O mundo silencioso: uma jornada e não um destino

0

No ano passado estava analisando, rapidamente, o perfil de algumas pessoas amigas, colegas de trabalho, colegas de cursos, mas todas elas tinham um denominador comum: haviam passado por um programa de resgate do processo criativo no qual foi utilizada a metodologia solução criativa de problemas[1].

Fiz uma retrospectiva para 1996, quando iniciei formalmente o trabalho em disseminar esse conhecimento através, inicialmente do Projeto Criatividade não é dom[2], desenhado para ser aplicado na Petrobras/Sergipe e Alagoas.

 

Fiz uma rápida análise das diversas pessoas que haviam passado pelo projeto (mais de 450) e percebi que um número muito superior a 30% de participantes havia literalmente transformado a sua vida após a sua passagem nesse programa; depois disso. Fiz uma análise nos mais de 400 empregados da Petrobras/Vitória e percebi que lá também um número assustador de pessoas havia sofrido grandes transformações[3].

 

Depois analisei os alunos da Faculdade São Luis que por quatro anos tive a honra de ser seu professor da cadeira de Gestão da Criatividade e finalmente cheguei à nossa turma de alunos da pós-graduação, cujos depoimentos pessoais são exuberantes.

 

Então com essa análise percebi que havia chegado a hora de exercitar esse processo de uma maneira mais desafiadora e procurei esboçar um projeto onde pudéssemos levar esse conhecimento tão avassalador e transformador a jovens portadores de necessidades especiais. Num primeiro momento imaginei que estava louco, mas depois pensei muito pensando o que dezenas de amigos meus falam sobre a importância desse trabalho para as suas vidas pessoais e profissionais.

 

Foi o bastante para que eu me convencesse que seria um desafio interessante a enfrentar. Então, resolvi usar a minha intuição e percebi que tinha entre os alunos da pós uma pessoa que trabalhava com jovens surdos. Conversei com a mesma e depois dessa conversa redesenhei um projeto inicialmente elaborado para jovens adolescentes.

 

Submeti esse projeto a uma concorrência nacional dos Correios[4] e um dia para a minha surpresa e muita alegria percebi que havíamos sido selecionados para realizar o projeto denominado Mundo Silencioso.

 

Em seguida, já como atividade do projeto convidamos uma especialista famosa em processo criativo Vera Tindo para juntamente com professores que trabalham com surdos transformassem o projeto original numa peça para ser aplicada a jovens surdos.

 

O projeto iniciou ao final de agosto. E a cada seminário vejo estampado na face dos jovens a alegria das descobertas, a riqueza do potencial interior deles que estava escondido e muitas vezes não pode aflorar nas escolas tradicionais e convencionais, pois a maioria delas não está preparada para receber no seu dia a dia jovens portadores de deficiências especiais.

 

Duas instituições eticamente corretas estão conosco nesse projeto a APADA e o IPAESE são eles quem nos fornecem a material prima especial do nosso trabalho os jovens surdos.

 

E nos seus depoimentos utilizando “mind maps” uma ferramenta do processo criativo, eles nos contam suas histórias de vida: quem sou eu? De que eu gosto? O que espero da vida? Onde quero chegar? Como me sinto?

 

O Mundo Silencioso é um projeto de cooperação, no qual cada componente dá a sua parcela de apoio: os Correios nos dão parte do investimento do projeto; a FBC forneceu a metodologia, o desenho do projeto e o seu espaço para desenvolvê-lo, a Apada e Ipaese nos disponibilizam os alunos, os nossos professores compartilham com os alunos o que foi aprendido e os jovens nos pagam com a alegria das suas faces.

 

Neste sábado 25/11 tivemos o primeiro encontro de pais, mestres, alunos, patrocinador, realizador e parceiros do projeto. Foram três maravilhosas horas de emoção, alegria e encantamento, culminando com o depoimento de dois jovens do quanto estavam aprendendo e o quanto o projeto estava sendo importante para eles.

 

Num dado momento vi lágrimas furtivas escorrendo nos olhos dos mestres, dos pais, dos parceiros e dos visitantes presentes.

 

Acredito que esse é o caminho do Brasil Cidadão cada um junta um pouco do que possui e faz com que a roda da vida circule gerando novas oportunidades para alguns que por algum motivo estão passando essa experiência de vida num processo mais difícil.

 

Ainda estamos na primeira fase da primeira turma do projeto, todavia, eu particularmente já tenho a certeza absoluta do seu sucesso e de quanto essas jovens vidas serão fortalecidas e modificadas.

 

Portanto, o projeto Mundo Silencioso está mostrando aos jovens que eles só viverão num mundo de silêncio, medos, perdas e exclusão se quiserem.



[1] CPS -> Solução Criativa de Problemas, difundida no mundo pela Creative Education Foundation .

[2] Nesse projeto fiz uma pequena adaptação da metodologia original ao atitudinal brasileiro. Esse projeto em 1998 recebeu o Prêmio Ser Humano Oswaldo Chechia – 1998 concedido pela Associação Brasileira de Recursos Humanos/Nacional, São Paulo.

[3] Em 2002, o projeto desenvolvido em Vitória recebeu dois prêmios Ser Humano Oswaldo Checchia.

[4] Empresa Brasileira de Correios e Telegrafos

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários