O que dizer na TV

0

Na história política de Sergipe, nestes últimos dez anos, nenhuma campanha foi tão fria como a deste ano. Na capital e no interior. Pode-se dizer que não correu dinheiro e até mesmo os eleitores que se aproveitavam desse período para resolver alguns problemas pessoais, compareceram em menor quantidade. Não se viu a presença do Governo e quem esperava que o Partido dos Trabalhadores despejasse milhões de reais na campanha do seu candidato, prefeito Marcelo Déda, se equivocou. Não está havendo necessidade disso, porque a situação se mantém confortável para esse pleito, já que ninguém está com grana para mexer com o eleitorado.

 

Até o momento, não se registraram adesões e há uma espécie de calmaria estranha para um período em que disputam as prefeituras municipais. Evidente que o interior esquentou mais um pouco. Aliás, as eleições fora da capital sempre foram mais acirradas e até violentas. Há tranqüilidade, embora se mantenham as diferenças de grupos políticos, que seguem orientação de duas ou três lideranças em cada cidade.

 

Os programas eleitorais começam hoje nas emissoras de rádio e televisão. É possível que a partir de agora se comece a delinear as posições. Dentro de mais 15 dias, certamente os resultados das pesquisas serão outros. Ninguém pode negar – até porque está nos olhos de todos – a vantagem que o prefeito Marcelo Déda (PT) leva sobre os seus adversários, na preferência do eleitorado. Mantendo-se o quadro que está no momento, dificilmente ele perderia no primeiro turno e, se o seu pessoal de marketing estiver bem afinado, o crescimento pode ser surpreendente através de um programa enxuto, criativo e estruturado. Lógico que isso pode fazer a diferença. Marcelo é bom de televisão, usa frases bem montadas, tem uma simpatia natural e está identificado com o que realizou. Leva vantagem junto aos concorrentes, tem o que mostrar e prometer com dados. O que fica difícil de combater.

 

A deputada Susana Azevedo, candidata do PPS à Prefeitura de Aracaju, também não é má na televisão, mas precisa ser produzida com muito cuidado pela sua equipe de marketing, exatamente para superar a figura do seu principal adversário. O seu programa de Governo tem que ser arrojado, dinâmico e atraente a uma população exigente. Susana Azevedo tem uma vantagem muito grande: é bem mais popular do que o prefeito Marcelo Déda e penetra com maior profundidade na periferia. Ela sozinha é uma festa e contagia as pessoas com quem conversa, abraça e se identifica. Vai mostrar uma série de falhas graves na administração e atacar o trabalho social da Prefeitura, que realmente deixou a desejar, porque houve uma maior preocupação com a estética da cidade, assim mesmo com falhas. A idéia de combater o Governo Lula começa a ser posta de lado, porque houve uma superação das dificuldades e o país começa a dar sinais de crescimento econômico, embora a fome, o desemprego e o isolamento do Nordeste sejam uma realidade federal.

Marcelo Déda está contando com toda a estrutura do seu Governo em termos de apoio, o que não acontece com a deputada Susana Azevedo. Como bem disse o jornalista Hugo Costa, ela foi “seduzida e abandonada”.

 

Os demais candidatos, que têm menor índice nas pesquisas, vão ao programa de televisão tentar baixar os percentuais de Marcelo Déda e Susana Azevedo, para poder crescer sobre a deficiência que podem encontrar nos dois. José Renato Sampaio (PRP), por exemplo, quer federalizar a campanha para atingir Marcelo Déda, mas também não vai poupar a deputada Susana Azevedo, porque quer ir para o segundo turno, onde já diz que está, “só não sei com quem vou disputar”. Jorge Alberto é aliado de Lula em Brasília e vai mostrar o trabalho que faz em Brasília a favor de Aracaju e se basear na luta histórica do PMDB, que retorna ao pleito com uma chapa majoritária. Todos têm programa de Governo parecidos, variando em alguma coisa que não é genialidade. Vera Lúcia, candidata do PSTU, tem tão pouco tempo na televisão que não dará para mostrar seus projetos e idéias. Obedece à linha do partido e prega um socialismo real, alegando que o trabalhador não terá vez com o capitalismo cruel.

 

Os programas de televisão serão uma guerra em que a oposição ao prefeito vai mostrar falhas e queixas dos moradores e Marcelo Déda tentará exibir o que realizou pela população. Será nessa disputa que o eleitorado fará a escolha correta de quem merece chegar ou permanecer na Prefeitura da capital, para fazer uma Aracaju dentro do melhor projeto exibido na televisão. Nesses dois meses será decidido se haverá ou não segundo turno, tudo dependendo do bom trabalho de marketing.

 

REUNIÃO

Uma comissão de funcionários da Emdagro reuniu-se, ontem, com o líder do Governo, Venâncio Fonseca (PP) e reivindicaram que a empresa ficasse fora do projeto.

Venâncio respondeu que levaria a reivindicação ao governador João Alves Filho (PFL), mas comunicou que achava difícil ele atender, porque o projeto está definido.

 

COMISSÕES

Hoje pela manhã, o decreto de reforma do Estado vai para as comissões na Assembléia e pode ser pautado para discussão em plenário já amanhã.

Isso dependia do entendimento com os servidores, mas pelas reivindicações está certo que não se entrará em acordo sobre a transformação de empresas em autarquias.

 

JANTAR

O presidente do Sebrae, Zezinho Guimarães (PSDB) jantou em Brasília com os senadores Almeida Lima (PDT) e Arthur Virgílio (PSDB).

Zezinho Guimarães tem conversado com Almeida e já está preparando a sua chegada no ninho tucano. Só falta uma conversa com o ex-governador Albano Franco.

 

ENCONTRO

O ex-governador Albano Franco (PSDB) disse ontem que teria um encontro com o senador José Almeida Lima: “ainda não foi marcado, mas não está muito longe”.

Albano disse que todas as conversas estão sendo mantidas com o deputado federal Bosco Costa (PSDB) e está esperando apenas que se agente a conversa entre os dois.

 

MABEL

Albano Franco convidou, ontem, o deputado federal Sandro Mabel (PL) para participar da palestra que o vice-presidente da República, José Alencar (PL) dará segunda-feira no CIC.

Alencar vai falar sobre a retomada do crescimento. Será às 18 horas.

Antes, às 16 horas, José Alencar receberá o título de cidadão sergipano. José Alencar virá a Aracaju como presidente em exercício, já que o presidente Lula viaja ao Chile.

 

CHURRASCO

O candidato a prefeito pelo PMDB, deputado Jorge Alberto, considerou proveitoso o churrasco de adesão que realizou no Iate Clube, para angariar fundo de campanha.

Mais de 400 pessoas compareceram e, nos discursos, foi mostrada a importância do retorno do PMDB às disputas majoritárias.

 

COINCIDÊNCIA

O deputado Venâncio Fonseca (PP) percebeu uma coincidência depois que o pessoal do Partido dos Trabalhadores esteve em Boquim, participando do comício de Pedro Barbosa.

O comício foi no sábado e na segunda-feira a cidade foi sorteada para ser fiscalizada pela Controladoria da União. O atual prefeito é Luiz Fonseca, irmão de Venâncio.

 

FABIANO

O deputado Fabiano Oliveira (PTB) anda chateado porque não tem participado de certas reuniões da cúpula das oposições, que definem questões do seu partido.

Fabiano Oliveira desconfia que o pessoal não o convoca pelo seu relacionamento com o ex-governador Albano Franco (PSDB).

 

COM CIRO

O deputado federal Ivan Paixão (PPS) esteve com o ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, em Brasília, e avisou que estava integrado ao seu bloco dentro do partido.

Existe uma dissidência entre o deputado Roberto Freire e Ciro Gomes…

Ivan Paixão avisou ao secretário que estava à disposição de Ciro no plenário e nas comissões. O deputado está conversando com os ministro do Governo Lula.

 

TELEFONE

O ministro Ciro Gomes (PPS) deu um telefonema para o governador João Alves Filho, mostrando-se animado pela presença de Paixão na Câmara Federal.

Os dois relembraram a campanha e o ministro falou sobre o livro de João que falou do setor energético. Paixão acha que os caminhos ficaram abertos entre os dois novamente.

 

PROCESSO

O juiz Luiz Antônio Teixeira, relator do processo de impugnação do candidato a prefeito de Canindé do São Francisco, João de Deus, votou contra a ação na preliminar.

O juiz federal Wladimir Carvalho pediu vistas do processo depois da votação do relator. A definição deve sair ainda hoje.

 

PONTE

O início das obras da ponte que liga Aracaju a Barras dos Coqueiros será dia 25 próximo, com uma manifestação dos prefeitos da região que será beneficiada.

O governador João Alves Filho viajou, ontem, a Salvador para participar de uma reunião com o presidente do BID, Enrique Iglesias.

 

ANGUSTIADO

O governador João Alves Filho anda angustiado com a morosidade de alguns dos seus auxiliares, que não estão cumprindo uma pauta definitiva de obras.

É possível que na próxima semana o governador reúna o secretariado, exatamente para pedir que alguns deles entrem no clima de uma administração mais ágil.

 

ROUBADOS

Um ex-delegado revelou, ontem, que os carros roubados e recapturado pela polícia voltaram a ser utilizados por agentes policiais.

Além disso, segundo a mesma fonte, esse veículos são depenados. Levam som, pneus, peças importantes do motor. Enfim, um crime dentro da lei…

 

Notas

 

SILÊNCIO

Um auxiliar direto do governador João Alves Filho (PFL) diz que não está entendendo o comportamento de seu chefe nestas eleições municipais, principalmente em relação a Aracaju: “Em nenhum momento João Alves falou para seus secretários trabalharem a candidatura de Susana Azevedo (PPS)”.

O mesmo auxiliar concorda que o governador João Alves Filho deve colocar o bloco na rua a partir do segundo turno, quando a disputa acontecer entre os dois candidatos que melhor se sair agora, no primeiro turno das eleições.

 

SUSANA

A assessoria da candidata Susana Azevedo (PPS) divulga que ela cresceu quase três pontos percentuais em apenas seis dias de campanha. Os números que apresentam o crescimento são os variáveis entre a pesquisa da revista Isto-É/Databrain, realizada dia 26 e 27 de julho, que deu 20.8% de intenções de votos a Susana.

A assessoria mostra que a pesquisa realizada no período de 2 a 5 de agosto, pela Única e publicada na revista Sergipe Mais, a candidata Susana Azevedo já está aparecendo com 23% das intenções de votos.

 

ESCLARECE

O presidente da Associação Comercial de Sergipe, Fernando Carvalho, esclarece que o faturamento que desobriga o comerciante a implantar do sistema SE-TEF é de R$ 60 mil anuais e não mensais como foi publicado em Plenário: “é justamente esse um dos questionamentos que se tem sobre o sistema”.

Segundo Fernando, são obrigadas a instalação em micros e pequenas empresas, com vendas superiores a R$ 5 mil por mês: “não é lucro, são vendas”, explica. Nesse caso enquadram-se as padarias e armarinhos de bairros.

 

É fogo

A maioria dos restaurantes e bares da orla continua sem receber pagamento via cartão de crédito, porque se recusam a implantar o TEF.

 

Apesar de uma manhã de sol neste domingo, nenhum candidato colocou trio elétrico na praia de Atalaia.

 

Até mesmo os pequenos carros de som de candidatos proporcionais eram visto na praia de Atalaia, que recebeu muita gente.

 

Uma comissão de deputados da Assembléia Legislativa viaja ao Rio de Janeiro para protestar contra o sexto leilão da Petrobrás.

 

O deputado federal João Fontes (PSol) continua trabalhando, em Sergipe, contra o leilão da Petrobrás. Ele tenta movimentar a sociedade sobre o leilão.

 

O candidato do PMDB, deputado federal Jorge Alberto, satisfeito com o número de pessoas que compareceu à Feijoada dos Amigos, domingo, no Iate.

 

O prefeito Marcelo Déda retornou de Brasília com uma série de depoimentos de parlamentares sobre a sua atuação quando esteve deputado federal.

 

O objetivo de Marcelo Déda é exibir todos os depoimentos no programa gratuito de televisão, que terá início hoje.

 

Os partidos da oposição estão trabalhando para ganhar as eleições municipais na grande Aracaju. Estão fechando o cerco sobre a capital.

 

A produção industrial aumentou em todo o país no primeiro semestre deste ano, segundo dados divulgados pelo IBGE.

 

O novo controlador da Embratel, o grupo mexicano Telmex deu início a uma série de demissões de serviços diretos e terceirizados.

 

A assinatura residência de telefonia fixa e o impulso terão reajuste extra de 6,7% em duas fases em 1º de setembro e 1º de novembro.

 

Por Diógenes Brayner

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários