O MARTELO PODE BATER

0

O governador João Alves Filho (PFL) e o ex-governador Albano Franco (PSDB) terão o segundo encontro, hoje pela manhã, em um período de 48 horas. Depois de conversarem longamente na terça-feira à noite, eles retornam ao apartamento do secretário da Indústria e Comércio, Tácito Faro, para uma nova rodada de negociação em busca do entendimento. Na mesa estará um novo personagem: Ricardo Franco. Na conversa que tiveram terça-feira não chegaram a uma definição, mas hoje o “martelo” já está em posição para ser batido. Depende apenas do acolhimento pelo PFL de mais uma única proposta tucana: o PSDB quer a primeira suplência no Senado Federal. Exigência aceita, decisão tomada e o ex-governador Albano Franco deve anunciar logo depois que será candidato a deputado federal, numa composição com o governador João Alves Filho. Os tucanos também estarão na chapa majoritária, com a indicação do vice. Na proposta ainda há estrutura para a campanha. O único fato novo será a suplência, o que deverá ser discutida.

Durante toda tarde de ontem muita conversa rolou para se chegar a um consenso sobre as exigências tucanas. Até o ex-chefe da Casa Civil, Marcos Vieira, veio de Brasília, onde mora, para dar opinião sobre essa composição. Da parte do governador João Alves Filho, participou da conversa o secretário da Fazenda, Gilmar Mendes, que também atuou nos dois períodos de Governo de Albano Franco (2004 a 2002). Ainda ontem, pela manhã, o ex-governador Albano Franco conversou com o pré-candidato ao Senado pelo PT, José Eduardo Dutra. Sugeriu que abrisse da candidatura para que ele (Albano) fosse o candidato, numa coligação com a oposição. Eduardo aceitou, mas preferiu colocar a questão para ser aprovada pelos partidos que formam o bloco de apoio a Marcelo Déda. É uma outra opção tucana. Caso não feche a coligação com o PFL, pode retomar a conversa sobre a candidatura ao Senado e fechar a chamada aliança branca, como ficou acertado no jantar ocorrido, segunda-feira passada, na fazenda de Luiz Eduardo Costa, em Canindé do São Francisco.

O nome do PSDB para vice-governador não está definido. Ontem se falou em Ricardo Franco, o que garantia apoio total inclusive no segundo turno. Entretanto, o próprio Ricardo disse que o nome de preferência do governador João Alves Filho é o do deputado estadual Fabiano Oliveira (PSDB): “eu apoio e trabalho para Fabiano”, disse o empresário, lembrando que o objetivo é fortalecer a chapa e o parlamentar tem um bom potencial de votos em Aracaju. Quanto ao primeiro senador suplente, não se cogitou ninguém, afinal é uma proposta que ainda deve passar pelo crivo do PFL. Um candidato a deputado federal, que tomou conhecimento dessa proposta, acha que daria para Bosco Costa. Seria o olho em menos um concorrente à Câmara? Mas esse também é um fato que deve ser levado em consideração, porque o PSDB pode sair independente e Albano Franco disputar uma vaga de deputado federal. Evidente que isso reduziria para dois o número da legenda estadual e possivelmente apenas o ex-governador chegaria à Câmara. Mesmo assim, é uma opção que os tucanos não descartam.

Uma coisa está bem definida: essa será a última conversa com o governador João Alves Filho. Caso não seja batido o martelo, não haverá mais outra oportunidade. Os dois lados cansaram. Ricardo Franco acha que o PSDB não está se excedendo nas propostas e que agora depende apenas da vontade do PFL para ser anunciada a coligação. O PT deverá ficar à espera do resultado de hoje, o que não agrada a setores importantes da oposição. Tanto PFL quanto PT não têm mais tempo de aguardar uma definição dos tucanos, porque os candidatos proporcionais pressionam para acabar com esse “lenga lenga”, que trás prejuízos para o início da campanha. Ontem à noite, em Laranjeiras, na homenagem prestada ao ex-governador Augusto Franco, João e Albano estiveram juntos, mas não houve conversa sobre a possível coligação que poderá ser anunciada ainda hoje.

 

 

JOBIM

A informação é de Brasília: O ex-governador Albano Franco (PSDB) fora convocado para uma conversa com o ex-ministro do STF, Nelson Jobim, em Brasília.

No encontro, o ministro Nelson Jobim transmitiu para Albano um pedido do presidente Lula, que não fechasse uma aliança com o PFL no estado.

 

SAÚDE

Em Sergipe uma fonte bem avisada revelou que já estava pronta a nomeação da enfermeira Marta Barreto para a Secretaria da Saúde, para atender a uma exigência do PSDB.

Quando o ex-governador Albano Franco informou do pedido de Lula e que poderia atendê-lo, houve o remanejamento e para a Saúde foi nomeado Silvani Pereira.

 

NOVA VERSÃO

Uma fonte do Palácio dos Despachos desfaz a informação quanto a possível imediata nomeação de Marta Barreto para a Secretaria da Saúde.

Disse que 20 dias antes de acontecer o remanejamento, já se falava no nome de Silvani Pereira para o lugar de José Lima, na Saúde.

 

MARCOS

O ex-chefe da Casa Civil, Marcos Vieira, está em Aracaju. Ele foi chamado por Albano Franco para opinar sobre a posição a ser adotada pelo PSDB para as eleições.

Estava sendo aguardada a chegada do empresário Ricardo Franco (PSDB) para que fosse batido o martelo e fechar com o PFL.

 

CANINDÉ

No encontro de Canindé, entre Albano Franco e Marcelo Déda, segunda-feira, ficou certo que o ex-governador anunciaria o encerramento das conversas com o PFL.

Albano tinha dito que não poderia ser candidato a deputado federal porque os Teles, em Itabaiana, não votavam nele: “nem Frei Enoque tem mais condições de votar em mim”.

 

ENCONTRO

Aconteceu o encontro entre Albano Franco (PSDB) e José Eduardo Dutra (PT) sobre a possibilidade de Dutra retirar sua candidatura ao Senado em favor do ex-governador.

Dutra disse ao ex-governador que o assunto será levado para o bloco da oposição, que analisará a proposta e escolherá entre um e outro.

 

ZÉ EDUARDO

O presidente regional do PT, Macio Macedo, reafirmou ontem que o partido lançará a candidatura de José Eduardo Dutra (PT) ao Senado Federal, durante encontro sábado.

Segundo Macedo, há também um sentimento dos partidos da oposição pelo nome de José Eduardo para senador.

 

AGONIA

Membros do PSDB admitem que o partido está passando uma agonia pela demora de tomar uma decisão para coligação.

Acham que os tucanos já estão prejudicados, porque não definiram alianças com PFL ou PT. A situação agora é difícil para todos.

 

DIVISÃO

O candidato a presidente Geraldo Alckmin dividir o palanque do PSDB e PFL no Acre, Amapá, Amazonas, Goiás, Maranhão, Paraná, Rio de Janeiro, Rondônia e Tocantins.

Sergipe, segundo a Comissão Nacional de Campanha, está entre os nove deputados em que os coordenadores dos dois partidos ainda tentam um acordo.

 

TENSÃO

A hipótese do PSC lançar candidato a presidente da República, como foi anunciado pelo partido, criou um clima de tensão entre os candidatos proporcionais em Sergipe.

O empresário José Amorim (PSC) entrou em contato coma direção do partido e tranqüilizou o pessoal. Há apenas uma intenção de lançar candidato.

 

REUNIÃO

Segunda-feira, José Amorim viaja ao Rio de Janeiro para uma reunião com membros dos diretórios estaduais do PSC de todo o Brasil.

A grande maioria não quer que o PSC lance candidato a presidente, porque prejudica todos os candidatos majoritários e proporcionais no país.

 

SOZINHO

O presidente regional do PTdoB, Clóvis Silveira, revela que o seu partido sozinho tem condições de eleger três deputados estaduais.

Diz que fará coligações com outras legendas do nível do seu partido e poderá chegar até a cinco parlamentares.

 

PAIXÃO

O deputado suplente Ivan Paixão (PPS) vai viajar ao Rio de Janeiro para participar da convenção do seu partido no próximo dia 19.

Segundo Paixão, a tendência do PPS é não fechar um acordo informal com o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, para ficar à vontade nos partidos.

 

 

Notas

 

COMUNICADO

O PMDB enviou, ontem, ofício ao TSE comunicando que não terá candidato a Presidência da República nas eleições de outubro. No ofício, o presidente nacional do partido, deputado Michel Temer (SP), informa que o pré-candidato à Presidência, senador Pedro Simon (RS), abriu mão de disputar a indicação do partido.
Michel
Temer pediu ao TSE que informe os tribunais regionais, para que orientem os diretórios estaduais do PMDB sobre coligações políticas e sobre o lançamento de candidaturas para os governos dos Estados.

QUÊ PAÍS?

O senador Jefferson Peres (PDT-AM) lamentou ontem, da tribuna do Senado, que o povo brasileiro tenha energias para se mobilizar para a Copa do Mundo e não demonstre a mesma disposição para reagir “à corrupção e aos desmandos que infelicitam o país.” E perguntou “Quê país é esse?”.

“Entusiasmar-se com a seleção, torcer, sofrer, tudo bem. Mas é lamentável que o povo brasileiro não tenha a mesma energia e responsabilidade para mudar o país. Importante mesmo é a Copa”, lamentou o senador.

 

NOTIFICAÇÃO

A Justiça eleitoral, através do ministro Carlos Ayres Britto decidiu notificar o presidente Lula da Silva para que ele preste esclarecimentos sobre os gastos do governo em publicidade nos últimos três anos. O Planalto terá cinco dias para responder, a contar da data do recebimento da notificação.

Carlos Britto é relator de uma ação movida pelo PSDB e pelo PFL no último dia 31 de maio. Os partidos levantam a suspeita de que o governo tenha tonificado os gastos em propaganda nesta fase pré-eleitoral.

 

 

É fogo

 

O deputado federal Mendonça Prado (PFL) criticou ontem a excessiva lucratividade dos banqueiros no Brasil.

 

“Nenhum governo pode falar em política de redução das desigualdades sociais enquanto não houver uma normatização dos lucros obtidos pelos bancos”, disse Mendonça Prado.

 

A deputada Susana Azevedo (PSC) disse ontem que seguirá a orientação do seu partido em termos de aliança e apoio.

 

Para Pedrinho Valadares (PFL) a candidatura de Albano Franco (PSDB) hoje em dia é meio complicada e perigosa, por conta da indecisão diante das siglas que pleiteiam seu apoio.

 

Pedrinho Valadares é candidato a deputado federal e deu sua opinião sobre Albano Franco em entrevista ao programa Comando Geral, na rádio Jornal.

 

A secretaria sa Saúde terá que invalidar o ato de seleção simplificado para contratação de pessoal, feita ex-secretário José Lima, sob pena de punição ao gestor responsável.

 

O deputado Francisco Gualberto cobrou ontem do governo do Estado que encaminhe um projeto de Lei concedendo reajuste para os servidores públicos estaduais.

 

Gualberto lembrou que diante do período eleitoral o prazo para conceder reajuste aos servidores públicos se esgota no final deste mês.

 

O Governo vai dar um computador para cada professor que estiver em sala de aula, informou o deputado Augusto Bezerra (PFL).

 

“O clima é de tranqüilidade no interior e não haverá necessidade de tropas federais, para que as eleições ocorram em paz”, disse Augusto Bezerra.

 

Os financiamentos habitacionais da Caixa Econômica Federal (CEF) atingiu a marca de R$ 5,4 bilhões no ano, até o último dia 9.

 

brayner@infonet.com.br

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais