O lado do soldado

0

Plenário recebeu ontem um e-mail importante e que serve para esclarecer a verdade sobre a segurança, que geralmente é embutida nos discursos das autoridades responsáveis pela tranqüilidade da sociedade sergipana, principalmente de Aracaju, onde se concentra o maior índice populacional. Leitor assíduo da coluna, como revela o autor da mensagem, ele se refere a “alguns comentários  acerca do desempenho da segurança publica, na qual fica patente que existe uma incompetência generalizada nas instituições policiais”. A constatação a que chegou o autor do e-mail é uma opinião generalizada, porque a população paga para ter bons serviços de Saúde, Educação e Segurança. Lamentavelmente, principalmente no que se refere ao último dever de Estado citado, o cidadão não sente sua presença. Pelo contrário, assiste impotente ao crescimento alarmante da ação dos marginais, em todos os recantos de Aracaju.

 

Estão aí os principais restaurantes e bares da cidade, que contrataram seguranças particulares para impedir os assaltos que vinham ocorrendo nesses locais.

 

Mas o leitor que assina o e-mail revela que é policial militar e “não posso deixar de contribuir com o processo democrático subsidiando você de informações para uma análise mais precisa”. Evidentemente do que acontece nos bastidores da Secretaria da Segurança e no quartel da Polícia Militar do Estado. Ele sugere que se “considere que a Polícia Militar trabalha com equipamentos inadequados em termos de armamentos e coletes de proteção. A rede de comunicação tem pelo menos dez anos que não faz manutenção e por isso não é eficiente”. E prossegue com as denuncias: “os equipamentos utilizados no Copom (190) são obsoletos e não acompanham a demanda. As viaturas não têm combustível suficiente para uma cobertura de área adequada e nelas não existe manutenção preventiva. Em suma: sem investimento em tecnologia adequada não há eficiência prática em resultados”.

 

Não é preciso explicar que o autor do e-mail é uma pessoa que tem profundo conhecimento sobre a segurança no Estado e que, como membro da instituição militar, não deve se expor, para não sofre punições e constrangimentos. Trata-se de um cidadão corajoso e indignado com a forma que a polícia é conduzida. “Se a segurança pública é prioridade, que façam investimentos adequados. Por fim, o diferencial em uma empresa de sucesso é a valorização dos seus recursos humanos, isto é, seus componentes. Acontece que os policiais são submetidos a períodos de trabalho que, em alguns casos, chegam a 70 horas em uma semana, onde o normal seria uma jornada de no máximo 44 horas semanais”, denuncia ele para oferecer mais irregularidades e exploração do homem que precisa estar bem para enfrentar a violência urbana: “além de tudo isso, não existe investimento em reciclagem, acompanhamento psico-social, moradia digna, e uma remuneração que não condiz com as expectativas de resultados que se esperam dos policiais militares”.

 

No e-mail o policial garante que “isto não é um desabafo ou mesmo dor de cotovelo porque estão jogando pedra em meu telhado, mas entendo que não é apenas a instituição que tem responsabilidade na construção da cidadania: todos são responsáveis”. O leitor está correto quando diz que “temos então que cobrar um resgate da dignidade do policial, do aparelhamento adequado da instituição e da diminuição das influências políticas em assuntos técnicos” Essa questão de utilizar a politicagem para interferir nos assuntos técnicos da Polícia precisa de uma maior reflexão, porque isso deturpa os objetivos traçados, as definições alcançadas e tomadas de posições que, invariavelmente, contrariam a poderosos de plantão, sempre preocupados em resguardar interesses, proteger até mesmo a bandidos, quando isso é de suas conveniências. As autoridades policiais não podem ficar a mercê da vontade e de caprichos das autoridades constituídas ou nomeadas, quando elas expõem suas pretensões políticas. Quando isso chega ao sistema de segurança provoca fragilidade e, enquanto a sociedade é prejudicada, os bandidos fazem a festa.


No final um apelo: “peço para não me identificar neste primeiro contato”.

 

REUNIÃO

Durante a reunião que teve com o secretariado, terça feira à tarde, o governador João Alves Filho (PFL) exigiu maior empenho dos auxiliares neste novo ano.

Foi o primeiro encontro do ano e o governador deixou bem claro que a partir de agora “chegamos a um ponto em que não podemos errar”.

 

VIAGEM

O governador João Alves Filho viajou ontem à tarde para a Europa, mas primeiro passou por Washington (EUA) para em encontro com o presidente do BID, Henrique Iglesias.

O governador viaja em seguida a Paris, Europa e Lisboa a trabalho. Para a capital francesa vai a convite da Unesco sobre o trabalho na Educação. O secretário Lindberg Lucena o acompanha.

 

EQUIPE

Durante o encontro, o governador João Alves Filho não falou mais em qualquer mudança no secretariado. Ele já teria feito todas as alterações necessárias.

Deixou claro, entretanto, que o ano de 2005 é de maior atividade política, onde haverá maiores contatos com grupos políticos importantes no Estado.

 

ALBANO

O ex-governador Albano Franco (PSDB) almoçou ontem, em Salvador, com o senador Antônio Carlos Magalhães e o filho, senador suplente ACM Júnior.

Segundo Albano Franco, a conversa girou sobre política nacional e alguma coisa de Sergipe. O almoço aconteceu na residência do senador.

 

SOBRE PT

Albano Franco desmentiu informações de que ele tinha compromissos com o Partido dos Trabalhadores: “isso não é verdade”.

Admitiu que está mais atento à política em Sergipe, mas garantiu que ainda não definiu a que será candidato em 2006.

 

AUGUSTO

O ex-deputado federal Augusto Franco Neto (PSDB) deve ser candidato em 2006 para retornar à Câmara Federal.

Só não o será caso o tio, ex-governador Albano Franco (PSDB), dispute o mesmo mandato. Como a tendência de Albano é majoritária…

 

JERÔNIMO

O ex-prefeito de Lagarto, Jerônimo Reis (PTB) desfaz a informação de rompimento com o prefeito de Aracaju, Marcelo Déda.

“O que existe é um grupo de invejosos querendo fazer intriga e dizendo por aí que eu estava conversando com o governador João Alves Filho”, disse.

 

DETALHE

Apenas um detalhe: a maioria de lideranças políticas da capital e interior, inclusive cidadãos comuns da sociedade, acha que o prefeito Marcelo Déda “anda de sapatos altos”.

Há quase uma unanimidade sobre isso e se é a voz da maioria, o prefeito Marcelo Déda deveria fazer uma análise e procurar calçar o velho tênis.

 

ENCONTRO

O prefeito Marcelo Déda esteve ontem em visita à Câmara Municipal e conversou com o presidente Zeca da Silva (PSB) e outros vereadores.

Marcelo foi acompanhado de secretários e mostrou interesse em manter um bom entendimento com os vereadores para as discussões em favor de Aracaju.

 

PALANQUE

Marcelo Déda disse a Zeca da Silva que já desceu do palanque e gostaria de harmonizar as idéias para um trabalho em conjunto pela capital.

O presidente Zeca da Silva agradeceu, colocou a Casa à disposição e lembrou que a Câmara vai atuar com independência e soberania, sem perder a harmonia.

 

MINISTÉRIO

O Ministério Público Estadual ainda não começou a atuar na apuração de prefeitos que concluíram o mandato sem cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Em Sergipe as queixas são generalizadas, mas ninguém foi convocado para responder pelos danos causados aos municípios.

 

RESPONSABILIDADE

O Ministério Público e o Tribunal de Contas sabem que têm grande responsabilidade na apuração dos abusos praticados pelos ex-prefeitos.

Caso a sociedade não sinta a presença dessas instituições nos desmandos municipais, não há razão para a existência da Lei de Responsabilidade Fiscal.

 

SURPRESA

A Polícia sergipana ficará surpresa com o que vai acontecer com o caso Floro Calheiros, dentro de mais alguns dias ou semanas.

Está sendo feito um trabalho fora do Estado que vai esbarrar em Sergipe, com fatos que vão estarrecer a sociedade. Não se trata de informação furada…

 

AJUDA

O deputado estadual, Mardoqueu Bodano (PL), criticou a Petrobrás por ajudar apenas
a cidade de Porto da Folha no combate à seca.

A atitude tomada pela Petrobrás dá a entender que Porto da Folha está sendo beneficiado porque o seu prefeito, Manoel de Rosinha, é integrante do PT.

 

.

Notas

 

MOVIMENTO

Há um movimento que desce do interior sergipano, formado por lideranças e prefeitos, que defendem o nome do senador Antônio Carlos Valadares (PSB) para disputar o Governo do Estado em 2006. O pessoal acha que Valadares reúne mais setores importantes de outras regiões do Estado, do que Marcelo Déda.

As lideranças do movimento entendem que se o grupo se mantiver unido, não haverá dificuldade para que o senador dispute o pleito em condições de vencê-lo. Os comentários sobre a candidatura são fortes.

 

GRATUIDADE

A cada dia cresce o número de pessoas que andam de graça nos ônibus, sem que seja definida uma fonte de custeio para a gratuidade. O Setransp não é contra a gratuidade, mas à forma como ela é executada hoje no sistema de transporte público. Não só em Aracaju, mas em todo o Brasil.

Segundo uma pesquisa encomendada pelo Setransp em junho desse ano com usuários do sistema de transporte na capital, 35,8% dos entrevistados disseram que alguém da família utiliza o transporte coletivo gratuitamente.

 

NÚMEROS

Segundo a direção do Setransp, trata-se de um número considerado extremamente elevado. Com isso, cada vez menos passageiros pagam passagens no sistema coletivo, o que acaba onerando a tarifa. Enquanto a média mensal de usuários pagantes em dinheiro em 2003 foi de 2.021.925, em 2004 caiu para 1.610.584.

Atualmente as categorias que andam de graça nos ônibus são idosos, deficientes, policiais civis e militar, oficial de justiça, guardas municipais, funcionários da SMTT e das empresas de transportes coletivos.

 

É fogo

 

Para quem gosta de assistir ao Pré-Caju pela televisão, a não escalação da apresentadora Rosângela Dória para ancorar as transmissões da TV Cidade foi uma ducha de água fria.

 

De hoje até domingo Aracaju é só carnaval, com a realização do Pré-Caju, que está no seu 13º ano animando a sociedade sergipana.

 

A maioria dos hotéis e pousadas está completamente lotada e, segundo um dos organizadores do evento, estão hospedando gente até em motel.

 

O Governo do Estado está com o seu camarote na prévia carnavalesca e alguns auxiliares do Governo vão participar da festa.

 

O governador João Alves Filho e a senadora Maria do Carmo Alves passam o Pré-Caju em viagem de trabalho pelo exterior.

 

O ex-governador Albano Franco (PSDB) já garantiu sua vaga no Pré-Caju e será convidado do deputado estadual Fabiano Oliveira (PTB).

 

A deputada Susana Azevedo já retornou da Europa e também estará no bloco, como acontece todos os anos.

 

O prefeito Marcelo Déda e o presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra, habitualmente saem nos blocos, a convite da ASBT.

 

O prefeito de Socorro, José Franco, acha que o Brasil tem que torcer para que o Governo Lula dê certo, por entender que será melhor para todos os brasileiros.

 

A Caixa Econômica Federal inicia hoje o pagamento de mais uma parcela das diferenças do FGTS, provenientes dos planos Verão e Collor I.

 

O Banco do Brasil já destinou R$ 19 bilhões para financiamento e comercialização da safra 2004/2005, montante 28% maior que o disponibilizado na safra anterior.

 

O nível de emprego na industria em 2004 registrou recorde de crescimento desde 1992, quando teve início a pesquisa sobre os Indicadores Industriais da CNI.

 

brayner@infonet.com.br

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários