanto as dos Shoppings, como as independentes.  Todas as salas do Estado estão fechadas, aguardando a hora que poderão receber o público novamente Isso vai durar?   Quem sabe?  Não há previsão para absolutamente nada. Enquanto isso, os cinéfilos ficam em casa amargando a programação de filmes das televisões abertas e às TVs a cabo. Pandemia é isto aí: ficar confinado em casa aos filmes du blados de canais abertos, como Globo, Record, Band  e companhia limitada. É uma pena que o governo não tenha providenciado uma situação melhor para um pequeno cinema independente, aquele que, na verdade, fornece ao nosso público, opções fora do cinemão de Hollywood. O  Cine Vitória ali na rua 24 Horas, recebe um público pequeno mas que não dispensa os filmes fora do circuitão. Foi o Cine Vitória que lançou, o filme sul-coreano  “Parasita” que depois conquistou quatro Oscars e só então ganhou exibição no Cinemark do Shopping Jardins. Se não fosse pelo Vitória não o teríamos conhecido dois meses antes de sua estreia oficial no Brasil. A Secretaria de Cultura do Estado tem a obrigação de contatar o Cine Vitória e tentar amenizar a situação dele.  O Cine Vitória tem condições de providencia o distanciamento  social  de um metro entre os espectadores sem que isto lhe custe muito caro. É preciso ajudar a micro-empresária Rosangela Rocha  para que ela depois não desista do negócio, que é tão importante para nossos cinéfilos. Queremos o Cine Vitória funcionando, se possível logo, o mais rápido possível. Em pandemias anteriores, as medidas de prevenção foram  drásticas como agora e nunca atingiram os cinemas e teatros da cidade. Esperamos  que Sua Excelên cia, o Governador  Belivaldo Chagas (não sabemos sequer se ele gosta ou não de assistir filmes nas  salas escuras) se sensensibilize aos nossos apelos e tome alguma providência.Logo. Com urgência.

Aguenta ou não aguenta?

Enquanto  o Presidente do Senado, Sr. David Alcolumbre defende que ”continue tudo como está pelo menos por mais 30 dias”, o Presidente da República, Sr. Jair por mais quinze dias esta  situação”.Mais uma vez ele voltou a se opor à paralisação do comércio para evitar a contaminação pelo corona vírus; Mas, em São Paulo já começou uma violenta reação  a atual situação de comércio fechado, e o povo preso em suas casas e apartamentos. É uma situação cruel e dolorosa essa de manter o povão preso em casa por causa de uma doença  de letalidade ainda pequena. Passa a impressão que Estados como São Paulo, de Janeiro e Goiás estão com medo de enfrentar a pandemia com seus frágeis órgãos de saúde pública, embora façam propaganda do contrário. Na minha modéstia  avaliação os três principais governadores do País estão fazendo politicagem  usando a pandemia como escudo de uma pretensa candidatura a Presidente da República, daqui há 3 anos. Em São Paulo, os gritos da carreata contra o Governador João Dória soaram deveras preocupante, pelo meno os  para ele, governador do Estado “que não pode parar”. O  paulista não está recebendo bem a paralisação comercial  e gostaria da intervenção da Presidência da República. Isso é o que não poderá ocorrer, sob pena de o presidente ser acusado de intervencionista. Como sairemos desta camisa de onze varas? Cartas para a redação

Bolsonaro, o piadista

O PRESIDENTE Jair Bolsonaro pode ter lugar garantido, quando deixar a presidência. Na sexta-feira da Paixão, ele deixou a residência presidencial e foi a vários lugares, entre eles, o Hospital do Exército. O que foi fazer lá, a Imprensa não tomou conhecimento. Depois, ele entrou numa farmácia e comprou um remédio qualquer. Um repórter quis saber do presidente que remédio ele comprara. Resposta na bucha:

– Um teste para gravidez.

Missa no Alvorada                          ‘

Um evento inédito ontem no Palácio da Alvorada em Brasília. Foi celebrada a Missa de Páscoa, com a participação de todas as igrejas  que tem participação na vida brasileira. Começou às quatro horas da tarde e até as seis ainda não havia terminado.

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários