O fenômeno Sarah Palin.

0

Quando já se pensava que as eleições americanas estavam decididas com Barak Obama, vencendo o insosso John McCain, eis que surge Sarah Palin, jovem governadora do frio e distante Alasca, que aquece a disputa e parece fazer pender a balança para o lado Republicano.

 

Os partidos Democrático e Republicano nos EUA têm como mascote um jumento e um elefante.

Na verdade, a vitória do senador Obama, alijando Hillary Clinton do processo, deixou uma impressão de perda e de orfandade junto ao eleitorado mais aberto às minorias oprimidas, sobretudo, às mulheres que viram a sua exponencial representante ser banida de uma disputa, quase igualada.

 

E quando um partido sai dividido da convenção após uma disputa renhida com foi a dos Democratas, sempre fica uma ferida, resultado de uma costura mal cerzida.

 

Mesmo porque Hillary Clinton esbanja simpatia, capacidade e inteligência, e Barak não o é tanto assim, e a sua novidade é a própria cor, um exotismo no ainda recalcitrante e latente racismo americano.

 

Na própria convenção democrata, o melhor discurso foi da Senadora Clinton, superando a todos, do Obama ao próprio Bill Clinton exibindo um sorriso sem encanto.

 

Quanto a Hillary, seu charme dominou o palco empolgando a torcida, de forma que, mesmo mostrando seu apoio democrático de militante, saiu do púlpito e do cenário demonstrando que era uma melhor candidata para enfrentar os Republicanos.

 

McCain e Palin na convenção Republicana

Eis que acabou a festa. Os Democratas vão de Obama tendo Joseph Biden, um experiente senador, como candidato a Vice-Presidente. De Biden, sabe-se ter sido escolhido para dar embasamento político a Obama, que é acusado de inexperiência, sobretudo em assuntos internacionais.

 

Mas, vem dos Republicanos o golpe de destaque após sua convenção.

 

A escolha não imaginada de uma mulher como candidata a Vice-Presidente, uma jovem e bela governadora, até o momento desconhecida, sobretudo em Washington, mas que vem se destacando como Governadora de um Estado longínquo e gelado, com sonhos de emancipação, que chega com um discurso vibrante e atual, arregimentando o eleitor mais conservador americano que andava pressionado neste processo, com a rejeição crescente do Presidente Bush.

 

Antes da pretensão de Hillary Clinton, só Geraldine Ferraro conseguira ser candidata a Vice-Presidente em 1984 na chapa Democrática com Walter Mondale, derrotados por Ronald Reagan e George Bush pai. Agora, vinte e quatro anos depois, surge a primeira mulher Republicana postulando a Vice-Presidência.

 

Procurando detalhes do currículo desta mulher, Sarah Palin, extraí os seguinte dados, bastante interessantes em Time Magazine, cuja tradução segue abaixo, inclusive com fotos divulgadas amplamente por aquela excelente revista. Vejamos.

 

Resumo político. Por TIFFANY SHARPLES

 

 
Sarah Palin – Governadora do Alasca.

Brian Wallace / Juneau Empire / AP

A primeira mulher a concorrer a indicação Presidencial Republicana (e a segunda mulher, depois de Geraldine Ferraro em 1984 que concorreu como candidata Democrática a Vice-presidente), a companheira de chapa de John McCain, Sarah Palin, é também a primeira governadora do Alasca, além de ser a mais nova empossada neste cargo, com 42 anos em 2006.

 

Nascida em Idaho, a família de Palin mudou-se para o Alasca, quando ela era ainda criança, crescendo em Wasilla, uma cidade pequena de quase 9.000 habitantes, situada a 45 milhas ao norte de Anchorage.

 

Ela ingressou na política em 1992, quando foi eleita apara uma cadeira na Assembléia municipal de Wasilla, antes se tornar a prefeita da cidade quatro anos depois, com a idade 32.

 

Após dois mandatos, e ganhando reconhecimento por todo o estado candidatou-se a governador do Alaska, perdendo a eleição por 2.000 votos.

 

Palin não tem nenhuma experiência nacional e possui menos de dois anos como governadora, mas isso não a perturba. “Isso é saudável”, disse ela a TIME. “Isso significa que minha perspectiva está mais fresca.”

 

Crente conservadora.  Por CLAIRE SUDDATH

Sarah Palin candidata a Vice-Presidente.

Chris Miller / AP

Palin se descreve a favor da vida e contra o casamento de pessoas do mesmo sexo, embora declare ter muitos gays como bons amigos.

 

Em 2006 enquanto candidata a governador, ela disse que apoiaria uma iniciativa que negasse benefícios a casais de mesmo-sexo, mas o seu primeiro veto como governadora derrubou uma lei neste sentido. (Palin disse que vetou porque o Supremo Tribunal de Alasca julgou o ato inconstitucional, não porque ela apóie o direito de casamento entre homossexuais)

 

Ela se diz Cristã e a favor da vida, mas também é partidária de controle de natalidade.

 

Ela é sócia de Feministas Para Vida (FFL), uma organização anti-aborto e a favor da contracepção. Em 2002, ela escreveu uma carta à FFL declarando que “adamantinamente tenho apoiado esta nossa causa desde que entendi, por primeiro, já como criança, a atrocidade do aborto.”

 

Ela apóia o ensino do criacionismo nas escolas públicas, ao lado do evolucionismo.

 

Ela também é sócia vitalícia da Associação de Rifle Nacional e apoia o direito constitucional do uso de armas de fogo.

Sonhos de oleoduto.  Por KATE PICKERT

Governadora Palin discutindo o oleoduto alasquiano.Eric Engman / Fairbanks Daily News-Miner / AP

No dia 27 de agosto, Palin assinou uma lei concedendo a uma companhia Canadian uma licença e $500 milhões em subsídios do governo para construir um oleoduto que conecte campos de gás natural no declive norte do Alasca com a infra-estrutura existente no Canadá para o EUA continental.

 

Os alasquianos têm sido pressionados, durante anos, para a construção do oleoduto que, de acordo com companhias de gás, poderia prover 7% de todo o combustível usado no EUA Companhias de combustível principais que operam no estado, inclusive BP e ConocoPhillips, mas os alasquianos se opõem  ao plano, dizendo querer construir a sua própria linha.

 

A construção já poderia começar no ano que vem, mas o oleoduto não seria completado até pelo menos 2017 e ainda seriam enfrentadas barreiras consideráveis, incluindo o seu custo volumoso, calculado para ser pelo menos de $30 bilhões que pode frustrar todo o plano se os preços do combustível continuarem caindo.

 

Palin também apóia a exploração do gás natural e a perfuração no refúgio nacional da vida selvagem do Ártico, ao qual McCain se opôs. Mas Palin não é redondamente apaixonada pela indústria da energia. No outono passado ela elevou os impostos sobre os lucros de companhia de óleo, com apoio Democrático.

 

Um apelido e uma rainha de beleza.   Por CLAIRE SUDDATH

 

Sarah Palin candidata a Miss Alasca.

Anchorage Daily News / MCT / Landov

Palin nasceu em Idaho,  mas cresceu no Alasca, e os seus passatempos eram caçar alce e pescar no gelo, típica educação alasquiana.

Pelo seu desempenho no time de basquetebol na escola secundária de Wasilla, ganhou o apelido de “Sarah Barracuda”, peixe carnívoro, supostamente por causa de sua natureza ferozmente competitiva.

Palin foi a capitã do time, no ano sênior, e marcou o ponto final, num lace livre em 1982, quando do jogo do campeonato de estado em que Wasilla ganhou de Ancorage.

Dois anos depois, em 1984, Palin, então com 20 anos, participou de um concurso de beleza local, para ganhar uma bolsa de estudos para a faculdade.

Ela foi coroada Miss Wasilla e Miss Simpatia , e foi competir ao Miss Alasca onde tirou o segundo lugar.

Ela se formou em jornalismo, em 1987 na Universidade de Idaho, e trabalhou brevemente como narradora de esportes na televisão em Ancorage, e em pesca comercial, antes de seguir uma carreira política.

Seu amado desde a escola. Por CLAIRE SUDDATH

 

Todd Palin, esposo de Sarah Palin desde 1988.

Al Grillo / AP

Sarah e Todd Palin namorados desde a escola secundária, fugiram em 1988, e segundo relatos usaram dois residentes de uma casa de repouso como testemunhas de suas núpcias em Palmer, Alasca, no palácio de justiça.

 

Todd, um Yup’ik  – Os Yup”ik, são um grupo de indígenas ou aborígenes do oeste, sudoeste ou centro sul do Alasca e extremo leste da Rússia – esquimó que trabalha como operador de produção para a British Petroleum  no extremo Norte do Alasca.

 

Ele tomou uma licença sem vencimento quando sua esposa se tornou governadora, mas voltou à folha de pagamento da BP em 2007, entre sussurros de possível conflito de interesse.

 

“É um colarinho azul, trabalhador de campo, atuando como um operador de produção, separando o óleo, o gás e a água. Não é uma posição de administração onde estão sendo tomadas decisões” , disse a Governadora. Palin, prometendo que o trabalho de seu marido não afetaria o dela.

 

O “Primeiro Dude”, como é chamado também, é um vencedor de quarto-tempo do Tesoro Iron Dogo, uma disputa de rali de 2.000 milhas em carros de gelo. Durante o verão ele trabalha como pescador na Baía de Bristol em pesca de salmão comercial

Trabalhando em plena maternidade.  Por KATE PICKERT

Sandra Palin, seu esposo Todd e o caçula Trig, nascido em abril e que possui síndrome de Down.

Al Grillo / AP

Palin e o marido, Todd, têm cinco filhos.

 

As três filhas: Bristol, 17, Willow, 14, e Piper, 7.

 

Os dois filhos: Track, 19, e o infante Trig, nascido em abril; que a governadora levou a termo, mesmo quando soube que ele tinha Síndrome de Down.

 

Palin se descreve como uma “mãe de hóquei” e tem uma dura reputação ganha como uma mãe bastante dedicada.

 

Ela voltou a trabalhar três dias depois do nascimento de Trig, e, quando ela era a prefeita de Wasilla, noticia-se que trazia regularmente a filha lactente ao escritório.

O bebê dormia em um assento de carro debaixo da escrivaninha, enquanto Palin trabalhava.

 

O filho primogênito dos Palins, Track, se alistou no Exército em Sept. 11, 2007, e está se preparando para servir no Iraque.

Reformadora ética.  Por KATE PICKERT

Chris Miller / AP

Apesar do próprio escândalo de ética que vem se preparando –  Palin foi acusada de abusar do poder para tentar adquirir para um ex-cunhado queimado como um cavalariano estatal – ela construiu sua carreira política, em parte, com reformas éticas em alardes.

 

Como prefeita de Wasilla, cortou o próprio salário, e foi designada comissária de ética da Comissão de Conservação de Gás e  Óleo do Alasca.

 

Ela renunciou ao posto depois de reclamar que o Comissário da mesma categoria dela, o Republicano Randy Ruerich, estava elevando dinheiro para o estado, das companhias de energia, as quais  fora encarregado  de regular. Ele teve que renunciar da comissão e pagou um preço pelo conflito de violações de interesse.

 

Palin foi eleita governadora depois de fazer uma campanha como  reformadora, e logo após entrar assumir o cargo público, aprovou abrangente reforma ética, regulando atividades de lobistas e forçando mais atuação dos legisladores. Palin desfrutou avaliações de aprovação no Alasca tão altas atingindo 90%.

Abuso de poder?  Por TIFFANY SHARPLES

 

Sarah Palin acusada de abuso de poder.

Marc Lester / Anchorage Daily News / AP

No início deste mês, uma comissão legislativa começou uma apuração de $100,000 para determinar se Palin abusou de influência ao tentar demitir o ex-cunhado, despedido como cavalariano estatal.

 

A comissão questiona se Palin exonerou o comissário de segurança do estado, Walt Monegan, porque este se recusara a demitir o seu ex-cunhado, Mike Wooten, cujo casamento com a irmã de Palin terminou em um divórcio amargo, e uma briga de custódia em 2005.

 

Palin negou as acusações, e disse que não coordenou as dúzias de telefonemas dados por seu marido à administração e aos chefes de Wooten.

Antes de Palin se candidatar a governador, ela e o marido acusaram Wooten de beber álcool no trabalho e praticar caça ilegal. Wooten foi brevemente suspenso pelas alegações em 2006, mas nunca foi demitido.

Pote de fumo?  Por CLAIRE SUDDATH

Sarah Palin, candidata.

Win McNamee / Getty

 Em 2003, o Tribunal de Apelações do Alasca legalizou a posse de quantidades pequenas – quatro onças ou menos – de maconha em casa, sendo este o único estado da América a permiti-lo.

Em 2006, o então governador Frank Murkowski proscreveu a decisão; o Tribunal Superior, em troca, diminuiu algumas das restrições (agora os alasquenses podem possuir só uma onça).

A batalha em torno da maconha se tornou um assunto secundário durante a campanha de governador do Alasca em 2006 (ganha por Palin), com Murkowski  reivindicando nunca ter fumado e Palin admitindo ter tentado.

“Eu não posso reivindicar um Bill Clinton, mas posso dizer que eu nunca inalei”, disse ela na ocasião.

Desabrigando o urso polar no frio.  Por TIFFANY SHARPLES

O urso polar não tem abrigo de Sarah Palin.

Daniel J. Fox / Corbis

Em janeiro, Sarah Palin escreveu para o New York Times sua opinião: ” o [urso-branco] é merecedor de nossos esforços extremos para protege-los em seu  hábitat no Ártico. Mas, acrescentar  o urso-branco à lista das espécies em extinção da nação, como alguns estão propondo agora, não deveria fazer parte dos nossos esforços.” 

Em maio, a governadora do Alasca se opôs ao Departamento Interior que está listando o urso-branco como ameaçado de extinção, e incitou a raiva de ecologistas e dos ativistas dos protetores dos animais.

Em agosto, Palin que defendeu por muito tempo a perfuração no ANWR (Refúgio Ártico Nacional de animais selvagens l) reuniu os funcionários  Alasquianos de sua mesma opinião  para processar o Secretário do Interior, Dirk Kempthorne, argüindo que a extensão de proteção ao urso-branco amparando-o no Ato das Espécies em perigo de extinção, não está comprovada e impedirá o desenvolvimento da indústria de gás de Alasca e a perfuração nas terras costeiras.

Foto montagem.

 

Foto montagem circulando na internet.
Além destes fatos, já se encontra na internet uma foto-montagem em que Sarah Palin aparece portando um fuzil vestindo um biquine sumário da bandeira americana.

Trata-se de uma montagem feita com fotoshop em cima de um anúncio de venda de armas, utilizando modelos esculturais, bem comum nos EUA.

Soco nos ecologistas.

 

 

Todavia há uma foto do arquivo pessoal de Sarah Palin em que ela posa armada junto a um alce que abatera a tiros de rifle, como exímia caçadora silvestre. 

 

É um verdadeiro soco no estômago dos defensores dos animais e ecologistas.

Visitando as tropas no Kuait.

 

 

DoD / Rapport Press

 

Há também uma outra foto testemunhando sua visita, em 2007, aos soldados da Guarda Nacional do Alasca que se encontram estacionados no Kuait.

 

Por enquanto ela ainda não esteve no Iraque, mas pelo jeito, logo ela chega lá.

 

 

Eis, portanto, alguns dados curiosos, colhidos na Internet, sobre Sarah Palin.

 

De concreto, sabe-se que John McCain, se eleito, será o mais idoso Presidente dos EUA (72 anos), superando Ronald Reagan que chegara à Casa Branca beirando os 70 anos.

 

De forma que Sarah Palin, por sua juventude, inteligência e charme, tem ampla chance de exibir uma carreira política destacada, daqui pra frente, mesmo vindo de um Estado distante e inexpressivo politicamente como o Alasca.

Só o tempo dirá.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários