O fundamentalista

0

“O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.

Frei Betto, escritor e jornalista, com mais de 60 livros editados no Brasil e exterior. Texto publicado em vários portais. Para reflexão em tempos de acirramento eleitoral:

Ele acredita que conhece a única verdade verdadeira. E repudia quem não pensa como ele. Se pudesse, abriria a cabeça do próximo para incutir-lhe as suas ideias e convicções, a sua ideologia ou religião.

O fundamentalista é intolerante com os outros e tolerante consigo mesmo. Ainda que se cale diante de uma opinião divergente, está convencido

 de que só ele sabe o que é certo e o que é errado. Julga que a sua moral tem valor universal, a sua política é a mais justa, a sua crença é a resposta a todos os mistérios.

Se suporta o contraditório é porque não dispõe de ferramentas de poder para incutir seu ponto de vista em corações e mentes. Mas dotado de poder, o fundamentalista mata em nome do pacifismo, assassina para preservar a democracia, tortura em defesa da liberdade.

O fundamentalista é um demente que chega ao extremo de proclamar orgulhosamente sua sanidade mental. E acredita que seus inimigos são desprovidos de razão. Só ele está certo. Em sua cabeça não há lugar para a dúvida, a indagação, a autocrítica. Ainda que educado, julga-se superior a seus interlocutores. E acredita que a humanidade seria bem melhor se morressem todos que não pensam como ele, sobrevivendo apenas quem coincide com a sua visão de mundo.

O fundamentalista é, por natureza, um terrorista. Ainda que não amarre bombas em seu corpo e nem faça explodir um prédio, jamais admite que seus subalternos tenham opinião contrária, que a mulher possa desdizê-lo, ou que um amigo queira desmenti-lo. Do alto de seu belvedere, onde só há lugar para uma única pessoa — ele —, o fundamentalista mira todas as coisas convencido de que só os seus olhos enxergam a amplitude e a profundidade do real.

Ele não suporta a dialética. Maniqueísta, divide o mundo entre o bem e o mal. Para ele, não há purgatório, só céu e inferno. Sectário, não admite nuances, considerações, reticências. Imprime à sua palavra peso definitivo. E, vencida a sua razão, reage com emoção e ataca com violência quem ousa dele discordar.

Amós Oz, romancista israelense, define o fanático — sinônimo de fundamentalista — como uma criatura bastante generosa, altruísta, mais interessado no próximo do que em si mesmo, pois insiste em salvar a nossa alma, libertar-nos do pecado, redimir-nos, melhorar os nossos hábitos alimentares.

O fundamentalismo é a doença senil da infantilidade intelectual. Seus argumentos são pueris e sua lógica, velhaca. Ele reduz a pluralidade à estreita unicidade de sua ótica; impõe o monopólio de sua tese; odeia a diversidade; faz da retórica uma arma para destruir, não os argumentos alheios, mas a boa fama de quem não se submete à opulência de sua verve. Está convencido de que entre ele e Deus não há intermediários nem mediações.

O fundamentalista confunde o seu momento pessoal com o seu tempo histórico. Acredita que séculos de dúvidas e indagações convergem para o seu tempo presente, no qual ele porta a luz capaz de provocar epifanias.
Ele não debate, vocifera; não propõe, determina; não discerne, delimita; não opina, ajuíza; não sugere, ordena; não discorda, censura; não advoga, condena.

O fundamentalista é, por natureza, ditatorial. Nada o incomoda mais que a diversidade de ideias e a variedade de práticas. Sua medida do mundo é ele mesmo, pois enxerga a realidade mais com o próprio umbigo que com os olhos.

Irredutível em seu ponto de vista, não se dá conta de que tem a vista amarrada a um ponto. Pensa que abarca todas as dimensões do real. Adora sofismar, confunde o legal com o justo, irmana pobreza e ignorância. Ele é vitima dessa alucinação persecutória que identifica fantasmas ameaçadores em toda parte. É movido por uma mórbida tendência à vingança. Seu único prazer é a dor de seus desafetos.

O fundamentalista tem horror ao mistério e morre de medo de que descubram as suas fraquezas. Individualista, só se junta a um grupo se lhe dão o papel de mentor ou guru. Às comprovações científicas que contrariam suas convicções, responde com argumentos subjetivos. Enfim, é um chato, não de galocha, mas de salto alto. E carece de senso de humor.

Debate entre os candidatos a vice-prefeito
E é uma boa ideia um debate entre os dois candidatos a vice em Aracaju: pastor Antônio e Eliane Aquino. Um debate transparente, com projetos e desnudando tudo, mas tudo mesmo…

Jogo do bicho em SE. Investigação em curso
Anote: todo mundo sabe que jogo do bicho é ilegal, mas em Sergipe tem algo estranho. Três policiais da PM foram transferidos porque apreenderam bancas do jogo. Agora, o caso foi denunciado a um importante órgão e pode sobrar para quem transferiu. A investigação está em curso.

Edvaldo sentiu  baque
Quem ouviu a entrevista do candidato Edvaldo Nogueira ontem, 06, em Gilmar Carvalho percebeu que ele falou mais em Valadares Filho do que em propostas para Aracaju. Edvaldo Nogueira “criticou” os aliados de Valadares Filho, especialmente o grupo Amorim. Cuspiu no prato que comeu em 2008, onde se não fosse o grupo Amorim ele não teria vencido no primeiro turno no limite, 51% dos votos.  Aliás, ao atacar o grupo Amorim ele agride até mesmo Marcelo Déda, já que o governador foi o mentor da época do acordo.

Edvaldo sentiu  baque II
O desespero na fala de Edvaldo Nogueira foi escutado por todos. Diz que não disse que iria ganhar no primeiro turno. Não precisa dizer, é só lembrar do marketing falacioso dele. E a ameaça a lideranças comunitárias.Edvaldo deixou de falar sobre projetos. Deu respostas evasivas, como no caso dos radares. Na administração dele tinha bem mais.

Edvaldo sentiu  baque III
Por um lado é salutar, já que a população está cansada das promessas de quem passou sete anos na Prefeitura e não licitou o transporte urbano nem revisou o Plano Diretor. Como? Com os compromissos amarrados. Num ato falho disse a Gilmar Carvalho: "Eu fui prefeito já casado com Cosil". Depois corrigiu. Edvaldo mostrou desespero e agressividade. Como se fosse o último suspiro do desvalido.

Homenagem a José Augusto
Neste sábado, 08, o Conexão Aperipê, na TV Aperipê, fará uma homenagem especial ao cantor sergipano José Augusto. Será às 18h30.

4º Lugar Geral
Quem retorna para a Câmara Municipal de Aracaju no próximo dia 02 de janeiro é o ex-secretário municipal da Articulação Política e das Relações Institucionais, agora, vereador, Juvêncio Oliveira, eleito em 4º lugar geral com 4.861 votos.  Oliveira é um forte nome para assumir a Presidência da CMA nos próximos quatro anos.

Participação
A defensora pública e radialista, Emília Correa (PEN), foi a décima quarta mais votada para o cargo de vereador do município de Aracaju. Reconhecida pelo trabalho que realiza em prol da defesa dos hipossuficientes, a parlamentar promete desempenhar um mandato democrático, fiscalizador e participativo, atuando em conjunto com a população na busca pela efetivação do direito do cidadão por uma saúde digna, educação de qualidade, moradia e segurança para todos.

PEC do teto de gastos
Mesmo não com ressalvas sobre pontos da proposta encaminhada pelo governo de Michel Temer (PMDB) para o Congresso Nacional, o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) terá que votar favorável à “PEC (Proposta de Emenda Constitucional) do teto de gastos”, que limita o aumento dos gastos públicos pelos próximos 20 anos.

Ajuste fiscal
A PEC, apresentada pelo governo ainda no primeiro semestre e considerada prioritária para o ajuste fiscal, determina um limite de gastos à União com base nas despesas do ano anterior corrigidas pela inflação. O deputado federal sergipano compreende o momento financeiro pelo qual o País atravessa, mas apesar de discordar de pontos da PEC, votará a favor seguindo a orientação de seu partido.

Controle dos gastos
“Quero deixar claro para a sociedade que compreendo perfeitamente o momento pelo qual o País atravessa e também tenho consciência da necessidade do controle de gastos, agora não posso negar que tenho minhas ressalvas quanto ao proposto pelo governo, mas votarei a favor por determinação do partido”, explicou Mitidieri

Atenção, estudantes e jornalistas!
Continuam abertas as inscrições para o 2º Prêmio Sincor-SE de Jornalismo. Até o dia 30, estudantes, jornalistas e radialistas podem inscrever as matérias no site http://www.premiosincor.com.br. Este ano, podem ser inscritas matérias que destaquem a importância do seguro para a sociedade, empresas e para economia. Para o primeiro colocado, a premiação é de R$ 3 mil, além de troféu. O segundo colocado vai receber R$ 1 mil e troféu e o terceiro, o troféu.

Atenção, estudantes e jornalistas! II
Já na categoria Universitário, a premiação será de R$ 1 mil para o primeiro colocado e troféu para o segundo e terceiro colocados. Além do Prêmio Sincor-SE, os jornalistas e estudantes também podem aproveitar para inscrever o material no Prêmio Nacional de Jornalismo em Seguros, promovido pela Federação Nacional dos Corretores de Seguros (Fenacor). Neste prêmio, o prazo de inscrição é mais curto e termina no dia 17 de outubro. Outras informações estão no site do Sincor-SE (http://www.sincor-se.com.br). Ainda dá tempo. Participe!

Imbuaça e Mamulengo de Cheiroso
O Corredor Cultural Irmão, da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), se transformará em um palco teatral na próxima terça-feira, 11, com a exposição “Imbuaça e Mamulengo de Cheiroso: teatro sergipano em cena”. O evento acontecerá a partir das 11 horas, aberto ao público, com exibição de telas e fotografias e apresentação de cantos dos espetáculos.

Curso técnico de karate Mestre Machida                                                                                                                                                                                           

Dia 08 de outubro Aracaju terá a presença do mestre Machida, uma lenda vida do karate mundial. O curso, que terá como tema o kumite, será realizado no Colégio Master, das 9h às 12 hs e das 14h30 às 18h. A SEED, o SESI, Katchi e o Master também estão colaborando com o evento. Maiores informações com o coordenador do curso, Yoacan Jócelis 79 – 98809 – 0037. Ficha de inscrição e regulamento em:
http://clubedekarateuniao.blogspot.com.br/2016/09/ficha-de-inscricao-e-programacao-curso.html

O Shaolin do Sertão’ estreia dia 13 de outubro, misturando comédia e aventura com a molecagem cearense
O universo particular de Halder Gomes e a molecagem estão de volta. Com lançamento no próximo dia 13 de outubro no Ceará, “O Shaolin do Sertão” traz de volta o senso de humor cearense inserido num resgate histórico dos desafios de vale-tudo no interior do Ceará. Ambientado em Quixadá nos anos 1980, o longa metragem conta a história de Aluízio Li – Liduíno (Edmilson Filho), um aficionado por artes marciais que vive com a cabeça no mundo das lutas de tanto sonhar e assistir a filmes chineses. Motivo de chacotas em sua cidade natal, Aluízio Li terá uma grande desafio pela frente quando o lutador aposentado de vale-tudo Toni Tora Pleura (Fábio Goulart) anuncia um "tour" de desafios aos valentões de várias cidades do interior do Ceará, incluindo Quixadá.

Direção e elenco
Dirigido pelo cineasta Halder Gomes, o mesmo de Cine Holliúdy, “O Shaolin do Sertão” traz frescor e originalidade pra repetir o sucesso através

 da comédia de ação e aventura em pleno sertão cearense.O elenco conta com nomes como Dedé Santana, Edmilson Filho, Fafy Siqueira, Marcos Veras, Tirulipa, Falcão, Bruna Hamú, Igor Jansen, Frank Menezes, Karla Kareninna, Haroldo Guimarães, Fábio Goulart, Lailtinho Brega, dentre outros talentos locais.

Vontade
“O Shaolin do Sertão é o filme que eu tinha muita vontade de fazer. O momento do filme é a onda do VHS, que revelou novos talentos e gêneros em produções de artes marciais. Tinha muita vontade de retratar daí pra frente outro universo: o momento em que os lutadores profissionais de vale-tudo iam pro interior do Ceará e desafiavam os valentões da cidade, inserindo neste contexto o mundo ilusório, lúdico e fantástico da cabeça dos aficcionados por filmes de luta.  Estes eventos mexiam com os brios dos homens das cidades desafiadas. Acabava virando um grande entretenimento do lugar”, explica Halder Gomes.

Personagem
Usando suas habilidades no Taekwondo, no qual é mestre 5º grau, Edmilson Filho agora dá vida a Aluízio Li. “É um personagem inocente, sempre sonhando com grandes batalhas em um universo paralelo. Para interpretá-lo, assisti produções de Hong Kong e filmes chineses de Kung Fu. Apesar de ter a facilidade por ter sido atleta de taekwondo, o Kung Fu é um estilo completamente diferente. A parte mais sacrificante foi a nutricional, pois tive de perder 15 quilos. Acho que não vou fazer nenhum filme mais parecido comigo do que esse, pela minha história como atleta e aficionado por artes marciais. Eu me identifico muito com Aluízio em relação a esse sonho de ser um grande lutador. É um pouco de mim que está no personagem”, destaca.

Investimento
O longa-metragem tem investimento e coprodução da Globo Filmes, Paramount Pictures, Telecine, Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e contará com a distribuição nacional da Downtown Filmes e Paris Filmes, no dia 13 de outubro de 2016. No total, foram investidos e empregados no Ceará o valor de R$ 4 milhões, referente a produção, finalização e parte da comercialização, gerando mais de 1.000 empregos diretos – entre equipe, elenco, pós-produção e figuração – fortalecendo assim a cadeia produtiva no estado e levando ao mundo mais um história genuinamente cearense e universal.

PELO TWITTER

www.twitter.com/airton0535  Quem diz que com a prisão em 2a instância teremos 50 mil presos a mais, se esquece que são 50 mil bandidos a menos  nas ruas.

www.twitter.com/sargentoedgard  A corrupção nunca será extinta da face da terra, mas pelos menos temos que dar uma resposta a altura para cada ato de corrupção.

www.twitter.com/JorgeRibeiroSE  @BlogClaudioNun "Não se deve reagir à toda provocação, pois ela pode causar sua própria destruição"

DO LEITOR

Veiculo de fiscalização da Deso fica estacionado o dia todo na Praça Tobias Barreto                                                                                                         

E-mail enviado por um morador próximo a Praça Tobias Barreto: “Uma curiosidade, a vários dias que vejo um carro – placa QKS – 3332 – da Fiscalização da Deso sempre estacionado aqui na praça Tobias Barreto, muda de lugar diariamente. Deve ser alugado porque a placa não é de Aracaju , quem usa deve morar nestes prédios próximos. Fica o dia todo. Estou enviando a foto.”

NOTA PÚBLICA DO PSOL ARACAJU SOBRE O SEGUNDO TURNO UNIFICAR A ESQUERDA, VOTAR NULO E SEGUIR NA LUTA!

1) Primeiramente, Fora Temer! Em uma conjuntura de grave crise econômica, política e fortes ataques aos direitos dos trabalhadores por parte dos governos e dos patrões, entendemos que o único caminho é a organização e a luta cotidiana. Entretanto, o momento de crescimento do conservadorismo não permite ignorarmos o terreno eleitoral, que apesar de ser um jogo de cartas marcadas, possibilita ampliar o nosso debate de projeto com o conjunto da população. Nesse sentido, aceitamos o desafio de apresentar uma candidatura coletiva, que procurasse expressar o acúmulo das lutas e resistências na cidade e nas categorias de trabalhadores, da juventude, mulheres, negros e LGBT’s.
2) Apostamos em um processo mais amplo que o PSOL e embora com debilidades formamos novamente a Frente de Esquerda. Contudo, os resultados não foram tão animadores para a esquerda. Considerando que foi a primeira participação do PSOL na disputa da prefeitura de Aracaju e a campanha que menos recebeu dinheiro dentre todas, achamos que foi uma votação razoável, afinal atingimos 2,5% (6436 votos) na majoritária e tivemos excelentes números para as proporcionais, faltando pouco para eleger um mandato. Mas poderíamos ter sido muito melhores. Mesmo com a boa campanha do PSOL, se compararmos às eleições municipais de 2012 o número de votos na esquerda diminuiu. Esse foi um quadro em todo o país e Sergipe não ficou de fora desse quadro geral de crescimento da direita e encolhimento da esquerda ainda que existam importantes resistências como Freixo no Rio.
3) Três fatores contribuíram para a dificuldade de avançarmos eleitoralmente: a)a mini reforma política de Cunha que nos limitou a 14 segundos de Rádio e TV e a exclusão dos debates televisivos; b)o alto índice de desgaste da institucional idade expresso nas abstenções, votos brancos e nulos; c)a divisão da esquerda no processo eleitoral. Se nas duas últimas eleições de 2012/2014 a Frente de Esquerda se manteve em terceiro lugar, dessa vez, sua fragmentação ocasionada pelo sectarismo do PSTU, abriu espaço para o crescimento de alternativas liberais como a Rede de Emerson e conservadoras como o PMN de Tarantella. Somente a unidade da esquerda teria condições de apresentar um programa alternativo com força social. Não bastasse, esse divisionismo desperdiçou a chance de elegermos um mandato da frente de esquerda.
4) Mesmo diante de todas as dificuldades impostas não rebaixamos nossas bandeiras e mantivemos um perfil combativo no diálogo público. Por isso nesse segundo turno a confiança e o respeito do PSOL conquistados junto à população não podem ser perdidos. Compreendemos que a candidatura de Edvaldo e Valadares tem diferenças. Nenhuma candidatura é exatamente igual à outra. Seja pela origem de classe de cada um (enquanto Edvaldo tem uma história ligada à militância, Valadares Filho é cria das oligarquias), seja pela proximidade de movimentos sociais em torno da campanha de Edvaldo ou ainda pelo fato de um já ter sido prefeito e o outro não. Contudo, estão disputando as eleições para servir a um mesmo projeto: o projeto privatista de entrega da nossa cidade aos grandes grupos empresariais.
5) No que diz respeito ao programa que defendem para Aracaju não é possível diferenciá-los. Em nenhum momento se comprometeram com o não aumento da passagem de ônibus, a auditoria da dívida pública, o fim das isenções para os grandes empresários, a não privatização da Petrobrás, a luta contra as opressões a partir de uma inversão nas prioridades do orçamento, a desmilitarização da guarda municipal, o fim dos despejos forçados, enfim, com as diversas pautas que a classe trabalhadora defende em suas lutas a não ser promessas vazias em um cenário de crise financeira nas prefeituras. No que se refere às alianças também se assemelham na medida em que enquanto um está com PMDB o outro está com o PSC. Quanto ao financiamento de campanha enquanto o povo trabalhador amarga dificuldades financeiras, ambos esbanjam dinheiro mostrando sua intimidade com a elite empresarial da cidade.
6) Sendo assim, defendemos O VOTO NULO para o segundo turno de Aracaju. Não pediremos que a classe trabalhadora vote em candidatos milionários, que são parceiros do PMDB de Temer e Jackson, que estavam juntos nas últimas eleições e que são aliados do grande empresariado que explora há décadas o povo aracajuano. No segundo turno não contem com o PSOL para validar uma farsa contra a população. É preciso manter a coerência! Nos encontraremos na resistência por outro modelo de cidade e sociedade e contamos com toda a militância e os nossos apoiadores porque Só a Luta Muda a Vida!

Direção do PSOL Aracaju, 07 de outubro de 2016

Blog no twitter: http:// www.twitter.com/BlogClaudioNun

Frase do Dia
"Que a minha alma resida no senso comum". Thomas Reid, filósofo alemão, morreu em 07 de Setembro de 1796 (n. 1710).

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais