O “Decano” dos Acadêmicos

0

   Foi extremamente gratificante para mim participar da Assembleia Geral da Academia Sergipana de Medicina ocorrida na noite desta quarta-feira, 26

Dalmo Machado de Melo

 de julho de 2017, quando elegemos o novo ocupante da Cadeira 2, vaga desde a morte do confrade Alexandre Gomes de Menezes Neto.
Até quando esteve vivo, Alexandre era o nosso "decano". Hoje a posição é ostentada com muita orgulho e emoção pelo querido Dr. Dalmo Melo, mestre da obstetrícia sergipana, professor das nossas aulas práticas na Maternidade Francino Melo, do Hospital Cirurgia.
Naqueles tempos, todos tinham fácil acesso ao professor que dividia a disciplina de obstetrícia com o Dr. Hugo Gurgel, outro ícone da nossa Medicina. Os meus três filhos vieram ao mundo pelas suas mãos seguras, firmes e gentis.
Generosidade era o seu segundo nome! O humanismo nunca foi deixado de lado, em nenhum momento. Mesmo quando necessitou prolongar o exercício da profissão mais tempo do que devia e merecia.
Recentemente participei da entrevista com ele para o Projeto Memória Viva. E nossos momentos de convivência foram relembrados por mim e por ele, das serestas na sua residência ao quadro de óleo sobre tela de Florival Santos – A Visitação – deslumbrante na recepção da clínica pioneira por ele fundada, que marcou a medicina de Sergipe durante anos.
Finda a clínica, o quadro não deixou de acompanhá-lo em toda a sua vida e tive então a emoção de revê-lo, imponente e belo na sua sala de visita, no apartamento onde mora, mantido por ele e Marise em total devoção. Faz parte da sua rotina diária, após o despertar, colocar-se em oração defronte ao quadro, que mostra a visita de Maria às terras montanhosas da Judeia, à vila onde Zacarias morava, para visitar Isabel, ambas grávidas. Nesse encontro elas descobrem, uma na outra, o mistério que ainda não conheciam e que as encheu de muita alegria. Hoje também encontramos pessoas que nos surpreendem com a sabedoria que possuem e com o testemunho de fé que nos dão.
A presença do nosso "decano" na assembleia foi ressaltada pela confreira Zulmira Freire Rezende como um exemplo de amor à Academia, ao vê-lo comparecer para votar, no auge dos noventa e um anos, em noite de inverno. E eu complemento: transformou a nossa noite fria num momento sublime e radiante!

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais