O governo e a política

0

O governador João Alves Filho (PFL) declarou, durante conversa amistosa com o repórter, antes de eleger-se, que a maior lição política que recebeu foi a derrota de 1998. Foi a partir daí que sentiu a necessidade de mudar o seu estilo e se aproximar mais de segmentos que não o conheciam e/ou lhe faziam restrições. Armou uma estratégia que, pelo resultado final, valeu a pena. Passou o comando das empresas aos filhos, arregaçou as mangas e passou a fazer política 24 horas por dia. João percorreu escolas públicas e particulares, foi a entidades de classe e à universidades, dedicou-se a uma peregrinação cansativa de palestras e debates com a juventude e a elite pensante do Estado, para se fazer conhecido por jovens estudantes que não o viram governador. Penetrou na intelectualidade. É dele a frase: “hoje passo em calçadas de escolas e universidades, que não passava antes”. E emocionou-se quando o filho de um empresário da comunicação o abraçou e disse que votaria nele, mesmo que ainda não tivesse anunciado qualquer candidatura. Esse trabalho persistente, ao estilo formiguinha, ofereceu outra imagem de João Alves. Inclusive porque ele debatia temas da atualidade e respondia dúvidas de estudantes sobre a política de anos anteriores. Neste período escreveu dois livros em relação ao rio São Francisco, mostrando a necessidade de revitalização e contra a transposição para o semi-árido nordestino. No período do racionamento de energia também fez editar um trabalho mostrando que Sergipe era superavitário no setor, o que ganhou a antipatia do presidente da época, Fernando Henrique Cardoso. Seu nome foi crescendo politicamente, em razão desse novo perfil, que também levou ao interior e conquistou aliados importantes, principalmente porque o pessoal vinculado ao Governo Albano Franco se dispersou, depois que houve uma improvisação de candidaturas, e o então governador deixou de disputar uma vaga certa no Senado Federal. Tudo isso contribuiu para que João Alves Filho retornasse ao comando do Estado pela terceira vez, anunciando uma reciclagem em seu estilo administrativo. Evidente que ainda não deu tempo de mostrar mudanças, mas se percebe um braço forte no comando. Depois de eleito a impressão é de que o governador João Alves Filho esqueceu as lições que aprendeu com a derrota de 1998. Esta seria a hora de retornar à peregrinação pelas escolas, entidades de classe e universidades, com o objetivo de discutir seu ponto de vista contrário ao Projeto de Reforma Tributária, da forma que está sendo apresentado pelo Governo Federal. Nesse meio, além de economistas e contadores, poucos entendem de tributação e, como tem aptidão didática, poderia explicar melhor ao jovem que desconhece os efeitos da reforma e debater, com a intelectualidade, as perdas que o Nordeste teria com a aprovação, que parece inevitável. João Alves Filho precisa retomar esse relacionamento, levando sempre sua administração a segmentos sociais do Estado, abrir a discussão em torno de um Sergipe melhor para todos e forte junto ao Planalto. Seria uma novidade no estilo de Governo. Certamente João Alves Filho não deseja estar à frente do Palácio dos Despachos por apenas quatro anos. Vai a busca da reeleição. E como a sua eleição teve muito do seu contato com os jovens, professores, intelectuais e a classe trabalhadora, estaria retomando o caminho que o fez governador. Há um grupo representativo de desgostosos dentro do Governo. Esse pessoal acha que o governador João Alves Filho não está fazendo política, tanto que os partidos que o apóiam estão enfraquecidos. Ontem, um deputado estadual disse que o chefe da Casa Civil, Flavio Conceição, deveria estar cuidando da política do Governo, mas, pelo contrário, atua na parte administrativa e se preocupa com outras ações que não são de sua responsabilidade. Um ex-prefeito lembrou que João não pode perder uma liderança como Luiz Mittidieri (PFL), que teve 14 mil votos e foi leal ao seu esquema por vários anos. Além disso, a oposição se fortalece com nomes como o de Marcelo Deda, Albano Franco, Jackson Barreto, Antônio Carlos Valadares e Jerônimo Reis, que não são amadores na política, além de contarem com o presidente Lula da Silva. É certo que João Alves Filho se destaca como uma liderança entre os governadores do Nordeste e é um profundo conhecedor e defensor da região, mas também precisa se preocupar com as Prefeituras Municipais e fazer um nome para disputar Aracaju. Tudo isso é tarefa que ainda há tempo, mas as filiações terminam em setembro e a preparação para a disputa não pode ser em cima da hora. O momento é de perspectiva de trabalho, mas, também, de avanço no lançamento das pedras para o jogo sucessório municipal… MACHADO Já está sendo preparado o caminho para que o deputado federal José Carlos Machado (PFL) assuma o cargo de Conselheiro do Tribunal de Contas. Há possibilidade de três dos atuais conselheiros se aposentarem neste próximo semestre, o que abre a vaga para o parlamentar. PAIXÃO A Câmara Federal voltaria a receber Ivan Paixão (PSB), que é o primeiro suplente da coligação e de partido aliado ao presidente Lula da Silva. Paixão tem bom acesso junto ao ministro da Integração Nacional e fortalece a bancada na conquista de benefícios para Sergipe. PINNA O deputado José Carlos Machado deve assumir a vaga do conselheiro Carlos Pinna, que tem manifestado disposição em se aposentar proporcionalmente. Pinna acha que com a aprovação da Reforma da Previdência ele sai perdendo e, se aposentando agora, perderia apenas 20% do seu salário. Além disso, Pinna pretende partir para novos horizontes. FLÁVIO O chefe da Casa Civil, Flávio Conceição, está nos preparativos para se submeter à cirurgia da coluna. Tem o problema há anos. A hérnia de disco provoca dores insuportáveis e todos os tratamentos possíveis não foram suficientes para sanar o problema. A solução será o bisturi. FACÇÕES “O Governo hoje segue orientação de algumas facções”, revelou um auxiliar e acrescentou que vai sobrevivendo “encolhendo a cabeça, como jabuti”. Reconhece, entretanto, que o Estado está entrando no ritmo de trabalho que o governador João Alves Filho gosta. PONTE Segundo a mesma fonte, a construção da ponte que liga Aracaju a Barra dos Coqueiros já está começando a ser delineada. Acredita que até o final do ano a obra poderá ser iniciada, porque começaram os contatos para recursos. A ponte vai sair… MARANHÃO A maioria dos deputados estaduais viajou ao Maranhão, onde participa de reunião da União das Assembléias Legislativas Estaduais. A sessão de quinta-feira, na Assembléia Legislativa, tinha em plenário uma maioria feminina. Sergipe luta por uma vaga na diretoria da Unale. SUSANA A deputada Susana Azevedo (PPS) procurou o deputado suplente Luiz Mittidieri (PFL), ontem, para conversar sobre sua situação política e saber o que está acontecendo. Ela disse que o Governo não pode se dar ao luxo de perder um suplente com 14 mil votos, que está debandando para a oposição. FILIAÇÕES O deputado federal Jackson Barreto, acompanhado do deputado Fabiano Oliveira e do ex-prefeito Jerônimo Reis, todos do PTB, viaja hoje pela região centro-sul. Em Indiaroba, por exemplo, o ex-prefeito Raimundo Mendonça está interessado em ingressar no PTB. O pessoal quer fazer diretório em todas as cidades. CONVERSA O governador João Alves Filho (PFL) iniciou, ontem, contatos com prefeitos de interior. Atendeu a 15 deles para ouvir suas reivindicações. Já estava havendo queixas deste isolamento dos prefeitos, mas a partir de agora o governador vai dedicar um dia da semana para atender a todos eles. FRANCISCO Até ontem a Polícia não tinha pistas do ex-deputado Antônio Francisco e não intensificou as buscas porque já sabe que ele vai se apresentar. O advogado José Cláudio está esperando o momento mais oportuno para sua apresentação. O objetivo continua sendo de evitar o que ele chama de “festival de humilhações”. MOTINHA O crime de Motinha, ocorrido em um bar da moda na praia do Robalo, está muito perto de ser desvendado. O fio da meada está em Canindé do São Francisco. De qualquer forma a sociedade ficará surpresa, afinal havia um relacionamento de amor proibido, que o crime pode ter solucionado. ALBANO O ex-governador Albano Franco continua sem querer falar sobre política. Tem conversado com amigos e montado algumas estratégias para o futuro. Albano Franco já está começando a pensar em montar o seu escritório político, para iniciar o trabalho de filiações, visando as eleições municipais do próximo ano. REELEIÇÃO O prefeito Marcelo Deda (PT) é candidato à reeleição e disputará dentro de uma composição com os partidos que formam o bloco de oposição no Estado. Embora o PT saiba da possibilidade de Deda deixar a Prefeitura 14 meses depois para disputar a sucessão estadual, o vice deve ser de outra legenda que o apóia. Notas HELENO O deputado federal Heleno Silva (PL) tem dedicado o seu mandato à solução de problemas agrícolas e melhoramento dos habitantes de cidades do alto sertão. Embora seja aliado de Lula, faz restrições ao item da Reforma da Previdência, em que taxa o salário dos aposentados. Não esconde que vota contra. Heleno acompanha o pensamento do vice-presidente José Alencar em relação à manutenção das taxas de juros a 26% ao ano. Nenhum país do mundo suporta um percentual desses, porque inibe o poder de compra. GRAÇA A Assembléia Legislativa se mantém em silêncio sobre o episódio que envolveu o deputado João das Graças e um dos seus adversários, atingido por disparos dados pelo parlamentar. É como estivesse dando tempo para que a sociedade esquecesse e ato de violência e nenhuma medida fosse adotada. Evidente que não se pode punir João das Graças com cassação, mas não pode deixar que o incidente fique impune. Uma suspensão ou mesmo advertência deve sair, para que o deputado não continue dando tiro por aí. GILMAR O deputado estadual Gilmar Carvalho entra com requerimento na Assembléia Legislativa, nesta segunda-feira, com requerimento para que seja apurada a relação de Cargos em Comissão contratada pela Secretaria de Turismo. Gilmar diz que lá tem gente de fora e muitas pessoas que trabalharam contra o Governo. Gilmar também quer a relação de todos os pagamentos feitos por secretarias e empresas, para mostrar que as mesmas pessoas estão sendo beneficiadas. Se não conseguir pela Assembléia, vai ao Ministério Público. É fogo O governador João Alves Filho (PFL) almoçou, ontem, com o deputado federal Cleonâncio Fonseca (PP). O deputado Fabiano Oliveira (PTB) está indócil porque ainda não assumiu um setor que seja vinculado ao turismo. Sergipe começou a se movimentar para os festejos juninos. Ontem foi abertura em várias cidades. A partir de agora começa o período do forró. Pirambu foi a cidade que recebeu maior volume de pessoas, porque está promovendo o São João antecipado. Lá houve apresentação das melhores bandas… O deputado Gilmar Carvalho acha que o Governo deve trabalhar só com os aliados, porque é assim que a oposição se comporta. Nos pára brisas dos carros já estão aparecendo nomes que insinuam candidatura à Câmara Municipal no próximo ano. Conceição Vieira, mesmo que ainda retorne à Secretaria de Combate à Pobreza, vai passar 30 dias como vereadora. Quer conhecer o parlamento. Os dois deputados que estão na Assembléia Legislativa apóiam Lula, mas não rezam na cartilha do prefeito Marcelo Deda. O advogado Renato Sampaio pode disputar um mandato no próximo ano, mas ainda não escolheu seu novo partido. O prefeito de Própria, Renato Brandão, já está com um pé dentro do PT, partido do qual se desligou para filiar-se ao PPS. O PMDB mantém o desejo de lançar candidatos às Prefeituras de todos os municípios. Inclusive Aracaju. Benedito Figueiredo já colocou seu nome ‘a disposição. O PSDB não deve lançar candidato a prefeito na Capital. Vai se unir ao bloco que apoiará a reeleição de Marcelo Deda. Fabiano Azevedo filiou-se ao PTB, e não PSB, na esperança de ser o vice-prefeito de Marcelo Deda nas próximas eleições. O ex-prefeito João Augusto Gama também está de olho na vice. brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários