O JOGO DOS PARTIDOS

0

Alguns deputados estaduais já começaram a calcular proporções para continuar na Assembléia Legislativa. Os futuros candidatos também estão na expectativa, para não errarem na escolha da legenda. Todos começam a procurar tendências de lideranças expressivas, para avaliar suas chances, inclusive fazendo um balanço dos possíveis candidatos e onde eles estão. O deputado Jorge Araújo (PSDB), por exemplo, não deseja uma reprise do que aconteceu em 2002, quando somou um considerável número de votos e ficou na suplência. É em razão disso que alguns deles estão procurando formar um bloco, para ingressar em uma legenda de médio porte e esperar por propostas para coligações que possibilitem a vitória. As convicções partidárias fazem parte de uma história contada pelos extintos PSD e UDN. Hoje a sigla não desperta o menor interesse, porque o importante é o mandato, mesmo que integre uma coligação que agrida a sua formação política e vá de encontro ao que se imagina ideologia.

 

Um importante membro do Partido dos Trabalhadores declarou, quarta-feira, que não vai aceitar o chapão e quer que o seu partido faça coligação majoritária e libere os proporcionais. Calcula que isso provocará um maior número de parlamentares eleitos na legenda, que deve ter como cabeça de chapa o prefeito Marcelo Déda. Políticos de outras siglas ainda não se manifestaram sobre o assunto, mas um parlamentar da bancada de oposição já informou que não servirá apenas de escada para os majoritários e vai exigir do seu partido uma posição que seja boa para todos que integram o bloco. Os políticos do grupo governista ainda estão esperando por uma ação do governador João Alves Filho, que já manifestou sua disposição de disputar a reeleição, mas ainda não se movimenta eleitoralmente. Isso inibe a ação dos pretensos candidatos, embora já se esteja fazendo contas em relação aos candidatos a deputado federal.

 

Ontem, na Assembléia Legislativa, um parlamentar estava fazendo previsões de estratégias políticas, para garantir eleições e reeleições de candidatos. Disse abertamente que, dentro do Partido Liberal, o que “for bom para o deputado Heleno Silva reeleger-se, não serve para o deputado Mardoqueu Bodano permanecer na Assembléia Legislativa”. Segundo a mesma fonte, a posição de Heleno em disputar o Senado Federal é para atrair a atenção e apoio do senador Albano Franco (PSDB), que pretende disputar a vaga e pode entrar em acordo para apoiar o pastor à reeleição. Mas isso não é bom para o pastor Mardoqueu Bodano, que tentará continuar o seu trabalho na Assembléia Legislativa, porque ele vai depender de uma boa coligação e do volume de votos para ser beneficiado pelo quociente eleitoral que define a proporcionalidade. Isso que pode acontecer com Bodano, também atinge a outros parlamentares, que já estão verificando qual a melhor legenda que devem se filiar, na expectativa de atingir o complicado quociente.

 

A mesma análise é feita para o senador Antônio Carlos Valadares (PSB), que está bem mais próximo do ex-governador Albano Franco. É verdade que lideranças do interior trabalham para que o senador Valadares seja o candidato ao Governo do Estado. Ele, entretanto, mantém absoluta fidelidade ao prefeito Marcelo Déda e nega qualquer chance de disputar o pleito. Entretanto, ao lado do ex-governador e com o apoio que lhe dará para disputar o Senado, pode garantir uma retribuição do gesto em 2010, quando será sua vez de tentar a reeleição. Como Valadares pretende eleger o filho, Antônio Carlos, a deputado federal, não será mal uma força do amigo Albano. Diante desse panorama de busca por uma boa posição para eleger proporcionais, é que todos os futuros candidatos já estão começando a buscar a melhor posição partidária, para que não morram na praia e amarguem uma suplência mesmo que tenha superado muita gente no número de votos, mas não tenha conseguido atingir o tal quociente eleitoral.

 

 

TRANSPOSIÇÃO

O governador João Alves Filho (PFL) foi um dos palestrantes, ontem, da audiência Pública do Senado, promovida pela Comissão Especial do Semi-Árido.

João Alves Filho reafirmou que o Governo está levando o projeto a toque de caixa e que será um dos maiores desastres ecológicos da história.

 

REVITALIZAR

João Alves Filho acredita que o Governo deve revitalizar o rio, que sofre com o assoreamento, antes de pensar em transportá-lo.

“Para viabilizar qualquer projeto de transposição, a primeira preocupação é evitar que o rio morra, e o rio está na UTI”, alertou.

 

BOSCO

O deputado Bosco Costa (PSDB) também é contra à transposição e revelou que não entende como as coisas funcionam no Brasil.

Para Bosco seria bom que estivessem na sessão deputados dos Estados do Nordeste Setentrional, para que juntos discutissem a transposição.

 

RECURSOS

Bosco Costa lembrou que faltam recursos para a área de segurança, “mas não faltarão para a transposição do São Francisco”.

Lembrou que em existem milhares de pessoas morrendo de fome “a 50 metros do rio São Francisco, sem que sejam assistidos pelo Governo”.

 

COBRANÇA

O projeto de integração do Rio São Francisco pode elevar a cobrança da água em até 20% dos Estados beneficiados pela transposição.

O governo federal pretende que os governadores destes Estados sejam responsáveis pela arrecadação dos recursos para garantir a manutenção das obras de transposição.

 

JANTAR

O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda, esclareceu ontem que não participou do jantar com Albano Franco, Senador Valadares e Jackson Barreto, na quarta-feira.

Déda disse que não vai ao Piantella desde novembro e que jantou com o ministro do Desenvolvimento Econômico, Jacques Wagner.

 

RETORNO

Marcelo Déda deve retornar hoje a Brasília para audiência com o ministro das Cidades, Olívio Dutra, para dar entrada a projetos do município.

O ministro vai viajar e já está na data limite para entrega desses projetos, considerados importância para Aracaju.

 

IGNORA

Uma fonte da Polícia Federal revelou ontem que desconhece qualquer operação feita em Sergipe e que chegou a pessoas vinculadas a assaltos e tráfego de drogas.

Segundo a mesma fonte, operações desse tipo são feitas sigilosamente e só chegam ao conhecimento da imprensa depois da prisão de suspeitos e denunciados.

 

GRUPO

Está se formando, na Assembléia Legislativa, um grupo político formado por deputados que não querem correr o risco de serem bem votados, mas não se reelegerem.

A informação é de pessoas que trabalham para a formação do grupo, que pode envolver parlamentares filiados em todos os partidos.

 

LÍDERES

As conversas estão projetadas para o mês de setembro, quando os candidatos têm que se acomodar em coligações que ofereçam chances de elegê-lo.

“Ninguém vai querer saber de papo das lideranças. Todos estão preocupados em suas condições para se manter com o mandato”, disse um deputado.

 

ZEZINHO

O prefeito de São Cristóvão, Zezinho da Everest (PTB) já está querendo lançar o irmão como candidato a deputado estadual no próximo ano.

Isso está provocando certo mal estar junto a lideranças que o apoiaram para prefeito e que precisam dele para o próximo pleito.

 

ALBANO

Se houver a inviabilidade da permanência no PSDB, é provável que o ex-governador Albano Franco e seu grupo ingressarão no PMDB.

Mesmo com essa possibilidade, a troca de partido seria feita dentro de um consenso do Diretório Regional e do Diretório Nacional. Nada de pressão…

 

CUMPRIMENTO

Sandra Ramos envia e-mail vendo imparcialidade em Plenário, por ter divulgado, ontem, a opinião de Edson Júnior, “a qual concordo”, contrária ao comentário da coluna de quarta-feira.
Diz que “orlas, concretos, ruas, praças, avenidas, tudo se deteriora um dia, mas a imagem que um político como Marcelo Déda irá deixar nunca ninguém poderá destruir”.

 

Notas

 

SOBRE CIRO

João Alves Filho, na palestra que fez ontem na Câmara sobre a transposição do rio São Francisco, exibiu um relatório impresso que elaborou para o então candidato a presidente Ciro Gomes (PPS) mostrando a situação do São Francisco e mostrando que não poderia haver transposição sem revitalização.

O então candidato Ciro Gomes falava em transposição do rio, mas defendia primeiro a revitalização para não prejudicar os Estados da bacia. Hoje, o ministro Ciro Gomes quer a transposição de qualquer forma.

 

TRIBUNAL

Os deputados federais João Fontes e José Carlos Machado estiveram ontem com o presidente do TCU, ministro Adilson Motta, para tratar sobre requerimento de Machado que pede a suspensão da licitação para transposição do São Francisco. O ministro sem comprometeu em iniciar estudos.

Será feito um estudo ambiental, uma análise da situação do rio, a reserva de recursos, além de ouvir as comissões dos comitês. O ministro Ciro Gomes já foi notificado sobre as medidas para iniciar a obra.

 

ALMEIDA

O senador Almeida Lima (PSDB) criticou o governo Lula por primar pelo discurso e pela propaganda, quando, na realidade, as melhorias não chegam ao povo. Para Almeida, os números do governo representam uma “terrível contradição com a realidade, inclusive daquele que precisa do microcrédito”.

O Banco Popular concedeu crédito a apenas 600 mil pessoas, com média de R$ 63. “Um programa novo, um banco novo, que em 6 meses, utiliza R$ 37 milhões para seu objetivo-fim e gasta R$ 24 milhões em propaganda”.

 

É fogo

 

O deputado federal José Carlos Machado (PFL) ficou animado com o resultado da audiência pública sobre a transposição do rio São Francisco.

 

José Carlos Machado preside a Comissão Especial do Semi-Árido e disse que nenhuma audiência durou duas horas e meia, transmitida ao vivo pela TV Senado.

 

Três secretários do Governo estavam, ontem, na Câmara, acompanhando a palestra do governador João Alves Filho: Flávio Conceição, Mendonça Prado e Nicodemos Falcão.

 

Todos os deputados da bancada sergipana foram convidados para a audiência no Tribunal de Contas da União. Apenas dois deles foram.

 

Lagarto passará a contar com um Plano Diretor. O objetivo é diagnosticar as condições urbanas e ambientais do município.

 

O vereador Fábio Henrique (PDT) não diminuiu o seu ritmo de campanha. Está na rua para tentar a Assembléia Legislativa.   

 

O deputado federal Heleno Silva (PL) não ficou para a palestra do governador João Alves Filho, porque tinha outros compromissos.

 

O governador Albano Franco passou a semana em Brasília, aonde vem mantendo amplos contatos políticos.

 

O ministro José Alencar e o deputado federal Sandro Mabel ainda não desistiram de levar o ex-governador Albano Franco para o Partido Liberal.

 

Os funcionários da Varig estão marcando um protesto para hoje em Porto Alegre (RS). Vão insistir no pedido de intervenção da empresa.

 

O ministro da Fazenda, Antônio Pallocci, reiterou sua defesa da autonomia do Banco Central e acha que o Senado é o melhor fórum para ampliar a discussão do tema.

 

Muita chuva no sertão começa a afastar o medo de um novo período de seca. Já tem gente começando o plantio.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais