O Governo quer se desfazer da Petrobras

0

Para o deputado Gilmar Carvalho – que, como parlamentar, continua um ótimo apresentador de programas de televisão – o Governo Federal não está a fim de se desfazer somente da FAFEN, cuja desmobilização já foi anunciada há dez dias atrás. Ele acredita, e disse isso em discurso pronunciado na Assembleia Legislativa na última segunda-feira, que a próxima meta do Governo Federal é se desfazer da própria Petrobras. Por isso chamou a atenção do governo estadual para ir se prevenindo, querendo saber quanto a empresa deve ao Estado de impostos estaduais. Anunciou que vai dar entrada ainda esta semana, de um pedido endereçado ao Governador do Estado, para saber quanto a empresa estatal deve ao tesouro do Estado. Não se trata, neste caso, de royalties, que é pago todo mês, mas de impostos devido ao Estado. Alertou para um fato singular: “A conta da roubalheira na empresa não é nossa, portanto não adianta apresentá-la ao povo sergipano”.

A verdade…ah, a verdade, deixa prá lá.

É interessante como os petistas procuram esconder a verdade. Não adianta procurar por notícias nos noticiários da televisão, tanto as emissoras abertas como os canais fechados, à cabo. Sobre a Caravana empreendida pelo ex-Presidente Luis Inácio Lula da Silva, em sua passagem por Estados do Sul do País. Se ele foi recebido muito mal no Rio Grande do Sul, o pior ficou para a recepção no Paraná e em Santa Catarina. O ônibus que conduzia os ex-Presidentes Lula e Dilma Rousseff foi atingido por várias pedradas, uma delas foi em cheio nos vidros fronteiriços do ônibus, quase atingindo o motorista – o que, se ocorresse causaria uma tragédia. O povo sulista nunca viu com bons olhoso ex-Presidente e agora muito mais. Se dependesse deles, Lula estaria morto e enterrado, não fazendo campanha para retornar ao posto de Presidente agora em outubro. Lula, porém, não desiste e tem aposto a seus discursos muitas palavras e frases ofensivas ao povo gaúcho. No Paraná, ontem a tarde, os paranaenses preparavam a ele uma recepção daquelas, cheia de bravatas.

Pimentel recusa acusação de compra de votos

O deputado Luciano Pimentel diz que deixou de cumprir uma agenda previamente acertada, por conta das acusações de que teria negociado compra de votos nas últimas eleições que concorreu. Chamando a atenção que ele foi eleito em 2014, as denuncias de agora cheiram  a injustiça. Fez um apelo à Justiça de Sergipe para que esclareça os fatos o mais rápido possível, pois não é fácil conviver com acusações deste tipo. “ Jamais tive entendimentos com quem quer seja para a compra de votos”, declarou ele do alto da tribuna da Assembleia Legislativa. “Estou indignado com denúncias deste tipo”.  Solicitou então que o Ministério Público agilize investigações neste sentido, pois “me sinto injustiçado e injuriado”, com essas “elocubrações sobre crime eleitoral”.

O receio já chega ao interior

A falta de segurança já atemoriza moradores do interior sergipano. A semana passada uma moto, com duas pessoas, promoveu um arrastão  na sede dos municípios de Ribeiropólis e Nossa Sra. Aparecida, deixando os moradores locais assustados. Muitas donas de casa se recusam até ir à feira por conta desta violência praticada por desconhecidos e que são muito violentos.     

É um monumento kitsch, diz Amaral

Não perguntem ao poeta e jornalista Amaral Cavalcanti, editor da revista “Cumbuca”,sua opinião sobre a “tábua de pirulitos”, batizado de “Largo da Gente Sergipana”

– O que achei daquelas estátuas colocadas à margem do Rio de Sergipe. “É um objeto kitsch”. Instado a se explicar, Amaral foi mais longe:  “O objeto kitsch pode ser muito popular,  mas geralmente é de muito mal gosto”. Comparou então a homenagem à cultura popular,  a um “anão de jardim”. “Apenas isso”, finalizou…

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários