O papel do pai na saúde dos filhos

0

Mesmo antes de nascer, a saúde da criança depende da qualidade de vida da mãe e do pai. Quando a mãe se cuida, realizando o pré-natal correto e o seu parceiro sexual (futuro pai do seu filho) não se cuida, certamente que irá comprometer a saúde da sua criança que ainda não nasceu. Atualmente, devido principalmente ao aumento dos casos de sífilis em crianças, o pai que não participa do pré-natal, não realizando exames e tratamento juntamente com a sua companheira gestante ou que pretende engravidar, pode estar contribuindo para uma precária saúde da futura criança.

A sífilis em crianças é causada por uma bactéria denominada Treponema pallidum, que vinda do pai, infecta a gestante que, quando não tratada ou inadequadamente tratada infecta o feto durante a gravidez e/ou parto. A sífilis em crianças, que é denominada Sífilis Congênita, assume diversos graus de gravidade, podendo provocar lesões nos diversos órgãos do bebê.  A criança pode apresentar lesões nos ossos, no sistema nervoso e cardiovascular, aumento do fígado e baço, rinites sanguinolentas, e até paralisia dos membros.

Dependendo do tempo em que a mulher foi infectada, ela pode correr o risco de ter um natimorto ou do bebê morrer logo após o parto. A criança morre, principalmente, por hemorragia no pulmão. A prevenção da sífilis congênita consiste em um pré-natal adequado para o casal, já que é uma doença de fácil prevenção desde que a mulher e o parceiro infectados sejam tratados imediatamente. O papel do futuro pai é fundamental, para a saúde do bebê que vai nascer. O uso da camisinha masculina ou feminina durante a gravidez também é uma importante medida de proteção à saúde da criança.

Na semana em que todos comemoram o DIA DOS PAIS, é importante lembrar que o PAI também pode contribuir para a saúde sexual dos seus filhos. Muitos pais ainda se sentem envergonhados e despreparados para falar sobre o assunto e frequentemente fogem dele, ignorando a curiosidade da criança, dizendo que isso não é conversa para idade dela, que mais tarde ela irá saber, inventando nomes para os órgãos sexuais e historinhas fantasiosas sobre seu nascimento.   Esse constrangimento por parte dos pais é bastante comum e costuma ser resultado de uma cultura de pouco diálogo familiar quando o tema era um completo tabu e sua discussão, quando acontecia, tinha pouca ou quase nenhuma naturalidade.
Aproveitamos o momento de homenagem aos pais para que todos reflitam sobre a necessidade de dialogar com os filhos sobre a sexualidade deles e o papel que representam na saúde da criança mesmo antes de nascer.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários